CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 38 - Domadores de Besta

Corvo Negro (CN)

Capítulo 38 - Domadores de Besta

Autor: Keven Alves

Ao notar a mulher que estava sendo carregada por Rebeca, Atlas ficou secretamente surpreso.

Ela era diferente das mulheres que ele viu na capital, sua pele era morena, seus cabelos lisos até a cintura e completamente negros, seus olhos castanhos brilhavam com uma espécie de luz pura. Suas roupas eram brancas e com muita pelagem, além disto, ela tinha várias tatuagens por todo seu corpo.

‘Realmente Linda’ - Murmurou Atlas em seu coração. Este tipo de beleza, é diferente das encontradas por ele até agora.

No entanto, ele sentiu um certo desconforto, provavelmente essa mulher é do mesmo poder do homem que estava enfrentando a cobra de duas cabeças com as pessoas da academia real. Mas depois de pensar um pouco, Atlas se decidiu.

Pois apesar de ter sentido um certo desconforto em pensar que ela poderia ser do mesmo poder que aquele homem, ele notou um certo nível de pureza no olhar da mulher e acreditou ser uma ótima oportunidade.

Olhando para Rebeca, ele comandou. ― Leve-a para a caverna. ― Virando-se para a besta demoníaca, ele comentou com um olhar pesado. ― Vamos tentar espantar essa besta, ou atraí-la para longe daqui.

― Espere! ― Afirmou a mulher. ― Eu posso usar uma técnica que vai acalma-lo, mas preciso chegar perto.

Com um olhar estranho Atlas questionou-a. ― Como pretende fazer isso enquanto duas bestas demoníacas se enfrentam?

― O lobo é meu! ― Afirmo ela, que imediatamente emitiu um longo assobio.

Fiiii – Ouvindo o assobio, o lobo saltou de cima do elefante demoníaco enquanto entrava novamente na floresta para esquivar dos ataques enfurecidos do elefante demoníaco.

Com um pouco de receio Atlas comentou. ― Lizzy, fique aqui com ela.

― Mestre...

― Sem reclamar! ― Afirmou Atlas. ― Rebeca, nos de apoio de longe.

― Certo! ― Afirmou Rebeca, enquanto via Atlas e Palito avançar com toda velocidade.

― Olhos de cristal. ― Murmurou Atlas.

Pulando em direção a besta, Atlas usou a foice silenciosa para se chocar de frente com os chifres do elefante demoníaco.

Trumble. - O impacto foi tão forte que Atlas rolou por uma distância enquanto tentava se firmar novamente.

Wish; Wish; Wish...

Uma ‘chuva’ de flechas foi dirigida para os olhos do elefante, mas o mesmo usou sua enorme tromba para se defender das flechas enquanto avançava para atacar Atlas.

― Passos relâmpago ― Palito se moveu em velocidade alarmante. Em seus pés, pequenos relâmpagos eram visíveis a olho nu enquanto ele disparava deixando uma marca de queimado pelo chão.

Quando chegou ao lado do elefante demoníaco, Palito apertou a espada com tanta força que suas veias saltaram para fora. ― Espada Relâmpago!

Xiii; Tim; – Um barulho alto como se fosse ferro colidindo com ferro soou.

Olhando atentamente para o local onde atacou, Palito só viu uma pequena ferida superficial. Espantado, ele exclamou em descrença. ― Quão resistente ele pode ser...

O elefante não perdeu tempo e moveu sua tromba em uma velocidade assustadora enquanto suas patas afundavam levemente no chão devido à pressão emitida pelo peso.

― Foice silenciosa!

 Boom! - Atlas novamente bloqueou o ataque do elefante enquanto rolava pelo chão devido ao impacto.

― Sua habilidade inata é interessante! ― Gritou Atlas para Palito. ― Seu espírito marcial é um relampago?

― Haha! Espere até eu aprender mais sobre ela! ― Palito estava rindo de felicidade ao ser elogiado por Atlas.

Roowr – Com grande rugido o lobo saltou novamente, mas desta vez ele cravou suas garras na lateral da grande cabeça do elefante.

Enquanto o lobo se prendia ao elefante, sua cauda disparou com uma força extrema enquanto emitia um zumbido devido a velocidade.

Tiiim! - Apenas do enorme impacto o ferrão da cauda não conseguiu ultrapassar a resistência da ‘armadura’ natural do elefante demoníaco. A mulher que já havia montado no lobo, esticou sua mão enquanto a mesma estava envolvida com uma enorme quantidade de energia azul que brilhava intensamente.

Quando a palma dela se chocou entre as sobrancelhas do elefante demoníaco, a mesma mostrou um olhar um pouco mais claro, como se tivesse perdido parte de sua fúria.

Vendo isto, ela sinalizou para lobo que se soltou do elefante e correu para longe.

― Recuem! ― Berrou, ao sinalizando para Atlas e o restante.

Logo, todos estavam seguindo-a. Já o elefante berrava enfurecido.

Booom! Booom! Boom!

Fuummm! - O elefante demoníaco berrou ensandecido ao causar grande destruição no local onde estava.

Depois de alguns momentos, a fúria da besta demoníaca diminuiu bastante e ele partiu enquanto uivava de raiva e frustração.

Depois que o elefante demoníaco partiu, o grupo retornou para a caverna, mas desta vez, havia uma visitante bem como uma besta demoníaca.

Ao chegar na caverna a mulher começou a falar. ― Obrigada pela ajuda! ― Com um olhar de pesar, ela continuou. ― Se não fosse por vocês, eu e meu amigo teríamos morridos. ― Comentou ao alisar a cabeça do lobo.

― Quem é você e por que a besta estava tão enfurecida? ― Atlas não estava confortável, ele não costuma ter contato tão próximo com as pessoas que não conhece. Se ele avaliar a pessoa como um amigo, ele tratará com calor e honestidade, mas se ele julgar algo suspeito, ele prefere se afastar, mesmo que acabe perdendo uma grande amizade.

Ele sempre foi uma pessoa direta e, para pessoas como o monge de antes, onde ele não consegue identificar a verdadeira personalidade ele prefere não se envolver.

― Meu nome é Malia. ― Afirmou a jovem. ― Eu sou uma domadora de besta!

Olhando para eles, ela continuou. ― A besta tinha um filhote... Meu grupo queria captura-lo para criar, mas aconteceu um imprevisto.

― Que tipo de imprevisto? ― Palito também estava curioso. Sem contar no fato em estar se contendo para não pular em tal beldade. ‘Essa mulher exótica só pode ser parte de alguma tribo!’ - Os pensamentos de Palito estavam correndo solto.

― O filhote estava machucado, então não conseguimos move-lo. ― Com um olhar estranho ela continuou. ― O pior, foi que a besta adulta pensou que nós o tivéssemos ferido e atacou de forma furiosa e brutal.

Com lágrimas escorrendo por seus olhos, ela murmurou. ― Perdi três amigos...

― Descanse um pouco. ― Disse Rebeca. ― Vou preparar alguma comida.

Algumas horas depois, o grupo veio até Malia novamente.

― Você poderia falar um pouco sobre domar bestas? ― Perguntou Atlas.

Com um olhar complicado, Malia falou em voz baixa. ― Só se vocês prometerem não compartilhar a informação. ― Depois de uma pausa, ela continuou. ― Ninguém estaria disposto a compartilhar seus métodos, mas vocês salvaram minha vida.

― Entendo. ― Afirmou Atlas. ― Desculpa pedir isto, mas eu sou muito curioso a este respeito.

― Tudo bem. ― Afirmando, ela revelou um leve sorriso e continuou. ― Eu faço parte da Montanha Verde, um grande poder especializado em domar bestas demoníacas. Lá eu aprendi um método, não sei se existe outras formas.

― Montanha verde?! ― Exclamou Atlas. ― Fora do país do Sol?

Com um olhar estranho, Malia explicou. ― Fora dos 4 países.

Olhando para eles, ela continuou. ― Para você domar uma besta demoníaca, você precisa de uma gota da sua essência de sangue. Depois que a besta engolir a gota, você vai guiar a energia dentro dela, para estabelecer um contrato com a besta.

― Tão simples... ― Murmurou Atlas.

― Simples? ― Questionou ela, enquanto continuava. ― Não é simples. Essência de sangue não é o seu sangue normal, é preciso de todo um processo para condensar uma gota. Além disto, o contrato só é estabelecido com a besta demoníaca se ela aceitar vincular a energia dela com a sua que estava contida na gota de essência de sangue.

― Tão difícil? ― Perguntou Rebeca.

― Sim, por isso, muitos preferem pegar filhotes e cria-los. Assim no futuro a besta vai estar mais disposta a se vincular com um humano. ― Olhando para o seu lobo, ela afirmou. ― As bestas demoníacas são muito orgulhosas, elas não querem se submeter a outras pessoas, mas no momento em que fazem um contrato com você, vai defende-lo mesmo que precise dar sua vida para isto!

Ouvindo essas palavras, todos apertaram fortemente o punho. As bestas demoníacas são mesmo leais, Atlas admira a lealdade e a amizade acima de tudo. Ouvindo essas palavras ele ficou ainda mais determinado a conseguir uma besta demoníaca.

Com dúvidas, ele perguntou. ― Mas por que existiam tantas pessoas com bestas demoníacas na cidade?

Com um olhar de raiva, Malia afirmou. ― Isso não é domar! ― Seu tom claramente tinha traços de desgosto e raiva.

― É um processo sujo no qual alguns cultivadores pegam uma determinada besta demoníaca e a espanca repetidas vezes, até que a besta demoníaca não tenha mais coragem para revidar ou se rebelar.

― Tão cruel... ― Murmurou Rebeca.

― Isso parece com escravidão... ― Sussurrou Atlas.

― É exatamente isto. ― Afirmou Malia. ― Escravidão!

― As bestas demoníacas que estão abaixo do nível da terra agem por instinto, mas após avançarem para o nível da terra elas começam a ficar cada vez mais inteligente. ― Explicou ela. ― Conforme vão avançando no cultivo chega um momento em que podem até mesmo falar a linguagem humana.

― Incrível. ― Atlas tinha seus olhos brilhando, ele realmente quer domar uma besta demoníaca. Mas ao mesmo tempo ele pensava em Lizzy, poderia ela...

― Você sabe como as bestas cultivam? ― Perguntou Palito.

― As bestas não precisam cultivar... ― Afirmou Malia. ― Tudo nelas é decido no seu nascimento, ou seja, depende da linhagem. Quanto mais pura a linhagem, mais poderosa ela vai se tornar...

― Não é por menos que os cultivadores possuam total vantagem sobre elas. ― Comentou Rebeca.

― Isso é verdade. ― Concordou Malia. ― No entanto, existe duas maneiras delas superarem suas linhagens. Que são, devorando núcleos demoníacos de bestas mais poderosas do que elas, ou recebendo essência de sangue de um cultivador.

― Então, ao estabelecer o contrato com a besta demoníaca, ela também se beneficia...

― Exatamente, se não por qual motivo uma besta demoníaca que já consegue falar e pensar como um humano estaria disposta a se tornar montaria de alguém? ― Malia perguntou enquanto olhava interrogativamente para eles.

― Então é assim... ― Murmurou Atlas. Ele estava surpreso e empolgado com todas essas novas informações.

― Mas como fazer a besta demoníaca aceitar o contrato? ― Perguntou Atlas. ― Toda vez que eu derrotei uma besta demoníaca, ela preferiu morrer ao se submeter...

― Como eu disse antes, eles são orgulhosos. ― Comentou Malia. ― Cada domador de besta tem seu próprio método de ganhar a confiança para estabelecer um contrato.

― E aquela técnica que você usou para acalmar a besta demoníaca? ― Perguntou Rebeca.

― É uma habilidade marcial do poder ao qual eu pertenço... ― Comentou Malia. ― Eu posso ensinar o método para condensar essência de sangue, mas não posso passar minha técnica marcial.

― Entendo. ― Falou Atlas ao assentir. ― Já ficarei muito grato se você me ensinar a condensar a essência de sangue!

Atlas estava fervendo, ele finalmente descobriu algo sobre essa espécie... Agora ele está ainda mais determinado a conseguir uma besta demoníaca!

Por Keven Alves | 20/08/18 às 19:40 | Ação, Aventura, Fantasia, Elementos de Cultivo, Romance, Maduro, Guerra, Cultivo