CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 05 - Garra do Corvo Negro

Corvo Negro (CN)

Capítulo 05 - Garra do Corvo Negro

Autor: Keven Alves

Após chegarem ao pátio em que Atlas ficou na noite anterior, Júlio que estava prestes a falar foi interrompido por seu filho que tinha uma expressão de nervosismo no rosto.

― Pai, o que vamos fazer agora? ― Perguntou Atlas que estava completamente aflito.

― O que você quer dizer? ― Perguntou Júlio que achou a expressão do seu filho muito peculiar.

― Aquele homem é extremamente forte, provavelmente a capital real deve ter pessoas ainda mais poderosas do que ele. ― Falou Atlas.

Júlio que não tinha entendido antes, começou a rir ruidosamente.  ― Não precisa se preocupar com isso, seu pai tem tudo sobre controle. ― Falou Júlio calmamente, que então continuou. ― Você sabe qual o reino de cultivo que vem após o reino da terra?

Atlas balançou a cabeça enquanto olhava para o seu pai, que então continuou com a explicação. ― Os reinos de cultivo são, refinamento corporal, reino da energia, reino da terra e reino do céu. ― Júlio estava completamente tranquilo, quando continuou falando. ― O poder de um cultivador no reino do céu é incomparável, mesmo em todo o nosso país do Sol com bilhões de pessoas, aqueles que conseguiram chegar ao reino do céu pode ser contato nos dedos de uma única mão. Ou seja, a chance de alguém com um poder superior ao reino da terra aparecer é quase zero, mas se aparecessem, tudo que poderíamos fazer é nos render de maneira pacifica, afinal, qualquer um que alcance o nível de poder de um reino do céu, possuí autoridade equivalente a todo o país do Sol.

Atlas finalmente estava entendendo a situação geral do país, apesar de ter vivido como escravo, Júlio nunca pegou leve com ele. Mesmo com toda uma rotina insuportável para uma criança, Atlas ainda precisava aprender muitas coisas durante à noite antes de ser permitido descansar. Júlio ensinou de tudo um pouco para ele, ler, escrever, geografia, história. E quando Atlas foi ficando mais velho, Júlio começou a focar no cultivo e combate.

Assim que terminou de explicar um pouco sobre a situação geral, Júlio colocou a mão dentro de suas vestes e retirou um pergaminho velho e uma pedra celestial de cor vermelha.

― Atlas, esta é a única pedra celestial que foi encontrada na residência Souza, então use-a adequadamente. Neste pergaminho, está registrado uma técnica comum, no entanto, é uma técnica muito forte e tem um significado grande para mim." ― Júlio esticou sua mão passando os itens para Atlas.

Quando Atlas abriu o pergaminho, viu algumas palavras escritas de maneira imponente do topo, 'Garra do Corvo Negro'. Olhando para o seu pai com os olhos brilhando Atlas agradeceu empolgado, afinal, está será a primeira técnica marcial que ele vai aprender.

― Atlas, essa técnica é originária da Academia do Corvo Negro. Essa academia fica localizada na capital real, no entanto, ela é completamente independente. Para ser honesto, ela até mesmo tem alguns conflitos com a família real, mas devido a seu enorme poder, é impossível para a família real fazer qualquer coisa contra eles. ― Com uma pausa, Júlio apertou o ombro do seu filho e comentou olhando fixamente nos olhos de Atlas. ― Eu quero que você entre na academia do Corvo Negro. Eles só aceitam gênios e o processo seletivo muitas vezes leva à morte de vários participantes. No entanto, todos os que são aceitos na academia conseguem chegar ao reino da terra ainda jovens!

Atlas ficou completamente espantado, atingir o reino da terra ainda jovem? Isso era algo insondável para ele, afinal, nem mesmo o antigo controlador da residência Souza, que veio de uma família nobre da capital real estava neste reino de cultivo. A única coisa que Atlas poderia fazer era responder o seu pai e afirmar em seu coração que ele precisa fazer isto.

― Entendi pai, eu vou conseguir entrar na academia do Corvo Negro. ― Respondeu o jovem Atlas da maneira mais determinada possível.

Júlio balançou a cabeça em aprovação e começou a levitar, em alguns segundos ele já estava atravessando por cima do muro da residência em que Atlas estava. Atlas ficou petrificado no lugar e completamente espantado, o seu pai, Júlio Guerra, era na verdade um cultivador marcial no lendário reino da terra. Ele tinha suspeitas de que seu pai era um cultivador, devido a todo o conhecimento que ele possuía sobre o assunto. Entretanto, nem mesmo em seus sonhos mais loucos ele pensou que o seu pai estaria no lendário reino da terra, sendo capaz de voar livremente por todos os lugares que desejar.

Atlas ficou muitas vezes mais determinado do que antes, agora, ele quer a todo custo superar o seu pai e provar que tudo o que o seu pai adotivo fez por ele durante todos esses anos não foi em vão, que ele, Atlas Guerra, é digno de todos os esforços depositados nele.

Atlas escolheu um lugar, sentou-se na posição de lótus, retirou a pedra de energia celestial. Olhando para a pedra celestial, Atlas estava extremamente feliz, ele também sentia seu coração aquecido com as ações do seu pai. Afinal, a pedra celestial é formada da condensação natural de energia, isso significa que não é algo que pode ser facilmente adquirido, até mesmo famílias nobres teriam pouca quantidade de tal item, e seu pai deu a única encontrada em toda residência da família Souza para ele conseguir cultivar com mais facilidade.

Guardando a pedra celestial vermelha e retirando o pergaminho antigo, Atlas ficou abismado com a forma tirânica que a técnica foi demonstrada através do pergaminho. O pergaminho estava dividido em duas partes, a primeira parte contendo as posturas de ataque e de base. À segunda parte, contendo o método de circulação de energia necessário para realizar da melhor forma possível a técnica marcial.

― Vou praticar a técnica marcial primeiro, já que eu só posso praticar a técnica de refinamento corporal durante à noite. ― Pensou Atlas.

Levantando-se, Atlas começou a praticar as posturas da técnica. Movimentos de pés, saltos, golpes, entre outras coisas que estavam demonstradas no pergaminho através de gravuras e textos detalhados. Os textos eram tão detalhados, que indicavam com precisão a forma de contração correta de cada parte do corpo durante uma determinada postura, na mesma sessão do pergaminho, mas em um canto diferente, estava a experiência e sensação sentidas quando se tinha sucesso na execução da técnica.

― Errado! Meus movimentos possuem força, mas ainda falta tirania e dominância gerada pela técnica. Todas as minhas posturas estão corretas, a maneira de circular e manipular energia também está correta, e mesmo assim, ainda falta o mais importante, não consigo sentir a essência de uma verdadeira garra. ― Murmurou Atlas, que já estava praticando por algumas horas e ainda não conseguia emitir a mesma pressão revelada no pergaminho.

Atlas sentou-se fechando os olhos, entrando em profunda contemplação, ele estava tentando visualizar um verdadeiro corvo realizando o ataque. Em sua mente, pouco a pouco ele começou a ficar submerso neste estado. Aos poucos a imagem de um corvo foi se formando em sua mente, este corvo estava realizando os ataques repetidas vezes. De repente, Atlas sentiu uma imponente sensação de pressão na hora em que o corvo realizou o ataque.

Abrindo os olhos, Atlas estava com um leve sorriso no rosto, ele finalmente entendeu. Ele então começou a realizar a postura mais lentamente, seus olhos estavam fixos em um ponto, completamente imperturbável, sua mão, tinha a postura de uma verdadeira garra, seu olhar, estava cada vez mais parecido com o de um caçador que está observando a sua presa. Com um movimento simples, seu corpo disparou, sua mão era completamente irreconhecível com as vezes praticadas antes. Atlas estava mirando em uma parede da residência, e quando sua mão tocou a parede, a mesma foi dilacerada e explodida, enviando pedaços em todas as direções.

Atlas olhou para a sua mão enquanto gargalhava ruidosamente, ele realmente entendeu a essência da técnica. Um verdadeiro corvo não ataca aleatoriamente, é um animal extremamente inteligente, quando um corvo ataca a sua presa, ele vai determinado a colher a sua vida e exterminar a sua presa. O poder do ataque foi tão magnifico que ele não apenas teve o efeito de cortar, como também despedaçou o alvo, se fosse usado em um oponente, com toda certeza seria absurdamente letal.

Mesmo tendo entendido a essência da técnica, Atlas não parou de cultivar a técnica, ele ficou ainda mais empolgado. Estava praticando feito louco, realizando ataques após ataques, logo, toda residência estava destruída. Completamente submerso neste estado, Atlas não percebeu as horas passando, até que foi chamado por seu tio Roberto, que estava com uma tigela em sua mão repleta de comida. Olhando em volta, Atlas percebeu que já era quase noite, ele realmente estava empolgado com a sua primeira técnica marcial.

Assim que terminou de se alimentar, Atlas se despediu do seu tio Roberto, praticamente o expulsando do seu pátio que estava em completa ruína. Ele então sentou-se na posição de lótus, retirou a pedra celestial vermelha, e começou a utilizar a técnica de absorção de energia do luar, juntamente com a pedra celestial, ele começou a absorver as energias e purificar o seu corpo.

No espaço de algumas horas, Atlas tinha absorvido completamente a energia contida na pedra celestial, ele então continuou absorvendo energia do luar, juntamente com a fina energia celestial que permeava o lugar. Logo, estava amanhecendo e ele teve que parar com o seu cultivo, o jovem estava se tornando um aficionado pelo cultivo, tudo era muito novo para ele, muito mágico e magnifico, ele estava determinado a se tornar cada vez mais poderoso.

Durante o curto tempo de uma noite de cultivo, Atlas conseguiu atingir o quinto nível do reino do refinamento corporal. Pode-se notar o quão excelente é sua determinação, resistência e discernimento.

Depois de dormir por 4 horas, Atlas voltou a praticar a técnica da Garra do Corvo Negro. Sua melhoria era chocante, se fosse revelado para as academias que Atlas levou apenas alguns dias para atingir o nível 5 do reino do refinamento corporal, e além disto, conseguiu praticar a técnica da garra do Corvo Negro, com tais melhorias diárias, ficariam todos chocados com este jovem que antes era um simples escravo.

E assim, três dias se passaram. Atlas cultivava sem parar, com uma rotina extremamente rígida, ele apenas parava para se alimentar e dormia por 4 horas diárias.

No entanto, sem pedras celestiais como suporte para o cultivo, usando apenas a energia celestial que estava no ambiente, Atlas se viu com um progresso muito mais lento, tendo em vista que as pedras celestiais possuem grandes quantidades de energias, elas proporcionam uma evolução muito mais rápida. Assim, ele logo percebeu que o caminho do cultivo seria extremamente árduo, e precisaria de quantidades de recursos adequados para se ter uma evolução constante.

Por Jhinn | 19/07/18 às 22:59 | Ação, Aventura, Fantasia, Elementos de Cultivo, Romance, Maduro, Guerra, Cultivo