Por que Oregairu é uma obra diferente do normal e quem é a melhor garota, segundo Riberiru, o tradutor da obra?

Por que Oregairu é uma obra diferente do normal e quem é a melhor garota, segundo Riberiru, o tradutor da obra?

Bom, meus caros, não sei qual é o público que está lendo esse post e, em razão disso, irei evitar dar grandes spoilers aqui. Sem embargo, ainda haverão alguns e peço desculpa antecipadamente por isso.

Yahari Ore no Seishun Love Comedy wa Machigatteiru (“Como eu esperava, minha comédia romântica juvenil está errada”) é uma obra que foca na história de um garoto solitário chamado Hachiman. O próprio título dá um indício de que essa comédia romântica tem várias coisas, exceto comédia e romance kkk.

Para iniciar, o motivo dessa obra ser diferente do normal é exatamente o fato do protagonista não ser alguém normal. Ele não é somente um solitário, não, ele criou uma verdadeira filosofia sobre a solidão e sobre todos os outros. Como vemos as coisas de acordo com a visão completamente distorcida do “Mestre dos Solitários”, que tem olhos de peixe morto e odeia do fundo da alma os indivíduos que têm vida social, mas que também deseja entrar em uma família sem ter que trabalhar, as coisas mais corriqueiras do dia-a-dia se tornam complexas e cheias de mensagens filosóficas – algumas com e outras sem nenhum sentido. Por mais que o MC seja um isolado, a proposta da light novel é realmente discutir sobre as relações sociais e sua importância e complexidade, principalmente no Japão.

Acredito que é uma história que agrada a todos os tipos de pessoas e que faz a sua mente expandir muito, principalmente porque o autor, Watari-sensei, é um escritor incrível cujo tem merecido toda a fama conquistada. O único elemento que pode incomodar alguns é o pessimismo do protagonista. Eu sou alguém reservado, sem muitos amigos e quase sem nenhuma vida social, por isso compreendo bem o ponto de vista e a forma de ser do Hachiman. Também entendo o ódio ou a falta de carinho que diversos compartilham por esse tipo de pessoa: esses certamente irão achar a obra um lixo. Mas, citando a fala da Hiratsuka-sensei, “existem insetos que comem ervas daninhas, então tudo é questão de gosto.”

Eu recomendo esse projeto para indivíduos que preferem histórias inteligentes, que não te tratam como idiota explicando o óbvio como se fosse a Dora Aventureira; àqueles que querem ver um elenco completamente humano, sem toda a sorte do mundo e que fogem dos estereótipos e aos que preferem ler um conteúdo mais denso e rico, focado em detalhes normalmente esquecidos, e abarrotado de referências à cultura pop mundial e japonesa. É a melhor novel na Saikai, em minha humilde opinião.


Esta parte tem spoilers e serve para eu expor os motivos do porquê a professora solteirona, otaku e completamente biruta é a melhor garota presente.

Em primeiro lugar, Hiratsuka é linda. Todas aqui sofrem da síndrome de Dragon Ball, sendo mudado somente o cabelo e a cor dos olhos, mas isso não significa que Ponkan-sensei ou Toriyama sejam ilustradores ruins, pelo contrário.

Em segundo lugar, ela é muito madura para a idade e, apesar de séria, é alguém que se importa demais com os outros. Nos momentos em que aconselha Hachiman e o repreende por fazer alguma merda, também é demonstrado o quão empática pode chegar a ser.

Seguidamente, a mulher é uma enciclopédia de animes e mangás shonen. Quem aprecia One Piece, Naruto, Dragon Ball, Rurouni Kenshin, Hokuto no Ken, Pokémon, s-CRY-ed e outros, irá amá-la (além dela usar piadas de internet que nem eu conheço, mas que costumam ser muito boas). Seu amor por animes e mangás é tanto que aprendeu artes marciais para suprimir a curiosidade e estar mais próxima de seus ídolos bidimensionais.

A Hiratsuka possui emprego fixo e não se importa se o marido não trabalha, desde que ele seja um bom dono de casa. Suas fraquezas seriam baseadas na tristeza de ninguém querer se casar com ela e por ser uma cachaceira. Por todas as razões aqui descritas, defendo o #shizukateam, e aí de quem falar mal dela.

Encerro afirmando que a Yukina é descendente do nitrogênio líquido, assim como a Brubru; que a Haruno é o demônio no corpo de uma garota fofa; que a Yuiyui (da obra, não a Yumi) é bem mais do que uma garota com sex appeal; que a Komachi é a irmã que todo mundo queria ter; que a Saki é fofa demais; que a Hina parece com as meninas da Scan; que a Iroha nunca vai vencer; que a Meguri devia aparecer mais e que Kaori vá para o raio que a parta.

Até mais, pessoal! Não se esqueçam de ler Oregairu!

Por ScryzZ | 24/04/2019 às 22:03 | 4 Comentários
Compartilhe: