CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 41 - Domando uma besta demoníaca

Corvo Negro (CN)

Capítulo 41 - Domando uma besta demoníaca

Autor: Keven Alves

Olhando para Lizzy naquela forma, Atlas murmurou baixinho. ― Lizzy?

Lizzy que estava com uma aparência feroz, olhou para ele e sorriu docemente. ― Mestre!

Soltando um suspiro de alivio, Atlas sorriu para ela.

Parece que essa pequena ainda é a doce e alegre Elizabeth de sempre.

― Lizzy o que é isso? ― Perguntou Atlas ao apontar para o cabelo de serpente dela.

― Não sei! ― Respondeu ela com um olhar de dúvida. ― Parece que algo ‘acordou’ dentro de mim...

Depois de comentar isso, ela revelou uma expressão de tristeza. Vendo essa expressão o coração de Atlas pulou uma batida.

Assustado, a mente dele pensou em inúmeras possibilidades para aquela expressão. ‘O que houve?’ ‘Tem efeitos colaterais?’ ‘Por que ela está tão triste?’

― Eu sou mesmo uma besta demoníaca... ― Murmurou.

Ouvindo isso, Atlas revelou um largo sorriso. ― Menina boba, você ainda é a doce e pequena Lizzy. ― Comentou ao se aproximar e esticar a mão para acariciar os cabelos de serpente. ― Ainda é Elizabeth, à pequena e linda princesa.

Todas as pequenas serpentes revelaram uma expressão de felicidade ao se enrolar na mão de Atlas, que as alisava carinhosamente. Algumas serpentes emitiam baixos grunhidos ao se moverem carinhosamente entre os dedos dele.

Olhando para as bestas demoníacas que estavam prostradas no chão, Atlas comentou. ― Vamos recuar enquanto podemos.

Apesar de estar levemente aliviado, ele ainda não abaixou sua guarda. Afinal, ele não sabe quando essas bestas demoníacas voltarão a se tornar agressivas, ou se os cabelos de Lizzy vão voltar ao estado anterior ou não.

― Não precisa. ― Afirmou Lizzy. ― O mestre não queria uma besta demoníaca?

Ouvindo a voz de Lizzy o pequeno macaco dourado estava se preparando para pular das costas do gigantesco macaco branco. Mas antes que ele pudesse faze-lo, foi agarrado.

UA? - Com um grunhido baixo, ele revelou uma expressão de dúvida.

Esticando a mão, o grande macaco ofereceu-o para Lizzy, que esticou a mão e agarrou a pequena besta dourada pelo rabo.

UAUAUA! - O pequeno macaco dourado gritou como se estivesse reclamando com a grande besta demoníaca por traí-lo.

Depois de pega-lo, Lizzy olhou para o grande macaco demoníaco e ordenou. ― Curve-se para o mestre.

Olhando para Atlas, o grande macaco revelou uma expressão de ciúmes e inveja, como se Atlas fosse a pessoa mais sortuda do mundo.

― Submeta-se! ― Comandou Lizzy.

O grande macaco tinha uma expressão difícil em seu rosto, ele esperava se submeter a ‘rainha’ e não para o ‘subordinado’ dela. Mas quando viu o olhar severo de Lizzy, ele deu um baixo grunhido e abriu a boca, resolvendo se submeter à Atlas.

Ao ver essa cena, todos no grupo ficaram os olhos brilhantes. Principalmente Atlas que sempre quis domar uma besta demoníaca, além disto, esse macaco é muito poderoso, imponente e arrogante.

Mas agora, está no chão como um dócil gatinho esperando por seu dono.

Esticando a mão, a gota de essência de sangue apareceu na palma da mão de Atlas. Virando-a, ela caiu diretamente na enorme boca da besta demoníaca.

No momento em que a gota começou a percorrer o corpo da besta demoníaca, Atlas sentiu que seu sentido que estava condensado na pequena gota, começou a se ligar com besta demoníaca como se fossem se tornar uma única entidade.

Toda a informação da besta demoníaca estava se fundindo e se modificando ao se juntar com a essência de sangue. Atlas estava extremamente feliz, ele começou a sentir que uma ligação estava se estabelecendo entre ele e a besta demoníaca e, estava se fortalecendo a cada segundo que se passava.

A besta emitiu um baixo grunhido alegre, como se estivesse feliz e contente com o contrato realizado com Atlas.

Boom! - Tudo aconteceu muito rápido, em um momento a besta estava grunhindo de felicidade e no outro, ela havia caído de costas no chão.

Todo o corpo da besta demoníaca estava tremendo enquanto ela revelava uma expressão de extrema dor. Logo, as veias da besta ficaram amostra enquanto revelavam uma aparência negra, até mesmo as veias dos olhos da besta demoníaca revelaram aspectos enegrecidos.

Depois de alguns momentos a besta parou de se debater, completamente sem vida. Sua aparência era lamentável, como se tivesse se submetido a um veneno mortal.

Com um olhar pesado e o cenho franzido, Atlas revelou uma expressão de dúvida. ― Será que fiz o processo de condensação da essência de sangue de forma errada?

― Venha! ― Ordenou Lizzy apontando para outra besta demoníaca. Ela não estava nem um pouco feliz, essa besta inútil não serve nem para engolir uma gota de sangue? Tudo o que ela quer é ver Atlas feliz e realizar o desejo dele de domar uma besta demoníaca.

Uaaa! - O macaco selecionado tinha um olhar de tristeza enquanto abaixava a cabeça, como se estivesse implorando por misericórdia.

Todos os outros também estavam com a cabeça abaixada, como se tivessem medo de serem selecionados por Lizzy. Engolir aquela gota de essência de sangue é a mesma coisa que pular para a morte.

― Por que sua gota é negra? ― Perguntou Palito.

― Não sei! ― Exclamou Atlas. ― Quando condensei a gota sangue, todas as informações foram reunidas na gota e ela ficou de cor negra.

Olhando para Palito, ele perguntou. ― A sua é de outra cor?

― A minha é vermelha! ― Afirmou Palito, que levantou a mão e revelou a sua gota de essência de sangue.

UAUAUA! - O pequeno macaco dourado gritou abrindo a boca e olhando para Atlas. Como se estivesse pedindo pela essência de sangue dele.

Esticando a mão, Atlas revelou sua segunda gota de essência de sangue. ― Você quer isso?

UA! - Gritou o pequeno macaco ao acenar com a cabeça.

Com um olhar estranho, Atlas olhou para a gigantesca besta demoníaca que morreu com um aspecto lamentável e depois olhou para o pequeno macaco. ― Você tem certeza? ― Perguntou Atlas. ― Uma gota dessa é difícil de condensar, além disso aquele macaco gigante não resistiu.

― Se você gastar a gota do mestre atoa... ― Reclamou Lizzy ao bater levemente na cabeça da pequena besta.

UAUAUA! - O pequeno macaco, gritou como se estivesse reclamando com ela e com Atlas por compara-lo com aquele humilde macaco gigante.

Vendo isso, Atlas esticou a mão e levou a gota até a boca dele. ― Mesmo que acabe em desperdício, ele ainda merece pela ousadia e coragem.

Quando a gota caiu na boca da pequena e adorável besta dourada. Atlas sentiu a mesma sensação de antes, mas neste momento ele estava muito mais calmo e sem expectativas.

Momentos depois, todas as veias do corpo do pequeno macaco dourado, ficaram amostra com um aspecto enegrecido. A pequena besta revelou uma expressão de dor e agonia enquanto emitia baixos rugidos.

Já Atlas, revelou uma expressão de pesar, por mais que ele não tivesse muitas expectativas ele ainda esperava conseguir domar uma besta demoníaca.

Quando Atlas pensou que a besta teria o mesmo final que o gigantesco macaco branco, uma forte luz dourada foi emitida pelo pequeno macaco. Todos os pelos dele estavam brilhando, enquanto uma onda de energia começou a surgir do seu corpo e suas veias foram voltando ao normal.

Rooowarr! - O pequeno macaco deu um baixo rugido que foi muito parecido com o rugido de um leão e logo depois, todas as suas veias voltaram ao normal e ele emitiu uma presença ainda mais poderosa do que havia emitido anteriormente.

― Deu certo. ― Murmurou Atlas com uma expressão de felicidade no rosto.

Agora, Atlas estava sentindo uma clara ligação com o pequeno macaco dourado.

― Haha! Esse pequeno é cheio de surpresas. ― Comentou Palito enquanto ria.

― Ele entrou no reino da energia. ― Murmurou Rebeca.

― Mestre, funcionou? ― Perguntou Lizzy, que neste momento tinha uma expressão muito feliz no rosto enquanto pulava segurando a mão de Atlas.

― Mn!

― Mestre, eu posso brincar com ele?

Ua? - Ouvindo Lizzy, o macaco revelou uma expressão de apreensão. ‘Como assim brincar com ele?’ ‘Ele é uma besta demoníaca poderosa que acabou de entrar no reino da energia e vai ser um brinquedo? O que no mundo está acontecendo?!’

― Pode! ― Afirmou Atlas rindo em voz alta. ― Esse pequeno só precisa aprender a emitir um som melhor... O que diabos é ‘Ua’?

Uauauaua! ― Gritando, o pequeno macaco juntou as mãos como se estivesse implorando para Atlas voltar atrás em sua palavra. Vendo que Atlas pretendia mesmo deixa-lo ser brincado por Lizzy, ele revelou uma expressão de dor como se fosse traído pela pessoa mais importante da sua vida.

― Ele é muito fofo! ― Comentou Lizzy empolgada ao agarra-lo e apertá-lo.

Uauaa! - O pequeno emitia grunhidos olhando para Atlas com um olhar lamentável.

Já Atlas, revirou os olhos enquanto pensava. ‘Por que diabos todas as pessoas que me cercam são tão peculiares.’

― Palito, vai usar sua gota de essência de sangue? ― Perguntou Atlas.

― Por enquanto não, talvez depois de atingir o reino da terra. Foi difícil condensar essa gota de essência e não quero gastá-la até ter certeza.

― Entendo... Então vamos sair deste lugar! ― Afirmou Atlas.

Enquanto o grupo caminhava em direção a saída, todos os macacos que estavam prostrados no chão, começaram a descer de suas tocas e caminhar em direção ao grupo como se fossem cercá-los.

Olhando para isto, Atlas apertou fortemente suas mãos. Parece que não vai ter como evitar uma batalha sangrenta.

― O que vocês acham que estão fazendo? ― Perguntou Lizzy com um olhar estranho.

No momento em que ouviram a voz de Lizzy todos os macacos pararam revelando um olhar de adoração e respeito.

― Nem pensem em me seguir! ― Afirmou Lizzy. ― Como eu posso acompanhar o mestre com um monte de bestas feiosas atrás de mim o tempo todo?

Uaaa! - Os macacos emitiram um baixo grito de tristeza, como se estivessem implorando para serem permitidos segui-la.

Ouvindo isso, Atlas quase cuspiu sangue.

‘Puta merda, já pensou em um exército de macacos?’ ― Pensando nisso, Atlas sacudiu a cabeça e limpou sua mente. No momento em que as pessoas poderosas descobrissem sobre isso, ele e Lizzy teriam problemas intermináveis. Sem contar que os macacos não formaram contratos com eles, mas apenas possuem uma veneração e respeito por Lizzy. Ele não pode evitar de pensar... ‘E se em um momento crítico essa adoração mudar e eles ficarem hostis novamente?’

Atlas é cauteloso e não está disposto a arriscar tudo por um sucesso momentâneo.

Sem contar que o seu pai sempre lhe disse, você deve usar tudo ao seu redor no caminho do cultivo para se erguer, mas só deve confiar em seu próprio poder!

Ignorando os grunhidos do grupo de macacos Atlas e o restante rapidamente saiu do local.

Depois de partirem, o grupo ficou em uma caverna por quase um mês. Durante este tempo, Lizzy estava tentando controlar seu cabelo de serpente. Depois de muito treino e brincadeiras com Atlas, ela finalmente conseguiu reverter o seu cabelo para a aparência anterior.

― Agora só precisamos encontrar a saída! ― Afirmou Palito com um olhar de tristeza.

Este lugar é gigantesco, encontrar a saída não vai ser tão simples. Eles não receberam nenhuma instrução ao entrar no Elo Perdido o que torna a sua estádia neste lugar muito arriscada e um verdadeiro teste para os cultivadores.

Uaua! - Gritou o pequeno macaco dourado que estava no ombro de Rebeca.

― Molenga, você conhece o caminho? ― Perguntou ela.

Uauaua!! - Gritou o pequeno macaco revoltado ao pular no ombro dela e protestar contra o seu nome.

― Foi a pequena princesa que escolheu. ― Comentou Rebeca fazendo uma cara de que não tinha outra escolha. ― Você quer questioná-la?

Ua – Gritou ele sacudindo a cabeça. Molenga tinha uma expressão de tristeza, ele não quer nem lembrar de como recebeu este maldito nome.

Princesa? Essa pequena menina está mais para um terrível demônio louco. Ficou sacudindo, puxando e rodando-o feito uma maluca descontrolada, e no final, ainda deu o nome de ‘Molenga’ porque ele não conseguir ficar de pé quando foi solto por ela.

 

Por Keven Alves | 22/08/18 às 13:19 | Ação, Aventura, Fantasia, Elementos de Cultivo, Romance, Maduro, Guerra, Cultivo