CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 100 - Contagem Regressiva

A Guerra dos Nove Mundos (GNM)

Capítulo 100 - Contagem Regressiva

Autor: Maurício Argôlo | Revisão: SolidSnake | QC: Bru

Sagwa já tinha experimentado o terror daquela transformação, um calafrio passou por todo seu corpo quando ela lembrou da última luta que teve com o cultivador que usou esta mesma técnica.

Martha não perdeu tempo e avançou com uma velocidade inimaginável, ela sabia as consequências e os perigos que havia assumido quando utilizou esta técnica, então quanto mais rápido Sagwa morresse, melhor. Em um piscar de olhos ela alcançou Sagwa e lançou sua garra fantasma na direção de seu tórax.

A pérola negra reapareceu na testa de Sagwa e rapidamente ela cobriu seu corpo com a aura azul, cruzou os braços e se preparou para o impacto. Ela sabia que não seria rápida o suficiente para esquivar então decidiu defender.

*Boooommmmmm* A força do impacto a lançou para trás fazendo-a colidir com algumas árvores.

Uma linha de sangue desceu pelo canto de sua boca enquanto ela levantava e olhava para frente, uma flecha escura vinha em sua direção.

Ela vasculhou seu anel espacial com seu sentido divino e pegou uma nova lança. Sagwa sabia que esta lança não duraria muito tempo mas não queria usar as armas de melhor qualidade que tinha encontrado no seu anel, por isso estava usando as piores pois seu único intuito era ganhar tempo. Por conta das experiências anteriores, entendia muito bem o poder que Martha tinha a sua disposição agora já que também conseguia usar aquela técnica, então, no momento tudo o que ela podia fazer era ganhar tempo: “Está quase lá…”

*Boooommmmmmmm* Outro som de explosão ecoou quando e espada de Martha colidiu com a lança de Sagwa, ondas foram emanadas em todas as direções e várias árvores saíram voando devido a força do impacto.

Sons de metal se chocando começaram a ser ouvidos e quando viu aquilo Martha riu: “Você tem tantas armas mas todas de baixa qualidade ou quebradas. Vou te cortar em pedacinhos e depois te transformar em pó, mas claro, irei conservar sua alma e refina-la lhe fazendo experimentar uma dor estonteante pela eternidade.”

“Você fala demais, não se superestime.. deixe que nossos punhos conversem!” - Sagwa falou e logo depois aumentou a quantidade de prana na condensação do fogo. Subitamente algo parecido com uma fogueira se formou, se algum mortal se aproximasse de Sagwa naquele momento é bem possível que virasse pó, carbonizado em segundos.

Sagwa forçou a lança, cujas fissuras emitiam sons cada vez mais altos, rapidamente a pressão que Martha teve que enfrentar aumentou drasticamente.

“Essa quantidade de prana que você está usando é absurdamente alta, pare de se forçar tanto ou você morrerá e eu quero que você continue viva... preciso lhe torturar depois que isso tudo acabar.” - Martha rugiu alto para Sagwa.

“Você deveria se preocupar mais consigo mesma do que comigo.” - Quando falou isso Sagwa aumentou ainda mais a quantidade de Prana que estava usando, esta foi a primeira vez que ela usava sua condensação de fogo de tal forma, o fogo que ela estava produzindo estava queimando tão violentamente que em questão de segundos boa parte da floresta ao redor se incendiou. E ainda assim, ela não diminuiu a quantidade de Prana que estava liberando, pelo contrário, a cada instante, aumentava ainda mais.

O calor liberado aumentou a tal nível que o ar em torno dela se tornou rarefeito, com o oxigênio sendo consumido para manter o fogo. As árvores mais próximas foram reduzidas a cinzas e até a terra sob seus pés derreteu, se tornado em magma. Até a área de influência da técnica de Yumi recuou para longe de Sagwa e do calor de seu Prana.

“Ahhhhhhhhhhhhhhhhh!” - Sagwa gritou deixando fluir ainda mais prana, Martha começou a recuar devido a força da pressão do ataque de Sagwa.

Sukh e Yumi estavam de longe e olharam com surpresa para aquela cena, da última vez que elas viram Sagwa lutar, ou seja, na floresta antes de chegarem no Clã Noonan, ela ainda estava com a técnica no nível médio, mas esta não era a mesma chama de antes.

‘Ela cultivou a técnica para o nível Superior em menos de um ano?’ - Sukh pensou enquanto soltava um suspiro de surpresa, normalmente para um cultivador conseguir fazer suas habilidades avançarem do nível médio para o nível supremo demorava cerca de dois a três anos, e claro, isso se fosse algum cultivador muito diligente. Este também era um dos principais motivos que fazia as pessoas escolherem poucas habilidades para treinarem.

“Skar não te ensinou a nunca desviar a atenção do seu oponente” - O capitão rugiu e avançou contra Sukh, sua albarda estava indo na direção do pescoço dela.

Sukh levantou sua foice e defendeu o ataque: “Não se preocupe, você tem toda a atenção que você merece.” - Ela sorriu, deu alguns passos para trás e golpeou com a foice em um ângulo estranho, o capitão teve dificuldade para entender aquele ângulo mas conseguiu defender.

Neste momento Sagwa também aumentou subitamente a pressão do ataque e fez Martha recuar alguns passos. Aproveitando a brecha, ela ativou outra habilidade, rapidamente um raio serpenteou seu corpo e foi na direção do céu. Logo um punho desceu na direção de Martha.

“Eu estava esperando por isso…” Antes de chegarem ao Clã Martha recebeu informação do seu capitão. Pelo o que Leon tinha lhes informado chegaram ao Clã três garotas e um garoto a mando da seita e as três garotas eram as discípulas de Skar, o garoto ela não fazia ideia de quem era. Mas sendo essas três garotas discípulas de Skar eles não podiam subestimá-las e por isso reuniram informações pertinentes sobre elas, e nas informações constava que este era um dos ataque mais fortes de Sagwa, se ela conseguisse defender este ataque, com certeza ela venceria esta batalha, sem falar que Sagwa gastou uma infinidade de prana, pela lógica, seu prana acabaria em breve. “... Eu vou te mostar o terror pequena garotinha, todos que ficarem em nosso caminho para a grandeza morrerão.”

Ela falou e uma esfera negra começou a se concentrar na ponta de sua espada, em apenas alguns segundos se tornou do tamanho de um punho, depois aumento e ficou do tamanho de uma melância.

Alguns instantes depois o punho estava com pouca distância de Martha. Ela sorriu quando lentamente disse “Semente das trevas.”

O globo negro que tinha se acumulado na ponta da espada saiu a uma velocidade surpreendente e em segundos alcançou o punho da habilidade de Sagwa.

*BBBBBBBBBBBBBBBBBBBOOOOOOOOOOOOOOOOOOOMMMMMMMMMMMMMM*

Sagwa foi lançada longe devido a força do impacto dos dois ataques. Mas nem teve tempo de colidir com algo, em instantes uma sombra se aproximou dela, girou em pleno ar e a golpeou na barriga com o calcanhar.

Uma nuvem de poeira se levantou quando Sagwa colidiu com o chão, quando ela abaixou uma cratera pôde ser vista no chão e uma garota ensanguentada dentro dela.

Martha ja tinha voltado para o chão e caminhava na direção da cratera com um sorriso de satisfação no rosto: “Eu te falei que iria de matar, queria refirnar sua alma e tudo mais… porém antes vou fazer você sofrer e implorar para que eu te mate.”

Sagwa começou a tentar se levantar e olhou na direção de Martha, ela não respondeu a provocação de Martha. Quando estava totalmente em pé ele sentiu uma vibração dentro dela. Ela sorriu e falou “100…”

Martha se lançou na direção dela e a agarrou com a garra fantasma e começou a apertar o corpo de Sagwa.

“Peça perdão e implore para que eu te mate…” - Ela falou enquanto apertava com mais intensidade.

“99… 98… 97…” Sagwa urrava enquanto a pressão aumentava.

“Você está contando os segundos para sua morte?” - Martha perguntou.

Porém Sagwa parecia não dar ouvidos, e seu semblante não era de dor, mas de felicidade: “96… 95… 94…”

Yumi viu de longe o que a mulher estava fazendo, ela tentou se lançar na direção delas mas foi interrompida por diversos cultivadores que avançaram na direção dela com sede de sangue nos olhos.

A raiva de Yumi chegou ao ápice, depois de matarem Yullan eles queriam machucar e matar a pessoa que ela mais estimava na vida, a garota que ela se entregaria a morte para salvar?

A nevasca aumentou e a temperatura do ambiente diminuiu ainda mais, consequentemente a quantidade de prana que os inimigos tinham que usar para se manterem aquecidos aumentou a uma taxa vertiginosa. O incêndio que Sagwa havia causado foi apagado quando a neve começou a cair novamente naquela região e até o magma foi subitamente resfriado, tornando aquele ponto num rochedo fragmentado, como se alguém tivesse quebrado uma imensa vidraça negra.

A maior parte dos cultivadores que Yumi estava enfrentando eram do nível inicial ao avançado do segundo grau, somados à incrível diferença de recursos e poder, aquilo rapidamente se tornou uma chacina.

Para todos os lados carne, vísceras, ossos, membros, cabeças, línguas, enfim, tudo que é possível encontrar em um copo humano estava espalhado pelo local.

Os cultivadores do Clã Noonan que recuaram e, consequentemente, eram o grupo que não tinham traído a Seita estavam boquiabertos.

“E-essas garotas, elas são mesmo humanas?” - Uma voz falou.

“Céus, isso não é poder que alguém no nível supremo do segundo grau deva ter.” - Outra pessoa comentou.

“No momento eu estou é dando graças aos céus por elas estarem do nosso lado, imaginem se elas fossem as inimigas.” - Uma terceira pessoa se pronunciou.

“Aquela de cabelo escarlate, ela parece ser a líder, mas vejam, ela parecer ser a mais fraca delas.” - A primeira pessoa voltou a falar.

“Verdade, das outras, uma está matando feito uma besta demoníaca, e a outra mais parece ser a encarnação da morte que uma cultivadora. Ela está lutando contra o capitão deles e ainda está na vantagem.” Uma quarta voz soou.

Neste momento um garotinho apareceu no meio deles, ele tinha puro ódio em seu olhos e eles estavam tão vermelhos que denunciava que ele tinha chorado muito: “N-não subestimem a senhorita Sagwa. Ela é como um Dragão adormecido nas profundezas de um lago. Monstro não é uma palavra que possam definir o que ela é.”

“S-Saladin você está dizendo que dessas três, ela é a pior?” - Um voz rouca perguntou.

“Eu estou dizendo que dessas três, a que eu não escolheria para ter qualquer tipo de desavença seria a Senhorita Sagwa…” - Saladin respondeu enquanto olhava na direção que Sagwa estava.

“30… 29… 28….” - Sagwa continuava a contar.

“Se é isso que você deseja, quando sua contagem chegar a zero eu irei começar a te dividir em pedaços, começando por sua mão esquerda.” Martha apertava ainda mais.

Sukh estava preocupada com Sagwa, mas quando ela viu que Sagwa não estava tentando se libertar ela percebeu que definitivamente tinha algo de errado: “S-será que ela ta tentando ganhar tempo? Mas para que?”

“10… 09… 08…”

“Vamos chegue a zero, quero te dividir em pedaços, ver seu sangue escorrer por minha mão, qual será o gosto dele?”

“07… 06… 05… 04…”

“Hahahahaha Eu vou refinar cada parte de sua alma, seu corpo vai morrer, mas seu sofrimento será eterno.” - Martha riu histericamente enquanto aumentava a força do aperto.

“03… 02… 01…”

“Agora minha diversão vai começar.” - Martha falou já se preparando para começar a sessão de despedaçamento.

Sagwa sorriu enquanto olhava para os olhos de sua inimiga ao pronunciar: “0…”

Por ScryzZ | 08/02/18 às 23:04 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Wuxia, Xianxia, Xuanhuan, Protagonismo Feminino, Romance, Brasileira