CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 222 – Monstro(s)

A Guerra dos Nove Mundos (GNM)

Capítulo 222 – Monstro(s)

Autor: Maurício Argôlo | Revisão: SolidSnake | QC: Bru

Os olhos de Skar estavam totalmente abertos, o ar ao seu redor ficou pesado, o que fez com que as Bestas Demoníacas ao redor dele tivessem dificuldade de respirar. Seu sangue estava fervendo, sem se segurar mais ele se jogou em meio ao mar de bestas demoníacas.

A aura negra de Érebo se espalhou pelo espaço ao redor, mais hastes negras se formaram e seguiram em direções aleatórias matando diversas bestas ao mesmo tempo. Tal habilidade junto com os Dadaos tornaram Skar uma máquina de matar.

Os olhos de Yyvone se arregalaram, em sua visão não era Skar quem estava se aproximando dela com velocidade e sim o deus da Morte reencarnado pronto para tirar-lhe a vida.

O medo brotou em seu coração, um calafrio percorreu todo seu corpo enquanto seus olhos se arregalavam.

[Se você não tomar cuidado, nós dois iremos morrer.] — Uma voz rouca soou na mente de Yyvone.

[Cale a boca…] — Yyvone rangeu os dentes — [Você acha que eu não sei disso?]

[Não é bem isso… Esse cara aí é um verdadeiro monstro. Eu sinto que este não é o poder total dele… Você escolheu o lado errado dessa guerra sem sentido Yyvone, se não fugir agora, nós morreremos!]

[Não temos como voltar atrás, e não posso fugir agora.]

[Pare de ser retardada garota. Essa não é uma luta que devemos travar… Morrer aqui não nos trará nenhum benefício. Lembre-se “O covarde de hoje é o sobrevivente de amanhã”.]

[Se fugirmos agora ele virá atrás da gente, vamos acabar morrendo de uma forma ou de outra. Se você quer tanto sobreviver, então me ajude a enfrentá-lo!]

[Você é muito teimosa… Mas tem razão, eu vou ajudar. Faremos o seguinte: traremos os anciões para cá. Quando der merda, deixamos eles no fogo e fugimos. Avise ao Lanliel, ele é um aliado importante para nosso futuro. Faça com que os corpos dos anciões fiquem aqui, vamos usar os Primes deles!!]

[Combinado… Mas, se você pensa em traí-los, isso não significa que eles podem tentar fazer o mesmo?]

[Não, Primes recém implantados não possuem a capacidade de raciocínio ou de fala. Eles podem ser comparados aos Bebês humanos e dependem da força de vida do hospedeiro para crescerem e ficarem mais fortes. Além disso, a única forma de acelerar nosso crescimento é absorvendo outros Primes, algo que eles nunca fizeram.]

Yyvone franziu o cenho, fazia alguns anos que ela tinha se fundido com o escaravelho que se auto denominou Emildi e ainda não tinha se acostumado com a forma de pensar e agir dele, principalmente para com seus iguais.

“Aos fortes a vida, aos fracos a morte.” foram as primeiras palavras de Emildi que ecoaram em sua mente. Ela demorou a entender o que elas queriam dizer até o dia que a convenceu a roubar um Prime e então sugou toda a vida  que tinha nele.

“Você fica com o que mata” Foi a segunda filosofia que ele a ensinou.

Yyvone balançou a cabeça e forçou sua concentração na batalha. Forçando as pernas e se lançou em uma direção aleatória. Seus olhos se arregalaram quando o símbolo do escaravelho brilhou em sua testa e em segundos seu corpo começou a mudar.

Um terceiro olho surgiu em sua testa, seus cabelos negros ficaram roxos e escamas azuladas começaram a recobrir todo o corpo. O espaço ao redor tremeu quando um portal azulado transportou todos os anciãos do Clã que estavam seguindo Damien e os fez aparecer ao lado dela.

— Por que estão demorando tanto? — O primeiro ancião perguntou.

Antes que alguém pudesse responder explosões ecoaram ao longe. Só então eles viram o homem sujo de sangue dizimando toda e qualquer besta que estivesse diante dos olhos dele enquanto seguia em direção a Lanliel que tentava de tudo para fugir.

— Ele é um homem ou um demônio? — O terceiro ancião contemplava a cena a sua frente enquanto um leve tremor atravessava seu corpo.

— Isso não importa, devemos matá-lo se não quisermos morrer. — O segundo ancião era o mais sério, seu coração estava tomado pelo medo, mas ele não permitiria que isso fosse notado.

— Mais fácil falar do que fazer. — Yyvone falou com o medo estampado em seus olhos. — Se eu soubesse da existência dele antes disso tudo começar, nunca teria concordado com este plano maluco.

— Não temos mais como voltar atrás, ou vivemos ou morremos. E digo-lhes, é melhor morrer agora lutando contra ele do que depois de ser julgada pelo Patriarca Snake. — o terceiro Ancião pontuou.

— Já descobriram o nível de cultivo dele? — O primeiro ancião perguntou.

— Não, mas diante do que estou vendo, eu realmente acho que já estamos mortos. — o Segundo ancião pontuou sorrindo ironicamente da própria falta de sorte.

— Entendo. Se é assim atacaremos todos de uma vez. Mas, em último caso, Yyvone você deve nos tirar daqui o mais rápido possível!  — O primeiro ancião deu um passo à frente e uma espada dourada surgiu em sua mão.

Sua bainha era decorada com pequenos rubis que formavam um colossal dragão vermelho. Duas esmeraldas formavam os olhos verdes e algumas obsidianas as garras.

Esta espada foi o achado mais precioso do Primeiro ancião em toda sua vida. Um tesouro de grau místico encontrada em uma ruína antiga. Ele confiou nesta espada para alcançar o status de primeiro ancião e muito em breve poderia alcançar o mesmo nível de poder que o patriarca.

Agora, com o poder do escaravelho implantado nele, acreditava que poucas pessoas poderiam parar um de seus ataques.

O símbolo amarelado de um escaravelho começou a brilhar em sua testa, pequenas fagulhas de raios serpentearam o corpo dele enquanto ele se lançava na direção de Skar.

Yyvone não perdeu tempo e se lançou logo em seguida. Logo depois todos os anciãos e os mestres estavam indo na direção de Skar.

Um som agudo ecoou pelo local quando a espada do ancião colidiu um dos Dadaos de Skar.

Quando Skar iniciou o contra ataque, uma lança o forçou a defender. No mesmo instante uma flecha ia na direção de seu crânio.

Um sorriso apático se formou no rosto de Skar, seu olhar intenso se fixou no ancião quando ele pôs mais força no Dadao e fez a lança se estilhaçar em vários pedaços, ainda sem parar ele cortou diagonalmente o inimigo que estava em sua frente.

Aproveitando o ângulo que estava, ele girou e chutou o primeiro ancião para longe e ainda desviou da flecha.

Sem esperar que os inimigos fizessem a próxima investida diversas hastes negras se projetaram indo na direção deles.

*Aaaahhhhh*

Os gritos de dor ecoaram, e sangue jorrou. Em instantes mais da metade dos anciões e mestres convocados por Yyvone morreram.

O olhar cético do Primeiro ancião pousou sobre a figura de Skar, seus dentes estavam cerrados quando ele elevou sua aura ao máximo e deixou o poder do escaravelho transbordar pelo seu corpo.

Sua transformação tinha começado, seus dentes estavam ficando maiores e se transformado em presas, seu corpo adquiriu uma pelagem espessa de lobo, seus olhos, antes castanhos, agora tinham uma coloração azul claro, seus pés se transformaram em patas de lobo e seus músculos, já grandes, ficaram ainda maiores.

De longe era possível perceber que seu corpo tinha adquirido uma forma animalesca, muito parecida com a de um lobo super desenvolvido.

Segurando a espada com as Duas mãos ele se lançou na direção de Skar, que já tinha parado de se mover e encarava o ancião com um sorriso apático no rosto, como se nada daquilo tivesse mais graça.

*Wiiiiiissshhhh*

O primeiro ancião se projetou na direção de Skar, quando estava no meio do caminho emitiu um rugido capaz de afugentar aqueles que se auto proclamavam como sendo os mais bravos guerreiros.

Skar novamente não moveu um músculo e continuou encarando o ancião, quando ambos estavam ao alcance dos cortes de suas espadas o Primeiro Ancião atacou com tudo que tinha.

Um brilho amarelado surgiu formando uma linha vertical, o brilho intenso misturado com a sede de sangue do ancião seguiu na direção de Skar como se quisesse reduzi-lo a cinzas.

*Booommm*

O som de explosão ecoou, uma leve nuvem de poeira se levantou por conta do impacto, mas o ancião sabia que somente aquilo não seria suficiente para matar Skar. No momento que pensou em recuar um braço o segurou pelo pescoço.

Sem perceber quando aconteceu, notou que seu rosto estava rente com o de Skar, o sorriso apático continuava intocado, a única diferença era que agora um Dadao estava entrando lentamente em sua barriga.

O grito alucinante de dor e desespero do primeiro ancião soou longe enquanto ele se debatia e tentava se libertar.

Um calafrio percorreu o corpo de todos os que ouviram, a sensação de perigo os assolou fazendo com que vários anciões vacilassem e começassem a recuar.

*Wishhhh*

Diversas Hastes negras foram na direção de todos os sobreviventes, em instantes o massacre tinha terminado, fora as bestas demoníacas, que agora fugiam em direções aleatórias, todos estavam mortos.

— Hô… Cadê aqueles dois? — As sobrancelhas de Skar arquearam enquanto ele olhava ao redor procurando por mais inimigos. Seu sangue estava fervendo, ele ainda não estava satisfeito.


C:\Users\Mauricio\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCache\Content.Word\Triskel 2.pngC:\Users\Mauricio\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCache\Content.Word\Triskel 2.pngC:\Users\Mauricio\AppData\Local\Microsoft\Windows\INetCache\Content.Word\Triskel 2.png


—  Yyvone, Lanliel? O que aconteceu? — A voz de Damien possuía um leve traço de ansiedade.

— J-jovem mestre, e-estão todos mortos. Seguindo as ordens do Primeiro Ancião nós voltamos para que o Lanliel conseguisse controlar a Besta que será invocada, desta forma poderemos ter a esperança de derrotar aquele monstro.

— Então foi isso que aconteceu… — Damien respirou fundo, ele estava começando a achar que o preço a ser pago pelo plano de seu pai estava sendo alto demais. — Não podemos deixar que a morte deles seja em vão. Iniciem o Ritual. Lanliel, se prepare, assim que a Besta Demoníaca aparecer, você deve tentar controlá-la o mais rápido possível. Em Seguida Yyvone leve-a ao seu Mundo Dimensional e deixe-a acabar com o Mestre Skar.

— Certo Jovem Mestre. — Clarck, Yyvone e Lanliel falaram ao mesmo tempo enquanto juntavam os punhos.

Uma movimentação de início, todos que ainda tinham forças formaram um círculo ao redor do lago e dando as mãos começaram a entoar um Mantra em uma língua desconhecida.

Não demorou muito para um redemoinho de energia celestial se formar acima do tanque de sangue, aos poucos o redemoinho ia sendo absorvido pelo sangue.

Ao mesmo tempo um leve brilho dourado começou a ser emitido. Conforme o tempo passava, quanto mais energia celestial era absorvida mais forte o brilho ficava.

Alguns minutos depois finalmente o brilho desapareceu, todos caíram exaustos no chão aguardando os próximos acontecimentos.

Demorou apenas alguns segundos até várias bolhas se formarem. Uma aura intensa pegou todos desprevenidos. O único que não tinha um olhar de medo era o Damien.

Algo começou a sair de dentro do sangue que espirrava para todos os lados. Pelo fato de estar quente, vários integrantes do clã, já cansados, adquiriram queimaduras extremas.

Os gritos de angústia ecoaram pelo local enquanto um objeto de forma oval aparecia diante de todos.

— Um ovo? — Clack perguntou sem entender o que estava acontecendo.

Damien não respondeu, ele também não sabia o que estava acontecendo, era para uma besta demoníaca aparecer e não um ovo.

Claro, de acordo com o tamanho anormal do ovo, era possível dizer que um monstro de uns dois metros sairia de dentro dele. Mas sendo um ovo, independente do tipo, seria uma besta demoníaca ainda em seus primeiros segundos de vida - ou seja, não teria serventia alguma.

Conforme o ovo saia do tanque de sangue uma aura intensa se espalhava pelo ambiente logo sons de Crack ecooaram pelo ambiente ao mesmo tempo que rachaduras começaram a aparecer por todo ovo.

*Roooaaarr*

Um rugido ensurdecedor pegou todos de surpresa. Damien e Clarck recuaram alguns passos enquanto dois olhos vermelhos surgiam na pequena brecha que surgiu na casca do ovo.

*Roooaaarr*

Outro rugido ecoou quando a aura demoníaca ficou mais forte e dois braços peludos quebravam o que restava do ovo.

Diante dos olhos de todos um corpo humanoide apareceu. Uma pelagem espessa cobria seu corpo, no lugar de e em seus pés ele possuíam grandes e grossos cascos em sua cintura uma tanga ornamentada com crânios de diversos animais cobriam suas partes íntimas e ao mesmo tempo passavam uma sensação de extremo perigo.

Apenas uma espessa tira de couro ornamentada com mais crânios e algumas pedras azuladas, passavam pelos músculos de seu peito e seguiam em direção a ombreira de couro que protegia seus ombros. Sua mão possuía quatro garras afiadas prontas para estraçalhar o corpo de quem quer que o enfrentasse. Seu rosto parecia com o de um touro enfurecido com um gigantesco anel ornamentando o focinho.

Longos chifres cresciam no centro de sua testa o que junto com os longos cabelos negros lhe davam um ar de onipotência. A única coisa que poderia se dizer simples era a pequena barbicha que crescia em seu queixo.

*ROOOAAAAARRR*

Outro rugido ecoou pelo pelo local quando a Besta Demoníaca se lançou na direção de Damien.

— Rapido Lanliel, Controle-o. — Damien falou com urgência.

Antes que Lanliel pudesse fazer algo a Besta Demoníaca já tinha chegado em frente a Damien e cortou com suas garras juntas.

— Jovem Mestre — Clack gritou se jogando na frente de Damien.

Sangue espirrou em Damien enquanto o corpo de Clarck era dividido em quatro pedaços.

Medo e terror se apoderou de Damien, ele queria fugir ou reagir, mas suas pernas não mais o obedeciam.

O olhar da Besta Demoníaca repousou em Damien. Por alguns segundos ambos de encararam. Damien com evidente medo estampado em seu semblante e a besta demoníaca com pura sede de Sangue.

— Protejam o Jovem Mestre — Um grito acalorado ecoou atras da Besta.

Virando para encarar seu dono ela se lançou ao encontro dele. Em instantes uma batalha se iniciou. Fossem soldados ou simples moradores do Clã, nenhum deles recebeu clemência.

— P-por que? Por que isso está acontecendo? — Damien gritou.

Nem em seus piores sonhos ele imaginou tal cena acontecendo. O plano de seu pai tinha de tudo para dar certo: eles invocariam um monstro, ele o controlaria e atacariam o Clã Snake tomando assim o poder da Seita Penas do Caos para si. Mas agora eles estavam sob ataque e a força que eles tanto estavam confiando estava fora de controle.

O olhar intenso de raiva de Damien percorreu o recinto, e só então ele notou o desaparecimento de Yyvone e Lanliel.

— Onde eles estão? — Rangendo os dentes enquanto via seu povo ser massacrado a ira se apoderou de Damien. — Traidores… — Ele cuspiu no chão jurando matar ambos quando os encontrasse novamente.

Damien não teve tempo para pensar. A besta demoníaca estava indo novamente em sua direção. Reunindo o pouco de coragem que lhe restava ele se colocou de pé e sacou sua espada. O brilho alaranjado do escaravelho brilhava em sua testa enquanto sua aura se elevava. Se ele fosse morrer, ao menos morreria lutando.

Naquele momento uma aura imensuravelmente grande se espalhou pelo ambiente, a besta demoníaca parou sua investida e olhou ao redor procurando pelo dono da aura.

Por alguns segundos ninguém ousou mover um músculo, até que finalmente, no mesmo local onde Skar tinha desaparecido, o espaço pareceu tremer.

Não demorou muito para uma linha vertical aparecer, em seguida dez dedos, cinco de cada lado, forçava a abertura se abrir. O espaço ao redor tremeu mais um pouco quando o corpo de Skar surgiu em meio ao rio de sangue e corpos humanos espalhados para todos os lados.

— Hô… Cheguei na hora errada? — Skar falou enquanto a fenda espacial se fechava atrás dele.

Antes que ele tivesse tempo de ter uma resposta, a Besta Demoníaca se lançou em sua direção. Skar só teve tempo se levantar os braços e segurar a besta pelo chifre enquanto era arremessado no ar.

Antes de ele cair no chão houve outra investida. Desta vez, por conta da posição que estavam, Skar atingiu o teto.

A Besta Demoníaca não cessou seu ataque e continuou forçando o corpo de Skar contra a estrutura protegida por runas. Os sons de rachadura rapidamente deixaram claro que a estrutura não suportaria por muito tempo.

O sorriso apático de Skar reapareceu em seu rosto quando ele segurou a Besta por um dos chifres, a forçou para trás e em seguida a socou.

*BOOOOMM*

O som de explosão ecoou quando a besta colidiu com o chão e abriu uma cratera.

— Você tem sorte por eu ter que me controlar. — Skar continuava com a mesma expresso, mas seu habitual cansaço começou a reaparecer em seu olhar.

A Besta Demoníaca encarou Skar ao se levantar. Sangue estava escorrendo pelo canto de sua boca e ele segurava seu estômago no exato local onde Skar tinha socado.

— Depois de tantas vidas jogadas no lixo vocês só conseguiram invocar uma Besta Demoníaca que se iguala a um cultivador nos estágios finais do segundo Reino? Por mais que ela consiga matar alguns Cultivadores ordinários do início do terceiro, pelo número de vidas perdidas o melhor que conseguiram foi terminar com um resultado medíocre desses? Lamentável!

O olhar de Damien se arregalou, inicialmente ele achou que não sentiu o cultivo de Skar porque ele o estava escondendo de alguma forma. Mas tais palavras significavam que Skar estava nos estágios finais do Segundo Reino? Ou pior ainda, no Terceiro Reino?

— Monstro… —  Foi a única palavra que ele conseguiu proferir.

Por ScryzZ | 06/05/19 às 22:57 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Wuxia, Xianxia, Xuanhuan, Protagonismo Feminino, Romance, Brasileira