CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 93 - Partida

Deus Imperador dos Taos (DIT)

Capítulo 93 - Partida

Autor: General Xin

O ventos frios do inverno sibilavam sem parar. Sob sua influência, a grama e outras plantas pequenas inclinavam-se para um lado e para o outro, como se estivessem dançando sob o som das correntes de ar.

Nuvens densas e carregadas se aglomeravam sobre toda Cidade da Brisa Gentil e, aos poucos, flocos de neve foram sendo expelido delas.

Lianjie, que estava sentado, abriu lentamente seus olhos e esticou seu braço. Um floco de neve pousou sobre a palma de sua mão. Ele então transformou-o em um belo botão de rosa feito de gelo e assoprou-o para longe.

“O inverno está quase acabando… Devo me apressar…” Sussurrou Lianjie.

Em seguida, fechou seus olhos novamente e voltou a cultivar o seu segundo diagrama do Sábio das Estrelas.

Uma nuvem que pairava sobre o garoto abriu-se de forma circular, revelando a lua e banhando-o em sua luz repleta de energia. A pele de Lianjie reluzia em um tom branco e uma aura que oscilava entre os tons prateado e dourado surgiu gentilmente ao seu redor.

O dourado representava o yang naturalmente absorvido pelo seu corpo masculino, o prateado representava o ying absorvido durante às noites. Por esta razão Lianjie devia cultivar os diagramas somente quando o sol se punha, para equilibrar os tipos opostos de energia que residiam dentro de si.

Nem um corpo de puro yang, tão pouco um corpo de puro yin. Lianjie cultivava gradativamente um corpo único e realmente difícil de conseguir: um corpo onde dois princípios opostos existissem em igualdade, um corpo caótico primordial.

Dentro de seu dantian, Lianjie meditava sob um céu estrelado diferente do que havia em seu mundo. Nele, haviam doze diagramas dos quais apenas um brilhava radiantemente. Entretanto, havia um segundo diagrama cujo brilho crescia lentamente.

Este segundo diagrama era invadido por feixes de luz dourada e prateada que se uniam em espiral e formavam diversos pilares bicolores.

De repente, todo o dantian de Lianjie tremeu violentamente. Ainda calmo, Lianjie abriu seus olhos lentamente e ergueu a mão direita. Com o dedo indicador em riste, começou a desenhar utilizando pontos brilhantes contidos naquele diagrama.

Assim como o primeiro ideograma, a imagem de um dragão em uma posição diferente se revelou. Sobre sua cabeça, dois confusos ideogramas brilharam e emitiam uma aura de mistério.

Lianjie então concentrou-se e os ideogramas começaram a se embaralhar de inúmeras formas variadas até que parassem em um arranjo específico.

Calda e Raiz! Estes eram os ideogramas formados!

Um dragão cujo corpo estava incompleto desceu do céu estrelado e rugiu em direção a Lianjie. Neste rugido estavam contidos ainda mais insights sobre o tao da madeira e uma distinta energia azul esverdeada que invadiu seu corpo.

Imediatamente ele sentiu como se seus órgãos se deteriorassem e crescessem diversas vezes. Galhos começaram a emergir do solo da ilha onde Lianjie meditava e envolviam todo seu corpo como um casulo de madeira.

Dentro deste casulo, Lianjie perdeu a percepção do tempo e podia sentir toda a vegetação a sua volta assim como toda forma de vida. Ele era, momentaneamente, um com a natureza.

Subitamente, o casulo de madeira começou a ruir e revelar lentamente o corpo do garoto.

Ele então despertou de seu estado de meditação e pôde ver que ao seu redor haviam crescido inúmeras mudas sobre seu telhado.

Sua mente começou a arder como se estivesse em um eterno purgatório e uma sensação de garras afiadas talhando informações latejava sem parar. Desconcertado pela dor, acabou caindo de seu telhado direto no pátio.

Naquela noite, inúmeros alunos ouviam os urros desesperados e irreconhecíveis de Lianjie. Porém, temerosos, decidiram não ir checar o que estava acontecendo.

Depois de horas agonizando, finalmente a dor havia cessado. Lianjie, que estava deitado no chão com o rosto em contato com a grama, respirou aliviado.

Curiosamente, ao expelir ar pela sua boca, as plantas que haviam sido amassadas pelo seu corpo se regeneraram e voltaram a crescer.

Surpreso, ele checou suas memórias e pôde perceber uma nova informação dentro de sua cabeça: era uma técnica chamada Perdão do Dragão.

Lianjie arregalou os olhos e se levantou bruscamente. Ele então arrancou algumas gramíneas do solo, amassou-as e plantou-as novamente. Inflando seu pulmão com ar, ele assoprou gentilmente as plantas danificadas e elas começaram a se regenerar.

“Céus!” Exclamou Lianjie.

Intrigado, arrancou mais um punhado de grama. Desta vez, arremessou longe invés de replantá-las. Em seguida, no lugar descoberto de vegetação, assoprou novamente. Porém nada aconteceu.

“Entendi… É uma habilidade que cura, mas não origina a vida… Ainda assim, agora eu posso curar meus aliados. O único ponto negativo é que a energia utilizada para isso é demasiadamente grande.” Murmurou Lianjie com uma mão sobre o queixo. Logo após isso, brandiu sua alabarda e balançou-a livremente.

Com o desbloqueio do segundo diagrama, a força de Lianjie havia atingido outro nível. Manusear sua arma agora era como brincar com um graveto.

“Incrível… Eu estou muito mais ágil!” Disse Lianjie, enquanto brandia sua lança.

Ao olhar para o céu, pôde ver o sol raiando.

“Eh? Já é manhã? Devo me apressar!” Lianjie correu imediatamente para dentro de sua casa e começou a arrumar suas coisas para sua nova jornada.

Quatro horas depois, em outra residência, um homem jovem de cabelos prateados escrevia uma carta.

“Desculpe, irmão Lianjie, mas isso é fundamental…” Sussurrou Guiyan.

Abruptamente, alguém começou a bater na porta do garoto.

“Guiyan, irmão Guiyan! Vamos!” Uma voz feminina gritou.

“Feichang, já vai!” Respondeu Guiyan, guardando sua carta dentro de suas roupas. Ele desejava entregá-la a um mensageiro.

Ao abrir sua porta, todos os seus companheiros esperavam-no de braços cruzados.

“Você não leva jeito… Sempre atrasado!” Disse Yan.

“Da próxima vez a gente dá uma surra nele!” Respondeu Yuanjia, gargalhando em seguida.

“E em mim?” Meimei arregalou os olhos e esboçou um grande sorriso.

As expressões de todos ali presentes ficaram terrivelmente estranhas.

“O que foi?” Disse Meimei de maneira tranquila e indiferente. Em seguida, levou as mãos à cintura e continuou: “Vamos?”

“Sim, vamos.” Respondeu Yuanjia.

Antes que fossem ao encontro de Lianjie, dividiram-se em pequenos grupos e pegaram algumas missões de pequena ou média dificuldade. Depois disso, deixaram a cidade em intervalos de aproximadamente quinze minutos e por diferentes portões.

Guiyan, que propositalmente havia desejado ser o último, entregou sua carta a um homem de idade avançada e que possuía uma inconfundível cara de porco. Após isso, seguiu viagem.

A mando de Zhanluan, Guiyan deixou sua casa e rumou até a Cidade da Brisa Gentil a fim de conhecer e desenvolver boa relação com Lianjie, objeto de interesse do líder revolucionário.

Durante todos estes anos, embora Guiyan tenha desenvolvido afeto pelo garoto, ele informava secretamente acerca do crescimento e evolução de Lianjie. A única diferença do passado para agora era que ultimamente começara a desenvolver remorso pelas suas ações. Ele se sentia um traidor, mas em seu coração assegurar a vida de milhares de inocentes era mais importante do que a violação que cometia.

Enquanto cavalgava, Guiyan ora ou outra levava a mão ao peito e massageava-o na esperança de diminuir o aperto que suas ações lhe causavam.

Depois de alguns minutos de viagem, finalmente pôde ver o local em que Lianjie o esperava: era uma grande montanha com as bordas arredondadas. Além disso, não havia nenhuma vegetação em seu pico, destoando do resto da montanha que era completamente verde.

Aquele lugar fazia jus ao nome que possuía: Morro Careca.

Após subir até o pico, Guiyan encontrou Lianjie sentado sobre uma pedra levemente quadricular. Ao seu redor estavam todos os seus companheiros.

“Você chegou. Finalmente!” Exclamou Lianjie.

“Pois é… Culpa de meu cavalo que não era rápido o bastante… Montarias mortais são uma merda!” Esbravejou Guiyan. Obviamente sua demora não estava ligada à sua montaria, mas sim à entrega de sua mensagem ao homem de outrora.

“Entendo, mas é uma maneira de nos prevenirmos.” Lianjie caminhou até Guiyan e deu leves tapas sobre seu ombro. Em seguida, virou-se para Shi Xue e falou: “Shi Xue, você nos conduzirá. Tome a frente.”

“Sim!” Respondeu a jovem moça.

Shi Xue então montou em seu cavalo e tomou a dianteira, seus companheiros vinham em seguida.

Com semblantes de empolgação e felicidade, Lianjie e seus treze aliados então desbravavam seu caminho até o local da masmorra.

Longe dali, em uma enorme e luxuosa mansão, inúmeras pessoas se reuniam ao redor de um homem robusto e de cabelos cor de vinho tinto. De rosto quadrado, olhos extremamente puxados e um fino e longo bigode, sua figura remetia a alguém cruel.

O homem vestia uma roupa vermelha feita dos mais nobres tecidos e com um ideograma costurado nas suas costas. Simples e direto, ele imediatamente a qual família este homem pertencia: aos Mang.

“Patriarca Fazu… Já faz cinco anos!” Um homem idoso de longos cabelos brancos e uma robusta barba cinzenta falou enquanto segurava um comprido cachimbo.

“Xiaxin, cale-se! Meu irmão não está morto, ele só está desaparecido!” Um garoto de aproximadamente quinze anos gritou furioso enquanto encarava o idoso.

“Jovem mestre Fanghuo… Eu sei que Mutong era muito importante para você, mas não podemos ter estes pensamentos inocentes! Mutong morreu… Ou… Foi morto.” Respondeu o idoso chamado Xiaxin.

“Não! Ele não est-...” Disse Fanghuo em uma postura agressiva. Pequenas faíscas começaram a surgir dele. Contudo, antes que pudesse terminar de falar, fora interrompido por seu pai, Fazu.

“Fanghuo, basta! Xiaxin pode estar ou não certo. Por anos eu mantive a esperança de que ele voltaria, mas até agora nada…” Fazu apertou os braços de sua cadeira ao ponto de quebrá-los. Logo após isso, continuou: “Xiaxin, comece a investigar isso! Meus filhos são a única coisa que possuo dela… Se alguém os ferir, este alguém estará embarcando em uma jornada sem volta aos portões do inferno! Utilize quantos recursos for necessário.”

Xiaxin suspirou profundamente e respondeu: “Sim, senhor patriarca.”

Chamas explodiram ao redor de Fazu e este então ergueu sua mão direita. “Caso Mutong tenha sido morto, eu quero saber quem o matou.” As chamas a sua volta condensaram-se em uma rapieira feita inteiramente de chamas que pousou em sua mão. Fazu então brandiu sua espada flamejante e acrescentou: “Para que eu possa pagar este débito…”

Por General Xin | 26/03/18 às 01:38 | Ação, Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Sobrenatural, Xianxia, Romance, Brasileira, Magia, Poder, Maduro, Drama