CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 130 - Uma Atitude Inesperada

A Guerra dos Nove Mundos (GNM)

Capítulo 130 - Uma Atitude Inesperada

Autor: Maurício Argôlo | Revisão: SolidSnake | QC: Bru

Assim que viu o Patriarca, Skar deu um sorriso discreto, juntou os punhos e se curvou de leve.

“Não seja modesto Skar…” - O Patriarca juntou os punhos e se curvou de leve também. Alguns jovens que estavam atrás do Patriarca olharam estranhamente para aquela cena. Eles nunca viram o Patriarca se curvar desta forma a não ser para outros patriarcas de outras Seitas. Vê-lo se curvar para um simples mestre era muito estranho, afinal sua posição estava muito acima da de Skar. Mas eles não eram culpados pois nunca viram Skar lutando.

Sua fama era conhecida somente na Cidadela do Oeste. Apesar de haver boatos sobre seu poder, para a maioria das pessoas isso não passava de pura fantasia; além do mais, Skar era o tipo de homem que se recusava a lutar mesmo quando insultado pelos outros. Isso facilmente se tornou motivos para gozação.

Mesmo diante a esses fatos, o Patriarca tinha uma concepção completamente diferente em relação a Skar. Ele sabia que Skar podia ter um status menor, no entanto, em um mundo onde o poder e a força eram a medida universal, status nem sempre era suficiente. Ainda havia o fato de que o Patriarca tinha uma eterna dívida com Skar. Quando a guerra contra a Seita Rio de Sangue estava no ápice e eles estavam a beira da ruína, Skar foi quem tomou toda a responsabilidade para si e sozinho fez com que a Seita Rio de Sangue recuasse.

“O Patriarca é muito humilde.” - Skar falou voltando ao normal.

Enquanto Skar e o Patriarca estavam dando início a uma conversa um burburinho pôde ser ouvido atrás dele.

“Por que o Patriarca se curvou para alguém como esse cara?” -  Um jovem de roupas vermelhas falou.

“Dizem que ele é uma comédia, não aceita lutar com ninguém e sempre arruma desculpas quando é desafiado.” - Desta vez um garoto falou.

“Se o Patriarca fez desta forma é porque ele tem os motivos dele, pare de cochichar e falar mal e confiem na decisão do patriarca.” O garoto vestido de azul falou, porém, seus olhos estavam totalmente fixados na garota que ele tinha acabado de ver, seu sorriso era belo e sereno enquanto ele encarava os olhos de Sagwa que parecia surpresa em vê-lo.

“David o que você está olhando?” - A garota de amarelo perguntou olhando na mesma direção que ele. Segundos depois ela viu a garota de cabelos escarlates que também olhava avidamente para David.

“Hô, parece que o irmão Sênior finalmente pôs uma garota em seus olhos.” - O outro garoto falou.

“Uma garota do interior? Que nem teve a capacidade de entrar na seita interna ainda? É sério mesmo? Se ela realmente acha que pode usar o Irmão Sênior para alavancar seu Status ela está muito enganada. Sem falar que o Pai do Irmão Sênior já possui pretendentes para casar com ele.” - A garota de amarelo falou.

“Meu pai acha que pode mandar em minha vontade, mas me casarei com quem eu quiser; além do mais, aquela garota não quer nada comigo.” - David falou sorrindo de leve.

“Por que você não a traz para ser uma concubina? Ela é bonita e parece que você se interessou por ela, mas pelo status, ela não serve para ser sua esposa.” - O garoto falou novamente.

Neste momento David parou de olhar para Sagwa e olhou para o garoto ao seu lado com um olhar sério “Da próxima vez que você falar isso eu vou fazer você ficar de cama por um mês…”

“Calma Calma Calma, não está mais aqui quem falou… Eu estava brincando.” - O garoto se desculpou suando frio.

“Da próxima é melhor que você não cague pela boca…” - David falou olhando para frente novamente.

A garota de amarelo estava impressionada com o que acabara de acontecer. Ela conhecia David há muitos anos e esta foi a primeira vez que ele reagiu desta forma com uma brincadeira feita sobre uma mulher.

“Eu irei com o Skar para um local mais apropriado para conversarmos. Fiquem aqui e ajudem no que precisarem. Mandem uma mensagem aos Anciãos. Avisem que estamos no Clã Étherion e eles devem vir para cá.” - Eles não tiveram mais tempo para continuar a conversa, Skar tinha convidado o Patriarca para ir para um local mais reservado para conversarem sobre os acontecimentos na Seita Externa, bem como o atual estado de guerra interna da Seita Penas do Caos e ele prontamente aceitou.

“Sim Avô…” - David falou de leve enquanto pegava um cristal de jade de seu anel espacial. Ele possuía a águia Imperial mais rápida da Seita, ele chegou na Cidadela do Oeste mais rápido que os anciãos. Ao chegar ele demorou apenas alguns momentos para encontrar a mensagem do Skar e logo em seguida a destruiu para evitar maiores complicações.

Como tudo isso aconteceu em uma faixa de tempo pequena, os anciãos e discípulos que o seguiram ainda não tinham chegado e por isso ficariam sem novas informações. O Patriarca também decidiu mandar uma mensagem para ele somente depois de chegar ao Clã Étherion e ficar a par do que estava acontecendo.

Apesar de achar quase impossível, ele não ousava subestimar o inimigo, sabendo que criar uma armadilha seria algo que eles não hesitariam em fazer, e somente com sua águia seria capaz de ele conseguir escapar rapidamente. Se estivesse com muitas outras pessoas atrás dele, seria impossível escapar sem lutar.

Segundos depois Skar e o Patriarca foram vistos voando na direção de uma das montanhas da Cordilheira dos Antepassados. Enquanto os dois se tornavam um raio de luz, Sagwa olhou para o céu e se surpreendeu com o fato do Patriarca conseguir voar. Isso significava que ele também já tinha alcançado o segundo reino do caminho marcial.

Neste mesmo momento Helga caminhou até Sagwa e começou a falar algumas coisas inaudíveis. Sagwa a respondeu e sorriu de leve para ela. Em seguida Helga saiu caminhando na direção do jovem mestre que acompanhava o Patriarca e logo atrás dela foram todos os Anciãos da Seita Externa e do Clã. Aquela visão fez com que os moradores do Clã, bem como os visitantes e os sobreviventes da Seita externa, ter um misto de emoções. Nunca antes houve uma Matriarca mortal capaz de fazer com que os anciãos da Seita Externa fossem respeitosos com ela.

Também, eles não podiam fazer muito, depois do Clã Étherion se tornar uma Clã de Prestígio, mesmo que ainda não fosse oficial, ofendê-los seria o mesmo que trazer a calamidade sobre seus nomes, primeiro porque iriam manchar sua honra, e em segundo lugar porque um Clã de Prestígio era um status perene que atingia todas as gerações do Clã. Como algo desta magnitude não poderia gerar jovens talentos que superariam os desígnios dos céus?

Cultivar com todo apoio da Seita os levariam a um novo patamar e ofender um Clã que poderia ter os maiores talentos da seita no futuro era algo complicado de se fazer. Claro, também era possível que nunca aparecesse um talento de tal magnitude, mas ainda assim, uma ofensa poderia nunca ser esquecida, e se algum dia este gênio aparecesse e quisesse vingança, os herdeiros de seus nomes pereceriam por um erro de alguém já morto.

Além disto tudo, ainda existia o fato de que Skar tinha tratado Helga de forma muito respeitosa durante toda a reunião. Como eles, pobres coitados, poderiam fazer de forma diferente? Eles ainda não entendiam com o que Skar quis dizer com ‘Tenha certeza que se não fosse por ela, muito do que conquistamos hoje não passaria de uma linha do tempo esquecida.’. Quem diabos era aquela garota? Por que Skar diria isso? Porque toda esta preocupação com ela? E por que ela era diferente dos outros?

Aos olhos deles Sagwa era somente mais uma garota que tinha um talento extraordinário, nada mais nada menos. Mas parecia que Skar via algo a mais nela e, eles não estavam dispostos a discordar, até porque, de fato a força que ela mostrou em batalha era anormal para uma garota de sua idade, principalmente o último ataque lançado por ela.

Sagwa, Yumi, Yullan, Sukh e Aysha olharam para os jovens que estavam junto com o patriarca, eles eram somente três e pareciam ser pessoas de suma importância para o patriarca; ainda mais o jovem de trajes azuis que era alguém que ela jamais esperava ver em tais circunstâncias. Tudo piorava quando ela se lembrava que ele chegou com o Patriarca em sua águia imperial particular.

“Yullan…” - Sagwa falou de canto, enquanto encarava aquele garoto e depois se virou para seus amigos “Eu preciso que você e a Sukh peguem a águia do Mestre e vão ao encontro do Senhor Thousaka…” - ela falou apressadamente demonstrando urgência naquele pedido.

“Aconteceu algo?” - Sukh perguntou.

“Ao que parece, o irmão dele matou o pai e tomou o controle de toda a família se tornando o Patriarca. Após isso ele enviou assassinos para matar o Senhor Thousaka. Essas foram as únicas informações que eu tive, infelizmente depois disso, por algum motivo, não consegui mais contato com ele.”

“Como vamos encontra-lo então?” - Yullan perguntou.

“Esté é o problema, a única coisa que tenho é a última localização do Cristal de Safira que dei a ele, depois disto será necessário procurá-lo. A boa notícia é que o Cristal não foi destruído ou está em posse de algum inimigo, porque no momento que eles tentassem infundir seu Prana no Cristal saberíamos.” - Sagwa falou já esperando uma rápida confirmação dos dois.

Antes de qualquer um dos dois responder, sem qualquer hesitação Yumi surpreendeu a todos ao dizer:

“O Cristan e a Averil me informaram que meu Clã está passando por alguns momentos difíceis. Meu pai está passando de todos os limites possíveis e muitas pessoas do Clã estão sofrendo por conta de suas decisões. Eu gostaria de ir com o Yullan e quando voltarmos desejo retornar para sanar os problemas que já deveriam ter sido sanados a muito tempo.” - Yumi falou repentinamente enquanto apertava os punhos e mostrava uma feição de pura raiva e necessidade de vingança.

Por Bru | 20/03/18 às 23:19 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Wuxia, Xianxia, Xuanhuan, Protagonismo Feminino, Romance, Brasileira