CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 103 - Dupla Afinidade Elemental

A Guerra dos Nove Mundos (GNM)

Capítulo 103 - Dupla Afinidade Elemental

Autor: Maurício Argôlo | Revisão: SolidSnake | QC: Bru

Poucos minutos após a chegada de Skar tudo tinha ficado em paz, o único sofrimento que ainda existia era dos sobreviventes que tinham que conviver com a traição daqueles que um dia chamaram de irmãos, o mais afetado foi o patriarca, seu único filho tinha traído ele, e pior ainda, tinha traído a Seita.

Luna ajudou a organizar todo o retorno para a vila, bem como ajudou pessoalmente no transporte do patriarca Noonan, e enquanto eles retornavam Skar conversava com o grupo de discípulos que estava em sua frente.

“Parece que o ataque inimigo já está acontecendo… Resolver tudo isso será tão cansativo…” - Skar falou enquanto desejava um copo de Chá em sua mão, mas o que mais lhe preocupava era o nível de poder dos inimigos, a julgar pelo grupo que veio até o Clã Noonan hoje, ele sabia que os mais fortes com certeza seriam muito mais fortes que este grupo que ele conheceu, e o pior de tudo é que, mesmo alguns anciões da Seita teriam dificuldades em lutar e sobreviver contra um grupo como aquele. “Precisaremos aumentar o nível de poder da nossa seita o mais rápido que conseguirmos, o inimigo que estamos enfrentando não é alguém que conseguiremos vencer no nosso atual estado.”

“Mestre, o senhor está dizendo que é possível que nós sejamos o lado perdedor desta guerra?” - Sukh perguntou com tom de surpresa.

“Sim… ao que parece o inimigo já começou a se agrupar há muito tempo, e, com este tipo de técnica diabólica que eles usam, suas tropas conseguem evoluir a uma taxa incrivelmente rápida.” - Skar estava com um olhar de preocupação, somente isso mostrava o tamanho do problema que eles estavam enfrentando - “Mas nossa sorte pode estar mudando, pelo o que o Yullan me falou vocês acharam uma mina de Étherion?”

“Sim mestre, para ser mais exata a Sagwa achou.” - Yumi estava olhando para Sagwa enquanto falava, estranhamente a amiga não tinha dito uma palavra desde que elas foram salvas por Skar.

“Interessante, isso pode mudar o ritmo da guerra, ao que fique sabendo essa pode não ser a única mina de Étherion que existe dentro o território da Seita… O Yullan…”

“Mestre, me desculpe a interrupção, mas eu gostaria de entender. Como o Yullan conseguiu passar tanta informação pro senhor?” - Sukh estava esperando pelo momento certo para perguntar, mas parecia que nunca chegava. Mas sua voz estava com um tom meio irritado, parecia que ela não havia perdoado Yullan por fingir ter morrido.

“Hô… verdade, vocês não conseguiram tempo suficiente para conversar… Yullan, você quer responder?” - Skar olhou para ele com um leve sorriso no rosto.

“E-eu… desculpem por não ter avisado que eu estava vivo, mas para fazer o que eu precisava fazer eu necessitava ganhar tempo e… se eu me revelasse antes eu não iria saber do plano inimigo e por isso não iria chamar o mestre e vocês iriam acabar morrendo… Bem, desde que eu comecei a cultivar a Técnica que a senhorita Sagwa me deu, a minha percepção aumentou a uma taxa absurdamente alta, seria impossível parar um ataque daquele sem pegar desprevenido. Quando o ataque dele foi lançado eu usei as ondas de energia para pegar impulso e sair do local sem ser detectado, somente alguém que já estivesse no segundo Reino conseguiria me identificar. Eu literalmente surfei nas ondas de choque, mas enfim. Eu aproveitei a chance e usei um ponto estratégico para matar quem quer que fosse que tentou me matar

Em seguida, ocultei a minha energia o máximo que pude e tomei posição. Quando finalmente vi quem tentou me matar eu entendi que tudo aquilo ia muito além do que o que nós enxergávamos, a sabotagem da matriz do escudo de defesa, as crianças que desapareciam mesmo em locais escondidos, o desaparecimento dos pais de Saladin, a doença do patriarca, tudo isso estava interligado, e naquele momento descobri o traidor.

Eu avancei até um local onde eu pudesse escutar o que ele dizia, e assim que cheguei a primeira coisa que vi foi ele usando um Cristal de Jade de comunicação de longa distância para falar com alguém desconhecido. Quando eu cheguei a conversa já estava quase no final mas as poucas palavras que ouvi fizeram meu couro cabeludo tremer, ele falou ‘Venha logo senhor, seus subordinados estão sendo massacrados e com o senhor aqui todos os inimigos se tornarão poeira em questão de segundos’.

Aquelas palavras fizeram meus instintos entrarem em alerta total; Um plano maluco passou por minha mente, mas quando ia executá-lo para apanhar leon ele se juntou com vários outros cultivadores e foram na direção do campo de batalha e em seguida começou a enviar a mensagem através do dispositivo de ampliação do alcance de voz.

A partir daí eu fiz a única coisa que me restou fazer, antes da Yumi sair da casa do patriarca para ir se encontrar com a Senhorita Sagwa e a Sukh, eu lhe pedi seu Cristal de Jade, a ideia era que se eu me afastasse delas e poderíamos nos encontrar novamente. Mas no final ele serviu foi para entrar em contato com a Seita.

Eu ainda tive que lidar com um idiota que não queria acreditar em mim, ainda bem que consegui convencê-lo a chamar alguém, um tal de Zaffaroni foi quem falou comigo. E depois que eu lhe dei provas de que eu era quem dizia ser ele foi chamar o Mestre Skar o mais rápido que conseguia.

Depois disto eu falei rapidamente com o Mestre Skar alguns momentos depois ele simplesmente me deixou falando sozinho. Minutos depois ele reapareceu aqui, como se a distância da Seita até este local fosse nada.”

Quando Yullan terminou de falar a raiva de Sukh e Yumi diminuiu, de fato elas agora deviam a vida a ele. Mas, o que as deixou impressionadas foi a velocidade de voo de Skar. Esta era a prova real de que Skar já tinha alcançado o segundo reino do mundo marcial, somente aqueles que alcançaram o segundo reino desenvolviam a capacidade para voar e isso era ser uma lenda entre as lendas, o número de pessoas na região nordeste que conseguiu desenvolver a capacidade de vôo, ou seja alcançar o segundo reino, podia ser contadas nos dedos de uma mão. O mestre delas era alguém que estava em um nível que a compreensão delas ainda não entendia ao certo.

“Bom…” - Skar voltou a falar - “Isso resume as coisas… Graças ao Yullan conseguir me avisar eu consegui chegar a tempo. Se ele demorasse alguns minutos a mais, eu chegaria atrasado. Mas os céus quiseram que as coisas acontecessem como foram, e nada é por acaso. Acredito que vocês tenham um papel importante na guerra que está por vir”. - Skar falou isso olhando para Sagwa, o passado, o presente e o futuro desta garota era simplesmente uma incógnita para ele, mas mesmo sendo seu mestre ele não a forçaria a falar. A não ser que quisesse, afinal, todo artista marcial tinha seus próprios segredos. Ele, Sukh… Por que ele forçaria Sagwa a contar o dela?

“Como eu estava falando antes, precisaremos descobrir se existem outras minas e fazer com que elas não caiam nas mãos desses inimigos… Entrarei com contato com o patriarca e começaremos nosso contra-ataque enviando pequenos grupos para os locais onde houver aparecimento do inimigo. Já se passou o tempo de aguardarmos e nos escondermos, agora é hora de matar qualquer um que desejar o mal da nossa Seita” Quando Skar terminou de falar uma ventania passou pela porta da casa interrompendo um pouco a conversa, neste momento Sagwa falou pela primeira vez.

“Eu acho que próximo ao meu Clã existe uma mina de Étherion. E se isso for verdade, o tamanho dela supera esta que encontramos aqui.” - Diferente do normal, falou rápido e sucintamente, todos perceberam que tinha algo de errado com ela, mas foi Yumi que ficou mais preocupada.

“Se isso for verdade… Temos que fazer uma visita ao seu Clã o mais rápido possível. Um porque, se seguirmos o padrão, ele pode estar correndo perigo e segundo, porque essa mina pode ser o que salvará nossa seita da calamidade.” - Skar falou demonstrando um pouco de expectativa.

“Sobre isso, eu tenho outra função para o Étherion.” - Sagwa falou, ela sentou-se na posição de lótus com um pergaminho de jade e ficou ali parada por alguns instantes, Skar não pestanejou, ele mais que ninguém gostava de um tempo no ócio sem fazer nada, e não acreditava que Sagwa estaria brincando em um momento como este. Sukh, Yullan e Yumi sabiam exatamente o que Sagwa estava fazendo, mas preferiram deixar que ela explicasse o que quer que fosse explicar.

Alguns minutos se passaram e Sagwa finalmente abriu os olhos. Ela jogou o pergaminho de jade que tinha em sua mão para seu mestre que o apanhou ainda no ar. Ele usou seu sentido divino para verificar o conteúdo e momentos depois seus olhos abriram novamente. “Técnica de Cultivo de Nível Transcendente - Arcanjo Miguel: Príncipe da Luz… Isso…” - Aquela foi a primeira vez que Sukh viu Skar sem palavras.

“O senhor tem afinidade elemental com a luz certo?” - Vendo que Skar estava sem saber o que dizer Sagwa falou.

“S-sim… Mas como você sabe?” - Skar perguntou ainda atônito.

“A habilidade que o senhor usou para cortar ao meio a habilidade do inimigo. Creio que o senhor tenha usado-a somente porque chegou em cima da hora, porque, da segunda vez que o senhor atacou, não ativou nenhuma habilidade, somente as flutuações de energia foram o suficiente para reduzir os ataques e os inimigos a nada. Mas o importante é que com aquele ataque eu percebi de que elemento ele era.” - A verdade era que no momento que estava encarando a morte Sagwa tinha forçado seu prana até o limite, a aura azul que rodeava seu corpo e as linhagens dos Deuses que corriam por seus meridianos estavam com força total, mesmo poseidon estava vibrando de alerta.

Mas além disso, a pérola em sua testa estava brilhando exaustivamente. Com tudo isso ela conseguiria recuar algumas dezenas de metros para diminuir a força do impacto e desta maneira ela poderia ficar a beira da morte, mas teria uma chance mínima de sobrevivência. O problema eram seus amigos e, mesmo que sobrevivesse ao ataque, como sobreviveria quando o inimigo percebesse que ela não havia morrido?

O fato é que sua atenção estava completamente doada a situação, quando Skar apareceu e usou sua técnica, mesmo que por frações de segundo, ela conseguiu captar cada aspecto daquele ataque e além disso, as flutuações de energia foram todas percebidas por Sagwa, diante disto tudo, como o elemental daquele ataque pôde ter escapado de sua visão?

Skar estava olhando para o pergaminho de jade que estava em suas mãos, aquele nível de técnica era algo que ele nunca tinha visto, inicialmente ele achou que era algum tipo de brincadeira e já ia repreender Sagwa por isso, mas quando ele leu e interpretou as primeiras frases do primeiro nível da técnica, pôde sentir a energia celestial do local se contorcer e ir em sua direção, se somente a leitura lhe deu essa sensação, então qual seria o resultado após cultivá-la de forma correta?

Skar estava boquiaberto, nem nas lendas do local de onde ele tinha vindo uma técnica deste nível existia. Como, como uma garota como sagwa poderia ter algo deste calibre?

“Considere isso um pagamento por salvar a minha vida e a dos meus amigos. Com ela o senhor conseguirá cultivar usando Étherion.” - Sagwa selou enquanto olhava pro chão.

Quando Skar ouviu aquilo, ele finalmente abriu sua boca, nunca na vida dele ele soube de algum meio de conseguir cultivar usando Éhteion, geralmente este item eram muito raro e usado para ativar as matrizes de transferência para outros mundos, mas nunca para cultivar, o desperdício de energia era gigantesco, sem falar que, na maioria das vezes o cultivador ficava aleijado por não conseguir controlar a energia selvagem do Étherion. Mas foi então que Skar olhou para os jovens cultivadores em sua frente e finalmente percebeu que o motivo de todos terem avançado de nível de forma tão rápida foi por conta do Étherion.

“I-isso… Isso é inacreditável. Mas Sagwa, você não precisa me agradecer por salvar a vida de vocês, eu faria isso por qualquer discípulo da nossa seita, para mim, cada um de vocês é como minha família e vocês… vocês são minhas discípulas, ou seja, são como filhas para mim, eu jamais poderia me permitir ficar parado quando podia evitar mortes. Qualquer um que ousar tentar matá-las sofrerá a minha ira.” - Skar falou decisivamente enquanto olhava para Sagwa.

Neste momento Sagwa soltou um sorriso de leve, o primeiro depois de todo o problema que enfrentaram. De fato, Skar já tinha se tornado com um pai para ela e por isso ela não pensou dua vezes antes de lhe dar uma técnica de cultivo nova. Só não lhe deu uma habilidade também porque na idade de Skar ele com certeza já tinha várias, e Sagwa sentia que não eram habilidades mais fracas que as que as que ela deu aos seus amigos. Mesmo não sabendo o que era, ela sabia que Skar era muito mais do que aparentava ser.

“Agradeço por você ter me dado esta técnica de cultivo. Mas se for somente pelo fato de eu ter salvado vocês, eu terei que recusar. Sagwa, você ainda é jovem, provavelmente ainda não entendeu a imensidão que é o mundo. Existem pessoas que se olharem pra mim é bem provável que eu morra sem nem saber o que me atingiu. Você não deve se sentir mal por topar com pessoas mais fortes que você, use isso a seu favor, use isso para superar as dificuldades e alcançar o ápice onde ninguém poderá te fazer sentir o que sentiu hoje.

Não sinta medo, não sinta arrependimentos, simplesmente percorra o caminho mais difícil e abrace cada oportunidade. E o mais importante, tenha bons amigos, por mais que você alcance o topo do universo, se você não tiver com quem dividir a felicidade, será o mesmo que nada.”

Sagwa ouviu aquelas palavras de Skar e olhou para baixo um tanto envergonhada. Ela lembrou momentaneamente de quando voltou da missão ao Clã da Yumi, Skar lhe perguntou o porquê de ela querer trilhar o caminho marcial. Com certeza ele queria lhe dizer que momentos como o de hoje iriam acontecer - momentos de crise nos quais sua vida iria estar por um fio seriam fatos corriqueiros a partir de agora.

“N-não é por isso…” - Sagwa usou seu sentido divino para fora para saber se tinha alguém por perto capaz de ouvir sua conversa.

Skar percebeu isso e falou: “Não se preocupe, eu usei uma habilidade que cria uma barreira ao nosso redor, ninguém que seja mais fraco que eu conseguirá passar por ela e ouvir nossa conversa.”

Mais confiante Sagwa continuou: “O-o senhor já é considerado o homem mais forte da Seita, tendo em base que, mesmo tendo esse título, ninguém sabe ao certo o seu limite. Se cultivar usando esta técnica de cultivo, os limites que o senhor pode alcançar são inimagináveis. Essa pode ser nossa melhor arma nesta guerra que está por vir, ainda mais porque não sabemos o nível de poder do homem que está por trás disto tudo.”

Yullan olhou para Skar ao dizer: “O que a senhorita Sagwa diz é razoável, mestre o senhor deve aceitar.”

“A Sagwa deu uma técnica dessa a cada um de vocês?” - Skar perguntou.

“Sim…” - Sukh respondeu.

Skar mastigou um pouco o fiapo de trigo que estava no canto de sua boca, suspirando ele voltou a falar: “Ainda há outro motivo para eu não poder cultivar essa habilidade desta maneira…” - fez uma pausa tentando decidir se realmente falava isso ou não, este era um segredo que ele nunca tinha revelado, nem mesmo a Sukh.

Depois de prolongar o silêncio por um tempo ele resolveu que era o mais correto. Mesmo Yullan não sendo seu discípulo direto, depois dos últimos acontecimentos, ele ganhou um espaço em seu coração junto a Sagwa, Yumi e Sukh - “Eu possuo Dupla afinidade elemental e, como a Sagwa bem sabe, por conta disto eu não posso cultivar técnicas de níveis diferentes, isso poderia causar grandes problemas no meu cultivo podendo me fazer alcançar um momento que não conseguirei mais avançar.”

Quando ouviram aquilo todos ficaram boquiabertos, Mas que tipo de monstro era Skar? Ele conseguiu alcançar um nível aterrador de força, não era mais segredo que o inimigo ainda não tinha atacado a Seita por conta dele, e agora elas estavam sabendo que Skar possuía dupla afinidade elemental, e um dos elementos era ainda mais raro que a escuridão de Sukh?

Mas antes que a surpresa deles chegasse ao fim Skar continuou: “Eu possuo afinidade com o elemento Luz e o Elemento Escuridão...” SolidSnake: E a forma verdadeira dele é um Panda de Presas...

Por ScryzZ | 12/02/18 às 11:33 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Wuxia, Xianxia, Xuanhuan, Protagonismo Feminino, Romance, Brasileira