CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 11 - Vencida Pelos Antigos Egípcios

Ascendance of a Bookworm (AOB)

Capítulo 11 - Vencida Pelos Antigos Egípcios

Tradução: DYami, Rhoki

Flocos de neve começaram a cair aqui e ali bem quando estávamos quase terminando nossos preparativos. O inverno estava chegando, de verdade.

Durante o inverno, nosso bairro acabava coberto de neve e geralmente passávamos todo o nosso tempo dentro de casa a não ser em dias especialmente ensolarados. Eu normalmente já passava todo o meu tempo dentro de casa de qualquer maneira, como a pessoa fechada que eu era, então isso não foi realmente um problema para mim. DYami: ela usa o termo “shut-in” que é alguém que fica preso dentro de casa por causa de alguma deficiência física ou mental

‘Mas não há livros neste mundo. Vou sobreviver como uma reclusa sem nenhum livro ao meu redor?’

Frequentemente, nevascas ocorriam quando a neve começava a cair, então precisávamos manter nossas janelas e portas bem fechadas para nos aquecer. Em seguida, colocávamos panos grossos nas frestas para bloquear o máximo de vento possível.

“...Nnngh, tão escuro.”

“É uma nevasca, o que você esperava?”

Me pegou desprevenida que as únicas fontes de luz em nossa casa trancada fossem a fornalha e nossas velas. Era a primeira vez que entrei em um quarto completamente escuro no meio do dia. Doeu viver sem eletricidade. Mesmo nos meus dias como Urano, eu tinha meu telefone e lanternas quando os tufões cortavam a energia, e geralmente tudo se resolvia no dia seguinte. ‘Não ficaremos todos deprimidos passando semanas no escuro assim?’

“Ei Mamãe. A casa de todo mundo está escura assim?”

“Hmm. Acredito que aqueles que tem uma quantia extra de dinheiro tendem a ter várias lamparinas pela casa para iluminar as coisas, mas nós só temos uma.”

“Hã? Temos uma lamparina e não a estamos usando?” Achei que seria melhor usar qualquer fonte de luz que tivéssemos, mas mamãe apenas suspirou e balançou a cabeça.

“Procuramos evitar o uso da lamparina, pois precisamos economizar o óleo. Você não gostaria de ficar sem velas se o inverno demorasse mais que o previsto, não é?”

Não havia nenhum argumento contra ser econômico. Até minha mãe no Japão fazia todo tipo de coisa em prol de economizar dinheiro. Ela tirava a TV da tomada para economizar na conta de luz, mas ainda adormecia com ela ligada. Ela fechava a torneira ao escovar os dentes para economizar água, mas deixava aberta ao lavar a louça. Em outras palavras, minha mãe me ensinou a importância da autossatisfação.

Decidi seguir os modos econômicos de minha mãe e ver se conseguia encontrar uma maneira de deixar o quarto um pouco mais claro.

“O que você está fazendo, Myne?”

“Acho que isso pode deixar o quarto um pouco mais claro...”

Com as propriedades de ampliação de um espelho de três lados em mente, eu lustrei as velhas manoplas de metal do meu pai que ele aparentemente havia usado em uma guerra passada e as alinhei ao lado da vela.

“Pare com isso, Myne.”

“Está mais difícil de ver agora.”

Ambos imediatamente me reprimiram. Infelizmente, as manoplas não eram placas de metal planas e a superfície não era exatamente a mais lisa. A luz refletia em todas as direções e brilhava em seus olhos, fazendo com que fosse difícil até de ver as mãos.

“Hmph, não funcionou. Eu me pergunto se há algo mais que eu possa usar como um (espelho)...”

“Eu apreciaria se você parasse de desperdiçar nosso tempo.” Mamãe me repreendeu com um tom firme, então desisti de minha estratégia de refletir a luz.

Mas, ainda assim, ter uma visão reduzida não parecia tão bom, independentemente de eu ter ou não algum livro para ler, então acampei bem ao lado da fornalha quente.

Não muito depois disso, mamãe começou a montar seu tear perto de mim. Não era uma máquina grande como as que eu tinha visto no Japão. Era algo muito mais básico. Eu estava me perguntando como alguém poderia tecer algo em uma casa tão pequena, mas parecia que havia teares pequenos o suficiente para fazer o trabalho.

“Tuuli, já que seu batismo está chegando, tenho muito que lhe ensinar”, disse Mamãe antes de começar a ensinar a Tuuli tudo o que ela precisava saber sobre tecelagem. Tuuli pegou um carretel de linha, parecendo mortalmente séria.

“Você coloca a linha aqui, então prepara a trama. Você tece a linha assim...” Usando a linha que ela tingiu no outono para isso, ela começou a tecer o pano.

Ela teceu o pano, costurou  na roupa e bordou. Enquanto estava nisso, ela preparou a linha do próximo ano com a lã que havia comprado. Nós apenas compramos materiais básicos. Nenhuma roupa nova era vendida onde morávamos, e até mesmo os tecidos eram caros demais para a maioria dos plebeus.

“Isso, assim mesmo. Você tem jeito para isso, Tuuli. Myne, você gostaria de tentar também? Dizem que não existem belas damas que não saibam costurar.”

“Hã? Belas damas?”

“Isso mesmo. Criar roupas para sua família é importante tanto na prática quanto para exibir. Você não pode ser uma verdadeira dama se não for boa em costura e culinária.”

‘Aaah... Eu definitivamente não vou crescer e ser uma dama então. E, quer dizer, posso entender que tudo isso seja importante para uma boa esposa, mas o que cozinhar e costurar tem a ver com ser bonita?’

Eu estava acostumada com as roupas sendo apenas algo que você comprava em uma loja. Vá até a loja e você estará cercada por roupas com todos os tipos de designs variados. Nunca me interessei muito por elas, apenas usava o que eu achava que não faria as pessoas gritarem de medo, mesmo assim meu armário acabava cheio de roupas.

No mínimo, eu nunca usei roupas de segunda mão que precisassem ser costuradas. Costurar era algo que eu fazia algumas vezes na escola, e nessas vezes eu apenas usava uma máquina de costura elétrica e acabava em pouco tempo. O máximo que fiz com uma agulha foi recolocar um botão que havia caído.

Para dizer isso sem rodeios: esperar que eu considerasse fazer linha, tecer tecidos e costurar roupas para a família durante o inverno, como algo importante, era pedir demais. Eu poderia dizer com confiança que nunca, jamais me importaria tanto com isso. Eu nunca me sentiria motivada para fazer isso.

Embora, se eu pudesse usar o pano como pergaminho, costuraria até que minhas mãos caíssem.

“Você não quer tentar, Myne?”

“Hmmm, talvez na próxima.”

Tuuli queria que eu tentasse, mas eu realmente não queria costurar nada. Mamãe ensinava Tuuli porque ela queria ser aprendiz de costureira, mas, no meu caso, faltava-me altura, tamanho da mão e, claro, motivação. Me ensinar seria uma perca de tempo.

“Ok, Mamãe. Por favor, faça meu vestido especial. Vou fazer cestos.”

“Certamente. Deixe isso com sua mãe. Vou fazer para você o vestido mais bonito e maravilhoso que você já viu.” Mamãe, confiante em suas habilidades de costura, falou com grande entusiasmo.

A cada estação, todas as crianças que completavam sete anos se reuniam no templo usando suas melhores roupas. Era a oportunidade perfeita para uma mãe mostrar seu talento. De certa forma, era como uma competição para mães. Minha própria mãe começou a preparar a urdidura com um sorriso no rosto, usando um fio muito mais fino do que o que Tuuli vinha praticando. DYami: no tear, urdidura (ou teia) são os fios que ficam na vertical e por onde são entrelaçados os fios de trama (na horizontal) para formar o tecido

“Esse fio parece muito fino.”

Mamãe me deu um sorriso conflituoso enquanto eu pensava em quanto tempo levaria para fazer um pano com aquele fio. “Bem, o batismo dela é no verão. Você pode imaginar como seria quente se as roupas não fossem finas?”

“Você está fazendo o vestido no inverno, embora o batismo só seja no verão? Ela não vai estar maior até lá?” Havia muito mais comida e tempo para brincar no verão, então achei que a maioria das crianças cresceria muito durante nesse período. O que aconteceria se ela crescesse muito e o vestido ficasse pequeno demais para ela?

“Posso fazer pequenas alterações, então não será um problema. Minha principal preocupação é que você seja muito menor do que ela, Myne. Você pode não conseguir usar o mesmo vestido. Alterar tanto será uma provação difícil. Eu me pergunto o que farei no próximo ano?”

‘Oof... Isso soa duro. Boa sorte, Mamãe.’

Mamãe voltou a tecer o pano usando o fio fino, que parecia mais difícil de trabalhar do que o fio de lã que eles fizeram antes. Tuuli começou a fazer cestas para vender. Como meus olhos se adaptaram bem ao escuro, decidi começar a fazer meu próprio falso-papiro, como meu primeiro passo gigante para realizar meus sonhos.

‘Se eu puder apenas entrelaçar essas fibras, com certeza vai findar em algo parecido com papel. Eu não vou perder para os antigos egípcios! Vamos fazer isso!’

Coloquei as fibras na mesa e pensei nos porta-copos que fui forçada a fazer nos meus tempos de Urano. Primeiro, eu tentaria fazer um pedaço de papel do tamanho de um cartão postal. Eu comecei a trabalhar verticalmente e horizontalmente tecendo as fibras que eram muito mais finas do que a linha que minha mãe estava costurando.

Eu não tinha dinheiro, habilidade e idade. Este era um duelo que eu tinha que vencer com coragem, determinação e mais coragem.

‘...Hmmm, eles são todos tão finos que mal consigo distingui-los. Mexe mexe mexe...’

‘...Ah, eu errei! Mexe mexe mexe...’ DYami: aqui ela usa a palavra “fiddle” que apesar de significar violino/rabeca, é uma gíria para descrever quando alguém está mexendo com alguma coisa de forma inquieta ou nervosa, então deixei “mexe” mesmo

As fibras eram tão finas que não era fácil consertar qualquer erro que eu cometia. Tudo simplesmente desmoronava. Frustrada, continuei meu duelo com as fibras finas e, por fim, Tuuli parou de fazer sua cesta para espiar por cima do meu ombro.

“Ei, Myne. O que você está fazendo?”

“Hm? Fazendo (falso-papiro).”

Tuuli olhou para trás e para frente entre mim e minhas mãos. Estava escrito em seu rosto que ela não havia entendido o que eu acabei de dizer.

‘Hmmm, você não pode dizer só de olhar? Eu ainda nem terminei um quadrado de uma polegada de largura, então é razoável. Nem mesmo eu posso dizer se isso realmente vai acabar como um falso-papiro bom.’

Mamãe, continuando a tecer o pano, olhou para mim mexendo nas fibras de plantas e suspirou.

Mexe mexe mexe...

Mexe mexe mexe...

“Myne, se você tem tempo para brincar, ajude Tuuli a fazer cestas.”

“Hmmm. Talvez quando eu não estiver ocupada.” Eu não estava brincando e não tinha tempo para ajudar Tuuli. Não seria exagero dizer que eu estava mais ocupada do que já estive desde que comecei minha vida como Myne.

‘...Ah! Eu cometi outro erro. Tudo porque mamãe me chamou. Tsc!'

Mexe mexe mexe...

Mexe mexe mexe...

“Myne, sério, o que você está fazendo?”

“Eu disse a você, fazendo (falso-papiro).” Eu não tive liberdade mental para responder gentilmente à pergunta de Tuuli, então meu tom acabou um pouco afiado enquanto me concentrava no mexe mexe mexe...

Eu não odiava trabalhar com minhas mãos, e estava fazendo isso porque queria. Eu só tinha que permanecer determinada e continuar.

Mexe mexe mexe...

Mexe mexe mexe...

“Hum, Myne. Não está ficando maior.”

“Eu sei disso!” O comentário de Tuuli serviu como a faísca que finalmente me fez gritar de frustração. Levou um dia inteiro só para deixá-lo do tamanho da ponta de um dedo. Por favor, entenda minha frustração.


Mexe mexe mexe...

Mexe mexe mexe...

No dia seguinte, também confiei na determinação. Continue em frente, eu disse a mim mesma enquanto entrelaçava as fibras. ‘Não posso deixar que os comentários de Tuuli me incomodem.’

“O que isso deveria ser?”

“.........”

‘Não posso... deixar que eles me incomodem. Não posso deixar que eles me incomodem.’

Mexe mexe mexe...

‘Gah! Está se desmanchando! Ngh, eu só tenho que continuar! Meu coração vai se partir se eu tentar consertar! Mexe mexe mexe...’

“Ei, Myne...”

“É isso aí! Eu não consigo! Ok, (antigos Egípcios), vocês ganharam! Eu desisto!” Mentalmente e emocionalmente exausta, cerrei o punho em volta do meu falso-papiro e gritei de frustração.

O falso-papiro acabou ficando do tamanho de um cartão de anotações minúsculo. Eu não tinha ideia de quantos dias levaria se tentasse entrelaçar as fibras no tamanho de um pedaço de papel real, deixando-as apertadas o suficiente para ser possível escrever.

Naturalmente, seria impossível para mim fazer falsos-papiros suficientes para encadernar em um livro nesse ritmo. Você poderia dizer apenas tocando meu falso-papiro do tamanho de um cartão que eu tinha perdido a paciência com ele no meio do caminho. O centro era fortemente tecido, mas quanto mais perto das bordas, mais desfiado ficava. De jeito nenhum findaria em um papel possível de se escrever.

Na melhor das hipóteses, poderia ser um porta-copos um tanto confuso. Nem mesmo bom o suficiente para escrever lembretes.

“Bwuuuuuh... eu falhei. Meu plano de fazer papiro falhou miseravelmente.” O desafio envolvido em obter os materiais, a dificuldade do processo de criação e o investimento de tempo geral eram grandes demais para que o falso-papiro fosse produzido em massa. Mesmo se eu terminasse aquela folha de falso-papiro, isso não me levaria a fazer um livro.

“Fique quieta, Myne! Se você tem tempo para brincar com as plantas, faça algumas cestas!”

“Cestas não vão virar livros...”

“Não sei do que você está falando, mas você falhou, não é? Basta começar a fazer cestas agora.”

Mamãe ficou tão brava que desisti e comecei a tecer cestas. Era muito mais simples entrelaçar as partes da cesta do que as fibras vegetais superfinas.

“Tuuli, vou te ajudar a fazer cestas. Você se importaria de compartilhar suas coisas?”

“Aqui, eu vou te ensinar.” Tuuli se ofereceu para ajudar com um sorriso enquanto reunia os materiais para mim, mas eu apenas os peguei e balancei a cabeça.

“Está tudo bem, eu já sei como.”

“Hã?” Observando Tuuli piscar confusa com o canto dos olhos, comecei a tecer uma cesta. Alinhei os pedaços de madeira planos e de bambu e delicadamente os teci, fazendo uma cesta apertada sem lacunas.

Este era o momento perfeito para mim, já que eu estava querendo uma espécie de sacola para viagem há algum tempo. Decidi colocar tudo de mim em fazer essa cesta, em parte para desabafar depois de falhar tanto com o papiro. Depois de fazer um fundo sólido, calculei como fazer com que a parte externa da cesta tivesse um desenho bonito antes de começar a trançar o resto.

Continuei tecendo os pedaços de madeira, tomando cuidado para não machucar as mãos, até que a cesta estivesse pronta. Levei cinco dias inteiros para fazer um pequeno pedaço de falso-papiro, mas terminei minha “bolsa” em um dia. Isso foi muito bom, considerando o quão desajeitadas minhas minúsculas mãos de criança eram.

“Isso é incrível, Myne. Eu não sabia que você era boa nisso. Talvez você devesse tentar ser uma aprendiz de carpinteiro?”

“O quê? Isso é um pouco...”

Os olhos de Mamãe brilharam de alegria, animada ao ver que sua filha geralmente inútil tinha um talento inesperado, mas eu não tinha intenção de me tornar uma aprendiz de carpinteiro. Eu trabalharia em uma livraria, biblioteca ou em lugar nenhum. Embora fosse um pequeno problema que os livros fossem tão raros que não havia livrarias ou bibliotecas para me contratar.

“Ngh, por que você é tão boa nisso, Myne?” Tuuli comparou as cestas dela com as minhas e encolheu os ombros, deprimida com o quanto as dela estavam piores. DYami: na minha cabeça, no anime, a cesta da Myne era toda torta

“Não se preocupe com isso, Tuuli. Você só precisa aprender a preencher as lacunas e planejar os padrões que vai fazer com antecedência.”

‘Quero dizer, a verdadeira diferença aqui é quanta experiência temos.’ Nos meus dias de Urano, eu tinha me envolvido com as artes e ofícios da minha mãe, onde ela dobrava panfletos e jornais e fazia cestas com eles. Nunca esperei que essa experiência fosse útil para mim, mas bem, você nunca sabe aonde a vida vai te levar.

“Não acredito que você é melhor do que eu, Myneee...”

‘Oh não... Parece que realmente magoei o orgulho da irmã mais velha de Tuuli.’

“Aaah, Hmmm... Certo! Sra. Gerda me ensinou enquanto ela estava cuidando de mim. Tenho feito isso o tempo todo enquanto você está na floresta. Você fez um monte de outras coisas enquanto eu fazia cestas, então você ainda é melhor do que eu em quase tudo. Sério.”

Eu não tinha muita experiência com crianças, então não tinha certeza de como deixá-la de bom humor novamente. Eu fiz o meu melhor para inventar uma desculpa do motivo de eu ser tão boa, mas honestamente, eu nem tinha certeza do que estava tentando dizer a mim mesma.

“...Oh, ok. Tudo bem.” Eu não tinha certeza de que parte disso a convenceu, mas Tuuli parecia um pouco aliviada. “Ok, então farei muitas cestas durante o inverno e serei melhor do que você, Myne.”

“Hmhum. Boa sorte, Tuuli.” Soltei um suspiro de alívio, feliz por ver Tuuli se sentindo melhor. Seria muito mais difícil para mim sobreviver aqui sem a ajuda de Tuuli. Se deixada sozinha, ficaria indefesa. ‘Estou tão feliz por tê-la animado.’

“Oh, Tuuli. Você deve apertar mais no lugar, ficará melhor assim.” ‘Bem... Não é como se eu estivesse feliz por ser boa em fazer cestas. Eu só quero livros.’

Observei a cestaria de Tuuli e dei um conselho enquanto olhava para o meu falso-papiro. ‘Se o papiro não funcionou, o que devo tentar fazer agora?’ Durante todo o inverno, pensei no que fazer enquanto tecia cestas continuamente ao lado de Tuuli.

‘...Egito não deu certo, é muito difícil para uma criança como eu. O que devo fazer se o Egito não funcionou? Bem, pensando nisso como um livro didático, você geralmente estuda a cultura Mesopotâmica antes da cultura Egípcia.’

‘...Ok, é isso! Cuneiforme! É hora de tábuas de argila! Viva a cultura Mesopotâmica!’

‘Lembro-me de que mesmo depois das chamas da guerra e do incêndio criminoso, suas tábuas de argila conseguiram sobreviver. Vou fazer tábuas de argila, entalhar letras nelas, cozinhá-las em uma fornalha e é isso. Além disso, fazer tábuas de argila parecerá apenas uma criança brincando com lama. Os adultos não vão suspeitar de nada.'

‘Está decidido! Isso é o que eu quero fazer. Assim que a neve derreter e a primavera chegar, vou fazer tábuas de argila!’


Por DYami | 30/11/20 às 22:48 | Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Drama, Comédia, Shoujo, Slice of Life, Reencarnação, Japonesa