CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 1.7 - O Mito da Família

Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darou ka (DanMachi)

Capítulo 1.7 - O Mito da Família

Tradução: ScryzZ | Revisão: mano-chan | QC: ScryzZ



Isso mesmo, aquela era a quinquagésima vez que Héstia não havia conseguido recrutar um novo membro para a sua <Família>.

Contudo, Héstia por fim avistou uma pequena e solitária figura .

Tomando-a pelas dimensões de seu corpo, a mesma parecia pertencer a raça humana. Um garoto de cabelos prateados que, assim como Héstia, também aparentava estar deprimido. Ele parecia vagar sem rumo pela rua.

Héstia interessou-se por ele e decidiu segui-lo.

Com o intuito de se manter incógnita, procurando reduzir ao mínimo os ruídos emitidos, a deusa manteve certa distância de seu alvo enquanto movia-se pelas sombras dos edifícios.

Fazendo o mínimo de barulho possível a cada passo que ele dava ~ tetetete ~ ela corria atrás dele."

Aparentemente, o garoto desejava ingressar em alguma <Família>.

Quando bateu à porta de uma <Família> ele, sem sequer ser convidado a entrar, recebeu uma negativa imediata. Tendo como base as contas de Héstia, 10 <Famílias> já haviam recusado suas solicitações. Após tantas rejeições, o jovem sentou-se desanimado.

Enquanto seu olhar vagava pelos vários pedestres que transitavam, ele também procurava por um lugar a qual pertencer.

“Se continuar tão solitário, ele certamente morrerá”, era o que Héstia pensava ao observar aquele rosto pálido.

“Hey, você aí. Esse beco é perigoso, é melhor não entrar nele!”

Para fazê-lo perceber sua presença, ela teve que lhe falar algo.

O menino, que estava prestes a adentrar no dito beco, virou-se com um olhar surpreso e respondeu à Héstia.

“O-obrigado ... err, mas e você? Está sozinha em um lugar como este? Está perdida?

"... Não é você quem possui o mesmo olhar de uma criança abandonada?"

O primeiro encontro dos dois não foi muito agradável. Aquele tipo de situação não era incomum, quase todos os que se encontravam com Héstia pela primeira vez a tomavam por uma criança. Após descobrir a identidade de Héstia, o menino desculpou-se inúmeras vezes enquanto exibia uma expressão surpresa estampada em seu rosto.

“Garoto~. Então, você foi rejeitado por uma <Família> após a outra.”

"S-sim..."

Héstia, de maneira indiferente, colocou-se ao lado do jovem a fim de capturar seu olhar deprimido.

Sua aparência não despertava confiança, mas não parecia ser um problema que interferisse em sua personalidade. Pelo contrário, ele demonstrou grande afinidade moral. {mano-chan: “afinidade moral” significa o mesmo que “simpatia”}

Através das palavras trocadas ficou claro que, de uma forma tranquila e positiva, aquele jovem ainda era uma criança. {mano-chan: Aqui o autor parece se referir a idade mental do Bell; A inocência do carinha-que-mora-logo-ali}

“Ahh ~. Mmmm... Na verdade... Eu também não conseguir encontrar alguém que pudesse fazer parte de minha <Família>. Que coincidência, não? Se possível, eu gostaria que um aventureiro a integrasse. Isto é, bem…”

Héstia falou, com um tom de voz desesperado, sobre sua incapacidade de conseguir que um aventureiro ingressasse em sua  <Família>.

O menino de um pulo assim que a história entrou por seus ouvidos.

"Me aceite! Por favor, me aceite!”

“… Ah… tem certeza disso? Mesmo que atualmente seja formada por apenas um membro, você realmente deseja fazer parte da minha <Família>?”

“Isso é perfeito, não há problema algum! Em vez disso, não haverá problemas se permitir que alguém como eu participe?

"Não!"

Depois daquilo, tudo aconteceu correu de forma bastante rápida. A iniciação foi concluída e a <Família> de Héstia e Bell foi fundada.

“Tudo bem! Bell-kun, venha comigo! Realizarei a cerimônia de iniciação”.

"Sim!"

Ambos se detém ao se depararem com uma livraria em mau estado.

Havia um velho humano no interior daquela loja, ao avistar Héstia, o velho que possuía uma barba branca e curta se aproximou.

“Yaa, Héstia-chan. Caso o assunto seja o meu ingresso à sua <Família>, eu terei que recusar.”

"Não é isso! Ojii-san, por favor, empreste-me a biblioteca do segundo andar!” mano-chan: nesse ponto, acho que ela se refere apenas ao espaço da biblioteca

"Sim, sim, eu a emprestarei. Contudo, caso retire algum livro, o devolva ao seu lugar de origem.”

Ela subiu correndo pelas escadas enquanto puxava a mão de Bell, o cheiro de madeira velha preenchia todo o local.

Estantes lotadas de livros ocupavam o andar, havia até mesmo uma pequena montanha de livros empilhados em frente a uma delas.

Héstia, que não possuía dinheiro para comprar um único livro, passava todo o seu tempo livre naquela biblioteca graças à boa vontade do proprietário.

"Bem, depois que se despir, sente-se aqui."

"M-me despir?"

"Ah, basta a parte de cima. De agora em diante, você estará marcado com a minha <Graça> ”

Sentindo-se imensamente feliz, Héstia começou a marcar Bell com  a <Graça dos Deuses>.

Era sua intenção fazer daquela biblioteca o lugar onde concederia sua <Graça> aos seus primeiros filhos, isso havia sido decidido há muito tempo.

“Para uma amante de livros como eu, este lugar será o ponto de partida perfeito”. mano-chan: Héstia falando galera

O começo de sua história se deu envolto por número incontável de livros. Contudo, aquele não era um local apropriado para o seu crescimento.

"Bell-kun, você já se perguntou, por que você deseja se tornar um aventureiro?"

"N-na verdade, desde criança, eu sempre desejei ter um encontro predestinado na <Dungeon do Labirinto Sagrado> ...!"

"Encontro-? A outra pessoa seria uma mulher, certo? É essa a sua motivação?”  mano-chan: oxe, dar um descanso às mãos é um gesto nobre U-U

“Eu... Não é uma coisa dessas! Ter um encontro é algo sublime, é um Romance de Homem! Mesmo o meu avô, aquele que me criou, dizia que <Harém é o Caminho!>”

"Você... isso é um grande equívoco daquele que o criou."

Depois de um tempo, a <Graça dos Deuses> foi gravada.

Em frente a Héstia, vários caracteres de cor preta estavam gravados. Héstia acariciou Bell e os caracteres recém escritos em suas costas.

Era algo semelhante as páginas de um livro antigo, com uma enumeração dos caracteres sagrados.

Era um livro chamado <Status>.

(Eu me pergunto: que tipo de caminho você irá trilhar?)

<Pontos de Experiência> ... Espaço onde a toda a experiência acumulada será será exibida, por assim dizer, é um recorde para aqueles que receberam a <Graça>. Os filhos permitirão que seu Deus avalie o que vêem e ouvem, ao fazer isto, as informações obtidas são gravadas em suas costas.

Qualquer que seja o caminho que Bell escolha trilhar, Héstia continuará a escrevê-la.

“... Agora, Bell-kun, trabalharemos duro. A jornada de nossa <Família> começa aqui. ”

"Sim!"

Uma luz dourada brilhou através da janela e iluminou o interior daquela sala empoeirada.

Naquela sala apertada, a imensidão de livros pareceu abençoar o começo de uma nova <História>.

Um espaço vazio foi gravado nas costas de Bell, vendo aquilo, Héstia sorriu.

Agora, o seu destino será escrito por suas próprias mãos.

Uma <História> levada a cabo por seus próprios filhos.

No passado, <Histórias> escritas por <Aventureiros> eram comuns.

Era isso que os <Deuses> vigiavam, uma <História> sobre as façanhas de um herói.

A caminhada do garoto e os registros da deusa.

<A História da Família>

Por ScryzZ | 05/10/18 às 12:20 | Ação, Aventura, Fantasia, Magia, Poder, Mitologia, Ecchi, Shounen, Japonesa, Elementos de MMO