CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 139 - Queda livre

Deus Imperador dos Taos (DIT)

Capítulo 139 - Queda livre

Autor: General Xin

Lianjie cavalgava por um vale um pouco arenoso e repleto de plantas baixas, com pouco menos de um metro e meio. O solo parecia uma pintura abstrata, uma mistura entre diferentes tons de verde e amarelo. Além disso, graças a ausência de colinas até onde se podia enxergar, ventava muito e a temperatura era mais elevada. Cães esguios, de pelagem arlequim e caninos anormalmente grandes corriam para um lado e para o outro em busca de comida, eles escavavam o solo atrás de incomuns tatus de oito patas. No céu, grandes aves similares a abutres vermelhos sobrevoavam os cães e tentavam pegar alguns para se alimentar.

“Que bichos estranhos…” Lianjie observava a fauna local com curiosidade.

De repente, uma das aves mergulhou e conseguiu apanhar um dos cães com suas patas. Enfurecido, seus grandes caninos começaram a mudar de cor e então mordeu a criatura alada.

Tss… Como plástico sobre as chamas, uma das patas da ave se dissolveu, fazendo com que o cão fosse solto no ar. Ao pousar, mostrou seu dentes, rosnou e latiu para as aves. Outros companheiros seus se juntaram para mostrar que não seria tão fácil capturá-los.

Bum! Uma explosão ocorreu bem próxima dos cães. Uma enorme criatura havia emergido: uma salamandra marrom. Tinha seis patas com garras afiadas, uma armadura natural repleta de espinhos e na ponta de sua cauda havia uma bola para golpes de concussão.

Groar! A criatura berrou alto e abocanhou alguns dos animais que estavam ao seu redor. Choros miseráveis invadiam os ouvidos de Lianjie.

Os cães sobreviventes se afastaram e começaram a uivar o mais alto que conseguiam, como se pedissem ajuda. Alguns instantes depois, um uivo mais alto ainda veio em resposta. Os cães se acalmaram e voltaram a mostrar os dentes para a salamandra que mastigava os corpos de seus companheiros, tingindo sua boca de sangue.

Awoooo! Um grande lobo amarelo e branco uivou distante. Ele possuía no mínimo três metros de altura, patas fortes com garras que brilhavam toda vez que a luz solar incidia sobre elas, caninos ainda maiores que o dos cães, uma longa barba branca e um pequeno chifre de cerca de vinte centímetros no centro de sua testa. Seus olhos eram alaranjados e haviam diversas cicatrizes espalhadas pelo seu focinho e corpo.

Lianjie arregalou os olhos em temor, pois o nível de força daquela criatura era maior que o seu. O lobo estava no pico do estágio espiritual, ele era tão ou mais forte que a serpente branca Xiaye.

Assim como o humano, a salamandra também sentiu que a diferença de poder entre ela e o lobo era enorme, tentando fugir o mais rápido possível para dentro do solo.

O lobo abriu sua boca e dela disparou uma esfera laranja. Quando a salamandra foi atingida por ela, um ciclone de chamas se formou e queimou-a ao ponto de torná-la mais negra que carvão.

Lianjie sentiu a atenção do animal se voltar para si e sentiu um arrepio na espinha. Contudo, o lobo somente encarou-o e seguiu até a salamandra. Seus dentes fortes destruíram o exoesqueleto carbonizado que a protegia, revelando uma carne assada de tom rosa.

“Ainda bem que ele achou o que comer.” O jovem segurou forte suas rédeas e fez com que o cavalo aumentasse a velocidade. “Vamos embora, ha! Mais rápido!”

Após algumas horas de viagem, Lianjie havia chegado em uma região montanhosa. Segundo o mapa de Shishi, o caminho mais seguro era adentrá-lo e não contorná-lo, então assim o fez. Através de estreitos caminhos às bordas ele seguia viagem. Ora ou outra fortes rajadas se chocavam contra as paredes das montanhas, fazendo com que grandes pedaços do caminho caíssem e estreitando-o. A distância até o solo era tão grande que ele sequer podia ouvi-los atingindo o solo.

“Se isso é um caminho seguro, o que é o caminho perigoso?” Esbravejou.

“Oh meu deus… Eu morri… Eu estou flutuando!” Uma voz às costas de Lianjie falou.

“Você ficou louco, é?”

O soldado virou sua cabeça para o lado e viu um jovem homem alto e razoavelmente robusto. Aos poucos foi se dando conta que estava sobre a traseira de um cavalo às beiras de uma montanha extremamente alta.

“Céus! Para onde você está me levando?!” O soldado tentou retirar sua espada, mas ela não estava em seu artefato espacial. Neste exato momento a ponta de uma imponente alabarda azul tocou seu pescoço.

“Não tente nada. Eu te salvei porque você me pareceu alguém bom, mas se você tentar qualquer gracinha eu te mato aqui mesmo. Seu funeral será entre estas montanhas.” Era possível ver os olhos de Lianjie brilharem e suas íris felinas. A aura emanava fez o soldado sentir um frio na espinha.

“E-entendido…” Embora ambos estivessem no estágio profundo, o soldado podia sentir que a diferença de força entre eles não era pouca, mas mesmo assim ponderou por um breve momento atacá-lo. Contudo, o rapaz conduzindo o cavalo era como um animal selvagem pronto para atacar a qualquer momento.

“Qual é o seu nome?” Perguntou Lianjie, mantendo o olhar no horizonte e recusando-se a olhar para o soldado.

Este último se ajeitou e ficou sentado sobre o traseiro do animal. Sua intenção era melhorar a percepção do jovem sobre ele. “Eu me chamo Qiangjue. E você?”

“Eu me chamo Lianjie.”

“Oh, então este é o nome do meu salvador. Muito obrigado, jovem mestre Lianjie.”  Qiangjue juntou suas palmas e se curvou levemente.

“De nada.” Respondeu de maneira ríspida.

“Ei… Antes você disse que era um…”

“Um rebelde? Sim, eu sou.”

“Não era mais um motivo para você me matar? Zhanluan odeia a nós, a Guarda do Dragão do Norte.”

“Pelo que eu testemunhei de vocês, eu também odeio. Eu só te salvei porque você pareceu diferente dos habituais soldados que encontrei.”

“Mesmo assim… Você não teme que Zhanluan descubra que você salvou um inimigo? Mais ainda, você não tem medo que eu conte sobre você para a guarda?” Qiangjue cruzou os braços e inclinou a cabeça para esquerda, curioso.

“Zhanluan não me conhece. Além disso, nem mesmo Buddha faria eu abrir mão de minha honra e princípios, quem dirá um homem! E não se preocupe, eu sei que você não falará nada sobre mim porque eu te fiz um favor.” Lianjie encarou-o com o canto dos olhos e sorriu maliciosamente sobre o ombro direito.

“Bem, sua sorte é que minha mãe me ensinou a ser muito honrado.” Qiangjue sorriu orgulhoso. Em seguida, cutucou o ombro de Lianjie. “Ei, o que você fez com aquele cara?”

“Precisa mesmo perguntar?”

“Você podia ter feito ele de refém. Vocês rebeldes fazem muito isso, não?”

“Nah, eu queimei ele e a carga dele. Todos viraram pó.”

“Ha! Ele teve o que mereceu, maldito ardiloso! Um verdadeiro cavaleiro jamais ataca pelas costas e muito menos usa a porcaria de uma faca! Faca é arma de traiçoeiro, de ladino!” Qiangjue fechou a mão direita e bateu ela contra a palma esquerda. De repente, sua expressão mudou e ele parecia ter ficado preocupado. “Você tá com a minha espada, né?”

“Não, eu deixei ela onde você largou.” Lianjie sorriu com o canto dos lábios, satisfatoriamente.

“Céus, socorro! Eu estou fodido! Eu estou completamente fodido!” Qiangjue apontou para Lianjie e gritou bravo: “Você… Foi isso que você quis dizer com “me fez um favor”? Eles vão achar que fui eu que matei aquele gordo!”

“Isso é bom, assim você se livra daquel-...” Subitamente uma sombra pairou sobre eles, seguida de tufões violentos. Ao olhar para cima, Lianjie viu um tremendo pássaro vermelho encarando-o. Suas penas eram largas e longas, suas patas brancas e reluzentes como pérolas possuíam garras negras e, aparentemente, afiadíssimas.

Graaack! A ave produziu um som horrível similar ao de uma gralha, mas mais desafinado. Era possível ver saliva escorrendo de seu longo bico similar ao de um bico-de-sapato.

Os sentidos de Lianjie se expandiram e alcançaram a criatura, revelando seu cultivo no estágio profundo.

“Ela está no estágio profundo também!” Gritou Lianjie.

“Droga, ainda estamos neste espaço estreito. Não temos como vencer aqui!”

A ave avançou contra ambos, suas garras arranharam o caminho das montanhas e destruíram boa parte dele. Os olhos de Lianjie brilhavam em fúria “Eu vou assar essa galinha assim que eu tiver oportunidade!”

Labaredas escapavam de seu bico, ela o abriu e disparou um lança chamas violento sobre os dois humanos. Lianjie só se preocupava em fugir e se esquivar do golpe, pois o terreno atual era impróprio para uma ofensiva.

De repente, seu cavalo começou a desacelerar e suas patas pisavam em padrões diferentes. Estranhando, decidiu olhar e percebeu que as patas e o traseiro de sua montaria haviam sido queimados e estavam em carne viva.

Aproveitando-se da situação do animal, a ave atacou mais uma vez com suas garras. Lianjie e Qiangjue saltaram da montaria, que foi dilacerada pela criatura. Cada um deles foi para uma extremidade do caminho.

Graaaack!

“Seu pássaro maldito!” Lianjie ergueu sua guan dao e entrou em posição de batalha. Qiangjue também o fez.

Inesperadamente, o chão começou a tremer e, em um piscar de olhos, ele sumiu sob seus pés. Os dois caíram em alta velocidade na direção do chão.

Por General Xin | 25/09/18 às 01:18 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Xianxia, Romance, Brasileira, Magia, Poder, Maduro, Drama