CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 890 - Sua Majestade!

Ascensão de um Deus (AUD)

Capítulo 890 - Sua Majestade!

Autor: Calebe Piccoli Camargo

Alguns minutos depois e lentamente as pessoas começaram a serem teleportadas.

O tempo entre um teleporte e outro também foi aumentando, do quinto com mais pontos até o quarto ser levado, passaram-se três horas.

Sendo assim, assim que o quarto colocado foi levado, sobraram Smuk Blóm, Le Chang e Le Su.

“Bom, parece que teremos, pelo menos, três horas pela frente...” Disse Le Chang sentando-se na grama e pegando algumas nozes para comer.

Todavia, ele não teve muito tempo para tal calmaria, alguns segundos após ele sentar-se, ele sentiu uma Aura emergindo do solo com uma força avassaladora.

Ela era tão poderosa que se fosse hostil, até mesmo Le Su poderia dar adeus a sua vida.

No entanto, não foi o caso.

Em um instante, três altares apareceram à frente deles.

Um era feito de bronze, outro de prata e outro de ouro.

Eles sabiam o que isso queria dizer.

Smuk Blóm andou rapidamente a frente e o Altar de Bronze brilhou intensamente.

Três caixas apareceram sobre o altar, elas eram idênticas e a jovem deveria escolher entre uma delas, se era algo incrível ou não, seria sua sorte que diria.

Ela então ativou sua Herança, quando o fez, com seus poderosos olhos, ela pode ver que apesar de idênticas as caixas, cada uma tinha uma Aura única.

A do meio parecia feroz e voraz, aquela a sua direita parecia calma e serena e aquela a sua esquerda era o equilíbrio entre elas e foi a qual Smuk Blóm escolheu.

Quando o fez, imediatamente o Altar de Bronze e as outras duas caixas sumiram.

A jovem abriu a caixa e deparou-se com uma Coroa Dourada, junto dela havia um bilhete.

“Para aquela que reconhece a sensatez da vida e compreende sua magnitude, eu, Le Fa, a Rainha da Vida, entrego minha Coroa. Contudo, o peso de a usar não é pequeno e, se não houver determinação, a morte, sem dúvida alguma, tragará, não sua vida, mas seu Existir...” Murmurou Smuk Blóm, a qual tremia segurando o papel em suas mãos.

Ela imediatamente olhou para Le Chang e Le Su e sua face dizia muita coisa.

“Le Fa? Clã Le?...” Era o que estava estampado na face de Smuk Blóm.

Le Su claramente estava surpresa, mas havia mais felicidade do que espanto em sua face.

Já Le Chang sorria tranquilamente, ela já sabia de toda a história.

“O que você fará, Smuk Blóm, terá a coragem de a usar?...” Disse Le Chang tirando a jovem de seus devaneios.

Ela olhou para ele e depois para a coroa.

“Eu não sou como a Rainha da Vida, eu sinto isso. Ao olhar para tudo que ela fez, conquistou e criou, eu sinto como se estivesse olhando para um local inalcançável, um patamar que eu jamais poderei atingir...” Disse Smuk Blóm com um olhar pensativo.

“Ninguém é como ela...” Quem disse foi Le Su.

Le Chang e Smuk Blóm olharam para ela e surpreenderam-se, pois, pela primeira vez, viram ela com um rosto sério e cheio de sabedoria, o qual realmente fazia jus a sua posição.

“A Rainha da Vida não foi apenas alguém com poder e genialidade. Ela transcendeu o estado mortal, elevou-se acima da sabedoria comum. Ela não apenas compreendia o cerne do poder e o real sentido da vida, ela o tinha em suas mãos.

Le Fa... Que interessante saber que ela era do Clã Le, bom, provavelmente não era, eu saberia se fosse.

Contudo, Smuk Blóm, não sinta-se no dever de igualar-se a ela, o patamar que Le Fa atingiu é único, é incomparável. Não me entenda mal, não quero dizer que você não é capaz de coisas grandiosas como ela, é apenas que Le Fa... A Rainha da Vida, ela era excepcional...” Os olhos de Le Su brilhavam com sabedoria e grandiosidade.

Le Chang sorriu para ela, porque ele entendia tais palavras.

Não era uma questão de genialidade e talento, Le Fa não era quem era porque ela tinha privilégios que ninguém mais teve.

Le Fa era inigualável, jamais apareceria outra como ela, ninguém seria capaz de elevar-se sobre ela.

Claro, ela não era mais forte que o Deus dos Deuses ou as Deusas Supremas, mas, onde ela estava não era alcançável apenas com poder, mas com sabedoria, amor, compaixão, honra, lealdade, altruísmo, humildade e dezenas de outros detalhes que somados, a colocariam em um lugar sem igual.

Smuk Blóm olhou pensativa para ambos, ela entendeu o que Le Su quis dizer.

Por alguns instantes, Smuk Blóm sentiu-se indigna de receber tal coroa, pois, ela não tinha a sensação de merecimento e de que fosse capaz de igualar-se a Le Fa como Rainha.

Ela então sorriu.

Pegou a coroa em suas mãos e suspirou.

“Ela foi a melhor das Rainhas, mas não quer dizer que eu não possa ser uma ótima Rainha...” Disse ela com um sorriso em seus lábios.

Quando colocou a coroa sobre sua cabeça, Smuk Blóm sentiu uma pressão assustadora sobre ela.

Não era algo normal, era a presença de Le Fa em seu estado mais puro.

Ela usava aquela Coroa quando estava à frente de seus súditos, quando precisava mostrar a todos quem realmente era soberana naquele lugar, então, impregnada naquela coroa, estava a Aura mais tirânica de Le Fa.

Smuk Blóm foi ao chão, seus dois joelhos tocaram a grama e ela tremia de medo.

Era como se o mundo inteiro fosse jogado em suas costas.

Le Su e Le Chang recuaram alguns passos, pois, sabiam que esse momento era algo pelo qual Smuk Blóm deveria passar sozinha.

A jovem elevou seu poder ao máximo e até mesmo quebrou seus limites, no entanto, não importava o que ela fizesse, ela sentia-se como uma gota de água tentando vencer um oceano.

Era impossível, era irreal lutar contra aquilo.

Não havia como vencer, a sensação era de que aceitar a morte passivamente era a única e sensata opção.

“Sensatez... Magnitude... Existir...” Murmurou Smuk Blóm com o que lhe restava de forças.

Então, como um trovão, algo reverberou em sua mente.

“Sensatez... Equilíbrio... Magnitude... Intensidade... Importância... Existir... Ser... Durar... Permanecer...” Murmurava Smuk Blóm e enquanto fazia, podia sentir que algo mudava.

Ela não ousava erguer sua cabeça e nem abrir seus olhos, mas falou como um mortal orando ao seu Deus.

“Rainha da Vida, eu jamais serei como você, contudo, receber sua benção seria algo singular em minha vida. Ser uma Rainha é como a Vida é.

Sensata, Importante e Permanente. Devo saber equilibrar as coisas, dar a devida importância para o que minha posição representa e entender que meu Existir sou eu quem faço, com minhas escolhas, com meus pensamentos, com minha determinação.

Sendo assim, eu, Smuk Blóm, aceito o pesado fardo, com temor em meu coração e respeito em meu olhar...” Quando tais palavras saíram da boca da jovem, algo incrível ocorreu.

A Coroa se desfez em um fino pó dourado, materializou-se em um ser feminino e que rapidamente mostrou quem era.

Le Fa estava ali, em seu total esplendor e divindade, claro, um fio de sua Consciência.

Com um sorriso em sua face, ela levou suas duas mãos para o alto e em sua cabeça apareceu uma Tiara Dourada, ela era linda.

Ela então pegou a Tiara com suas mãos e retirou de sua cabeça, lentamente a levando para frente e então para baixo.

Smuk Blóm sentiu quando a tiara tocou sua cabeça e a ergueu, abriu seus olhos e viu quem estava a sua frente.

Le Fa havia aparecido e a Coroado.

Uma voz suave e suprema, cheia de divindade, santidade e sabedoria, soou por todos os lados.

“Saúdem a Segunda Rainha da Vida! A Soberana, Sua Majestade, Smuk Blóm!”


Autor: 

ATUALIZAÇÃO DA META DE COMBO!

50/240. 

A Meta é de R$ 240,00 (duzentos e quarenta reais), que, caso seja atingida, postarei DEZ CAPÍTULOS PATROCINADOS!

O Prazo Final da Meta será dia 22/08/2019.

Caso alguém tenha interesse em colaborar para o Combo, entre em contato comigo através do Discord ou da Página de Ascensão de um Deus no Facebook.

Os Links para ambos estarão nos comentários!

Por Calebe Piccoli Camargo | 18/08/19 às 14:50 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Romance, Harém, Magia