CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 178 - Guerra da Cidade da Boa Fortuna (Parte 2)

A Guerra dos Nove Mundos (GNM)

Capítulo 178 - Guerra da Cidade da Boa Fortuna (Parte 2)

Autor: Maurício Argôlo | Revisão: SolidSnake | QC: Bru

Não demorou muito para os Corvos se aproximarem da Cidade da Boa Fortuna, e quando finalmente saíram do espaço aéreo da floresta, algumas bestas demoníacas puderam ser vistas chegando por terra. Os discípulos da Seita Interna rapidamente riram e se lançaram na direção dos corvos e das bestas demoníacas. Os sorrisos sarcásticos que pendia no rosto deles, rapidamente foi substituído por horror, desespero e espanto.

“I-isso é....” - Um discípulo falou assustado.

“U-u-uma quantidade dessa…” - Desta vez foi uma discípula falando.

“I-impossível… Bestas demoníacas não deveriam andar neste continente!” - Um discípulo falou enquanto parada de correr e olhava para a maré de bestas demoníacas que surgiram em sua frente, por base, cerca de seis mil bestas já tinham saído de dentro da florestas e corriam alucinadamente na direção dos discípulos da Seita Interna.

“Idiotas, não fiquem parados, nós fomos treinados por toda a vida para momentos como estes.” - A voz de um garoto ecoou pela multidão enquanto ele se lançava na direção da maré de bestas.

“Sim, vamos honrar nossa seita e nosso Clã. Só participando de lutas como estas conseguiremos avançar e nos tornar artistas marciais de verdade.” - Outro discípulo falou alto se lançando na direção das bestas.

Quando viram seus companheiros indo na direção da base de bestas, o ânimo dos discípulos aumentou e todos começaram a correr na direção das bestas com uma intensa intenção assassina nos olhos.

Uma intensa batalha sangrenta teve início, esta era a primeira vez que estes discípulos participam de uma guerra como esta e muitos não tinham a perícia necessária e por isso acabaram morrendo logo que entraram em contato com a primeira leva de bestas e por isso, as batidas dos discípulos da Seita Interna foram altas.

Poucos segundos depois das primeiras bestas demoníacas aparecerem, onda após onda de mais bestas demoníacas começaram a sair da floresta. Aos poucos seus números duplicaram e estavam a ponto de triplicar, em outras palavras, cerca de dezoito mil bestas eram facilmentes sentidas pela maioria dos discípulos, o mais amedrontador era que este número não parava de crescer.

“Que merda está acontecendo?” - O Ancião Jaul falou ao lado do patriarca.

“Aquilo são bestas demoníacas?” - O Ancião Baltazar falou olhando para o horizonte.

“Isso é impossível… Por que tem tantas bestas demoníacas juntas? E elas parecem estar agindo sob ordens de alguém porque só estão atacando nossos discípulos.” - O Ancião Jaul voltou a falar.

“Você é idiota? Como pode ser impossível se está acontecendo na frente de seus olhos?” - A Anciã Ashli falou.

“Sua Bruxa Velha, você entendeu o que eu quis dizer!!” - O Ancião Jaul falou fazendo cara feia para Ashili.

“Quem você está chamando de velha? Seu Zumbi” - A Anciã Ashili rugiu para Jaul

“Calem a boca vocês dois…” O Ancião Baltazar falou alto “Nem em um momento como esse vocês dois param de brigar!”

Quando Baltazar terminou sua bronca, o patriarca que não tinha falado nada até o momento, simplesmente sacou uma espada amarelada de dentro de seu anel espacial e quando ia voar na direção das bestas um punho eletrico apareceu entre as nuvens do céu escuro.

“Aquilo é…” - O Ancião Baltazar falou reconhecendo o ataque de Sagwa.

“A discípula de Skar!” - O patriarca falou pela primeira vez completando a frase de Baltazar. Em seguida ele se lançou voando em velocidade máxima na direção da horda de bestas.

“Por que o Patriarca está indo na direção das bestas? Se formos logo para a mansão e capturamos o Emya daremos um fim a essa guerra. O caminho mais fácil para derrotar um exército inimigo é capturando ou matando seu comandante.” - O Ancião Jaul falou.

“Um dos motivos que fez o Patriarca trazer estes discípulos, é porque eles precisam correr riscos de vida real. Riscos que não são sentidos através de uma matriz que simula a realidade. Afinal, por mais que seja parecido, o sentimento de perigo de vida não pode ser completamente simulado e sem se familiarizar com isso, um artista marcial nunca estará apto a avançar em seu Dao.

Quando viemos até aqui com eles, era porque acreditávamos que esta seria uma batalha fácil e rápida. Seria uma boa oportunidade para eles treinarem sem muito risco de baixas reais, porém a figura agora está mudando.

A onda de bestas só faz aumentar, e as que surgem por último estão ficando cada vez mais fortes. Nossa estratégia consistia em fazer com que os discípulos mais fracos ataquem os inimigos pelas laterais, para que os mais fortes e experientes fizessem o ataque pelo lado direto. Isso minimizaria nossas baixas ao extremo, porém a lateral direita é exatamente onde as bestas atacarão primeiro, bem onde metade dos discípulos mais fracos estão. Ou seja, se os deixarmos por conta própria o número de baixas que teremos será surpreendentemente grande.

O Patriarca parecia ser alguém carrancudo e disposto a sacrificar o que for necessário pelo bem da Seita. A verdade no entanto, é que ele não deseja que nenhum dos nossos morram, ele prefere dar a vida que deixar que seus discípulos morram em um campo de batalha. Para ele, cada morte de hoje será resultado de suas escolhas e portanto estará em suas mãos. A única vida que ele sacrificaria de bom grado é a dele mesmo”

“I-Isso…” - O ancião Jaul estava sem palavras, de fato, ele e sua irmã tinham acabado de ser elevados a posição de Anciões. Antes deste momento, não tiveram muito contato com o Patriarca e não conheciam muito a personalidade dele.

“Eu irei com o Patriarca Snake, vocês avancem na direção com o esquadrão principal na direção da mansão dos Emya e tentem capturá-lo vivo, se não conseguirem, também serve morto.” - O Ancião Baltazar falou e se lançou atrás do Patriarca.

“É Zumbi, parece que teremos que lutar juntos!” - A Anciã Ashili sorriu levemente enquanto um leque vermelho e preto apareceu em suas mãos.

“Hô… Bruxa velha… É hora do pau!” - O Ancião Jaul falou enquanto uma lança qiang aparecia em sua mão. Qiang: Também chamada “rei das armas”, normalmente é feita de ligustro, uma árvore chinesa. Tem uma ponta de metal e um adereço de pelo de cavalo. O comprimento costuma ser igual à altura do lanceiro com a mão levantada, mas há modelos de até 3,6 m: Link

Logo em seguida dos dois se lançaram na direção dos soldados que estavam lutando com alguns discípulos dando início a sua peregrinação de matança até a mansão.

Nesse mesmo momento, no lado direito do campo de batalha, onde estava acontecendo o ataque das bestas demoníacas, Poseidon estava envolto em chamas enquanto cortava horizontalmente tirando a vida de três bestas ao mesmo tempo. Por obra de Yumi, dois cristais de Gelo pareciam brincar ao redor de Sagwa, mas a cada movimento deles uma besta demoníaca era morta.

“Q-quem é esse povo? Eu nunca os vi na Seita interna.” - Um discípulo da Seita Interna perguntou. Ele não estava presente na comitiva que foi até o Clã Étherion e nunca tinha visto Sagwa e seus amigos antes. Na verdade, a grande maioria dos discípulos presentes na batalha de hoje não tinham noção de quem eram as discípulas e Skar, eles so as conheciam por nome.

E o mais importante, porque o Jovem Mestre está lutando ao lado delas?” - Uma discípula perguntou com raiva quando olhou para Sagwa.

“Não importa quem sejam, olha como ele mata essas bestas… Céus… São muito brutais!”

Inicialmente, quando investiram contra a horda de bestas, o número dos que morreram não poderia ser contado rapidamente. Isso fez com que o coração dos discípulos acelerasse com desespero e angústia. Muitos tentaram fugir e acabaram fazendo com que houvesse ainda mais mortes.

Quando a desesperança de continuar vivos tomou conta do primeiro batalhão que colidiu com a horda de bestas, um punho elétrico cintilou nos céus e colidiu com a as bestas demoníacas aniquilando centenas em uma único ataque. No mesmo instante uma neve esquisita começou a cair. Mesmo sem nuvens ou brisas frias, a neve caía como se não tivesse mais fim. Alguns momentos depois, quando um discipulos ia ser atacado por um javali de sangue uma flecha o acertou bem no centro da testa fazendo com que o javali caísse morto em frente ao discípulo que estava estático no chão.

“Hê senhorita Sagwa… Parece que teremos churrasco de Bestas Demoníacas pelo resto do ano…” - vários discípulos puderam ouvir a piada de Yullan.

“Pare de falar merda e ataque de uma vez…” - A voz de Aysha, que ecoou seguida, foi como um tapa.

“Ai ai ai… Não precisa ser tão agressiva…” - Yullan respondeu disparando mais duas flechas.

Quando os discípulos começaram a se perguntar o que estava acontecendo a garota de cabelos escarlates apareceu com um tridente dourado todo envolto em fogo. Ela parecia a Deusa do Fogo que tinha reencarnado na terra e pronta para exterminar qualquer um que se colocasse em seu caminho. Quando finalmente chegou na frente da primeira besta, a maou tão rápido que mesmo os discípulos orgulhosos da Seita Interna tiveram dificuldade de discernir qual foi o movimento que ela acabara de usar.

Momentos depois David apareceu do lado dela cortando com sua espada que parecia se dividir em várias e cortando diversas bestas ao mesmo tempo. Quando viram o rumo da batalha começar a mudar o corações dos discípulos voltou a arder em chamas, neste exato momento, eles ainda se perguntavam quem eram aqueles, alguns embasbacados, outros com inveja, mas a maioria se sentia agradecido por eles estarem ali.

“Vamos… Matem todos estes bastardos!!” - Um discípulo gritou animadamente se lançando pro meio da horda.

“Sim…” - Vários discípulos falaram em uníssono e atacaram juntos.

Em instantes milhares de discípulos estavam matando e sendo mortos. Os mais fracos decidiram se aproximar mais de Sagwa e do grupo dela os mais fortes montaram grupos separadamente e atacaram juntos. O contra-ataque tinha se iniciado.

Alguns instantes uma aura majestosa pode ser sentida por todos nas imediações. Quando Sagwa olhou para cima, viu o Patriarca voando em alta velocidade na direção dos corvos. Por alguns instantes percebeu que ele a olhava e balançava a cabeça positivamente. Depois olhou para o David e fez o mesmo sinal antes de aumentar a velocidade novamente.

Momentos depois, por ainda não ter alcançado o segundo reino do caminho marcial e, por isso não conseguir voar, o ancião Baltazar se lançou no meio da horda de bestas. Segundos depois uma serpente elétrica apareceu matando tudo em sua frente.

Vendo aquela cena os discípulos vibraram ainda mais e atacaram com mais intensidade e ânimo. O rumo da batalha tinha mudado completamente.

Enquanto o sangue jorrava os flocos de neve de Yumi continuavam a cair, naquele instante ela olhou pro céu, e, não se sabe se por obra dos deuses ou do destino um dos flocos de neve voou para longe, na direção da mansão dos Emya.

---------------------------------

Na mansão do Patriarca Emya:

O Patriarca Snow estava na sacada do seu quarto enquanto uma intensa batalha se desenrolava a alguns metros de distância dali. Seu semblante era sereno e despreocupado, se tudo ocorresse como o plano de Eckbert, ele não tinha com o que se preocupar. A única coisa que lhe dava um misto de emoções no momento era o sentimento de querer encontrar Yumi. Uma guerra como esta seria o momento ideal para matá-la, afinal, assim, Skar não conseguiria culpar uma pessoa específica, e se culpasse seria Eckbert e não ele.

Ele olhou para a lua que, naquela noite tinha um brilho avermelhado e sorriu enquanto tentava sentir o cheio de sangue que exalava dos corpos mortos no chão.

“Eu farei meu Clã ser reconhecido por seu poder, as futuras gerações poderão usufruir dos benefícios trazidos pela lei dos mais fortes…” - Raimond falou levantando as mãos e fechando os punhos na direção da lua.

Naquele momento um pequeno floco de neve tocou sua pele e instantaneamente virou algumas pequenas gotículas de água que logo afundaram na pele de Raimond.

Por instinto ele tocou levemente no ponto onde o floco de neve tinha caído e sentiu a região levemente úmida.

-------------------------------------------

Yumi tinha acabado de bater na cabeça de uma das bestas demoníacas com a bainha de sua espada, que ainda não tinha sido sacada, e movimentou sua mão fazendo com que os três cristais de gelo dividissem o urso em três pedaços iguais.

Assim que ela se virou para matar outra besta uma sensação estranha a surpreendeu e inconscientemente ela olhou na direção da mansão do patriarca enquanto falava consigo mesma - “Ele está aqui…”

Por ScryzZ | 15/05/18 às 23:31 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Wuxia, Xianxia, Romance, Brasileira, Protagonismo Feminino