CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 19 - Pássaros de uma pena

Corvo Negro (CN)

Capítulo 19 - Pássaros de uma pena

Autor: Keven Alves

Percebendo que mesmo tendo notado Atlas e seus amigos, eles ainda acabaram em tal estado, o líder do grupo gritou em fúria.

― Malditos! Eu quero vocês mortos!

― Ricardo? ― Perguntou Palito com um olhar assustado.

― Palito! Nem pense em escapar ileso depois disto! ― Gritou Ricardo apontando para Palito.

― Arthur mandou vocês? ― Perguntou Atlas.

― Arthur? Você acha mesmo que só os príncipes querem a sua cabeça? ― Comentou sarcasticamente Ricardo. ― Deixe-me te dizer então, sua cabeça na capital, vale mais do que ouro!

― Atlas, ele é de uma das famílias de mais alto nível na capital real, se até ele está atrás de você, então, sua cabeça realmente está valendo um bom prêmio. Provavelmente, sua morte deve dar algum tipo de status para eles. ― Comentou Palito em voz baixa para informar Atlas.

― Palito, se tornando amigo de um escravo! Realmente a sua família Nagi entrou em decadência. ― Resmungou friamente Ricardo.

― A família Nagi sempre foi e sempre será uma das mais poderosas da capital real. Não estarem no mesmo 'bolo' sujo que a sua família só prova que são ainda melhores. ― Respondeu Rebeca enquanto olhava friamente para Ricardo.

― Rebeca Alves... Membro da eterna família de lacaios da família Nagi.

Assim que ouviu o insulto, Rebeca puxou seu arco e disparou uma sequência de flechas. Os tiros eram intermitentes sempre atrapalhando a rota de posicionamento dos inimigos. Aproveitando a oportunidade, Atlas disparou na direção deles, mas desta vez, visando o cultivador que estava no nono nível do reino do refinamento corporal.

Após algumas trocas de golpes, Atlas conseguiu se aproximar e utilizando a técnica Garra do Corvo Negro ele dilacerou o pescoço do oponente.

Vendo mais um de seus subordinados perecer, Ricardo estava quase indo a loucura, mas não importa o quão bravo ele estivesse, era inútil, já que ele não conseguia se livrar da barragem de flechas.

Aproveitando que Ricardo estava sob pressão, Atlas disparou para bloquear ainda mais os seus movimentos.

― Direita ― Gritou Rebeca.

Wish, Wish. Os disparos de flechas eram intermináveis e através do espírito marcial dela, ela é capaz de sentir até as menores mudanças no campo de batalha, facilitando para ela coordenar perfeitamente com Altas.

Palito que está no nono nível do reino do refinamento corporal, estava conseguindo manter a troca com o outro inimigo que está no primeiro nível do reino da energia.

Vendo essa cena, Atlas não pode deixar de meditar silenciosamente. Na academia dos Corvos Negros, gênios eram realmente comuns.

Todo golpe que Ricardo tentava realizar era imediatamente neutralizado por Atlas, enquanto Rebeca impedia e afetava a movimentação de Ricardo para que Atlas ganhasse ainda mais vantagem. Às vezes, Rebeca realizava vários disparos no inimigo de Palito, o que fazia com que Palito conseguisse causar vários ferimentos no seu oponente.

― Maldito, como você sempre sabe onde eu vou atacar? ― Gritou Ricardo enquanto disparava vários ataques visando Atlas.

― Você já viu algo que um espelho não seja capaz de espelhar? ― Perguntou Atlas enquanto defendia todos os ataques de Ricardo. Em seus olhos, dois espelhos estavam girando em alta velocidade, enquanto permitia Atlas ver tudo com a maior perfeição do mundo.

Em um momento de descuido do inimigo, outra armadilha foi acionada e um galho disparou contra o oponente de Palito.

Palito, sagazmente abandonou o seu oponente e avançou em direção a Ricardo. Vendo isto, Ricardo disparou os seus mais poderosos ataques na tentativa de abrir um caminho, no entanto, tudo foi em vão sob a chuva interminável de flechas. Enquanto ele tentava desviar, Atlas cravou sua espada no peito dele, enquanto Palito cravou a sua nas costas.

Olhando-o nos olhos, Atlas comentou sarcasticamente. ― O que foi? Você não estava falando tanto antes, o gato comeu a sua língua?

Ricardo tentou dizer alguma coisa, mas toda vez que abria a boca, a única coisa que saia era grandes quantidades de sangue e nada mais. Após alguns segundos abrindo e fechando a boca, ele começou a cair lentamente até bater no chão completamente sem vida.

O companheiro de Ricardo, vendo a situação em que estava, se virou e partiu em alta velocidade. Ninguém se incomodou em persegui-lo, eles já tinham conseguido abater três deles e um estava no reino da energia, sem contar que o fugitivo era mais rápido do que eles, nada de bom poderia resultar de uma perseguição.

E assim, em apenas alguns momentos, uma batalha intensa foi completamente resolvida.

Tump. Enquanto Atlas e Palito estavam trocando um sorriso completamente felizes com a vitória, ouviram um som alto soar atrás deles. Virando-se, eles viram Rebeca caída no chão, completamente mole e sem cor.

― Rebeca! ― Gritou os dois em uníssono, enquanto avançavam para socorre-la. Contido em seus olhos estava extrema preocupação.

Conforme Palito se ajoelhou e apoiou a parte superior dela em suas pernas, Rebeca esticou a mão lentamente e a colocou no rosto dele.

― Se eu soubesse que tudo acabaria agora, teria sido mais selvagem... ― Com um olhar triste ela continuou. ― Eu ainda sou tão pura quanto uma lótus branca... Adeus meu amado, venha, sugue meus lábios em um doce beijo de despedida.

― Sai fora! ― Gritou Palito enquanto se levantava. ― Tudo o que você fez foi usar energia demais, não tem nada de último momento nisto, você não vai morrer.

― Eu sabia que você estava preocupado comigo, venha me esquentar em um delicioso abraço.

Atlas que estava ao lado não pode evitar de balançar a cabeça. Nunca em toda a sua vida um ditado fez tanto sentido quanto hoje. 'Pássaros de uma pena se reúnem'. Estes dois são realmente um par feito pelos céus.

Após este confronto, o trio se escondeu em uma caverna próxima e passou o restante do tempo caçando besta demoníacas e frutas com grandes quantidades de energias.

Em pouco tempo eles tinham esquecidos completamente a quantidade de núcleos que tinham conseguidos, afinal, eles estavam caçando feito loucos. E isto tinha dois motivos, o primeiro, era conseguir o máximo de pontos para trocar por técnicas na academia do Corvo Negro, afinal, até agora Atlas só aprendeu uma técnica. O segundo motivo, é para se temperar através de combates de vida ou morte com as bestas demoníacas.

Como as bestas demoníacas possuem características únicas, muitas vezes o trio se limitava a batalhar sem utilizar todo o seu poder para se tornarem cada vez mais poderosos e começarem a suprir suas dificuldades através de lutas repetitivas.

Neste momento, quase um mês já havia se passado desde que o grupo de novos cultivadores entrou no labirinto do rei, durante este tempo, muitos enfrentaram situações inesperadas de vida ou morte, muitos se fortaleceram a cada combate e muitos também caíram em combate.

Atlas estava dentro de uma caverna, utilizando sua técnica da Lua Perfurante ao máximo, na tentativa de romper para o nono nível do reino do refinamento corporal, em suas mãos estava uma flor branca que irradiava uma sensação de santidade, além disto, a flor possuía o formato de uma lua minguante.

O trio passou muitos dias batalhando contra uma besta demoníaca do tipo águia para conseguir roubar essa flor para Altas. Neste momento, ele está dando tudo de si para absorver o mais rápido possível.

A cada segundo que passava, grandes quantidades de energia do luar caia sobre ele, sem contar na flor, que estava sendo absorvida com uma velocidade visível a olho nu, toda vez que essa grande quantidade de energia do luar caia sobre Atlas, sons crepitantes soavam de dentro do seu corpo, sua pele se tornava incrivelmente refinada, gerando um aspecto de beleza e pureza, bem como de força e resistência.

O caminho do cultivo é um no qual não só permite que a pessoa aumente seu poder a cada avanço, como também a sua beleza, após passar por sequencias de refinação e 'banhos' de energia celestial, o corpo humano é levado ao limite, com cada avanço no caminho do cultivo marcial os humanos estão à mais um passo da divindade.

Após horas de um processo doloroso, Atlas estava se esticando com um enorme sorriso no rosto.

― Sucesso! ― Comemorou o mesmo saindo da caverna.

― Viva! Agora nós três estamos no nível final do reino do refinamento corporal. ― Gritou Rebeca empolgada.

― Haha, agora está na hora de avançarmos para o centro deste labirinto! ― Comentou Palito.

― Vamos lá.

Os três que estavam a vários dias na mesma rotina repetitiva, estavam agora partindo em direção ao centro do labirinto, seu objetivo?

Caçar... Suas presas? Estudantes da academia Real.

Por Keven Alves | 25/07/18 às 17:26 | Ação, Aventura, Fantasia, Elementos de Cultivo, Romance, Maduro, Guerra, Cultivo