CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 16 - Labirinto do Rei

Corvo Negro (CN)

Capítulo 16 - Labirinto do Rei

Autor: Keven Alves

Esperando por alguns momentos, para que os jovens pudessem digerir as informações, o Vice-Diretor Almeida sinalizou para Gabriel que estava observando ao lado.

― Gabriel, explique tudo o que for necessário para eles. Cuide dos seus irmãos juniores e guie-os para o Labirinto do Rei. ― Comandou o Vice-Diretor tranquilamente.

Ouvindo essas palavras, os jovens começaram a prestar ainda mais atenção, o Labirinto do Rei é famoso em toda a capital real, no caminho do cultivo, oportunidades eram de extrema importância. Pessoas sem recurso e técnicas adequadas, precisariam de cem vezes mais esforço do que outros com acesso a recursos.

Ouvindo o comando, Gabriel começou a explicar. ― A partir de agora, vocês terão acesso ao famoso labirinto do rei. Neste labirinto, há uma infinidade de oportunidades para que vocês consigam avanços em seu cultivo, existem frutas raras, flores, entre outras coisas. No entanto, não existe banquete grátis, na floresta também existe uma infinidade de bestas demoníacas, seus níveis variam do reino do refinamento corporal nível 1 até o nível 9. Para aqueles que matarem as bestas demoníacas que cruzarem seus caminhos, poderão retirar seu núcleo e trocar por créditos estudantis, esses créditos serão de extrema importância para a sua vida na academia já que para usar os recursos da academia, serão necessários ter créditos suficientes, logo, é bom que aproveitem está oportunidade adequadamente. ― Comentou Gabriel de forma alta o suficiente para se certificar que todos tenham entendido.

Com uma pausa ele continuou. ― O labirinto do rei é misterioso e apenas aqueles que estão no reino do refinamento corporal podem entrar, logo, haverá um certo equilíbrio na competição pelas oportunidades. Claro, isso levando em conta que vocês enfrentariam apenas bestas demoníacas, lembrem-se que a partir de agora vocês são Corvos Negros, e aqueles estudantes da academia real, não mostrarão piedade, por tanto, aqui está a primeira ordem de vocês, matem todos da academia militar e da academia real que cruzarem os seus caminhos.

Ouvindo essas palavras, muitos jovens estavam apertando fortemente os punhos, alguns tinham o sangue fervendo, para eles, se tornarem Corvos Negros era a maior honra de suas vidas, e agora, realizar a sua primeira missão em nome da academia era algo que nem poderiam sonhar.

Atlas e alguns outros poucos discípulos, estavam analisando de forma diferente a ordem, afinal, matar todos que cruzarem os seus caminhos, era claramente uma declaração de guerra contra o rei deste país. Parece que Gustavo Veloso não tinha dito todas as informações para Atlas, afinal, isto é claramente uma guerra silenciosa entre as academias e não uma simples alfinetada como ele tinha dito.

Vendo as diferentes reações dos recém aceitos, Gabriel continuou explicando. ― O labirinto do rei existia antes mesmo da fundação da capital real, na verdade, muitos dizem que a capital foi fundada nesta área para aproveitar as oportunidades do labirinto. Todos os poderes da capital real, vão enviar os seus discípulos recém aceitos para o labirinto. Vocês devem permanecer lá por 30 dias, qualquer um que sair antes do prazo, será considerado como tendo desistido, e serão expulsos da academia Corvo Negro. Para aqueles que resolverem ficar ainda mais do que um mês, só poderão permanecer por um total de 3 meses, qualquer um que ficar por mais tempo, será executado quando sair pelas tropas do Rei, isto acontece, para que os recursos sejam mantidos sempre em equilíbrio. Além disto, essa é a única vez em que poderão entrar naquele lugar, então, aproveitem bem!

― Certo, sigam me, levarei vocês até lá. ― Comentou o mesmo que já foi seguindo em frente sem esperar.

Seguindo Gabriel, não demorou muito até que todos tivessem chegado de frente para um gigantesco, lindo e magnifico labirinto completamente verde. Olhando ao redor, perceberam que havia milhares de jovens neste local, todos com as mais diversas expressões.

― Atenção! ― Gritou um homem que estava vestido com uma armadura prata com um grande Sol dourado estampado no peito. ― Eu sou o comandante Sul, e serei responsável por proteger este lugar até o final do exame.

Ouvindo as palavras 'comandante sul', Atlas apertou tão forte os seus punhos que sons crepitantes foram audíveis. Seus olhos estavam ficando sem brilho e a única coisa em sua visão era o homem que estava na frente dele falando como se fosse o rei deste mundo.

"Pim" - Um som agudo soou dentro da cabeça de Atlas, o que fez com que ele fechasse os olhos. Virando a cabeça Atlas viu um jovem magro, com os olhos fundos e uma aparência doentia ao seu lado, o jovem estava olhando para ele e sorrindo.

― Quer alguma coisa? ― Perguntou Altas claramente nervoso.

― Olá, eu sou Jozu Nagi. Primo de Lucas Nagi que estava andando com você e Gustavo antes. ― Com uma expressão de orgulho ele continuou. ― Além disto, eu sou o outro além de você que revelou um espírito marcial de Rank Ouro.

― O que isso tem a ver comigo? ― Continuou Atlas que não estava nem um pouco calmo, aquele estalar penetrou em sua mente como se fosse uma espada gerando uma dor assustadora.

― Bom, vamos ser amigos é claro. Além disto, eu sou um gênio de nível demoníaco. ― Falou o jovem sem o mínimo de vergonha ao se gabar.

― Não estou interessado. ― Atlas que já estava se virando, parou ao ouvir a próxima frase do jovem.

― Você acha que o comandante sul não perceberia a sua intenção de matar?

Atlas finalmente voltou a si do que estava acontecendo, olhando para o jovem ele perguntou. ― Você quer um agradecimento?

― Na verdade, basta você me apresentar para aquela linda atendente que anda com você. ― Disse ele com um sorriso radiante.

Atlas que estava pensando em agradecer por antes, quase deu um soco nesse promiscuo, claramente ele estava apenas interessado em se aproximar dele para ter uma ponte com Juliana.

― A propósito, pode me chamar de Palito. Todos me chamam por este apelido mesmo.

Atlas olhou para o mesmo e não respondeu, se virando ele continuou a ouvir o comandante sul.

― Existe apenas uma entrada e saída neste labirinto. Assim que vocês entrarem serão dispersados aleatoriamente, nem mesmo o rei tem como mudar este fato, por tanto, a dica que eu dou para vocês é, aproveitem este primeiro mês para se beneficiar ao máximo dos recursos do labirinto e os outros dois meses restantes para encontrar a saída. ― Movendo a mão para cima um enorme barulho soou quando a entrada para o labirinto apareceu diante de todos. ― Aproveitem! ― Gritou alto o comandante sul.

No entanto, após o alto grito, apenas alguns poucos avançaram. A maioria estava olhando para uma determinada direção. Lá estava um enorme pássaro de cor vermelha, este pássaro, era na verdade uma besta demoníaca. No topo do pássaro estava uma linda mulher de cabelos vermelhos, um corpo escultural, com uma pele branca e sedosa, olhos claros, e um leve batom cor rosa claro. Como se apenas a sua aparência não fosse o suficiente para chamar atenção, a sua roupa fazia com que à imaginação de todos corressem solta. Ela usava um colar vermelho ao redor do pescoço, uma blusa curta que delineava perfeitamente a sua curva superior e ainda rebelava uma parte de sua barriga que era definida e sexy, na parte inferior ela usava uma longa saia vermelha que ia até os seus delicados pés.

Atrás desta mulher, na verdade havia outras duas belezas raras, uma de cada lado, fazendo a sua devida proteção. E o que mais chamava atenção nestas duas beldades, era que elas eram absolutamente iguais, tudo o que diferenciava elas, era sua vestimenta, já que uma estava vestida com uma leve armadura de cor amarela, enquanto a outra estava usando branco.

― Olhem, a lady Milena D'Ávila veio pessoalmente.

― Verdade, e pensar que a mulher mais linda de todo o país do Sol, viria pessoalmente trazer suas novas discípulas da Torre de Alquimia.

― Ela faz jus a sua reputação, que mulher hipnotizante.

― Deslumbrante não? ― Perguntou Palito olhando para Atlas.

― Realmente... Parece as fadas dos contos do meu tio. ― Disse Atlas enquanto olhava para Milena.

― Tudo o que eu queria era uma noite com ela, depois eu morreria feliz... ― Comentou Palito com o seu olhar fixo na figura de Milena. ― Eu também morreria feliz com essas gêmeas, misericórdia!

― Você não deveria ter uma determinação mais forte sendo um cultivador? ― Perguntou Altas, enquanto olhava esse sujeito sem vergonha.

― Pra que se esforçar tanto no caminho do cultivo, matar, caçar, persistir e treinar por anos se não aproveitar os prazeres que este mundo tem para oferecer? ― Perguntou Palito enquanto parecia hipnotizado olhando para Milena.

― Você a conhece? ― Perguntou Atlas curioso.

― Como eu poderia conhecer uma beleza deste nível. ― Com um olhar de lamento ele continuou. ― Além disto, qual o status social que ela tem? Ela é a líder da Torre de Alquimia. Nem mesmo o meu pai, líder da família Nagi e da Casa de Armas teria um status equivalente ao dela e muito menos eu.

Com um sorriso enquanto apontava para uma direção ele comentou. ― No entanto, não há necessidade de ficar triste por isso. Na capital real, belezas e gênios são tão comuns quanto nuvens. Olhe, aquela é Valentina do Palácio Azul, eles não abrem recrutamentos como os outros poderes e só aceitam mulheres, tirando nós dois, em todo este lote de novos discípulos ela é a única que conseguiu revelar um espírito marcial de Rank Ouro. Além disto, ela é uma beleza quente, e para melhorar tudo, ela faz parte do Palácio Azul.

― O que tem o Palácio Azul de tão diferente? ― Questionou Atlas que ficou curioso com a forma com que Palito comentou deste poder da capital.

No entanto, antes que pudesse ouvir a explicação de Palito, um grito ensurdecedor quebrou a linha de pensamento de todos. ― O tempo já está passando!

Ouvindo o grito, os jovens avançaram como lobos famintos atravessando o portão e desaparecendo da vista de todos.

Quando Atlas entrou, ele se sentiu extremamente tonto, olhando ao redor ele tentou se orientar, mas continuou se sentindo mal por aproximadamente 10 minutos antes de conseguir voltar ao normal.

Se firmando, ele percebeu que, mesmo que seja dito que este lugar é um labirinto, era tão largo que não dava essa impressão para quem estava dentro. A vegetação era densa como uma floresta, havia muitas arvores, e alguns animais normais. Olhando com mais cuidado, ele percebeu que havia uma arvore com frutos que exalavam um sentimento misterioso. Caminhando até eles, ele pegou um fruto e provou, assim que o fruto entrou em sua boca, ele sentiu uma forte corrente de energia celestial avançar por todos os seus meridianos. Agora ele entende o motivo de fazerem tanto alarde pela oportunidade de entrar neste lugar, com esses tipos de frutos para se alimentar e tempo para cultivar, a velocidade de progresso seria aumentada várias vezes, e tudo o que um cultivador marcial mais deseja é aumentar o seu poder o mais rápido possível, logo, este labirinto do rei é um tesouro inestimável.

Por Keven Alves | 23/07/18 às 16:24 | Ação, Aventura, Fantasia, Elementos de Cultivo, Romance, Maduro, Guerra, Cultivo