CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 72 - Torneio de Jovens Talentos (Parte 9)

Deus Imperador dos Taos (DIT)

Capítulo 72 - Torneio de Jovens Talentos (Parte 9)

Autor: General Xin

Quando a poeira dissipou-se, duas silhuetas foram reveladas. Ambos os garotos permaneciam de pé. Yan estava com alguns ferimentos sobre o corpo, além de apresentar intenso cansaço; Fenfu estava com suas roupas em um estado deplorável e havia voltado à sua aparência original. Seu corpo estava repleto de ferimentos variados: profundos cortes, extensos arranhões e negros hematomas. O golpe de Yan, sem dúvidas, havia sido muito forte.

Yan observou seu inimigo com uma expressão complicada. Em seguida, ele olhou em direção aos céus e apertou os punhos o mais forte que pôde.

‘Acima de um céu, sempre há outro céu. Não é mesmo?’ Até aqui ele esteve confiante em suas habilidades. Contudo, como disse seu avô uma vez, ninguém existe de forma singular. Tudo existe em dualidade ou pluralidade. Se você é forte, outros também poderão ser. Yan engoliu um bocado de ar e segurou forte seu martelo.

“Eu sabia que você seria difícil de lidar, mas não esperava tanto…” Disse Fenfu.

“Ainda não acabou…” Respondeu Yan, avançando em seguida.

Sua velocidade não era mais a mesma. Os músculos de seu corpo se contraíam e explodiam em dor. Ao mesmo tempo, sons de ‘creck’ e rangidos eram produzidos por seus tendões e ossos, respectivamente.

O grande martelo desceu de modo vertical sobre Fenfu, que recuou graciosamente para a esquerda e estocou com a ponta do bastão em uma das costelas de Yan.

“Ugh!” Yan cerrou os dentes e continuou atacando. Desta vez ele girou seu corpo como um furacão e golpeou Fenfu violentamente na horizontal. Por mais que ele tenha tentado se defender, sua condição física estava desgastada. Fenfu foi arrastado dois metros para o lado e sentiu seus braços dormentes.

‘Eu estou ficando extremamente cansado… Preciso acabar com isso.’ Fenfu segurou com a mão esquerda a ponta do bastão e com a mão direita o centro do bastão. No centro ele regulava o ângulo e a parte posterior retraía e avançava em movimentos rápidos dando a impressão que seu bastão eram diversas serpentes dando o bote.

Yan girou seu martelo como um ventilador e defendeu todos os golpes de Fenfu, que bufou em raiva. Após isso, Yan bateu seu martelo contra o chão e largou-o, Fenfu esquivou-se para trás e avançou. Ele havia pensado que Yan não possuía mais força para segurar esta pesada arma.

Entretanto, inesperadamente, Yan sorri. Seu pé corta o vento e chuta a ponta da empunhadura do martelo, fazendo-o girar inúmeras vezes no ar. Agora, com Fenfu a seu alcance, era a vez de Yan.

Ele agarrou seu martelo perfeitamente no ar e desceu-o sobre o garoto.

Boom.

Fenfu foi esmagado contra o chão.

Rapidamente Yan chutou o bastão do seu adversário para longe e se preparou para mais um golpe. Todavia, antes que pudesse atingí-lo, uma parede invisível empurrou-o para longe.

Pequenas labaredas surgiram das mãos de Fenfu e lentamente se tornaram chamas de aproximadamente trinta centímetros de diâmetro. Elas eram douradas, vivas e transmitiam um ar desafiador.

“Hah… Eu não esperava ter que utilizar isto aqui, mas… Hah… Hah… Vamos lá!” Fenfu vagarosamente se reergueu. Quando levantou sua cabeça, os seis pontos tatuados estavam em chamas! As mesmas chamas douradas de suas mãos.

Ademais, seus olhos dourados agora brilhavam muito mais que o comum.

Na área onde se situavam os professores, os olhares eram de curiosidade. A vibração da energia que Fenfu emanava não era qualquer tipo de chi, era algo diferente… Algo mais… Misterioso…

“O que é isso?” Perguntou Xiuqi. Ela havia se escorado nas bordas da janela e seus peitos quase engoliam o pequeno diretor Mi.

Mi tossiu enquanto encarava os seios da professora e disse: “É… Xiuqi… Pode ir só um pouco para o lado?”

Xiuqi virou o rosto e encarou o direitor. Só então ela se deu conta de onde seus seios estavam.

“Ah! Desculpe, desculpe!” Respondeu ela, envergonhada pela situação.

“Hehehe… Sem problemas.” Mi levantou-se e observou atentamente às chamas douradas de Fenfu. Ele então ergueu o dedo indicador da mão direita e acrescentou: “É a ativação da linhagem sanguínea!”

“Há alguém em Changfeng com linhagem sanguínea? Nem mesmo a família real possui esse poder! Você não está equivocado?” Perguntou Shengu.

Há milênios Changfeng não possuía ninguém que carregasse o poder de uma linhagem sanguínea. Em razão da constante guerra entre os povos ancestrais de Changfeng, cada vez menos cultivadores aprendiam como treinar sua linhagem sanguínea, terminando por extinguí-las por desuso e miscigenação.

“Não, eu tenho absoluta certeza do que falo. Embora Changfeng realmente não tenha nenhuma família possuidora de linhagem sanguínea, há pelo menos um continente próximo a nós no qual isto é razoavelmente comum.” Rebateu Mi. Em seguida, completou: “Além de mim, ninguém conseguirá descobrir o que é o poder deste garoto. Eu confio em você para que não contem para ninguém.”

“Mas diretor, como você pode ter certeza que se trata de linhagem sanguínea? Você já viu alguém com tal poder?” Junfa, de pernas cruzadas, olhou fixamente para Mi.

“Há muitos anos eu tentei sair de Changfeng e me aventurar além do Mar dos Demônios. Eu acabei indo parar no Continente das Milhões de Presas, um lugar absurdamente vasto e predominantemente composto por montanhas. Lá eu encontrei uma família chamada de Clã da Nuvem do Relâmpago. Eles emanavam as mesmas vibrações que Fenfu, embora fossem inúmeras vezes mais fortes e com características diferentes. Sua linhagem sanguínea era a da Pantera da Cauda Trovejante.

Eu desenvolvi uma boa relação com eles, mas descobri que não era uma terra para alguém como eu. Quando voltei, trouxe comigo uma lança, anotações e livros sobre aquele lugar.” Explicou Mi com uma expressão séria enquanto encarava os céus. No momento seguinte, ele deu uma forte tragada em seu cachimbo.

“Incrível… Você faz jus ao seu nome e fama. Eu gostaria de ver os registros do diretor um dia...” Os olhos de Xiuqi brilhavam como pérolas polidas. Como uma legítima praticante de lança, seu coração sempre foi aventureiro e ansiava por desbravar o mundo.

“Se este lugar não era um lugar para alguém como você, diretor Mi. Eu me pergunto: que tipo de lugar era?” Falou Junfa.

“Um dia, quem sabe... Quanto à sua pergunta, Junfa, lá imortais no estágio espiritual são tão comuns como peixes em um lago.” Respondeu Mi, provocando o silêncio e perplexidade no ambiente. A mão direita de Mi foi ao queixo, enquanto a esquerda segurava o cachimbo. Ele então falou: “Situ Fenfu… Parando para pensar, eu nunca ouvi falar de uma família chamada Situ… De onde será que você veio?”

Dentro da arena, Yan estava alerta à mudança repentina de Fenfu. Quais outras cartas na manga este garoto ainda mantinha consigo.

Percebendo que seu adversários estava cauteloso, Fenfu avançou. Com a linhagem sanguínea ativa, ele recebia um aumento na sua estamina, agilidade e força. Era como um último sopro de energia. Além disso, ele ainda possuía um atributo especial.

“Palma divina!” Gritou Fenfu desferindo um golpe de palma contra o ar. De repente, a sua mão projetou uma palma dourada cinquenta vezes maior que a sua própria. Esta palma voou em direção a Yan, que atacou-a com seu martelo.

Boom.

O golpe de Fenfu se desfez, mas jogou Yan para longe.

Desta vez, Fenfu realizou gestos de mão e uma palma dourada maior ainda desceu dos céus sobre Yan, comprimindo-o contra o chão. Ele perdeu seu martelo e, com suas mãos, lutava contra a gigante palma dourada que o pressionava.

Yan estava aberto a golpes.

Seu oponente rapidamente se aproximou dele e desferiu uma série de ataques. Agora socos com punho fechado.

Nos locais onde Fenfu golpeava, o músculo afundava e Yan rugia de dor. Foi então que Fenfu jogou seus braços para trás e as chamas douradas em suas mãos se comprimiram, fazendo com que as mãos do garoto parecessem ser feitas de ouro puro.

Ele então aplicou seis golpes de palma sobre o peito de Yan. No último golpe Yan foi arremessado contra a barreira da formação já sem forças. Ele vomitou muito sangue e deslizou as costas até cair sentado. Ele estava inconsciente, na sua forma original e seu peito apresentava marcas de queimaduras severas na forma de mãos abertas.

O juiz subiu na arena e declarou a vitória de Situ Fenfu. Imediatamente após o resultado ele caiu de joelhos sem força alguma para até mesmo caminhar.

“Liu Yan… Foi uma boa luta…” Sussurrou Fenfu.

Yuanjia, que permanecia ao redor da arena, olhava à cena sem acreditar no que via. Yan havia sido derrotado! Além disso, seu oponente era extremamente misterioso e forte. Yuanjia se atreveria a dizer que, até agora, ele possivelmente teria sido a pessoa mais forte com que os três já teriam lutado.

Quando os homens com macas chegaram, Yuanjia sentiu um aperto no coração ao ver seu amigo sendo retirado inconsciente. Ele havia perdido uma grande oportunidade.

Track.

Seus punhos estalaram. Ele estava furioso pela derrota do seu companheiro. Yuanjia engoliu seco e foi até a residência de Lianjie relatar o acontecido.


[Aviso do General: não postei nestes dois dias porque estava participando de algo muito importante para minha carreira como chef. Prometo que compensarei.]

Por General Xin | 08/02/18 às 02:50 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Xianxia, Romance, Brasileira, Magia, Poder, Maduro, Drama