CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 21 - Reunindo pistas - Parte dois

Deus Imperador dos Taos (DIT)

Capítulo 21 - Reunindo pistas - Parte dois

Autor: General Xin

Em meio a um fluxo contínuo e intenso de pessoas no centro mercante do vilarejo de Pingjing Hu, Yu Lianjie e Liu Yan com dificuldade se movimentavam. Era extremamente difícil achar um comerciante específico em um lugar onde estes são abundância.

Os incessantes gritos e a desorganização invejosa, atrapalhavam os sentidos. A cada oferta de preço, a onda de consumidores mudava seu rumo e a cada alternada de sentido, os dois eram arrastados pela multidão como dois gravetos contra a corrente.

“Lianjie, droga! Não consigo me mexer no meio de tanta gente!” Liu Yan esbravejou.

Lianjie assentiu enquanto segurava nos ombros de Liu Yan. Ele começou a procurar maneiras de fugir da multidão e ter seu campo de visão aprimorado. “Tive uma ideia, me siga!”

Ambos se esgueiraram pela multidão e escalaram uma casa de dois andares, a partir do telhado desta, começaram a se mover a procura de um lugar que permitisse enxergar adequadamente.

“Boa ideia, irmão Lianjie!” Liu Yan deu um tapa em seu ombro.

Não tardou e Liu Yan enxergou uma torre comercial de seis andares de aparência similar a um pagode. Ele apontou-a para Lianjie e assim ambos escalaram-na.

Do alto da torre, o campo de visão de Lianjie se tornou consideravelmente abrangente. Aproximadamente quinhentos metros quadrados podiam ser observados. Eles podiam enxergar as longínquas florestas circundando a vila, o massivo fluxo de pessoas que, visto de cima, lembrava um formigueiro em polvorosa e podiam sentir a brisa fresca que trazia consigo o cheiro de diversas especiarias utilizadas pelos restaurantes ao redor.

“Wow, a vista daqui é incrível!” Yan olhava o horizonte em uma visão panorâmica de trezentos e sessenta graus. “Como vamos encontrar esse tal de Yao, Lianjie?”

“Se eu estiver correto, devemos procurar alguém que esteja indo mal nos negócios.” Lianjie respondeu sério e olhando fixamente para a multidão de pessoas. Suas pupilas mexiam freneticamente enquanto buscava pelo tal homem.

“Indo mal nos negócios?” Yan arqueou a sobrancelha. Ele não havia entendido o que isso tinha a ver com o homem.

“Na minha vila há um lago onde crescem trutas e tartarugas de excelente qualidade. Nós as vendemos para a Cidade da Brisa Gentil e para o vilarejo de Ningjing. Para a cidade o preço fica cinquenta moedas de bronze a truta e sessenta a tartaruga; para o vilarejo fica uma moeda de prata a truta e uma moeda de prata e dez de bronze a tartaruga. Você sabe por que?”

“Não, irmão Lianjie.” Os olhos de Yan estavam fixados sobre a figura de Lianjie, atentos à explicação do amigo.

“A rota. Enquanto nosso caminho até a cidade é tranquilo, o caminho até o vilarejo é turbulento e perigoso. Isso influencia no preço final da mercadoria. Esse homem, Yao, certamente ficará receoso e com medo de utilizar a mesma rota do passado enquanto as feras perambularem por aquela zona. Por outro lado, seu comércio não pode parar. Desta forma, só há uma alternativa: optar por outra rota. Então?”

“Então o preço seria bem maior do que outros mercadores. Mas e se outras pessoas também tiverem trocado de rotas?” Liu Yan cruzou os braços, como quem pondera sobre algo.

“Ainda que outros mercadores sofressem do mesmo ônus que este Yao,  eles seriam claramente vagalumes na escuridão. Poderíamos identificá-los facilmente e descobrir quem é o nosso homem. Contudo, tenho o palpite de que esse cara lida com carne.”

“Carne? Tem aquele cara ali.” Yan apontou indicando a direção do homem. Sentado próximo a uma banca repleta de peixes, camarões e alguns cortes suínos, um homem com somente a perna direita que possuía uma expressão de desapontamento enquanto observava todos negligenciarem seus produtos. Ao seu lado havia um par de muletas de madeira.

“É ele! Vamos!” Lianjie arregalou os olhos e habilmente desceu toda a torre.

“Mais um dia de maus negócios... Malditas criaturas!” O pobre homem resmungava com as suas muletas erguidas.

De repente, uma criança e um jovem garoto surgiram na sua frente. Seus olhos percorreram pelas vestes dos garotos que foram e então ele revirou seus olhos.

“Eu não tenho dinheiro. Podem ir embora.” O homem respondeu friamente.

“O que? Não queremos seu dinheiro. Você é Yao?” Lianjie encarou o homem com desdém.

“Uma moeda de ouro pela informação.” O homem virou o rosto para os dois e estendeu a mão.

“Irmão Lianjie!” Yan sentiu seu sangue ferver. Ele gostaria imensamente de desferir um soco contra o homem à sua frente.

“Não temos dinheiro. Responda: você é Yao ou não?” Lianjie falou em um tom frio enquanto encarava o homem de olhos fechados.

De cabelos desgrenhados, era um homem gordo, vestido em roupas de seda surradas. Seus olhos eram desprovidos de empatia.

Além do mais, de uma forma díspar de suas roupas, as ataduras em sua perna estavam novas. Um indicativo de que foram recentemente trocadas e de quando sua perna foi perdida.

Subitamente, Lianjie teve uma ideia. Se este homem fosse, de fato, Yao seu coração estaria ansiando por vingança. Sua alma deveria ferver sobre desejos de obter a cabeça dos animais que feriram-no.

“Sua perna... Que fera arrancou-a?” Lianjie alfinetou.

Imediatamente, o homem arregalou os olhos. “Não é da sua conta.”

Lianjie suspirou fundo. “Eu sei que você foi ferido pelas criaturas próximas ao Lago da Meia Lua. Você é Yao. Não é? Eu venho da Escola dos Vento Cortantes para resolver o problema daquela área.”

“Vocês? São jovens!” O homem balançou a cabeça em desaprovação.

Liu Yan tomou a dianteira e respondeu. “E aí? Somos talentos em nossa escola. Você vai ajudar ou não?”

O homem prestou atenção às palavras de Liu Yan e então lançou um segundo olhar sobre os garotos. De repente, ele parou os olhos sobre a couraça que Lianjie vestia. Ela reluzia em um tom avermelhado e emitia um ar de poder. Para os olhos treinados de um mercador, o homem estimou que a couraça valesse, no mínimo, quinhentas moedas d



e ouro. Um valor que um garoto comum jamais poderia pagar.

Em sua cabeça, talvez Lianjie fosse oriundo de uma família poderosa. Suas roupas danificadas seriam reflexos de batalhas que o jovem teve. Se estes jovens conseguissem verdadeiramente lidar com as feras, seus negócios voltariam ao normal.

“Hum... Talvez vocês possam ajudar...” O homem ponderou por um breve período. “Eu sou Yao, Gao Yao.”

“Somos Yu Lianjie e Liu Yan.” Liu Yan introduziu ambos. “Relate o que aconteceu.”

Yao ciciou e as lembranças do fatídico dia começaram a surgir em sua mente. Em seguida, contou com detalhes o ocorrido.

Já era noite e a escuridão se alastrava por todos os arredores do vilarejo, Gao Yao, em cima de sua carroça, carregava uma tonelada de mercadoria. Ele, como mercador precavido, sempre viajava com seu animal de estimação, uma coruja de aproximadamente trinta centímetros e completamente branca a qual ele chamava de Pérola.

Distinta das outras corujas, Yao havia adestrado a ave. O adestramento aliado à sua inteligência natural enquanto uma coruja permitiram que a ave se tornasse um radar de perigo. Ela voava orbitando Gao Yao e no menor risco de ameaça voltava rapidamente para avisá-lo e este alternar o caminho, evitando perigos.

O vento sibilava em sua direção. De repente, um forte tremor surgiu e, posteriormente, algo que mais parecia um grito.

RUAAAAAAARGGGGGH.

Após o grito, inúmeros choros de criaturas começaram a ser ouvidos.

Desconfiado, Gao Yao pegou as rédeas da carroça e decidiu ir por outro caminho. Em seguida, assoviou sonoramente para que Pérola retornasse.

Mas ela não o fez.

“Pérola! Pérola! É hora de voltar!” Gao Yao gritou expelindo todo o ar de seus pulmões.

Hiiiiick. Hiiiiiick.

Repentinamente, duas criaturas surgiram sobrevoando Gao Yao.

Eram bianfulongs! Contudo, estes estavam extremamente magros.

Seus corpos eram uma sintetização entre morcego e dragão. Haviam escamas dispostas por todo seu corpo e, alternadamente, tufos de pelo. As criaturas não possuíam olhos, mas longas orelhas e bigodes. Suas escamas negras tornavam difícil sua detecção na natureza. Contudo, sob a luz do luar, as aterrorizantes criaturas estavam nitidamente visíveis.

Em suas mandíbulas, restavam pedaços de carne. E penas.

“Céus! Pérola!” O coração de Gao Yao congelou ao observar as criaturas.

HIIIIICK. HIIIIICK.

As duas criaturas farejaram o cheiro de carne e avançaram sobre a carroça.

Gao Yao, desesperado se jogou de cima da carroça, caindo de mau jeito e provocando um grande estalo. Seu demasiado peso não pode ser sustentado por seus ossos, provocando pequenas fissuras em sua tíbia esquerda.

“Argh! Que dor!”

Ao ouvirem o gemido de Gao Yao as feras inclinaram suas cabeças e rumaram até ele.

“Saiam, me deixem em paz! Me deixem em paz!” Vendo a aproximação das criaturas, o medo tomou conta de Yao.

Sem dar a mínima para as ações dele, as criaturas se aproximaram e cheiraram-no inteiro. Imóvel, Gao Yao mal respirava enquanto as criaturas pareciam comunicar-se entre si através de estranhos sons.

Hiiick. Hiiiiick. Hiiiick.

De repente, uma das criaturas mordeu sua perna. Logo depois, a outra também. Então o banquete das criaturas começou. Devido ao seu peso, a perna de Gao Yao era extremamente gorda e grande.

De forma voraz, as criaturas dilaceraram toda a perna de Yao, como se há tempos não tivessem comido adequadamente.

Em razão da dor, Yao desmaiou e só acordou três dias depois em um pequeno centro médico de Pingjing Hu.

As criaturas iriam devorá-lo por inteiro. Isso, todavia, se não houvesse chego a tempo um grupo de soldados que rapidamente espantou as criaturas.

Infelizmente, sua carga fora levada.

Após contar toda a história, Liu Yan pôs uma das mãos no queixo. “Por que estas criaturas escolheram devorar sua perna invés de toda a comida que você levava?”

“Eu não faço ideia!” O homem respondeu.

Lianjie olhou para cima, digerindo toda a informação que recebera. Logo depois, uma dedução surgiu em sua mente.

“Você disse que ouviu um grito antes dos ruídos de várias outras criaturas. Sim?” Lianjie olhou fixamente para Yao.

“Sim. Logo depois surgiram os bianfulongs.”

“Você disse que eles eram mais magros que o normal também...”

“Sim! Olha... Já é estranho por si só bianfulongs estarem sobrevoando a floresta. Eles são criaturas de estágio pré-cósmico que habitam cavernas com rios e lago subterrâneos, pois gostam de peixes. No entanto, mesmo eu tendo quase uma tonelada de peixes, eles devoraram a minha perna!”  

Imediatamente os olhos de Lianjie se arregalaram. Liu Yan que o observava não pode deixar de ficar curioso. “O que houve?”

“As criaturas caçam para alimentar algo maior. Se o que elas alimentam é o que tem provocado os tremores... Deve ser uma criatura de pelo menos estágio elementar, pois para ser capaz de expulsar e tornar os bianfulongs meros vassalos...” A expressão de Lianjie era de preocupação. Igualmente era a de Yan.

Ao ouvir a suposição de Lianjie, Yao achou que fazia todo sentido. O que deixou-o ainda mais frustrado, pois ele duvidava imensamente que os jovens poderiam dar conta do que quer que estivesse causando o furor das criaturas.

Em seguida, Lianjie despediu-se e partiu. Logo atrás, foi Liu Yan.

“Se vocês conseguirem acabar com aquelas criaturas. Eu vou pagar quinze moedas por cabeça!” Yao gritou para os garotos.

Lianjie somente sorriu com o canto da boca.

“Irmão Lianjie, estamos no estágio pré-cósmico! Eu não sei se consigo lidar com outra criatura desse tipo. Não por enquanto. Ainda mais que você nem sabe se ela, de fato, está no estágio elementar.”

Lianjie então estendeu a mão esquerda para Yan, mostrando seis pílulas de chi.

“Vamos treinar!”


Por General Xin | 02/01/18 às 23:11 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Xianxia, Romance, Brasileira, Magia, Poder, Maduro, Drama