CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 01 - Escravo

Corvo Negro (CN)

Capítulo 01 - Escravo

Autor: Keven Alves

Neste mundo orientado para o cultivo, os seres humanos advogam a importância da meditação e do fortalecimento corporal como um método de sentir e absorver a energia do céu e da terra. Através da energia do céu e da terra, eles conseguem aumentar sua força, vitalidade e treinarem suas técnicas marciais.

Aqueles talentosos, poderiam através da meditação e do treinamento corporal, absorver a energia do céu e da terra, gerando uma epifania que os fariam sentir a existência do mundo espiritual. No mundo espiritual, poderiam entrar em contato com uma infinidade de espíritos marciais, estabelecer uma conexão formando assim um contrato, e por fim, tornar-se um verdadeiro cultivador marcial.

Mas haviam pessoas ainda mais ambiciosas, mesmo após se tornarem cultivadores marciais, continuaram absorvendo energia do céu e da terra, fortalecendo seu corpo e vitalidade, aprendendo uma infinidade de técnicas marciais, tornando-se verdadeiros guerreiros invencíveis. Rompendo com força os grilhões dos céus e recebendo o título de divindade, sendo reverenciado pelo mundo e tendo o poder de um verdadeiro Deus.

Milhões de anos atrás, um cultivador realmente conseguiu este feito incrível. Ele governou um mundo inteiro, abaixo dos céus ele era soberano, uma verdadeira existência invencível.

***

País do Sol, cidade Cinza, mina de escavação.

Sob o sol escaldante, o corpo do jovem Atlas estava brilhando de suor, ele estava tão molhado que parecia ter saído do banho, em suas mãos, uma corda estava amarrada a uma espécie de carrinho com várias pedras extremamente pesadas dentro.

O jovem era extremamente determinado, o seu olhar não vacilou nem por um segundo, ele estava cerrando os dentes enquanto continuava a perseverar.

― Eu preciso continuar, não posso falhar ou terei que receber as punições, isso pode ser considerado um treinamento para o meu corpo. Preciso continuar e me tornar mais forte!

De repente, um enorme barulho pôde ser ouvido por todos. Olhando na direção do barulho, era possível ver o jovem Atlas ajoelhado no chão, sua camisa estava rasgada, uma enorme marca de corte estava estampada em suas costas já suadas, o jovem que estava perseverando antes, estava agora quase sucumbindo de dor. Logo atrás de Atlas estavam dois guardas parados, um careca e baixo e um mais alto e magro, ambos tinham um chicote na mão, mas o que desferiu o golpe era o guarda careca que tinha agora um leve sorriso no rosto.

― Ora, ora, se não é o jovem escravo que sonha em se tornar um cultivador marcial. Hahaha! ― Comentou rindo o guarda careca. ― Você já ouviu falar de um escravo que sonhava em se tornar um cultivador? ― Perguntou o careca para o outro guarda que estava ao seu lado.

― Hahaha. Não menospreze o garoto, Lucas. Todo dia à noite ele treina com o pai adotivo dele, um dia ele será o mais poderoso cultivador marcial que nós já vimos. ― Disse sarcasticamente o guarda magro e alto.

― Verdade, eu tinha me esquecido disto. Hahaha

Fazendo uma pausa o guarda careca chamado Lucas, levantou a mão com o chicote mais uma vez e balançou em direção a Atlas, um forte barulho foi ouvido enquanto o jovem se apoiava com as duas mãos no chão. No entanto, em momento algum foi ouvido qualquer barulho emitido pelo jovem, ele estava com os dentes cerrados, e ambos seus olhos tinham lagrimas, enquanto ele persistia não permitindo que qualquer som saísse de sua boca.

― Anda! Continue escravo, você está enrolando o dia todo. Se quer ficar fazendo esforço durante a noite o problema é seu, mas durante o dia você deve carregar as pedras feito um cavalo! Anda, levante-se, lixo imundo!

Atlas que estava se apoiando no chão, fez um grande esforço para se levantar e continuar puxando o carrinho com pedras, mas antes que ele pudesse dar três passos adiante, ele sentiu novamente um forte impacto em suas costas, a ponta do chicote pegou na parte de trás de sua orelha, e sangue começou a jorrar. Atlas cerrou com ainda mais força os seus dentes e continuou a puxar, os guardas vendo a situação deplorável de Atlas resolveram cessar as chicotadas, ou poderiam acabar incapacitando um trabalhador.

No final do expediente, Atlas finalmente chegou em sua cela, lá estava o seu pai adotivo, Júlio. Júlio era um homem forte de aproximadamente 1,75 de altura, aparentava ter entre 45 e 50 anos, sua pele era branca e seu cabelo era escuro como a noite, seus olhos castanhos irradiavam frieza enquanto via seu filho adotivo entrar ensanguentado mais uma vez na cela. Ele estava com os punhos cerrados, e uma vontade de matar sem limites poderia ser vista cintilando em seus olhos.

― Atlas meu filho, venha!

Júlio estava com um pote simples e cinza em suas mãos, dentro havia várias ervas devidamente amassadas transformadas em uma pasta. Percebesse, que esta não era a primeira vez que algo do tipo acontece, provavelmente este tipo de situação era frequentemente vivenciada por eles.

― Pai, não precisa se preocupar comigo, são apenas alguns cortes, não é nada demais!

― Atlas, para de falar e vem logo!  ― Comandou Júlio.

― Ok! ― Respondeu Atlas abaixando a cabeça.

Caminhando até o seu pai com a cabeça abaixada, Atlas estava na verdade, se controlando com extrema determinação para não emitir barulhos de dor, estes cortes não eram nada simples, ele é um escravo, uma pessoa comum, e tamanha dor estava ficando cada vez mais difícil de controlar. Virando-se, Atlas começou a remover a camisa com dificuldade, seus movimentos estavam debilitados, e ele continuou a cerrar os dentes para não emitir barulhos.

Quando a camisa de Atlas foi removida e Júlio viu as marcas nas costas do seu filho, sua mão que estava cerrada começou a emitir sons crepitantes, tamanha era a força com a qual ele estava cerrando os punhos, as luzes cintilando por seus olhos eram aterrorizantes, as costas de Atlas estavam repletas de cicatrizes, novos cortes estavam sobre os cortes antigos já cicatrizados, gerando uma visão horrível.

― Atlas, foi o Lucas novamente? ― Perguntou seu pai, Júlio.

―Hm ― Respondeu Atlas, abalançando levemente a cabeça em aprovação.

Júlio moveu sua mão para o pote e começou a passar a pasta que tinha preparado anteriormente por todo o corpo de Atlas, seus movimentos eram leves e fluidos, tentando ao máximo não piorar a dor que o seu filho estava sentindo, mesmo assim, Atlas não conseguiu evitar de soltar alguns barulhos de dor.

― Atlas, escute com atenção, você já tem 16 anos, chegou a hora de fazer um contrato com um espírito marcial e se tornar um cultivador! ― Fazendo uma pausa, Júlio continuou. ― Eu consegui uma pedra celestial para você, com ela, você vai ter uma grande quantidade de energia celestial. As energias contidas nas pedras celestiais sempre são mais puras. Isto deve ser de alguma ajuda na hora de estabelecer um contrato com um espirito marcial.

― Pai, onde você conseguiu uma pedra celestial vermelha? ― Perguntou Atlas.

― Não pergunte, apenas pegue e esconda bem. ― Respondeu Júlio, com uma pausa e um suspiro, ele então falou de maneira carinhosa. ― Quando estiver se sentindo melhor, você deve imediatamente estabelecer um contrato.

― Entendi pai, eu não vou decepcionar você! ― Respondeu Atlas determinado.

― Você ainda se lembra das explicações sobre os espíritos marciais e suas classificações? ― Perguntou o pai de Atlas.

― Sim! Existe espíritos marciais de todos os tipos, objetos, elementos, bestas demoníacas, entre outros... Pelo o que o senhor disse, é impossível cataloga-los.

― Exatamente, mas como tudo no mundo existe forte e fraco, com os espíritos marciais não é diferente, como você vai diferenciar a força entre os espíritos marciais? ― Perguntou Júlio.

― Os espíritos marciais, são classificados em cinco reinos. Bronze, Prata, Ouro, Platina e Diamante. Espíritos marciais de Bronze são os mais fracos, os de Diamante são os mais fortes. ― Respondeu Atlas.

― Está certo, mas não menospreze os espíritos marciais, a classificação de reinos mede o potencial e força de um espirito marcial. No entanto, no final, o controlador do espírito marcial e seu nível de cultivo podem fazer toda a diferença, então, mesmo que o seu espírito marcial seja mais poderoso que o do inimigo e vocês estejam no mesmo nível, não significa que terá uma vitória fácil, ou até mesmo, não significa que terá uma vitória. No entanto, é indubitável que quanto maior o nível do espírito marcial, maior o seu poder e potencial. ― Comentou tranquilamente Júlio.

Depois de alguns segundos de silêncio e um suspiro, Júlio falou novamente, mas agora, em um tom muito mais sério. ― Lembre-se Atlas, você deve no mínimo formar um contrato com um espírito marcial de nível Prata. Você se esforçou muito durante todos esses anos, trabalhando como escravo, sofrendo, apanhando dos outros, treinando enquanto os outros dormiam e trabalhando enquanto as crianças nobres brincavam e treinavam com seus professores de luxo. ― Júlio fez uma leve pausa, colocou a mão na cabeça do seu filho enquanto bagunçava o seu cabelo e continuou. ― Os espíritos marciais de nível bronze não são ruins, mas você se esforçou e sofreu muito para ser apenas mais um no meio da multidão de pessoas comuns, apenas aqueles que fizeram um contrato com um espírito marcial de nível prata podem ser considerados 'gênios', você precisa se esforçar.

― Eu entendo perfeitamente pai, não se preocupe, eu vou conseguir!

Atlas estava com um olhar extremamente determinado, ele precisa se tornar forte, este mundo é cruel demais. Aqueles que são fracos só podem ser submissos e ficar completamente a mercê dos fortes.

― Bom garoto. Agora vá descansar!

Atlas caminhou até o canto da cela levando em sua mão a pedra celestial. Até agora ele não entende como o seu pai conseguiu tal pedra, um escravo com uma pedra celestial, esse assunto era completamente inconcebível, uma pedra celestial é um artigo de luxo extremamente caro até mesmo para a família Souza que os controla como escravos.

Chegando no canto da cela onde costumava ficar, Atlas pegou um pedaço de pão velho e começou a comer lentamente, apesar da extrema dor que estava sentindo, seu coração estava aquecido, seu pai, um escravo, na verdade conseguiu um item de tal valor, tudo isto para ele ter uma chance de pisar no caminho do cultivo marcial, ele realmente não pode deixar as ações do seu pai ser em vão, ele precisa conseguir se tornar um cultivador e ficar cada vez mais forte.

Após 6 horas de repouso, Atlas estava se sentindo um pouco melhor, colocando a mão por dentro de suas roupas ele retirou a pedra celestial que o seu pai lhe deu, sentou-se na posição de lótus, e colocou a pedra espiritual sobre suas pernas.

Fechando levemente os olhos, ele começou a utilizar as técnicas de respiração, concentração e absorção que seu pai tinha lhe ensinado anteriormente. Seu talento inato era normal, mas sua determinação e experiência de vida estavam longes de serem comuns. Tendo nascido como um escravo, Atlas trabalhou de forma pesada durante toda a vida, aliado com o seu treinamento noturno fornecido por seu pai e suas horas de meditação, ele rapidamente entrou no estado necessário.

Por Jhinn | 19/07/18 às 22:55 | Ação, Aventura, Fantasia, Elementos de Cultivo, Romance, Maduro, Guerra, Cultivo