CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 13 - Ajudando Otto

Ascendance of a Bookworm (AOB)

Capítulo 13 - Ajudando Otto

Tradução: May | Revisão: DYami

Nesta cidade as pessoas também iam colher parues nos dias ensolarados de inverno. Papai e Tuuli foram juntos da última vez, pois era seu dia de folga, mas dessa vez ele tinha que trabalhar.

Tive certeza de que íamos simplesmente desistir deles, até que vi mamãe pegando seu casaco. “Vou com Tuuli hoje.”

Havia muitas maneiras de usar o parue e nossa família queria o máximo possível. Já que eu era bastante inútil quando se tratava de qualquer coisa que envolvesse sair de casa, eu queria pelo menos mostrar apoio emocional.

‘Boa sorte, Tuuli! Você consegue! Eu acredito em você, Mamãe!’

O problema de Mamãe ir com Tuuli para a floresta, no entanto, era o que fazer comigo. Eu estava fraca, doente e geralmente era um peso morto. Eles não me levariam para a floresta sabendo que eu acabaria acamada com febre. Mas eles não podiam me deixar de lado, pois não tinham ideia do que eu faria se fosse deixada sozinha. Doeu ouvir isso, mas para ser honesta, eles não estavam errados.

Papai, depois de pensar um pouco enquanto se preparava para o trabalho, de repente bateu palmas. “... Já sei! Myne, que tal você esperar no portão comigo?”

Papai me levaria até o portão. Mamãe e Tuuli iriam colher parues na floresta. No caminho de volta, elas me pegariam no portão e me trariam para casa. Teríamos nossos parues e eu não ficaria em casa sozinha. Todo mundo ganhava.

“É uma excelente ideia. Ok, Tuuli. Vamos deixar Myne com Gunther.”

“Certo! Te vejo mais tarde, Myne.”

Mamãe, parabenizando Papai pela ideia, preparou rapidamente suas coisas e saiu rapidamente com Tuuli. Elas tiveram que sair rápido, pois você só podia juntar parues antes do meio-dia.

“Tudo bem, pronta para ir? O portão está esperando.”

‘Weee... Vai ser uma boa mudança de ritmo, eu acho. E Otto pode me ensinar algumas letras novas se ele estiver lá, então...’

Honestamente, eu estava cansada de passar o dia todo em casa. Tendo falhado em fazer o falso-papiro, a única coisa que eu podia fazer em casa era brincar com minha lousa ou fazer cestas. Nunca na minha vida esperei acabar com tanto tempo livre. Os livros foram as únicas coisas que me salvaram de uma vida de tédio.

Por acaso, a música “Haru yo, Koi” (Venha, Primavera) tem tocado sem parar na minha cabeça. Quanto mais cedo chegar a primavera, mais cedo poderei sair e fazer placas de argila. Para isso, fazia exercícios todas as manhãs na esperança de acumular resistência suficiente para poder sair de casa mais fácil.

Minha família me olhava estranhamente, mas eu sabia que o preparo físico era melhor realizado aos poucos, diariamente, com muita determinação. Embora, para dizer a verdade, como eu não tinha sido muito saudável em meus dias como Urano, mal conhecia a rotina de exercícios adequados. Eu estava apenas improvisando.

“Papai, Otto está lá hoje?”

“Sim, acho que sim.”

“Oba! Vou levar minha lousa para o portão, então.”

‘Agora, esperar no portão vai ser divertido.’ Eu rapidamente juntei minhas próprias coisas, a coisa mais importante sendo minha lousa de pedra.

Depois de enrolar em camadas e apertar meu casaco, peguei a sacola de fibras que teci no inverno e coloquei minha lousa de pedra nela, além do giz.

Preparativos concluídos.

“Vamos, Papai!”

“...Myne, você gosta tanto do Otto?”

“Uh hum, eu realmente gosto dele.” ‘Quero dizer, ele é meu professor (ou talvez eu tenha decidido isso sozinha), e ele me deu esta lousa. Como eu poderia não gostar dele?’

Saímos de casa e demorei cerca de meio segundo para perceber que o próprio ar estava gelado. Apenas um pouco de vento roçando minha pele foi o suficiente para me fazer sentir uma pontada de dor. Meu rosto estava formigando tanto que até eu, a rainha de todos os preguiçosos, imediatamente comecei a traçar um plano para transformar o óleo de parue em algum tipo de creme hidratante.

“Bwuh! Tão frio!”

Sem mencionar que tinha tanta neve que eu não conseguia andar. Poderia havir algum truque para caminhar na neve, mas como eu não cresci em uma área com neve, não tinha ideia de qual era.

Foram necessários exatamente dois passos para que minhas pernas de criança atrofiadas ficassem presas na neve, deixando-me imóvel. Meu destino estava selado. Meu futuro se foi. Eu só pude gritar no vazio por ajuda, esperando que alguém viesse em meu resgate.

“Papai! Como você caminha na neve?”

“...Já basta. Segure firme e não caia.”

Eu estava segurando meus braços para manter o equilíbrio, as pernas presas na neve, quando papai se virou e voltou com uma expressão exasperada no rosto. Ele colocou minha bolsa em volta do pescoço e colocou as mãos sob meus braços antes de me levantar no ar e me colocar em seus ombros.

“Uau! Tão alto. Isso é tão legal.” Minha linha de visão estava muito mais abrangente do que quando Ralph me carregou. A única razão pela qual a altura repentina não me assustou foi que os ombros de papai, graças ao seu trabalho como soldado, eram largos e musculosos. Eu poderia descansar sobre eles sem medo. Nos meus tempos como Urano, eu quase não interagia com meu pai, mas tinha algumas lembranças dele. Ele me carregou uma vez, quando fomos ver as árvores de cerejeira florescerem.

“Certifique-se de segurar firme, certo?”

Fazia tanto tempo que alguém havia me carregado nos ombros que meu coração batia um pouco mais rápido. Depois que me agarrei em sua cabeça, papai começou a andar na neve. O beco até a estrada não tinha sido varrido e, portanto, ele traçou cuidadosamente seus passos por um tempo antes de chegar à estrada principal e andar normalmente de novo.

“Myne, só para você saber, Otto já é casado”, disse Papai, quebrando o silêncio com algo totalmente inesperado.

‘Hum... O quê? E eu disse que queria me casar com Otto? Acho que não. Eu nunca disse nada sobre casar com ninguém.’

“Ummm... E?”

“A esposa dele é tudo para ele, certo?”

‘O que exatamente você está tentando impedir sua filha de cinco anos de fazer? Mesmo se eu gostasse dele dessa forma, ele não daria a mínima para uma criança de cinco anos. Você com certeza está sendo burro, Papai.’

Apesar de perceber o que meu pai estava pensando, fiquei quieta. Ele estava sendo um saco e eu definitivamente não recompensaria seu comportamento petulante com um “Você é muito mais incrível, Papai!” ou um “Eu te amo mais, Papai!”

“Então você está dizendo que Otto é uma pessoa incrível que trata bem a esposa?”

“...Não.” Isso deixou Papai tão mal-humorado que ele ficou em silêncio o resto do caminho.

E assim, sobre os ombros do pai mais tedioso do mundo, cheguei ao portão.

“Bom Dia.” Por instinto, inclinei minha cabeça para os guardas parados no portão. Eles olharam para mim por um segundo, lembrando-me que abaixar a cabeça não era uma saudação comum neste mundo. Ou talvez eles tenham ficado surpresos ao me ver nos ombros do meu pai.

“Esta é Myne, minha filha. Minha esposa virá buscá-la quando ela terminar de juntar parues. Até então, mantenha-a na sala do turno da noite.”

“Entendido.”

“Entendeu, Myne? Otto também deve estar lá. De nada.”

‘Ufa... Papai parece meio irritado. Espere, Papai está com tanto ciúme que está sendo mau com Otto? Esta complexa teia de relações humanas está se desintegrando?’

“Hum, bem, estou ansiosa para Otto me ensinar novas letras.”

“Por que tem que ser Otto?”

‘Bem... Desculpe, Otto. Tentei apoiá-lo, mas acho que só piorei as coisas. Não sei por que Papai fica com tanto ciúmes. Estou ansiosa  para aprender. É nessas horas que percebo que não sei muito sobre relações pai-filha.’

“To entrando.” Papai bateu de leve na porta e entrou.

A sala de vigia noturna tinha uma fornalha acesa e uma lâmpada na escrivaninha próxima, tornando-a muito mais iluminada do que a nossa. A escrivaninha ficava bem perto da fornalha e Otto estava cuidando da papelada.

“Otto.”

“Capitão... e Myne? Qual é a ocasião?”

“Ela vai ficar aqui até a reunião paroquial terminar. Fique de olho nela.” Papai deu breves instruções, sem deixar dúvidas, e me colocou no chão.

O súbito acréscimo de “babá” às suas funções naturalmente surpreendeu Otto, e ele olhou entre papai e sua papelada com uma expressão preocupada.

“Hã? Er, mas... estou ocupado com esses relatórios financeiros, cálculos de orçamento e...”

“Myne. Está quente aqui. Certifique-se de não pegar um resfriado.” Papai saiu, ignorando Otto totalmente.

Acenei dando tchau e me virei para olhar para Otto. “Desculpe por isso, Sr. Otto. É que, bem, receber esta lousa me deixou muito feliz, e ver você de novo hoje me deixou ainda mais feliz.”

“Fico feliz em ouvir isso. É bom ver você também, Myne, mas uh...” Otto deu uma risada estranha e continuou: “Mas não há necessidade de pedir desculpar, certo?” com uma expressão perplexa.

“A verdade é que elogiei muito você na frente do Papai, e ele ficou com muito ciúmes...”

“...Aaaaah.”

“Então, você vai me ensinar novas letras? Vou ficar quieta e ficar fora do seu caminho até que Mamãe venha me buscar.” Eu poderia dizer pelo pergaminho e tinta na mesa que ele estava no meio de seu trabalho. Não pretendia atrapalhar, mas também não pretendia perder a oportunidade de aprender novas letras.

“Bem, certo. De alguma forma, tenho a sensação de que você realmente vai ficar quieta e estudar, Myne.” Otto murmurou enquanto pegava minha lousa e rabiscava letras nela.

O sistema de escrita deste mundo era semelhante ao alfabeto inglês. Não havia silabários como os hiraganas, nem logogramas como kanjis. As próprias letras determinavam o som e o significado das palavras. Soletrar era tudo. DYami: Os hiraganas e kanjis são mais artísticos que funcionais, até pq vc tem que aprender todos eles, o que é bem cansativo. Não sei se vocês já perceberam, mas até uma mesma palavra tem várias formas de serem escritas em japonês, isso acontece muito com nomes, por isso em alguns animes eles falam “Nome tal e tal com kanji de tal e tal.” por exemplo o nome que o Kaneki usa quando muda para Haise Sasaki é com os kanjis de “café” e “mundo”, e por causa da sua perca de memória ele não sabia como escrevia “Kaneki Ken” (os kanjis no caso, ele só sabia a pronúncia), e quando ele recebe uma carta com o nome escrito ele descobre que “Ken” se escreve com o kanji de “afiar”

Otto confiava em minha disposição de estudar em silêncio, já que passei horas brincando com a lousa depois que ele me deu.

“Myne. Não queremos que você pegue um resfriado e deixe o humor do capitão ainda pior, então aqui, sente-se ao meu lado.” Otto deu um sorriso preocupado e se afastou um pouco para o lado, abrindo mais espaço perto da lareira.

Eu concordei totalmente com sua avaliação e sentei ao lado dele perto do fogo, sem qualquer hesitação desnecessária. “Obrigado. Será mais fácil estudar agora.”

Por um tempo, a sala foi preenchida apenas com os sons do giz sendo raspado na lousa, o estalar do fogo ardente e uma caneta tinteira deslizando sobre um pergaminho. Depois de memorizar as letras escritas, mais ou menos, levantei os olhos e vi Otto olhando para o pergaminho à sua frente, a expressão mortalmente séria enquanto fazia os cálculos.

Ele tinha uma ferramenta parecida com um ábaco ao lado dele, mas eu não poderia dizer como funcionava à primeira vista. Embora, em primeiro lugar, eu só tenha usado um ábaco na escola primária ao aprender adição e subtração, então, mesmo que funcionasse exatamente como um ábaco japonês, eu não saberia como usá-lo.

Esperei até que ele terminasse uma parte da papelada antes de chamá-lo. “Sr. Otto, o que você está fazendo?”

“Preparando relatórios financeiros e orçamentos. Durante o inverno, precisamos preparar um orçamento para o próximo ano e enviá-lo antes da primavera, mas a maioria dos soldados não são bons em matemática. Sou o mais acostumado a lidar com dinheiro, então estou escrevendo nossos relatórios financeiros e orçamento.”

“Então, todo mundo simplesmente empurrou o trabalho duro para você, hein?”

Olhei para o pergaminho e, embora não conseguisse ler as palavras, havia três números empilhados ao lado de uma linha de texto. Se eu tivesse que adivinhar, o primeiro número era o preço de algo, o segundo número era quanto desse algo eles precisavam e o terceiro número era a quantidade de dinheiro resultante. Parecia que os dois primeiros números foram multiplicados para obter o terceiro, então sim.

Olhei o pergaminho, considerando a possibilidade de ser um pedido de novos equipamentos, quando localizei um erro matemático. “Espere. Sr. Otto, isso não está errado?”

“Hã?”

“Isto é um 75 e aqui um 30, certo? Eu acredito que eles formem 2.250.” Embora eu pudesse ler os números, eu não sabia o que eles chamavam de multiplicação neste mundo e, portanto, tive que ser um pouco vaga na minha explicação, mas Otto parecia me entender.

“Espere, o quê? Como você pode fazer matemática quando não sabe ler?”

“Hehehe. Mamãe me ensinou números no mercado. Posso ver os números aqui e fazer matemática, mas não consigo ler nada em torno deles.”

Depois de ouvir que eu não conseguia ler o que estava escrito no pergaminho, Otto começou a pensar em algo. Eu o ouvi murmurando para si mesmo: “Não, eu não deveria... Mas...” para frente e para trás. “...Myne, vou engolir meu orgulho para perguntar isso. Você poderia me ajudar?”

‘Hum... Esse é o tipo de oferta que devo aceitar? Quer dizer, deixando de lado todos os problemas relacionados às informações classificadas, não é errado pedir ajuda a uma criança? Acho que ele está em uma situação tão difícil que gostaria de receber a ajuda de qualquer pessoa que saiba fazer cálculos, até mesmo uma criança?’

‘Ele disse que estava “engolindo seu orgulho”, então posso imaginar que não seja normal pedir ajuda a crianças. E eu quero ajudá-lo, se ele estiver com tantos problemas. Especialmente porque também quero algo dele. Este parece ser o lugar perfeito para alguma negociação.’

“Ok, vou ajudar. Se você continuar me ensinando letras e conseguir gizes extras para mim.”

“Hã?”Ele provavelmente não esperava que uma menina de repente rejeitasse condições como essa. Seus olhos se arregalaram.

Sorrindo um pouco com sua reação previsível, expliquei minha situação. “Como eu disse, eu sei os números desde que mamãe os ensinou para mim. Mas não sei as letras. Eu quero que você me ensine todas.”

“Estou bem com isso, mas... O que há com os gizes? Eles não são tão caros, são?” Otto estava certo, eles eram vendidos em todos os mercados por um preço barato.

“Mamãe e Papai costumavam comprá-los para mim, mas agora não compram, então...”

“Por que eles pararam?”

“Eu brinco com a lousa o dia todo. Não importa quantos eles comprem, sempre preciso de mais.”

“Hahahahaha...”

Horas de brincadeira por dia eram suficientes para gastar um giz em alguns momentos. Como eu não recebia mesada, pode-se dizer que conseguir um suprimento constante de gizes era uma questão de vida ou morte.

“De qualquer forma! O que quero dizer é que não sou uma garota barata o suficiente para trabalhar de graça.”

“...Acho que esses são alguns termos bem baratos, mas tudo bem.” Otto deu um sorriso irônico e concordou em se tornar oficialmente meu professor.

“O que devo fazer?”

“Você se importaria de ter certeza de que os cálculos aqui estão corretos? Basicamente, eu não sei onde estão os erros, então verificar tudo está tomando muito tempo.”

Aparentemente, ele estava checando a papelada que outra pessoa havia feito. Era óbvio, dado que este mundo não tinha computadores, mas apesar do tempo que demorou para fazer a papelada, todos os cálculos escritos nessa papelada tinham que ser verificados manualmente.

“Acho que vocês precisam de outro soldado que saiba fazer cálculos.”

“...Isso seria bom, mas eu só fui contratado em primeiro lugar porque eu posso fazer esse tipo de coisa, então...”

Parecia que havia algumas circunstâncias profundas por trás de Otto se tornar um soldado.

Como alguém ansiava por qualquer tipo de informação, eu estava ansiosa para pedir detalhes imediatamente, mas nossa carga de trabalho era tão grande que engoli minha curiosidade e a segurei para mais tarde.

“Myne, você precisa da calculadora?”

“Eu nem sei como ela funciona, então vou apenas usar minha lousa.” A lousa poderia facilmente funcionar no lugar do papel de rascunho para cálculos, uma vez que tudo escrito nela poderia ser apagado.

Anotei os cálculos na lousa e ajudei-o com seu trabalho de verificação. Os números deste mundo haviam entrado completamente em minha cabeça e pensar no número nove era o suficiente para que o símbolo adequado aparecesse em minha mente. Escrevê-los não era um problema.


“Puta merda, isso foi fácil. Estou impressionado, Myne, e devo muito a você. Nunca pensei que terminaria todo esse trabalho de verificação tão cedo. Sabe, Myne, com habilidades matemáticas como essa, você seria uma grande comerciante. Posso apresentá-la à Guilda de Mercadores, se quiser.”

Aparentemente, Otto tinha ficado preso durante anos lidando sozinho com toda a papelada financeira, então acabou extremamente grato por minha ajuda.

‘Posso querer abrir uma livraria assim que aprender a produzir livros em massa. Obter uma conexão com a Guilda de Mercadores pode valer a pena. Além disso, parece que Otto está pensando em mim como uma ajudante importante agora. Perfeito.’

“Myne, se você realmente quer aprender letras, vou levar o ensino a sério. Dessa forma, você também pode me ajudar com minha papelada escrita no próximo ano.”

“Sério?! Yaaay!”

“Hã? Isso é algo para ficar feliz?” Otto piscou surpreso, mas por que eu não ficaria feliz por ele levar meu aprendizado a sério?

‘Quer dizer, ajudar com a papelada significa tocar no pergaminho, certo? Significa escrever letras com tinta, certo? Se você me perguntasse, eu diria que isso é incrível!’

Por DYami | 17/12/20 às 21:02 | Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Drama, Comédia, Shoujo, Slice of Life, Reencarnação, Japonesa