CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 2.7 - De acordo com o destino

Artemísia (ART)

Capítulo 2.7 - De acordo com o destino

Autor: Francélia Pereira

Com o chamado de Yby para Marte, a Casa de Kûara transferiu a missão da base de água, de Europa, para uma das Casas aliadas na região. Mas, com as melhores Casas envolvidas na guerra criada por Heitor, o Governo se viu em uma situação complicada, pois os ataques piratas aumentaram e o caos começou a tomar forma em Apolo.

Como forma de pressionar um desfecho rápido para a crise entre as Casas, o Governo enviou um alerta aos mercenários emancipados, para que não se envolvessem na guerra, pois eles se tornaram extremamente importantes no papel de garantir a ordem em Apolo, já que são os guerreiros mais fortes e habilidosos entre os mercenários. Claro que o Governo também insinuou que em caso de discordarem da sugestão, os emancipados não teriam mais prioridade em receber missões, podendo mesmo perder o direito de representar o Governo em batalhas, o que os tornariam párias na sociedade.

Alguns mercenários, irritados com a arrogância do Governo, decidiram inutilizar o chip de identificação implantado em seus corpos, desfazendo, assim, a aliança com os Governadores. Muitos deles se juntaram à Casa de Yby e outros se tornaram meros caçadores de recompensa, mas a maioria acatou a imposição.

O Governo também enviou mensagens aos líderes das Casas. Fez um alerta aos que ainda não haviam entrado na guerra e ameaçou os líderes que lutavam entre si.

A terceira Casa aliada de Heitor, em Marte, já havia caído.

Medidas extremas devem ser tomadas em situações extremas... Já os alertamos duas vezes sobre as consequências negativas, para a ordem no Sistema, que essa guerra insana de vocês trará. Não podemos permitir isso. Assim, vocês têm vinte e quatro horas terrestres para resolver essa situação ou então enviaremos nossas tropas para pôr fim a essa insanidade. ─ A imagem de uma mulher, que faz parte do grupo dos treze governadores, desaparece com a grande tela holográfica que se desfaz à frente de Heitor. Ele ri.

─ Hum... como se fossem fortes o suficiente para nos enfrentar... Esse Governo só assusta os fracos! ─ Heitor se vira para Issa, que está lendo informações na pequena tela holográfica produzida por seu bracelete.

─ A situação não está a seu favor, caro Heitor... ─ Issa fala com um sorriso sarcástico. Heitor se aproxima dela, com seu andar imponente e sua expressão arrogante.

─ Do que está falando? ─ Heitor pergunta, preocupado.

─ Você está perdendo aliados, veja! ─ Issa faz a tela se tornar maior com um movimento com os dedos, abrindo-a. Heitor lê as informações e fica irritado. ─ Muitos desconfiam da sua lealdade e a situação em Marte está fora de controle. As Casas temem enfrentar Yby.

─ Malditos! E agora com essa interferência do Governo ficará mais difícil encontrar aliados...

─ O que pretende fazer? ─ Heitor anda de um lado para o outro, com as mãos para traz, depois para e coloca a mão direita sobre a testa, como se estivesse pensando em algo. Heitor se vira para a Munakata.

─ Precisamos deixar Vênus... Quando Yby descobrir que as Casas me abandonaram, virá direto pra cá. O exército dela está muito forte e ela ainda poderá contar com a ajuda do Go... ─ Heitor para de repente, depois segura os braços de Issa, com força, sorrindo. ─ É isso! ─ Heitor solta os braços de Issa, que tem uma expressão séria, e segue em direção à sua mesa. ─ Governo Central! ─ Heitor fala e a tela holográfica se forma à sua frente. Um dos treze governadores o atende.

Espero que seja um assunto urgente, caro Heitor!

─ Recebi a mensagem de vocês... também tenho interesse que essa guerra termine, mas Yby está cega de ódio...

Fomos informados que a guerra começou por sua culpa. ─ O governador diz, impaciente.

─ Não! Foi Yby quem descumpriu a lei e jogou as Casas contra mim... mas podemos pôr fim a essa guerra dentro do prazo estipulado por vocês, desde que eu possa contar com o auxílio dos governadores.

Do que você precisa?

─ Preciso que vocês enviem ordens aos emancipados para que lutem comigo em Marte e, assim, poderemos parar de uma vez essa guerra. Com a Casa de Yby derrotada, a ordem reinará novamente entre os mercenários... ─ Heitor aguarda a resposta do governador, que olha em direção ao chão, pensativo.

Preciso consultar os outros governadores. Em breve lhe darei uma resposta. ─ A tela holográfica desaparece. Heitor fica sorridente. Issa se aproxima.

─ Trapaceando, Heitor!

─ Vá chamar suas irmãs... vocês terão a batalha que tanto desejam.

 

─ O Governo enlouqueceu... ─ Yby diz, indignada.

─ A guerra está perto de terminar, tanto faz o que o Governo disse... ─ Petra entra na sala onde estão Yby, Dandara, Malik e alguns guerreiros emancipados.

─ Do que está falando, Petra? ─ Dandara pergunta.

─ Acabo de receber uma mensagem de uma guerreira da nossa Casa. As quatro Casas que íamos atacar hoje desfizeram a aliança com Heitor. ─ A general diz ao grupo, depois olha para Yby. ─ Você deve receber mensagens formalizando essa informação em breve, Yby. As Casas deixarão a guerra.

Uma luz azul, discreta, brilha no bracelete de Yby. Ela o direciona para a parede e uma tela holográfica pode ser vista por todos que estão na sala. Mensagens dos líderes das quatro Casas chegam, uma depois da outra, se posicionando em janelas que se sobrepõem. Yby abre uma de cada vez. Todos informam sua saída da guerra e propõem paz. A maior justificativa era a leviandade de Heitor. Yby aceita os pedidos de paz.

─ Ao menos a verdadeira face de Heitor se revelou... ─ Dandara comenta. ─ Petra se aproxima rapidamente de Yby.

─ Devemos ir pra Vênus imediatamente... ─ Petra fala, em tom firme. ─ Yby fica pensativa.

─ Não... provavelmente Heitor já está se preparando pra fugir de lá. Vamos aguardar até amanhã e então descobriremos pra onde ele foi, até lá... todos podem descansar um pouco. ─ A líder da Casa sai da sala. Dandara fica pensativa.

Um dos emancipados se aproxima de Petra e a apoia. Malik observa Dandara, depois toma coragem para chegar perto dela.

─ Você concorda com Petra, certo?

─ Sim... sei que Yby age de forma racional, é certo que Heitor fugiria nessa situação, mas...ele é traiçoeiro, talvez o melhor teria sido irmos imediatamente, enquanto ele ainda está confuso com a situação. Temo que até amanhã ele tenha tempo para armar alguma cilada!

─ Vou com você! ─ Dandara se assusta.

─ Do que está falando?

─ Sei que você irá para o seu quarto, então vai refletir um pouco, ficar ansiosa e, assim, no meio da noite, deixará Marte para ver de perto o que Heitor está aprontando em Vênus... ─ Dandara sorri, Malik sorri de volta. ─ Podemos ir agora, se você quiser...

─ Kamikia não está aqui e você é o representante da Casa de Kûara...

─ Veja! ─ Malik mostra uma mensagem recebida há pouco, enviada por Kamikia.

Recebi a mensagem do Governo. Consegui uma carona com a nave do governador de Europa, a gente precisa de uma dessas, como essas coisinhas são rápidas!  A nave nos deixará em Europa daqui a pouco, em algumas horas terrestres estaremos aí... Ah! Artemísia não gostou de Titã!

─ Como pode ver... está tudo de acordo com o destino! ─ Malik sorri. Dandara pensa um pouco, então responde:

─ Vamos logo, então!

Por FranHDC | 05/03/18 às 10:24 | Ação, Fantasia, Brasileira, Poder, Drama, Ficção Cientifica, Protagonismo Feminino