CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 68 - Torneio de Jovens Talentos (Parte 5)

Deus Imperador dos Taos (DIT)

Capítulo 68 - Torneio de Jovens Talentos (Parte 5)

Autor: General Xin

Para os espectadores, a transformação de ambos não deveria ser outra coisa senão alguma técnica. Afinal, haviam algumas técnicas que permitiam você transformar seu corpo e elas eram consideravelmente populares. No entanto, os benefícios só surgem quando a técnica é ativada.

Por outro lado, portadores de corpos divinos possuem estes benefícios sempre ativos e, quando se transformam (se possuem essa habilidade), ficam ainda mais fortes.

Um corpo divino emana ondas específicas difíceis de perceber por alguém normal, mas fácil de perceber por alguém semelhante. Quando Xiyue se transformou, Yan sentiu uma distinta sensação de similaridade. A mesma que sentia ao estar próximo de Lianjie e Yuanjia.

A mesma coisa aconteceu com a garota.

Com seu martelo empunhado, Yan correu contra a garota. Quando as duas armas se tocaram, ele aproveitou para sussurrar: “Por que você está utilizando a técnica de refino corporal da minha família?”

A garota empurrou Yan e desceu seu martelo sobre ele. Ele se defendeu erguendo sua arma, bloqueando a trajetória do golpe da garota.

“Sua família? Essa técnica é da minha família há anos!” Respondeu a garota, em baixo tom.

Em seguida, Yan chutou seu estômago e pisou levemente no chão, deslizando seu pé de apoio para esquerda. Xiyue arregalou os olhos e recuou rapidamente. Um punho de pedra surgiu do chão em direção à garota, mas não atingiu-a.

Xiyue encarou Yan de uma forma difícil de explicar. Além de sua técnica de refino corporal, ele também utilizava as mesmas técnicas de combate. Quem era a família Li? Que tipo de ligação eles teriam com a sua própria família para conhecerem as técnicas exclusivas da família Lei? Xiyue começou a levantar uma série de questionamentos, mas antes que pudesse terminá-los Yan atacou de novo.

Novamente ele pisou em padrões estranhos para os espectadores e inúmeros punhos de pedra surgiram. A garota também realizou pisadas em padrões e mais punhos emergiram, colidindo contra os de Yan.

Xiyue, perplexa, perguntou: “Você pode usar as mesmas técnicas que eu? Por quê?”

“Você é quem devia responder! Eu perguntei primeiro!” Respondeu Yan.

“Se você não quer me dizer, eu vou arrancar a verdade de você a força!” Disse a garota, avançando em seguida.

Yan balançou a cabeça e bufou. Seus pés começaram a deslizar de uma estranha forma e, com um gesto de mão e um ‘huh!’, uma esfera cresceu e cobriu Xiyue. As paredes eram de rochas, mas repletas do chi do garoto, o que tornavam-nas extremamente rígidas e duráveis.

O martelo de Xiyue ficou coberto por rochas e adquiriu a forma de um batedor de carne. Após isso, ela começou a golpear as paredes da esfera tentando destruí-las.

Yan bateu seu pé direito no chão e um pilar de pedra surgiu, elevando-o sobre Xiyue. Quando atingiu a altura de trinta metros, pulou. Assim como Xiyue, seu martelo foi reforçado e se transformou.

Quando Xiyue finalmente quebrou a esfera que a prendia, a figura de Yan já estava sobre sua cabeça. Ela conjurou rapidamente seus punhos de pedra que se chocaram contra Yan, produzindo uma onda de impacto que forçou-a a recuar.

“Eu não sei como você e sua família conseguiram roubar nossas técnicas, mas plagiadores nunca ultrapassarão os verdadeiros herdeiros das artes do Imperador Shi Huan!” Disse a garota, com o dedo indicador em riste.

“Plagiadores? Eu vou te mostrar quem é plagiador!” Esbravejou Yan. Em seguida, Yan começou a mover seus pés e pisar inúmeras vezes. O chão começou a tremer.

Quatro gigantescas paredes surgiram ao redor de Xiyue. Ela tentou destruí-las, mas eram extremamente resistentes. Assim, começou a escalá-las. Contudo, de repente, várias estacas começaram a surgir e tentar perfurar Xiyue. Com seu martelo, ela destruía todas as estacas pelo caminho.

Ao chegar no topo, respirou aliviada, porém Yan já estava ao seu aguardo e deu uma rasteira na garota, desfazendo as quadro paredes imediatamente. Ambos caíram de uma altura de oitenta metros.

Sem conseguir controlar a rotação de seu corpo, não conseguiu desviar do golpe aéreo de Yan. Rotacionando várias vezes o corpo, ele aplicou um forte chute contra a garota.

Como um cometa, ela se chocou violentamente contra o chão. Já Yan golpeou a plataforma da arena para criar um chão mais macio para pousagem.

Onde Xiyue caiu formou-se uma densa nuvem de poeira. Yan olhava fixamente, procurando pela garota.

Cof. Cof. Cof.

Xiyue emergiu da poeira. O estado de suas roupas estava lastimável, assim como o de seu cabelo, que estava totalmente desgrenhado. Ela olhou para Yan e balançou a cabeça. Em seguida, falou: “Eu subestimei você… Você é bom! Por algum motivo possuímos as mesmas técnicas. Espero que a gente encontre as respostas que queremos. Agora, Liu Yan, eu irei com tudo.”

A garota se pôs na postura do gato e fechou seus olhos. O chão começou a tremer e uma estátua humana de vinte metros de altura e com cem braços surgiu atrás dela. A estátua não possuía sexo definido, era impossível de dizer se era um homem ou mulher. Além disso a figura estava sentada e emanava uma aura misteriosa.

Ele pressentiu que aquilo não era um bom sinal. Ademais, era a única técnica que ele não se nunca havia visto nas artes que sua família passava de geração para geração. Podia ser uma criação única da família dela?

Yan também fechou os olhos e começou a se movimentar de uma maneira peculiar. De repente, uma aura em cor de bronze surgiu ao redor dele. Sons de rachadura começaram a ecoar por toda a extensão da arena, assim como fortes tremores.

Lentamente a aura ao redor do garoto se expandiu até a altura de quatro metros. Depois disso, ela se recolheu e invadiu o corpo de Yan novamente. Pouco tempo depois, em suas mãos, surgiu uma esfera de cor marrom intenso.

“Chi terreno!” Gritou Mi, enquanto batia na cadeira. Os outros professores ficaram igualmente espantados.

A esfera de chi terreno cresceu e, ao chegar no limite, Yan começou a comprimi-la enquanto aproximava as palmas de sua mão. Quando estas se encontraram, chi terreno explodiu ao redor de Yan e seus olhos exalavam chamas laranjas e brilhantes.

Seus pés se alinharam e ele pisou alternadamente com cada um deles duas vezes.

“Huh!” Yan ergueu as mãos e o chão explodiu. Dele saiu um dragão feito de pedras com uma extensão de mais de trinta metros. A plateia ficou chocada. Aquela criatura não possuía vida, mas emanava um ar misterioso e real como os dragões das fábulas e contos. Isso, claro, além de uma terrível pressão.

Xiyue abriu seus olhos e viu o dragão de Yan. Imediatamente sua boca abriu.

“Quarto nível! Você atingiu o quarto nível!” Exclamou Xiyue, exaltada.

Yan, que estava focado no controle do dragão, sequer prestou atenção na garota. Ele ordenou que sua criatura a atacasse.

Vendo que o dragão se movimentava em sua direção, Xiyue ordenou que sua estátua socasse a criatura. Contudo, quando o fez, o dragão de Yan dilacerou diversas mãos da estátua. Acertando poucos golpes efetivos.

Suor escorria da testa de Yan. Ele ergueu seus braços para o alto e o dragão voou em direção aos céus em uma velocidade absurda. Em seguida, ele ordenou que o dragão descesse. Xiyue arregalou os olhos e balançou as mãos. A sua estátua cobriu-a como alguém que esconde algo.

Quando o dragão colidiu com a estátua de Xiyue, ele destruiu não só a estátua, mas toda arena. Não havia sobrado muita coisa. O dano havia sido tanto que o broche de Xiyue havia se quebrado, pois tinha sido totalmente consumido enquanto evitava que o golpe do garoto a matasse.

Xiyue estava absolutamente inconsciente e com ferimentos por todo o corpo. Se ela não possuísse o broche, certamente teria sido aniquilada pelo golpe de Yan.

Ao vê-la em tal estado deplorável, Yan se deu conta de que talvez tivesse usado muito mais força do que deveria e correu para ajudar a garota. Todavia, homens surgiram ao redor dela antes que ele pudesse alcançá-la e removeram-na de maca.

O juiz anunciou: “Vitória de Liu Yan!”

A plateia estava em silêncio. O que acabaram de presenciar era inconcebível! Com um ataque, um garoto mal desenvolvido conseguiu destruir a arena e ainda o broche restaurador! Diversos alunos pediam aos céus para não ter de lutar contra Yan.

Sobre a arena em ruínas, Yan encarava os outros discípulos com estranheza. Por que estavam todos olhando-o?

Lianjie e Yuanjia também estavam atônitos e com os olhos arregalados.

De repente, um poderoso e sonoro arroto quebra o silêncio do local.

“Opa, desculpa.” Disse Yan, deixando a arena em seguida.


Por General Xin | 29/01/18 às 17:31 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Xianxia, Romance, Brasileira, Magia, Poder, Maduro, Drama