CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 2.3 - Magia, Magia Que Convoca Um Travesseiro

Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darou ka (DanMachi)

Capítulo 2.3 - Magia, Magia Que Convoca Um Travesseiro

Tradução: Verin | Revisão: Hazel, GonP


Um flash prateado passou.

“Grrooaaaaahhhhhhh!!?”

Uma linha luminosa foi desenhada desde a cabeça do monstro esqueleto, o <Spartoi>, até a parte de baixo de seu corpo. O monstro deu um último grito agonizante.

<Spartoi> se assemelhavam a esqueletos humanos, exceto que haviam peças de armadura presas a diferentes partes de seu corpos. Eram feras verdadeiramente terríveis. Com bordas afiadas por toda sua estrutura e empunhando ossos brancos como armas, eles eram os abomináveis monstros esqueléticos que aparentavam ser, dos pés à cabeça.

Eram categorizados como Monstros Nível 4, e guardavam muito bem seu território na <Área Profunda> da Dungeon. No entanto, foi morto num piscar de olhos.

“……”

A espadachim desceu a ponta do florete em direção ao chão, o poder esmagador de seu ataque fazendo aqueles à sua volta suarem frio.

Ossos, ossos, ossos, ossos.

Ossos cobriam o chão até onde os olhos podiam ver. Esses fragmentos brancos eram os restos de  um grupo de mais de 10 Spartoi, que encontraram sua morte neste local.

Olhos e cabelos dourados.

Uma garota com uma beleza que rivalizava com os Deuses estava no centro deste horrível cemitério.

“No fim, ela derrotou todos por si mesma…”

“Ela seria muito mais bonita se fingisse ter problemas de vez em quando…” Verin: Padrão de beleza - Bela Estripadora de Monstros | Hazel: ainda não curto muito ela, maaas sei reconhecer uma boa rival na trama

No tempo que levou para seus aliados falarem essas palavras, a garota com cabelos dourados - Aiz Wallenstein - silenciosamente colocou o florete de volta na bainha e se virou na direção deles.

“Ok, ok, bom trabalho Aiz! Precisa de uma poção de recuperação? Ou um elixir?  Que tal um de seus favoritos bolinhos de batata com sabor de feijão doce!?”

“Estou bem, Tiona. Obrigado… Mas eu quero o bolinho.”

“Para que ela precisaria de uma poção de recuperação? Não tem um arranhão nela.”

"Em qualquer caso, os monstros foram finalizados... O que faremos agora, Fynn?"

“Humm… Devemos voltar para casa? Nós viemos apenas por diversão, por isso seria um verdadeiro problema se ficássemos sem comida e tivéssemos que voltar com fome. Quais são seus pensamentos, Riveria?”

Eles estavam no trigésimo sétimo andar da Dungeon. Os membros da 【Família Loki】 viajaram até o nível conhecido como "Fortaleza Inferior". A equipe era muito pequena, com apenas sete membros, incluindo seus suportes. Aiz Wallenstein liderou o grupo de apenas cinco aventureiros de primeira linha.

Desta vez foi apenas por diversão. Ao contrário de sua expedição anterior, alguns membros da Família Loki com algum tempo livre em suas mãos se reuniram para fazer uma pequena ronda na Dungeon.

Por que eles estavam aqui? Porque estavam entediados.

Incontáveis aventureiros chegam tão profundamente na Dungeon apenas para perder suas vidas. O fato de que qualquer um deles aqui poderia dizer que isso era ‘por diversão’ dizia muito sobre seu real poder.

“Se essa é a decisão da Líder… Ei, vocês dois, vamos recolher tudo!” A normalmente distante elfa, Riveria, levantou a voz.

Tiona e Tione, duas irmãs amazonas com a pele da cor do trigo, assentiram em reconhecimento. Aiz, segurando um bolinho de batata com ambas as mãos, afundou os ombros em decepção.

As provisões eram um problema comum sempre que uma equipe de aventureiros viajava para dentro da Dungeon.

“Mas sabe, se Bete estivesse aqui ele estaria bem agitado agora. Ele sempre tenta agir como um figurão na frente da Aiz. Isso me irrita, sério.”

“Depois daquela noite no bar, quando dissemos a ele depois que ele ficou sóbrio que Aiz o rejeitou, ele quase chorou! Tão deprimente!”

“Ahhhhhh! Eu realmente queria ver! Por que você não me disse Tione!”

Não havia muito a fazer antes de se preparar para sair. Isso porque juntar as pedras mágicas era o trabalho dos suportes, e Aiz já havia aniquilado todos os monstros da área. As irmãs criaram um ambiente muito descontraído enquanto os dois suportes, que acabaram de chegar ao Nível 3, iam trabalhar nos restos dos <Spartois>.

Aiz ergueu os olhos do bolinho de batata para expressar sua própria opinião.

“...Finn, Riveria. Eu gostaria de ficar para trás, sozinha.”

As duas pessoas que ouviram ela chamar seus nomes revelaram expressões levemente diferentes. Finn apenas estreitou seus olhos levemente. Riveria ao invés disso, com um rosto imutável, apenas fechou um olho.

Ignorando Tiona e Tione, que subitamente pararam suas ações, Aiz continuou a falar sobre sua opinião.

“Não precisam deixar nenhuma comida para mim. Além de tudo, eu não desejo causar problema algum aos outros. Por favor.”

“E… Espere! Aiz, no momento que disse essas palavras, você já causou problemas para nós! Se nós deixarmos Aiz sair por si mesma nesse tipo de lugar, nós ficaremos preocupados!”

“Concordo com Tiona. Não importa o quão baixos sejam os níveis dos monstros, eu não posso abandonar um aliado nas profundezas da Dungeon. É muito perigoso.”

Aiz olhou triste, encarando Tiona, que tinha as mãos nos quadris e inclinou-se a centímetros do nariz de Aiz. Ela não podia refutar a opinião de Tione também.

Ela sabia que o que elas diziam era inquestionavelmente correto.

“Por que você quer lutar tanto assim? É um desperdício, Aiz! Você é tão adorável! Você deveria agir mais como uma dama! Como você pode estar perdendo para mim, uma Amazona, no senso de moda?"

“Eu… Não ligo para isso…”

"Por quê não? Você não quer um homem bom e forte... Ou algum companheiro que você favoreça, ao menos? Seu lindo rosto é apenas decoração?”

"Você... Sobre as coisas que até mesmo você é incapaz, não tente forçá-la aos outros.”

Para a teimosa Aiz, que baixou a cabeça, Riveria, que ficou de fora, suspirou.

Ela então se virou para Finn e disse.

"Finn, eu vou pedir-lhe também. Por favor, respeite o desejo de Aiz.”

“Riveria ?”

“Hãnn...?”

Pallum, que era o mais baixo do grupo, olhou para Riveria tentando entender o verdadeiro significado de suas palavras.

"Ela não costuma fazer declarações egoístas. Eu quero que você escute.”

"Você não pode tratá-la como um pai cuidando de uma criança, Riveria. Tiona e Tione estão certas. Desde que seja minha responsabilidade que todos voltem em segurança, não posso aprovar isso. ”

"Eu estou ciente de que estou estragando ela ... Então."

Riveria suspirou pela segunda vez e olhou para Aiz.

Olhando para os olhos tristes da garota que normalmente não mostrava emoção, a elfa riu um pouco dentro de si mesma.

Ela então cruzou seu olhar com Fynn.

"Eu permanecerei também."

Fynn olhou de novo para os olhos da elfa, com a mão no queixo. Ela assentiu lentamente, como se essa decisão fosse extremamente importante.

"Certo, vá em frente."

"Hã? Fynn, coloque algum sentido nelas!”

“Enquanto Riveria estiver com ela, duvido que o pior aconteça. Por outro lado, podemos nos deparar com problemas no caminho de volta.”

"Porque eu não posso atacar ou curar ninguém, certo, capitão?"

As coisas aconteceram rapidamente depois que o líder se decidiu.

O grupo de Fynn com os adeptos disse adeus às duas que ficaram para trás, indo embora.

De pé na única entrada da sala, Tiona se virou e acenou para Aiz e Reveria.

"Obrigado, Riveria."

“Enquanto eu gostaria que você parasse, agora é tarde demais. Eu vou dizer isso, porém: é melhor não ter que lutar ”.

"…Desculpe."

As duas garotas não se olharam, mas havia muita confiança em suas palavras.

O trigésimo sétimo nível era diferente dos andares superiores, pois estava quase completamente escuro. O teto era tão alto que não podia ser visto a olho nu. Um abismo negro pairava sobre as cabeças de aventureiros que passavam por esses corredores.

Pequenas manchas de fosforescência, piscando em intervalos iguais, como velas ao longo das paredes brancas da masmorra, eram as únicas pistas visuais.

As duas ficaram naquele lugar, em silêncio, enquanto um olhar interrogativo crescia no rosto de Riveria.

Sentindo algo, Aiz retirou sua espada.

"Está aqui."

"O que está aqui?"

Os olhos de Aiz se fecharam, prontos para a batalha. Ela ia responder à pergunta, mas não havia necessidade - Riveria logo percebeu o que estava acontecendo.

O chão abaixo delas estava começando a rachar.

"Poderia ser..."

O sussurro de Riveria alcançou Aiz no exato momento em que os olhos dourados da garota loira se fixaram em um ponto no meio da enorme sala.

Ela piscou e o chão se abriu.

Sujeira e cascalho foram empurrados para o lado quando um gigante colocou sua cabeça para fora do chão.

Crack, crack, crack. O som horrível da terra sendo dilacerada ecoou pela câmara. Pedaços do chão que foram levantados pela estrutura maciça da coisa caíram no chão da masmorra como um deslizamento de terra, um rugido ensurdecedor crescendo mais alto a cada segundo.

Um crânio, depois clavículas, costelas e um quadril apareceram. Um esqueleto preto estava nascendo no chão da masmorra.

Cada movimento que fazia enviava uma onda de choque pela sala. Todo o trigésimo sétimo nível estava tremendo.

Era como se o calabouço estivesse uivando em comemoração ao nascimento de seu filho favorito.

"NGOOOOOOOOOOOOOHHHHH!"

As duas aventureiras ficaram abaixo quando o monstro gigante soltou um grito horrível de nascimento.

O monstro gigantesco uivou para o teto. Ele possuía mais de dez metros de altura.

Era preto da cabeça aos pés - um esqueleto gigante do inferno. A maior parte de seus membros inferiores ainda estava dentro do chão da Dungeon e duas grandes protuberâncias surgiram do alto de seu crânio. Era como se um <Spartoi> tivesse continuado a evoluir.

Duas faíscas vermelhas de sangue cintilavam nas órbitas oculares do crânio.

A pedra mágica da criatura pairava sem peso dentro do tórax, protegida por uma gaiola de ossos.

"Então, três meses se passaram ..."

Como regra geral, o número e o tipo de monstros em cada andar não mudavam.

Um único tipo de monstro não poderia invadir um andar, e novos monstros nasciam para substituir os mortos pelos aventureiros. Embora houvesse alguma diferença no tempo necessário para novos monstros aparecerem em cada andar, nunca demorava mais do que um dia. Hazel: os andares funcionam como ecossistemas, por isso monstros que não surgem nessa área não podem invadi-las | Verin: HazelPedia é conhecimento de Dungeon puro e correto… rsrs <3

No meio de tudo isso, havia um tipo de monstro que não revivia imediatamente depois de ser morto. Seu intervalo de renascimento foi muito mais longo.

Além disso, havia apenas um desse tipo de monstro em cada andar.

Talvez por serem muito fortes ou muito grandes, a Dungeon só permitia um deles no andar, e nunca mais do que isso.

A Guilda sabia sobre esses monstros especiais dos tempos antigos e tinha um nome para eles.

"Rei dos Monstros."

"Riveria, deixe comigo".

Todas as variedades de Rei dos Monstros parecem diferentes, mas têm duas coisas em comum: elas têm um longo intervalo de renascimento e são extremamente poderosos.

Disseram que cada um deles estava a dois níveis totalmente acima do resto dos monstros em seu andar.

Mesmo os aventureiros do mais alto nível os respeitavam e os temiam, chamando-os de “Chefes do Andar”. Geralmente, muitos aventureiros tinham que trabalhar juntos para derrubar um deles.

"Aiz, você realmente pretende lutar sozinha?"

Riveria preocupada olhou para a garota com olhos severos.

Aiz ergueu a espada e caminhou calmamente em direção a <Udaios>, o Rei dos Monstros, que estava rugindo ameaçadoramente em sua direção.

"Não é um problema."

Os deuses cantaram louvores a isso, seu ‘chefão, segunda classe’.

Mas a garota agora o enfrenta sozinha.

"Eu terminarei em um instante."

Uma semana depois, rumores de uma Kenki de nível seis se espalhariam por Orario.


“……”

Bell parou de caminhar.

Ele virou o pescoço para olhar por cima do ombro, a escada descendo que ligava o primeiro ao segundo andar.

“Qual o problema, Bell-sama?”

“... A Dungeon sacudiu?”

Lili olhou para Bell enquanto ele tentava o seu melhor para olhar profundamente no segundo nível - não, ainda mais longe na Dungeon.

"Sacudiu? Lili não sentiu nada.”

"... Fui só eu?"

Os sentidos de Bell estavam em alerta total. Até mesmo esperar por alguns momentos não o acalmou. Esticando o pescoço e erguendo uma sobrancelha, ele decidiu que era apenas sua imaginação.

"Foi um longo dia hoje."

"Sim, foi. Mas não apenas um longo dia, um dia extremamente longo! Já são meia noite.”

"Hã? Mesmo?!"

Ela assentiu com a cabeça, com o colar de relógio de ouro na mão.

Os ponteiros grande e pequeno no mostrador do relógio estavam muito perto de se sobrepor.

"Whoa, eu não tinha idéia..."

"Porque os monstros continuavam chegando no final."

Lili disse que não havia tempo para olhar para o relógio, a mochila abaulada balançando a cada palavra. Eles pegaram muitos itens de loot naquele dia, e não havia espaço sobrando em sua mochila enorme.

Vários dias se passaram desde que eles assinaram o contrato.

Com a ajuda de Lili, Bell teve alguns dias muito produtivos no Dungeon. Talvez ele tenha se ajustado à vida de um aventureiro. Sua contagem diária de mortes aumentava aos trancos e barrancos, muito maior do que quando ele trabalhava sozinho. Agora ele estava indo a toda velocidade em direção ao seu próprio objetivo.

Bell ficou continuamente surpresa com a diferença que a presença de um suporte poderia fazer.

Enquanto isso, Lili ficava confusa com a quantidade absurdamente alta de mortes desse suposto aventureiro novato todos os dias.

"Então, cinquenta-cinquenta no loot de hoje?" Verin: Agora é tudo no fifty-fifty (Peguem essa referência… kkkkkk)

“...Bell-sama, eu acho que você precisa aprender sobre o valor do dinheiro e do senso comum. Pode não ser o dever da Lili dizer, porque Lili é muito grata... Mas o Bell-sama é generoso demais.”

"Mas você precisa de dinheiro agora, certo, Lili?"

"Isso é verdade ... Mas é como se a Lili não suportava vê-lo vulnerável, como se a Lili estivesse cuidando do coelho de estimação de outra pessoa e estivesse preocupada com cada pequena coisa... a Lili se sente envenenada."

Ela tem me dado muitas dessas palestras recentemente, pensou Bell consigo mesmo.

O relacionamento deles tinha sido como a interação de uma pessoa comum trabalhando com um aristocrata até pouco tempo atrás. Mas a etiqueta e o protocolo para interagir com estranhos haviam sido há muito descartados. Bell sentiu como se a brecha entre eles tivesse sido preenchida - como se ele e Lili estivessem se tornando amigos.

Bell e Lili viajaram através do nível um, jogando Goblins que apareciam em seu caminho como papel de seda, e deixaram a Dungeon. Depois de um banho rápido e uma viagem para a Estação de Troca de Babel, os dois saíram pelo portão da frente.

"Uau, você não estava brincando! É muito tarde…"

O Parque Central, a área aberta ao redor da torre, estava coberto por uma cortina de escuridão.

Em meio às luzes das lâmpadas de pedra mágica embutidas nas paredes da cidade, havia um silêncio completamente diferente da tarde.

Por outro lado, todas as tavernas à distância pareciam tão animadas como sempre a essa hora.

"… É realmente enorme."

Os olhos de Bell fizeram um circuito ao redor do Parque Central até que seu olhar finalmente pousou na própria torre.

Ela perfurou o céu noturno. Babel ficou de pé calmamente, olhando por cima deles.

Embora fosse impossível ver a essa hora da noite, Bell sabia que havia desenhos meticulosos esculpidos na torre de um canto a outro.

O exterior era quase uma obra de arte; não combinava com as instalações práticas no interior. Bell respirou fundo, encarando a torre que incorporava a extravagância e a dignidade dos próprios Deuses.

“Eu me pergunto, por que a Torre de Babel é tão alta? É ótimo que a guilda alugue espaços para arrendatários, mas transportar as coisas até o quinquagésimo andar parece mais um problema do que bene... ”

"Sr. Bell, os arrendatários da guilda só vão até o vigésimo andar, sabe?”

“Hã… Isso está certo?”

Os lábios de Lili se contraíram levemente com o olhar de falta de noção nos olhos de Bell.

Ligeiramente envergonhado, Bell decidiu perguntar diretamente a ela.

"Se não está cheio de lojas, então o que diabos está acima do vigésimo andar?"

"Deuses e Deusas residem nesses andares, Bell-sama."

"…Os Deuses?"

"Sim. Apenas os chefes das muitas Famílias em Orario podem morar lá, mas seus quartos sobem ao topo. ”

Parecia natural que os deuses, que tinham um gosto pelo extravagante, quisessem morar na Torre de Babel, o símbolo da Cidade do Labirinto Orario. Cada quarto foi equipado com as comodidades mais avançadas e elegantes, mas a verdadeira atração era a vista. Nenhum outro edifício era autorizado a ser tão alto, para que os deuses pudessem ver a cidade inteira de fora de sua janela.

Os deuses pagavam uma renda muito alta para a guilda para morar lá. No entanto, se eles tivessem dinheiro suficiente para ignorar esse detalhe, então eles poderiam habitar a habitação de classe mais alta em toda Orario.

Em outras palavras, apenas os deuses e deusas mais ricos e poderosos poderiam viver ali.

"Ohh ... Então existem deuses que não moram em casa, mas preferem morar longe de suas Famílias."

“Pense nisso como uma sala privada, Bell-sama. Embora existam Deuses que gostem de conversar e interagir conosco, existem outros deuses que gostam de sua privacidade. É assim que a imagem deles é desde os tempos antigos.”

Bell assentiu em compreensão.

“Lili ouviu dizer que a Torre da Babel nem sempre foi tão alta. Costumava ser a tampa da Dungeon, mas não era maior que os outros edifícios ao redor.”

"Bem, então por que é tão grande agora?"

"Quando os primeiros deuses desceram, a torre foi destruída... Eles desceram como estrelas cadentes e atingiram a torre."

Parece que eles fizeram isso de propósito.

Esses deuses destruíram completamente a torre acabada e riram dos rostos chorosos do povo antigo de Orario. Em sua mente, Bell podia ver os rostos dos cidadãos, bocas meio abertas, lágrimas rolando pelo rosto, bem como os deuses risonhos tentando se desculpar. Ele soltou uma risada seca.

“Desde então, é conhecida como Babel A Torre Caída. Essa poderia ser outra razão pela qual os deuses vivem aqui agora.”

Lili continuou dizendo que os deuses se desculparam contribuindo para o esforço de reconstrução... e detendo os monstros da Dungeon. Seu método: A Graça Divina.

As pessoas da época reverenciavam as bênçãos de força que recebiam dos deuses e permitiam que eles vivessem em Babel como uma forma de mostrar sua apreciação.

Logo, muitos deuses e deusas começaram a aparecer em Gekai - o mundo inferior, para eles - e criaram os grupos conhecidos como Famílias em muitos lugares ao redor do mundo. Seu relacionamento de adorador-adorado continuou enquanto Babel era construída cada vez mais alto para representar a influência dos deuses em Gekai.

A Torre de Babel cresceu até a altura atual, assim como ganhou a imagem de um santuário para o poder dos deuses.

“Eu acho que entendo… Sempre que ouço histórias sobre os deuses, não posso deixar de me perguntar o quão chato é o mundo deles. Eles teriam que ficar entediados o suficiente para querer deixar o céu e vir aqui, certo?”

"Talvez eles odiassem seus trabalhos o suficiente para fugir?"

Bell estava olhando para a torre durante a conversa, mas essas palavras chamaram sua atenção e ele se virou para encarar Lili.

“Lili ouviu dizer que os deuses tinham muitas responsabilidades em Tenkai - o mundo superior. Sua mais importante é cuidar de nós, seus filhos, quando vamos para o sono eterno.”

"Não é isso...?"

"Sim. Eles são responsáveis ​​por orientar as pessoas depois que elas morrem.”

Ouvindo essas palavras, Bell sentiu seu coração acelerar um pouco.

Essa não foi a reação típica a esse tópico, mas ele sentiu seu destino na voz de Lili.

O ponto de Lili, em suma, era que os deuses decidiram o que aconteceu com os mortais após a morte.

Para colocar de outra forma, eles julgaram as almas de todos.

O tratamento de uma alma pode variar muito, dependendo do deus responsável por ela. Poderia ser permitido viver em Tenkai, ou poderia sofrer uma dor inimaginável, ou ser forçado a um trabalho duro sem fim e sem sentido... Se alguém fosse começar a listar as possibilidades, a lista nunca terminaria.

O destino de todas as almas libertadas dos laços de Gekai dependia dos caprichos dos deuses. O conceito de ser uma pessoa boa ou ruim durante a vida não entrou nisso.

Ou os deuses gostaram de você ou não gostaram. Seu humor determinou o céu ou o inferno.

Um "julgamento" livre de regras e regulamentos, em vez disso baseado em caprichos e opiniões, aguardava-os.

“Então, novamente, a maioria das almas apenas reencarna de qualquer maneira… Já que todo esse trabalho deve ser feito, os deuses que ainda estão em Tenkai têm que pegar a folga deixada pelos deuses que moram aqui. Eles estão sobrecarregados sem tempo para descansar. Eles ficariam bravos, não? Os próximos a vir aqui terão uma ‘discussão’ muito intensa para determinar a ordem de saída."

(Eu não quero ir para lá... Eu não quero morrer…) Bell estava imerso em pensamentos.

Se ele fosse para lá agora, eles o colocariam no inferno. Por diversão.

Como se ela pudesse ver onde os pensamentos de Bell o estavam levando, Lili estendeu a mão e sacudiu o ombro dele.

Ele saiu e deu um sorriso envergonhado.

Alguma coisa estava errada.

"...Mas houve um tempo em que Lili ansiava pela morte."

Foi isso.

Essas palavras foram como um soco no estômago.

"…Hã?"

“Se Lili fosse à frente dos deuses… Se Lili pudesse renascer… A nova Lili certamente seria melhor que a atual…”

Lili olhou para o topo de Babel - não, mais longe no céu enquanto ela falava.

Seu capuz dobrou para trás quando ela olhou para cima, expondo seu cabelo castanho e grandes olhos redondos. Eles estavam em branco.

Parecia que ela estava olhando para o céu, ansiando por ir para casa.

"L-Lili!!"

Bell gritou de repente.

Ele sentiu como se não o fizesse, Lili poderia simplesmente desaparecer.

Lili fechou os olhos devagar, interrompendo seu curso em encarar as estrelas, e olhou para Bell com os olhos escondidos atrás da franja.

"Desculpe por dizer uma coisa tão estranha."

“……”

"Isso foi há muito tempo atrás. Por favor, não leve Lili a sério. Lili é mais forte agora. Lili não tem mais esses pensamentos.”

Bell não podia dizer nada.

Ela tinha que estar dizendo a verdade. Lili estufou o peito com um pequeno grunhido, e não havia tristeza em sua linguagem corporal. Ela deve ter se recuperado de algo em seu passado.

Essa foi mais uma razão pela qual Bell não poderia colocar suas emoções em palavras ou ações.

“Bem, já é muito tarde, Bell-sama. Vamos depressa para casa. Lili tem que voltar para a Família dela esta noite também.”

Uma alegre e empolgada Lili deu as costas para a torre. Ela se afastou, dando pequenos passos.

Bell olhou para os ombros, ombros pequenos demais para suportar tanto peso.

Ele a observou carregar aquela mochila, estranhamente grande no pequeno corpo da garota, com o coração pesado. Um momento depois, ele correu atrás dela.

 

"Então, você ficou ainda mais forte."

Uma voz sussurrou do alto.

Abaixo, uma sombra branca, correndo atrás de outra sombra ia se afastando.

Os olhos excitados de uma mulher seguiram essa sombra com a maior intensidade.

Nuvens no céu noturno mudaram, inundando o quarto da mulher com a luz da lua.

Toda a parede externa da sala era feita de vidro. A mulher ao lado da parede de vidro estava tão claramente iluminada que era como se a lua estivesse lançando um holofote sobre ela.

Seu corpo magro e delicioso estava envolto em uma camisola preta.

Sua pele clara e suave exalava um ar misterioso enquanto se banhava no brilho lunar.

Cabelos prateados que chegavam quase até a cintura brilhavam como se fossem feitos de gelo.Hazel: não suporto essa criatura maaas, nossa senhora, que espetáculo de deusa *u*

“Isso é maravilhoso. Você deve brilhar ainda mais…”

A mulher - Freya - juntou as mãos e aplaudiu, a figura escandalosamente bela refletida no vidro.

Era o andar mais alto da Torre Babel.

Freya residia no quarto mais alto e mais glamoroso de toda a região.

Da construção, ela observava Bell pela janela de sua parede.

“Mais, mais, brilhe ainda mais brilhante, criança. É seu dever, agora que você tem minha atenção.”

Um amor profundo estava em seus olhos, junto com a autoridade absoluta de classificação.

Freya estava obcecada pelo garoto, Bell.

Obcecado o suficiente para ignorar outras coisas insignificantes e para ser pego em uma paixão ardente de amor. A deusa da beleza estava fascinada por ele.

Freya possuía os 【Olhos da Compreensão】, uma habilidade que permitia que ela visse a verdade dentro das almas das pessoas do mundo mortal.

Este era um dom natural dela, não uma das habilidades conhecidas como 【Arkanam】. Os deuses tinham um acordo proibindo o uso desses poderes em Gekai, mas os Olhos da Compreensão de Freya não foram afetados. Certa vez, ela usara aqueles olhos para julgar almas de pessoas mortas que vinham a seu templo em Tenkai, especialmente as almas de guerreiros que caíam em combate, e levava-os.

Em sua coleção, é isso.

Freya podia determinar a natureza de uma alma mais rápido que qualquer outro deus, e ela rapidamente abraçou seus favoritos.

Almas que receberam seu julgamento após a morte foram os sortudos.

Aqueles que chamavam sua atenção enquanto eles estavam morrendo eram extremamente afortunados.

Isso é porque eles seriam amados pela deusa da beleza por toda a eternidade.

Mesmo se eles fossem para sempre contidos e negassem sua liberdade.

Freya controlava o amor e a beleza.

Para melhor ou pior, ela era uma deusa selvagem e cruel.

"Torne-se mais forte, cresça mais digno de mim... Essa é a sua tarefa."

Como muitos outros deuses, Freya deixou seu templo e o próprio Tenkai para descer ao Gekai, mas isso não significava que seus ‘hobbies’ tivessem mudado. Ela usou seus olhos para ver as verdadeiras cores das crianças e para adicionar as almas mais talentosas e brilhantes em sua própria Família.

Ninguém a recusou. Ninguém poderia recusá-la.

Ninguém jamais foi capaz de resistir à magia que era sua beleza.

Por essa razão, os membros da Família Freya tinham força e poder completamente separados daqueles que os cercavam. Mesmo entre as poderosas Famílias da Cidade do Labirinto, a Família Freya se destacou em seu poder.

A deusa Loki sabia perfeitamente bem sobre os olhos de Freya, e chamava isso de ‘raiz do inferno, a pior trapaceira’.

"Eu simplesmente gosto de homens fortes."

Ela havia descoberto Bell por coincidência.

Era cedo numa manhã. Seus olhos prateados o avistaram andando pela Rua Principal.

“Eu quero aquele.”

Essa emoção passou por ela à primeira vista.

Fazia muito tempo desde que ela se sentiu assim. Seu corpo todo tremeu levemente em antecipação; seu estômago pulou; Um sopro de euforia escapou de seus lábios. Assim como sempre acontecia com ela, ela não se tornou melhor do que uma criança que encontrou um brinquedo novo em uma loja de brinquedos. Um desejo puro, mas feio, de possuí-lo a consumiu.

A alma de Bell era de uma cor que os olhos de Freya nunca tinham visto antes: transparente.

De que cor se tornaria? Ou ficaria transparente? Qualquer coisa com um elemento de incerteza poderia manter um deus interessado indefinidamente.

É por isso que ela não conseguiu parar.

Então ela decidiu esperar e assistir. Seria divertido transformá-lo em sua própria cor, mas ela sentiu que haveria muito tempo para fazer isso depois.

"Eu não posso esperar. Quão forte você vai ser? Quão brilhante você vai brilhar?”

De que cor você vai se tornar?

Havia de fato amor em seus olhos prateados enquanto observava o menino do seu quarto, mas era um amor corrupto.

Ela colocou um dedo em seus lábios carnudos e divertidamente mordeu a ponta.

Por um momento, um aroma provocante encheu a sala.

"O que é isso…? …Ha-ha-ha, notou de novo, não é?”

O menino já era bem pequeno à distância, mas ele havia parado completamente e estava olhando em volta.

Era como se ele tivesse perdido alguma coisa e estivesse procurando freneticamente na área para encontrá-lo. Os olhos de Freya se fecharam ligeiramente quando um grande sorriso envolveu seu rosto.

Ele fez a mesma coisa na primeira vez que o viu na Rua Principal. Ele notou o olhar dela quando ela se concentrou nele com toda a excitação acumulada em seu corpo. Sua percepção era melhor do que ela pensava.

Quase como se o olhar dela tivesse sido forte demais.

(Ele não tem os talentos de outras crianças antes dele... Por que, então?)

Tudo poderia ser devido ao seu crescimento? Mmm... muito intrigante.

Olhando para trás naquele momento, ela deveria ter feito seu movimento.

Ela sentiu como se pudesse facilmente controlá-lo como uma marionete, enquanto o observava falar com alguma familiaridade para uma garota na rua. Mesmo que ele tivesse uma bênção de outro deus, ela não tinha dúvidas de que poderia tê-lo convencido.

Ela se conteve porque não sabia a qual família ele pertencia - que deus se moveria para protegê-lo. Ela não queria brigar com alguém como Loki e sua família. Isso, e -

Depois de ver seu sorriso inocente, seus impulsos diminuíram, e ela não se sentiu mais assim.

Terei que remover Hestia... Mas esse menino é meu.

‘Mas, por enquanto, mudar o plano e observá-lo das sombras não era uma coisa tão ruim.’ Freya assentiu para si mesma.

Ninguém se cansaria de ter sempre um gato no colo. Era bom deixá-lo expor o conteúdo do seu coração no jardim de vez em quando.

De qualquer forma, aqui era seu próprio jardim.

Ela poderia recolhê-lo à qualquer momento.

"Vou esperar um pouco antes de te fazer meu... É estranho, parte de mim não quer que você venha. Agora pode ser o momento em que os pensamentos sobre você mais se misturam em minha mente.”

Assim como todos antes dele, uma vez que ele se tornou dela, ela perderia o interesse ao longo do tempo. Ele se tornaria como um brinquedo favorito em uma prateleira, uma das bonecas sentadas em uma fileira. Ocasionalmente, ela se lembraria dele, tiraria-o da prateleira para brincar e depois o colocaria de volta.

A esperança e a emoção dos primeiros momentos sempre se desvaneceriam.

Emoção deteriorada.

O mesmo aconteceu com o amor. Uma vez que atinge seu pico, estava fadado a desmoronar.

Ninguém ansiava por um amor que esfriaria.

No entanto, Freya não achava que isso fosse inútil.

Aquela era simplesmente a natureza do amor e ela era a deusa do amor.

Ela achava que ter uma coleção na prateleira que fosse um pouco grande demais estava, de alguma forma, correta.

Ela prendeu alguns fios de cabelo que haviam caído em sua bochecha com o dedo e os puxou para trás da orelha.

Seus ombros nus foram banhados pelo luar.

Parecendo uma garota se apaixonando pela primeira vez, ela continuou observando Bell com olhos amorosos.

“… Entretanto, sim. Pode ser hora de você aprender magia.”

Tap. Ela bateu o dedo no queixo enquanto ela pensava em voz alta.

Depois de inclinar o pescoço, imersa em pensamentos, algo lhe veio à mente. Ela tirou os olhos do garoto lá embaixo e afastou-se da janela.

Seus Olhos da Compreensão não conseguiam decifrar os status dados por outros deuses ou deusas, mas ela podia inferir suas forças e habilidades por sua cor e brilho.

Ela poderia dizer, olhando para Bell, que ele não tinha magia. Freya sentiu que isso era uma falha.

Ela decidiu agir e rapidamente.

"Eu me pergunto se isso vai servir?"

Uma estante de livros adornada estava no canto do quarto. Era muito larga e alta, tanto que cobriria um corpo se caísse.

Seu dedo fino alcançou a prateleira do meio e puxou um livro grosso pela lombada. Caiu no braço que o esperava com um baque.

Folheando as páginas, Freya assentiu com satisfação.

"Ottar"

"Madame."

Uma voz rígida respondeu ao chamado de Freya.

Uma pessoa estava de pé dentro do quarto o tempo todo, ou talvez do lado de fora da porta principal.

As orelhas de javali destacavam-se acima de cabelos curtos e cor de ferrugem. Este homem tinha mais de dois metros de altura e um corpo tão sólido quanto uma rocha.

Ele ficou como uma estátua ao lado de Freya, um cão de guarda esperando pelos comandos do mestre.

"Eu quero que você pegue este livro..."

Ela estava prestes a entregar o livro quando suas palavras se esvaíram.

Fechando a boca, ela olhou para o livro em seus braços.

“Alguma coisa te incomoda?”

“He-he, não, não é nada. Por favor, esqueça.”

"Madame."

Ottar fez um breve aceno de cabeça e deu um passo para trás quando Freya sorriu para o livro.

Está certo. Não era necessário que seu estimado criado entregasse o livro diretamente.

Além disso, se esse monstro aparecesse silencioso diante de Bell e tentasse dar-lhe um livro, o menino ficaria aterrorizado. Apesar de divertido imaginar, não o faria.

Não havia necessidade de colocá-lo em suas mãos. Ele simplesmente teve que aceitar.

Ela sabia exatamente onde deixá-lo.

Seria exatamente onde ela o viu pela primeira vez, na grande rua onde eles "se conheceram".

Havia um certo bar bem perto.

Se o livro estivesse lá, acabaria em suas mãos com certeza.

No escuro silêncio da sala, o criado observou a Freya se virar para a parede da janela, rindo baixinho para si mesma.


 

"Ah-choo!"

Syr soltou um espirro bonitinho.

Ela corou atrás das mãos, cobrindo a boca. Todos os funcionários do bar em volta dela pararam o que estavam fazendo para olhar em sua direção. O rosto de Syr ficou ainda mais vermelho e ela olhou para o chão.

"Syr, você pegou um resfriado?"

“N-não. Estou bem. Nada para se preocupar.”

Syr forçou um sorriso através de suas bochechas rosadas em resposta à pergunta da elfa Ryuu.

O cabelo cinza-azulado de Syr estava amarrado em seu estilo habitual, um coque com um rabo de cavalo no meio. Seu rabo de cavalo tremeu quando ela acenou com as mãos, tentando convencer a elfa que ela estava bem.

"Talvez alguém esteja falando de você?"

“A resposta é óbvia! Nya-ha-ha, esse garoto aventureiro, nyaa!”

"Você vai me deixar com raiva, Chloe."

Syr ergueu os ombros, olhando para a menina que usava um sorriso muito felino no rosto.

A garota chamada Chloe não fez nada em resposta, simplesmente olhando de volta com o mesmo sorriso. Além disso, ela estava movendo uma das mesas do bar e brincando chicoteando seu rabo de um lado para o outro sob a saia.

Syr soltou um suspiro pesado.

"Mas aquele aventureiro não veio ontem à noite!"

"Mesmo que ele sempre retorne a cesta vazia depois de comer o bento do amor de Syr, nyaa!" Verin: Bento é um tipo de marmita.

“Syr até levantou cedo e procurou por ele, nyaa!”

"Eu não fui procurá-lo!"

Toda a equipe estava arrumando mesas para se preparar para o dia, mas se revezavam provocando a garota humana de todos os lados. Syr gritou para eles do meio do bar, mas as garotas não mostraram sinais de aprender a lição. Eles continuaram circulando como baratas, o mesmo sorriso em seus rostos.

“Não se preocupe, Syr. O Sr. Cranel não é o tipo de homem que negligenciaria seus sentimentos por ele. Tenho certeza que ele apenas saiu tarde da Dungeon e não tinha tempo na noite passada.”

"Se isso deve me fazer sentir melhor, Ryuu ... Não, não importa, eu desisto."

A elfa assistiu em confusão quando Syr ficou frustrada. "É apenas um mal-entendido", disse Syr, mas a sempre séria Ryuu não parecia entender.

Syr estava fazendo almoço para Bell todos os dias desde que ela lhe deu seu próprio almoço. Ela realmente não sabia por que, mas todos ao seu redor tinham chegado a essa conclusão.

Bell costumava devolver a cesta à noite depois de comer o almoço na Dungeon. No entanto, ele não apareceu na noite anterior. E agora nesta manhã ela estava sendo provocada por seus colegas de trabalho.

"Você não acha que ele morreu, não é, nya?"

"Você não deveria dizer isso, Ahnya. Você está sendo imprudente. Aquele aventureiro nunca deixaria Syr para trás!”

"Estou cansada disso…"

“Syr, mantenha-se junto. Tenho certeza que o Cranel-san está bem.”

"Não, Ryu, não é isso que eu quis dizer ..."

“O que Ryu disse, nya! Esse menino é forte demais para morrer! Se ele se for, meu coração será despedaçado…”

De repente todas as garotas começaram a falar ao mesmo tempo.

"De jeito nenhum ..." "Chloe, também...?" E outras frases de descrença foram murmuradas em todos os cantos do bar.

Uma muito frustrada e confusa Syr virou de um lado à outro, dizendo: "Eh? O quê?"

“Ele é insubstituível, nya! Você não poderia encontrar outro como ele qualquer lugar."

“Chloe…? O que você está dizendo?"

A garota-gata olhou para o céu enquanto falava. Agora Syr realmente não tinha ideia.

Ela tirou os olhos do teto e os plantou firmemente em Syr.

"Syr, eu preciso fazer uma confissão..."

"A-e isso é...?"

“Eu… com certeza gosto do seu corpo firme! Seu quadril me deixa-nyaa...!”

“……”

“Quando penso sobre a fruta madura dentro de suas calças finas… nya-ha-ha!”Hazel: Mau, acho q tô revisando a novel errada… | Ace:( ͡° ͜ʖ ͡°)

“Ah, todas as coisas sujas que eu faria…! Eu quero-Oww! Ai!”

“……”

“Um… espera - Oww, desculpe! Desisto! Tio!"

Todas as outras funcionárias pararam o que estavam fazendo e correram para parar Syr.

O Senhora da Abundância estava cheia de uma quantidade incomum de barulho esta manhã.

“Ei! Vocês, idiotas bobas! Parem de brincar! Voltem ao trabalho!”

A voz da Dona, Mia, explodiu da porta dos fundos quando ela olhou para a falta de progresso das meninas.

As “moças idiotas” pularam de surpresa antes de voltar apressadamente para suas tarefas. "De todos os..." a anã começou a dizer quando encolheu os ombros.

"……Hmm? Syr, o que é isso?”

"Hã?"

A companheira de trabalho de Syr apontou para trás e ela se virou para olhar.

Foi no balcão, exatamente onde Syr havia preparado um lugar especial para Bell na primeira vez que ele visitou o Senhora da Abundância.

Na cadeira onde Bell se sentou naquela noite estava um livro.

"O que é isso…?"

"Alguém deixou cair?" "O ​​que é isso, nya?" "Algo errado, nya?"

Syr pegou o livro com as duas mãos, suas colegas de trabalho espiando por cima dos ombros para dar uma olhada por si mesmas.

"Eu não sou inteligente o suficiente para ler, nya". "Eu também, nyaa".

"Sim, eu sei, então cale a boca."

"Por que eu deveria-"

"Syr, o que é isso?"

"Há um livro aqui... Não é um dos nossos. Talvez um cliente tenha deixado para trás?”

“Ohh…? Não foi ontem à noite…”

"Certo, certo! Erro de Runoa, erro, nya! Se não é um livro de um cliente, o que isso significa, nya? Alguém entrou no bar e deixou lá, nya? A ideia é tão cheia de buracos que eu me sinto doente…”

“Como sempre, o idiota com conhecimento inútil, nya...”

"O que?! Eu vou te matar!”

Ignorando a comoção atrás delas, Ryu e Syr deram uma olhada mais de perto no livro. Completamente branco e muito grosso, cheirava a papel velho.”

Foi forrado com muitas figuras e padrões indecifráveis. Não houve título.

"…Espere um momento. Este-"

Ryu percebeu alguma coisa, mas antes que ela pudesse colocar em palavras, o rugido de raiva de Mama Mia encheu a sala.

“Quantas vezes vocês vão me fazer dizer alguma coisa?! Palavras não são boas o suficiente para vocês?! O tempo acabou para esta anã colocar alguma disciplina em todos!”

Todos congelaram de medo.

“E-espera, mama, nya! Encontramos algo suspeito, nya!”

"Sim! Isso aqui!"

"Syr, apresse-se e mostre-o já!"

"Hã? Algo suspeito?”

Pressionado pela pressão dos colegas, Syr deu um "Hum, ok ..." e deu alguns passos à frente, o resto das garotas atrás dela. O cabelo azul-acinzentado de Syr tremia, ela mostrou a uma Mia muito séria o livro em suas mãos.

“Mama Mia, parece que alguém deixou este livro para trás por acidente.”

O que devemos fazer sobre isso?

"... Queeee?"

Toda a equipe observou com a respiração suspensa enquanto Mia olhava examinou ambos Syr e o livro com uma profunda carranca no rosto.

…?

Ryu não conseguia entender por que Mia tinha esse olhar em seu rosto. Era porque a anã tinha sido uma aventureira e ainda podia correr com os melhores deles. Mas Ryu nunca tinha visto Mia usar essa expressão antes.

Enquanto a elfa tentava entender tudo, os olhos penetrantes de Mia não saíram do livro. Ela então deu instruções a Syr em uma voz tão rude que era mais adequado para um campo de batalha do que um café tranquilo.

“… Coloque em algum lugar que possa ser visto. Se o dono não for idiota, perceberá que ele sumiu e procurará por ele.”

"Sim, entendido."

Depois que Syr abaixou a cabeça em um arco educado, a equipe se espalhou.

O medo desse novo tipo de raiva nos olhos de Mama Mia as levou a trabalhar mais do que nunca.

Ryu parou por um momento quando viu duas colegas de trabalho conversando amigavelmente, mas suspirou e voltou a trabalhar sozinha.


“Bell-sama! Tenha cuidado! Seus pés!"

"Hã?"

O grito de Lili bateu nos meus ouvidos.

Estamos atualmente no sétimo nível. Eu estava prestes a mergulhar em uma formiga assassina com a Adaga da Deusa na minha mão, então minha resposta foi um pouco desajeitada.

Eu matei tantos monstros neste nível que ele basicamente se tornou meu playground. Eu estava tão confiante que não percebi o que estava acontecendo.

“—Kiihiii!!!!!”

"!"

Eu sabia do que ela estava falando imediatamente.

Um coelho de espinhos.

O monstro parecido com um coelho, com as presas crescendo em suas bochechas, subiu até mim no meu ponto cego. As presas geralmente se tornam itens muito valiosos usados ​​para fazer armas, mas se essas saliências vermelhas atingissem, teria sorte de escapar com vida.

Está fazendo um caminho mais curto para a minha perna esquerda, seus olhos brilhando em vermelho.

"Keh!"

Acabei de plantar esse pé para não me esquivar! Estando no meio de uma corrida total, minha perna direita está a salvo do ataque do monstro, mas erguida inutilmente no ar.

Imediatamente, dobrei meu joelho esquerdo.

As únicas placas de blindagem na parte inferior do meu corpo estão protegendo meus joelhos. É um último esforço para bloquear o ataque do coelho de espinhos. Assim como eu esperava, a presa do monstro bate na placa e é rebatida.

SHING! O som de osso no metal reverbera em meus ouvidos quando a dor passa pelo meu corpo.

O coelho passa com um estrondo metálico agudo, mas meu equilíbrio está completamente quebrado.

"Gyaaaaaaaaaa!!!"

Muito oportuno…  Como se visse acontecer.

Meu alvo original vê a abertura e me carrega junto com seu amigo.

Eu matei dezenas dessas formigas assassinas nos últimos dias. Eu peguei quatro deles de uma vez em um ponto.

Quando era apenas um, eu não pensava muito no meu inimigo. Agora existem dois.

Como resultado, agora há quatro conjuntos de garras impiedosas indo direto para os meus olhos.

"Keehhh!"

Bloquear! Eu fecho meu braço esquerdo, equipado com minha braçadeira verde, na frente do meu rosto bem a tempo de bloquear o ataque.

A Braçadeira é muito durável e não há riscos nela. Mas o impacto do golpe não só dispara ondas de dor através do meu braço, todo o meu corpo disparou para o lado.

Eu não giro de jeito nenhum. Aterrissando graciosamente nas pontas dos meus pés, eu deslizo de volta, minha braçadeira ainda na frente do meu rosto.

É a vez da outra formiga assassina agora, e está investindo!

Ah, mer-

‘Eu vou ser imobilizado!’

Uma vez que ele me alcançar com força total, segurar meus membros com quatro de suas pernas e me espetar com suas garras, não haverá esperança de fuga. O corpo da formiga assassina é como uma armadura e igualmente pesada.

Eina me avisou sobre isso.

Com o meu tipo de corpo magro, ficar preso é o mesmo que ser derrotado.

Ah.

Esta é a segunda vez.

Esse sentimento de uma morte inevitável, o mesmo de quando eu lutei contra o Minotauro.

Corpo tremendo, encolhido de medo. Não posso respirar. Tempo parado.

A boca horrível da formiga assassina se abre de repente.

Eu posso ver fileiras de dentes doentios, todos pingando saliva.

Minha mente fica em branco. Tudo o que resta é absorver o golpe e eu me preparo para o impacto.

"NÃO-!"

No momento seguinte, o grito estridente de Lili e uma bola de fogo voam ao meu lado.

"Hã?!"

“Degggyaaaaaa!!!!”

"Bell-sama!"

O tempo volta para mim quando a bola de fogo atinge a cabeça da formiga assassina e ela solta um grito de angústia.

A Adaga da Deusa na minha mão direita pisca para a vida como se estivesse respondendo ao chamado de Lili.

"Gyuu?"

"Yeeeaaahhhhhhhhh!"

Corte! A cabeça em chamas da formiga assassina voa com um som muito satisfatório. Eu rumo em frente para enfrentar a outra, com o objetivo de matar em um golpe.

Minha lâmina perfura sua carapaça, dividindo-a em dois. Mas eu não tenho tempo para assistir, porque o coelho de espinhos está vindo por trás. Desembainhando minha segunda lâmina, eu contenho o avanço com um golpe na cabeça.

“Gii. Gaah…”

"... Hah-haaaaaa!"

Eu exalo a respiração que ficou presa na minha garganta, agora que todos os monstros no salão estavam mortos no chão.

Me desfazendo em suor frio que veio tarde demais, eu me debrucei e limpei meu rosto.

Eu quase morri.

Meu coração está batendo como um louco dentro das minhas costelas. Eu tento suavizar minha respiração, com o pulso batendo nos meus ouvidos.

“Bell-sama! Você está machucado?"

“… Lil-li. Obrigado, você salvou minha vida…”

A tensão no meu corpo sai quando a vejo correndo para mim. Quando ela me alcança, eu jogo meu traseiro no chão.

“Isso foi descuidado! Era uma situação perigosa, mas Bell-sama piorou tudo!”

"Desculpa…"

Não tenho palavras para me defender.

Eu fiquei muito confortável, e isso me deixou confiante demais.

Eu pensei que poderia tirar os dois de uma vez, e os subestimei.

Assim como os livros - e Eina - disseram. Contanto que eu os levasse um de cada vez, não importaria se um coelho de espinhos viesse de repente. Isso não teria acontecido.

Agora eu conheço o verdadeiro terror do Dungeon: Nada é certo.

Se eu tivesse feito um movimento errado, ou se Lili não estivesse lá, eu estaria morto agora.

Um arrepio percorre minha espinha com esse pensamento, fazendo todo o meu corpo tremer. Estou queimando esse sentimento na minha memória. Decisões descuidadas levam a consequências mortais.

Eu só ouço a última palestra de Lili e solto um longo suspiro.

"Você está ouvindo, Bell-sama?"

"Ah, sim, desculpe... estou refletindo sobre minhas decisões. Eu nunca farei isso de novo… ”

“Bell-sama parece que se arrepende de suas ações. Nesse caso, Lili vai manter a boca fechada. Será responsabilidade de Bell-sama se ele não aprender nada com isso.”

Eu faço um grande aceno de cabeça, prometendo a ela que vou lembrar, e me levanto.

Estou prestes a agradecê-la mais uma vez por me salvar quando me lembro de algo importante.

"Lili, você usou magia agora, certo?"

"…Eh?"

Lili se encolheu quando eu apontei isso.

“Isso foi por acaso uma espada mágica? Então foi assim que você me salvou... Realmente, do fundo do meu coração, obrigado. Eu me sinto muito feliz agora.”

“…! L-Lili não salvou Bell-sama porque ela queria! Sem Bell-sama, Lili não receberia nenhum dinheiro e teria que encontrar um novo contrato! Não tenha a ideia errada!”

"...Do que você está falando, Lili?"

Como devo responder a algo assim? Os olhos de Lili se arregalam quando ela vê o olhar de confusão no meu rosto. "O que Lili está dizendo...?" Ela murmura baixinho enquanto puxa o capuz para frente, agarrando a cabeça. Sim, ela está desnorteada...

"Umm... você tem uma espada mágica, Lili?"

"Ha-ha-ha-ha-ha, uma coisa levou a outra e meio que caiu no colo de Lili, você vê..."

"Entendo. Mas as espadas mágicas não se quebram quando você as usa demais?”

"Sim, elas quebram. Então Lili só usa isso em momentos como esse. Mas Lili usará todo o seu poder para salvar o Bell-sama!”

Isso é exatamente o oposto do que ela disse antes, mas ah, bem. Não importa.

Com isso, decidimos almoçar, pois nós dois estamos com fome.

Depois que Lili limpou todos os monstros mortos, nós ocupamos um lugar no meio da sala. Quando descansamos dentro da Dungeon, geralmente encontramos um lugar aberto para evitar surpresas nascendo das paredes.

Além disso, esta sala é tão grande que, mesmo que um inimigo viesse pela entrada, nós o veríamos chegando.

Parando para pensar sobre isso, eu ainda não devolvi a cesta da Syr…

Enquanto encho minha boca com alguma comida simples, os pensamentos do almoço que Syr me deu ontem inundam minha mente.

Eu estava atrasado deixando o calabouço ontem à noite, e eu tinha dormido demais esta manhã, então eu não tive tempo para passar pelo Senhora da Abundância.

Vou me sentir mal se eu não devolver a cesta hoje.

Lili e eu começamos uma conversa.

A Dungeon está quieta; Eu não sinto a presença de nenhum monstro.

Lili parece estar de bom humor. Ela está rindo e tudo mais. Acho que essa pode ser uma boa chance de perguntar a ela sobre algo que está em minha mente.

“A propósito, Lili, você disse que tinha que ir à sua família na noite passada. Aconteceu alguma coisa?"

Eu quero fazer a pergunta o mais casualmente possível, mas o rosto de Lili congela no local.

Leva apenas um segundo para o seu sorriso habitual retornar, mas parece desajeitado de alguma forma.

Talvez, depois de tudo, eu não devesse ter perguntado...

"Por que você pergunta, Bell-sama?"

"Eu sei que o seu relacionamento com os membros da sua família não é muito bom, então eu estava meio que... Preocupado. Desculpa."

O impacto de quando Lili me disse que ela estava vivendo separada de sua Família ainda está fresca em minha memória. O suficiente para me deixar preocupada com seu bem-estar quando ela me disse que ia lá ontem à noite.

Eu peço desculpas imediatamente, por reflexo. Ela relaxa os ombros e sorri.

“Obrigado por sua preocupação, Bell-sama. Mas está tudo bem; nada como o que você está preocupado aconteceu.”

"Mesmo?"

"Sim, é verdade. Ontem à noite foi a reunião mensal da Família Soma.”

"Uma reunião…?"

“… Os detalhes vão ficar longos, mas o principal é anunciar quanto dinheiro fazer no próximo mês. Todos juntos têm que fazer uma certa quantia e trabalhar duro para fazer a cota.”

Deve ser as despesas operacionais da Família.

Parece natural que os membros tenham que contribuir com uma fração de sua renda - é muito parecido com o dinheiro que pago para sustentar Kami-sama em casa. Então não há nada de estranho acontecendo.

E a razão pela qual a Lili tem que vender seus serviços como suporte é provavelmente fazer essa cota sozinha. Ela é deixada fora de festas por sua própria família, afinal.

"Mas isso tem que ser difícil, ter uma cota pessoal que você precisa cumprir todo mês, especialmente para os membros que não podem economizar muito dinheiro."

“Lili também pensa. Especialmente para os adeptos ou aventureiros sem muita força...”

Ah! Meus olhos se abrem por um momento.

Eu não diria que é um avanço, mas acho que finalmente percebi algo fora.

Antes, quando a Lil fez um comentário ligeiramente irônico sobre precisar de dinheiro...?

Talvez a razão pela qual o relacionamento dela com a família dela seja tão difícil seja por causa do dinheiro.

Uma pontada de pavor preenche minha mente; Eu tenho que perguntar agora. "O que acontece com os membros que não atingem sua cota?"

Quase como se ela pudesse ver através de mim, Lili sorri e responde: "Absolutamente nada".

Então não há punição... Eu relaxo um pouco demais, como um idiota. Mas o fato de que uma criança pequena como Lili tem que trabalhar sozinha para preencher sua cota me faz pensar que algo está errado na Família Soma.

Eu estou pensando muito sobre isso que minha testa se enruga. Lili olha para mim e puxa o capuz para baixo com uma expressão de pena no rosto. Por que um olhar lamentável...?

“Hum, uma outra coisa que eu queria perguntar. A família Soma está no negócio de vinhos, não é?”

Eu quero limpar os ares um pouco, então eu mudo de assunto.

Eu forço meu rosto em um sorriso. Não é muito bom também.

"Ahh ... Essa é a coisa rejeitada."

"Re ... Rejeitado? ... Espere, o que?"

"Está certo. Ele vaza do contêiner enquanto está sendo preparado. Por isso, é coletado e vendido para as lojas. Seria um desperdício jogá-lo fora.”

Agora, espere um segundo.

Se bem me lembro, Eina disse que o vinho deles era extremamente bom e estava sempre em alta demanda ... O culto do vinho tem buscado ... um rejeito?

Como algo assim poderia ser rejeitado?

Lili olha para o meu rosto confuso com um sorriso nebuloso.

"Isso significa que o vinho é tão delicioso que até mesmo os fracassados são tão bons."

A palavra "falha" não se aplica aqui, ou pelo menos não deveria. Eu me sento lá sem acreditar, esfregando a parte de trás do meu pescoço com a mão.

Mas espere, isso faria os “sucessos”…

“O deus de Lili, Soma, negligencia completamente outros deuses e não está interessado em nada… exceto um. E isso é fazer vinho.”

“……”

"Não estaria indo longe demais dizer que a única razão pela qual ele criou a Família Soma, nosso único objetivo, é ajudá-lo em seu único hobby."

Então, a razão pela qual ele dá aos membros de sua família uma cota para preencher é cobrir as despesas de fazer grandes quantidades de vinho.

Eu não acho que é raro que um deus ou deusa use sua família para perseguir seus próprios interesses. É compreensível que os deuses, que vieram a este mundo para entretenimento, precisem de mais dinheiro do que o necessário para viver aqui, como aluguel e comida. É preciso muita curiosidade por parte do deus para querer mergulhar em uma indústria.

Mas… eu ainda não consigo me livrar da sensação de que algo está errado com a Família Soma.

Poderia ser apenas tudo o que sei sobre a situação de Lili me deixando desconfiado, mas não posso deixar de ver a Família Soma como vilões.

- “Lutando entre um e outro” - “Viva rápido, morra jovem” - “Frenético” -

Ainda me lembro do rosto de Eina quando ela falou essas palavras não muito tempo atrás.

"A-ha-ha-ha-ha-ha ... Se o material é tão bom, talvez eu devesse provar...?"

Eu posso sentir meu rosto mudando para uma carranca, então eu decido aliviar o meu humor brincando um pouco.

Lili me olha com um olhar vazio e dá uma pequena risada que desaparece em um piscar de olhos.

"Lili não acha que é uma boa ideia..."

“……”

Nossa conversa termina com suas palavras murmuradas.

Estou prestes a criar uma nova quando monstros aparecerem em nossa sala.

Nós não temos muita escolha a não ser enfrentá-los de frente. Lili está de volta ao seu estado habitual, e acho que respondo a isso.

Ainda há uma lacuna entre nós.

Eu não sei se isso pode ser preenchido.

Eu tenho esse tipo de sentimento forte dela.

Parece que qualquer masculinidade que eu já tive se foi, e meu eu fraco e inútil é exposto mais uma vez.


Dois dias se passaram.

Passou um dia inteiro desde que eu entrei no calabouço com Lili.

Ontem de manhã, Lili me disse que ela tinha algo para cuidar e não poderia ir. Eu não sei se tem algo a ver com a família dela, mas lembro claramente do olhar apologético no rosto dela.

Depois de ver isso, eu simplesmente não consegui explorar a Dungeon sozinho.

‘Eu continuo dizendo a mim mesmo que uma pausa é uma boa idéia, já que passei tanto tempo na Dungeon... mas o que é esse sentimento?’

Sempre que penso na Srta. Wallenstein, uma vozinha na minha cabeça diz: “Não há tempo para ficar sentado!” Mesmo assim, não sinto vontade de me levantar. Eu sou um balão sem ar.

"... Ahhhh, isso não é bom."

Eu levanto meu corpo do sofá, arrumando meu cabelo mais ou menos.

Forçando uma respiração profunda, na esperança de obter esse sentimento reprimido do meu corpo ao mesmo tempo.

Eu só preciso me mover. O que eu posso fazer? Eu vou ficar enferrujado se eu ficar aqui.

Se eu não puder limpar a minha cabeça, posso pelo menos mudar meu foco. Eu preciso parar de me preocupar com Lili por agora.

Faz um tempo desde que eu fiz qualquer limpeza...

Como o tempo que passei aqui diminuiu drasticamente, sinto que não fiz nenhuma tarefa recentemente.

Eu não deveria deixar tudo para Kami-sama, parece injusto. Eu forço minhas pernas para fora do sofá e para o chão... só para ter um vislumbre da cesta de Syr, ainda na prateleira.

"... Oh."

Eu sou tão idiota.


"Me desculpe!"

"Ah-ha-ha-ha..."

Aplausos! Eu trago minhas mãos juntas e abaixo minha cabeça o máximo possível.

Corri para o 「Senhora da Abundância」 sob o sol diurno e agora estou me desculpando diretamente com Syr. Não há nada que eu possa fazer para racionalizar o esquecimento de devolver a cesta por dias.

“Por favor, levante sua cabeça, Bell. Eu não me importo.”

"Sim mas…"

“Se é assim que você se sente, tenha mais cuidado de agora em diante, ok? O que está feito está feito e nada pode mudar isso. Então, concentre-se no que você pode fazer a partir de agora. ”

Ela está absolutamente certa. Eu timidamente levanto os olhos antes de levantar-me devagar.

Syr olha para mim gentilmente, com um sorriso suave no rosto.

São momentos como esse que me fazem perceber que ela é mais velha que eu.

"Mas sim. Sem novidades, comecei a ficar preocupado com você. Tão preocupado que eu estava cometendo erros no trabalho.”

"Eu sinto muito sobre isso..."

"... Você sabe o quanto eles me provocaram?"

De repente, ela tem uma pontada de ressentimento em seus olhos. Hã? Meus olhos se abrem em confusão. Ela cora, transformando as bochechas em um vermelho rosado antes de fazer uma de suas tosses muito óbvias. ‘Espero que isso signifique que ela vai me dar uma folga’. Verin: Completo tapado… ¬¬ | Hazel: deixa o meu princeso, o pobrezinho é inocente

Ainda não tendo ideia do que ela queria dizer, entrego a cesta e escolho um cardápio.

Dizer adeus logo após devolver a cesta depois de tudo isso seria errado. Não era exatamente uma maneira de se desculpar por esquecer a cesta por tanto tempo, mas pedir algo simples ainda parece ser a coisa certa a fazer.

A maioria dos outros fregueses no bar agora são mulheres. Vendo mães de pessoas-feras e seus filhos me faz sorrir. Seus pratos estão transbordando de frutas - isto é, até as crianças se aproximarem com sorrisos cheios de presas.

"Ei, essa decoração estava lá antes?"

Sento-me em um balcão no canto e estou olhando ao redor do lugar, quando um grande livro branco chama minha atenção.

Está encostado na parede atrás de mim. Não combina muito bem com o interior.

"Hee-hee, bem, isso é..."

Pergunto à Syr quando ela vem pegar meu pedido. Suas palavras são interrompidas por um momento, mas ela continua antes que eu possa imaginar por quê.

“Acredito que foi deixado para trás por um de nossos clientes. Queríamos ter certeza de que eles pudessem ver quando voltassem, então colocamos lá ”.

"Oh", eu respondo em uma voz fraca. Então, existem pessoas que podem esquecer algo assim quando estão em um bar.

Syr volta com meu bolo e chá um momento depois. Ela fica no meu lugar e temos uma pequena conversa. Uma garçonete felina vem sozinha e parece oferecer uma folga a Syr. Eu me pergunto se está tudo bem.

A garota felina também está sorrindo por algum motivo.

"Bem, então, você está descansando aqui por um tempo?"

"Nada de tão chique..."

Decido trazer Lili e o fato de não ter motivação para fazer nada.

Não foi por acaso. Eu só quero alguém para ouvir meus problemas, eu acho.

Talvez eu tenha algum tipo de esperança sem vergonha de que ela me dê um conselho útil.

Depois de me ouvir e me encarar enquanto escutava, Syr sorriu.

"Por que você não experimenta alguma leitura?"

"Leitura?"

"Sim. Você não lê livros com muita frequência, certo, Bell? Por que você não se arrisca e lê?”

Ela me diz que os livros podem fornecer o estímulo que preciso agora.

Literatura... O pensamento nunca passou pela minha cabeça. Mas ela tem um ponto. Pode ser apenas o remédio que estou procurando.

Preciso voltar ao sentimento que tive sempre que lia sobre os heróis em histórias de aventura; Eu nunca consegui ficar parado.

Quem sabe? Entrar no mundo de um livro pode fazer meu coração disparar e curar minha síndrome do preguiçoso.Hazel: boa sorte, tento me livrar faz ‘séculos’

“Sim, eu acho que vou. Obrigado pela ideia, Syr. Eu vou ler um livro.”

"Estou feliz por ser útil."

Fico feliz por ter perguntado a ela e aceito seu conselho.

Vendo que eu estava aberto ao seu conselho, em vez de apenas pensar sobre as coisas sozinho, Syr seguiu isso com uma questão própria: "Você tem um livro em mente?"

"Na verdade não. Minha deusa tem muitos livros em casa. Eu provavelmente pegarei emprestado um deles… ”

Ir à livraria também é uma opção. Assim que essas palavras saem da minha boca, eu ouço Syr dizer: "Nesse caso..." Ela estende a mão e pega o livro branco.

"Por que você não tenta ler isso?"

"Hã? Mas este livro é de outra pessoa, certo? Eles esqueceram isso aqui.”

“Contanto que você o traga de volta, não deve haver um problema. Os livros não desaparecem depois que alguém os lê. Além disso, acho que pertence a um aventureiro, então pode haver algo útil para você aqui.”

Muitos aventureiros chegam a este bar; É mais do que provável que o dono deste livro também seja um deles.

Porque é uma posse pessoal de um aventureiro, pode estimular minha mente. Pelo menos, acho que é isso que ela está dizendo.

É um livro raro que eu nunca vi antes, com certeza. Essa pode ser minha única chance de ler algo assim.

Então, novamente, eu estaria recebendo minhas impressões digitais em todo o livro de outra pessoa ...

“Nada para se preocupar. Honestamente, Mama Mia não gosta muito de tê-lo aqui, então se você aceitar, você estaria nos fazendo um favor. E…"

Syr de repente parece tímida.

"... Eu quero ajudá-lo de qualquer maneira que eu puder, Bell."

“……”

“Mas isso é tudo que posso fazer por você, então, por favor, aceite. Por mim."

Ela não disse algo assim há pouco tempo? Eu faço uma careta quando esse pensamento me atinge.

Bem, se ela vai tão longe, eu posso muito bem deixar ela me mimar.

Seria muito cruel da minha parte recusar sua boa vontade e seu rosto envergonhado. Então eu peguei o livro de suas mãos.

Mas quando me levanto para pegá-lo, minhas mãos acidentalmente passam por cima das dela. A sensação de sua pele macia faz meu coração pular uma batida.

“O-obrigado. Humm... bem então, eu te vejo mais tarde?”

“Sim, obrigada por vir hoje.”

Estou nervoso, mas faço o meu melhor para esconder isso enquanto me levanto para sair.

Depois de um rápido “O bolo estava delicioso”, eu saio do bar.

Foi o mesmo com Eina... Eu não posso deixar de ficar nervoso quando eu toco a pele de uma garota. Eu coro como se não houvesse amanhã. Quão inocente sou eu?!” Verin: MAIS DE 8000!!!!! | Hazel: isso pq foi na mão, se pegasse na bochecha ele infartaria

"Syr, você deu a ele aquele livro...?"

"Sim, eu dei."

"Para alguém tão direto e honesto como você para dar algo de propriedade do bar assim... Nunca pensei que isso iria acontecer."

"Vocês dois não sabem que o amor é cego, nya? Syr, você deveria soltar o cabelo com mais frequência, nya!”

Ainda agitado pela sensação das mãos quentes de Syr, corro para casa.


Eu abro o livro no momento em que chego em casa.

Já que a Kami-sama ainda não está em casa, eu coloquei o livro na mesa com uma mão.

Ficando um pouco ansioso, puxo uma cadeira, sento-me e olho a página de título que estava em branco.

Espelho, espelho: A bruxa mais bela do mundo sou EU: uma autobiografia (com apêndice: desperte sua mágica!)

Logo de cara, parece infantil…

Capítulo 1: Magia Moderna Até os Goblins Podem Entender!

Ensinando magia aos goblins. Ninguém deveria fazer isso ...

Quero fechar o livro agora, mas decido suportar isso. Eu não posso deixar as boas intenções de Syr serem desperdiçadas. Eu forço meus olhos através dos personagens na página com toda a resistência que posso reunir.

As partes principais são dolorosas, mas o conteúdo não é tão ruim assim.

Assim como as palavras na página do título dizem, este livro parece ser sobre mágica.

"Ooohhh!" Meus olhos se iluminam com repentina antecipação e eu mergulho de volta nas páginas.

Existem dois tipos de magia: inata e adquirida. Como o termo “inato” sugere, esse tipo de magia pode ser usado por várias raças baseadas na genética. Desde a antiguidade, essas raças têm o potencial de se tornarem usuárias de magia e são treinadas em magia ainda jovem por meio de rituais. Enquanto os tipos de magia que eles podem usar são bastante limitados, a força e a escala desses feitiços costumam ser muito altas.

Está escrito em Koine, a linguagem comum, então até eu posso entender, com algum esforço.

Mas quais são esses personagens entre as linhas…?

Não formulação... talvez algum tipo de equação?

Próxima página.

Magia adquirida refere-se à possibilidade de magia dada àquelas pessoas que recebem a “Graça Divina” e aparece sozinha. Com quase nenhuma restrição, esse tipo de mágica assume muitas formas diferentes. O efeito da magia depende muito do excelia.

Isto é diferente dos hieróglifos e diferente de qualquer idioma das raças de pessoas.

Nada em comum consigo mesmo, apenas um estranho agrupamento de marcas.

A passagem... o mar de personagens está me puxando.

Próxima página.

Magia é interesse. Este é um fator vital para toda magia adquirida. O que te interessa - o que você aceita, odeia, quer, aflige, adora, jura, deseja? O gatilho já está dentro de você. Sua Graça Divina vai esculpir sua alma em um sol escaldante.

Uma foto apareceu.

É uma cabeça. Tem olhos. Tem um nariz. Tem uma boca. Têm ouvidos. É o rosto de uma pessoa.

Um rosto humano com os olhos fechados é desenhado em preto. Uma imagem feita a partir das palavras da passagem.

Próxima página.

Se você desejar, responda. Se você desejar, quebre. Se você deseja, concentre-se! Um terrível espelho da verdade está diante de você.

Não. Esse é o meu rosto. Meu rosto, sem nada acima da testa.

Não, é uma máscara. É outro rosto meu. Um eu que eu não conhecia, outro eu.

Próxima página.

Agora vamos começar.

Os olhos se abrem. Fala com a minha voz.

As letras vermelhas rubi que soletram os olhos disparam através de mim. Passagens curtas que compõem os pequenos lábios giram palavras.

Próxima página.

O que é magia para mim?

Eu não sei.

Mas é algo grande e misterioso.

Um movimento final para matar monstros. Um poder misterioso usado por heróis para voltar da morte próxima.

Forte, feroz, impiedoso, esmagador.

O que eu sempre quis ter, apenas uma vez. O que eu tenho desejado.

Próxima página.

O que é magia para mim?

Poder.

Grande poder.

Uma grande arma que vai derrotar o meu eu fraco.

Uma grande arma que irá inspirar o meu eu fraco.

Não é um escudo nobre para proteger meus aliados, nem nada tão elegante quanto uma mão que cura.

Um poder heróico para limpar os obstáculos no meu caminho.

Próxima página.

Que tipo de coisa é magia para mim?

Coisa?

Que tipo de coisa?

Fogo.

Magia tem que ser fogo. É a primeira coisa que penso quando ouço a palavra "magia".

Forte, feroz, quente.

Queime as planícies, espalhe as cinzas, queime o ar, envolva tudo em ondas de chamas e névoa de calor, línguas carmesim de chamas, nada como a minha fraqueza normal.

Mais quente que qualquer outra coisa, nunca saindo... Chama Imortal.

Eu quero me tornar uma chama.

O que você procura em magia?

Para me tornar mais forte, como ela.

Para me tornar mais rápido, como ela.

Como a luz atravessando as nuvens.

Como raios correndo pelo céu.

Mais do que ninguém, mais do que ninguém, mais do que ninguém.

Mais rápido que qualquer um.

Como ela.

Para estar à vista dela.

Isso é tudo?

Se eu puder. Se eu puder. Se eu puder.

Eu quero me tornar um herói.

Eu sempre quis ser um herói e, como um tolo, busquei esse sonho.

Assim como os dos contos. Um herói elogiado e amado por todos.

Não importa quão patética seja uma fantasia, quão vaidosa e indignada, quão miseravelmente inadequada eu sou por ela.

Eu quero me tornar o suficiente de um herói para ela me notar.

Você é tão criança.

…Desculpa.

Mas sou eu também.

O eu dentro do livro sorri.

Então tudo fica preto.


“……kun……ell-kun”

Eu ouço uma voz.

Minha mente sai da escuridão enquanto uma linda voz ecoa em meus ouvidos.

A luz brilha com coceira na escuridão.

"Bell!"

No momento seguinte, meus olhos estão abertos.

"Ah... Kami-sama?"

“Sim, Bell, sou eu. O que há de errado com você, adormecer na mesa?”

Há lugares muito melhores para dormir.

Eu esfrego meus olhos até o rosto da deusa entrar em foco ao meu lado.

Levantando minha cabeça, dou uma olhada ao redor.

Eu estou em casa, na sala escondida sob a antiga igreja. O tempo é…

Sete da noite. Já é noite.

Mesmo antes de terminar de escanear a sala, a deusa começa a pedir detalhes.

“Você estava lendo um livro? Ah-hah! Talvez eu tenha acabado de entrar quando sua sonolência finalmente tirou o melhor de você - não está acostumado a ler, hein?”

"Hum ... ah, sim... eu acho que sim?"

…Adormeci?

O livro branco que peguei emprestado da Syr ainda está aberto na mesa.

Aparentemente eu estava com frio e usei como travesseiro.

Terminei…?

Eu seguro minhas têmporas. Minha cabeça parece estranha, como se tivesse girado em todas as direções.

Há algumas lembranças muito estranhas no fundo da minha mente. Eles se sentem irreais, como devaneios.

Eu estava falando com alguém? Eles me perguntaram alguma coisa? Ou todas essas lembranças são apenas sobras de um sonho?

Sem uso. Eu não consigo entender...

“Hee-hee, tão fofo. Eu geralmente estou muito cansado depois do trabalho, mas graças ao seu jeito brincalhão, eu me sinto como eu mesmo!”

"B-brincalhão...?"

“Hee-hee! Agora vamos comer um pouco.”

Com essas palavras, minhas orelhas ficam vermelhas e minha cabeça cai. Mas kami-sama está sorrindo enquanto vai ao seu armário.

Eu saio pela porta da frente por um momento, esperando até que kami-sama cutuque seu rosto infantil pela porta e diga “Tudo pronto!” Antes de me juntar a ela na cozinha. Eu me sinto mal por ter sido o primeiro a chegar em casa e não ter preparado nada. Por outro lado, as bochechas da deusa são de um rosa rosado;

ela deve estar feliz por estar trabalhando ao meu lado. Isso me faz sorrir também.

“Bell, o que você estava fazendo com aquele livro grosso? Você não parece o tipo de pessoa que compraria algo assim. ”

“Meio triste que você coloca assim ... mas sim. Eu peguei emprestado de um amigo meu.

“Ah, posso ver quando você terminar? Eu não vi muitos livros que são tão antigos. Tem um pouco de coceira para ler, você sabe.

"Você realmente ama livros, não é?"

Depois de limpar as sobras um jantar modesto, nós nos revezamos no chuveiro antes de decidirmos atualizar meu status. Está crescendo mais rápido nos dias de hoje.

Kami-sama deve ter finalmente se acostumado ao seu trabalho para a Família Hephaestus; ela tem tempo e energia suficientes para fazer isso agora.

Tiro a camisa e deito na cama enquanto a deusa pica o dedo na agulha para tirar o 「Ikoru」 - o poder em seu sangue.

"Huh ... hmmm? ... Tsk!"

"Kami-sama... O meu status ainda está crescendo como antes?"

“… Sim, nenhuma mudança em tudo. A toda velocidade, não há outro jeito de colocar isso.”

Sua voz soa um pouco assustadora, então eu tenho que reunir coragem para perguntar a ela. Com certeza, uma resposta muito mal-humorada veio de trás da minha cabeça.

Ela ainda está com raiva... Não, ela está com raiva novamente.

Recentemente ela parece ficar com raiva toda vez que ela atualiza meu status...

"Sim, isso mesmo, você é teimoso. Eu sei, eu sei, seus sentimentos não mudam exatamente da noite para o dia.”

Não tenho ideia de como responder a esses sussurros irritados.

Não há nada que eu possa fazer para amenizar o clima, mas manter a boca fechada e esperar que a tempestade passe sozinha.

De repente, duas pitadas afiadas perfuram minhas costas. Parece que estou sendo picado com uma agulha.

Ei, espere um segundo - dói!

"Kami-sama! Isso machuca! Você está fazendo isso de propósito?!”

"Hããã?"

"Porque você está pasma?!"

Meus pedidos e olhos lacrimosos não têm nenhum efeito sobre ela. E como se ela estivesse dizendo "Não há resposta", ela enfia a agulha na parte de trás da minha cabeça. Ataque direto.

Incapaz de revidar, só posso enxugar minhas lágrimas no travesseiro,

completamente indefeso.

Vou me certificar de que ela não durma bem esta noite ...

"...Bem, com exceção de sua Defesa, todas as suas estatísticas básicas são quase um rank S, então é claro que seu crescimento está diminuindo um pouco."

"... Ah, eu vejo."

"Ainda assim, isso não é normal..."

A classificação máxima para todas as estatísticas básicas em um status é S. À medida que cada estatística se aproxima do topo, é preciso mais experiência para melhorar. Como resultado, o crescimento diminui muito. Eu ouvi em alguns casos, um aventureiro poderia matar centenas de monstros e não subir um único ponto.

Agora, no meu caso, o fato de meu crescimento ter desacelerado pode ser devido a essa barreira de crescimento, mas o fato de eu ainda estar crescendo deve significar que ainda estou forte.

Mas como Kami-sama disse, poderia haver muito de uma coisa boa..

“………”

"...... Kami-sama?"

Parece estranho que ambas as mãos e a boca não estejam se movendo.

Mesmo depois de chamá-la, ela apenas fica lá em silêncio até…

"……Magia."

"Eh?"

"Magia apareceu em seu status."

Essa foi a última coisa que eu esperava ouvir.

“Whaaaaaa?!”

"Eeek!"

O espanto surge dentro de mim.

Eu levanto minhas costas como um cavalo assustado.

Como resultado, Kami-sama, que estava sentada na parte inferior das costas, voa para fora da cama e para o chão - de cabeça, com um barulho alto, não menos.

Espere, porcaria!!

“Kami-sama!! Eu sinto muito! Você está machucada?"

"Não achei que você estaria se vingando assim... Você é algo mais, Bell."

Ela está ao pé da cama, presa no meio de uma cambalhota tragicamente curta. Seus olhos estão brilhantes de lágrimas, seu corpo tremendo muito ligeiramente.

E… os peitos dela estão batendo no queixo…?! Não, foco, seu idiota!Hazel: ué.. o foco tá indo certinho | Verin: Ele não é tão puro assim como dizem… kkkkkkk

Eu estendo a mão para ajudá-la, fazendo o meu melhor para manter meus olhos longe de seu decote, minhas mãos tremendo de medo. Logo depois, a familiar Hestia está fazendo dogeza - a submissa pose de quatro com a testa no chão, se desculpando como louca.

Demora algum tempo até ver os detalhes do meu novo status.

【Bell Cranell】

Nível Um

Força: B-701 -> B-737 Defesa: G-287 -> F-355 Utilidade: B-715 -> B-749 Agilidade: B799 -> A-817 Magia: I-0

Magia:

「Flecha de Fogo」

• Magia Instantânea

Habilidades:

「」

“...!!"

Eu realmente tenho que lutar contra o desejo de gritar no topo dos meus pulmões.

Eu seguro o papel em que a deusa escreveu meu status, minhas mandíbulas cerradas e minhas mãos tremendo.

Meus olhos brilham com alegria pura. Mesmo que eu não consiga ver minha boca, eu sei que estou sorrindo de orelha a orelha.

"Eu não posso acreditar que Magia apareceu... Poderia ser relacionado a essa habilidade...? Eu não posso dizer.”

A deusa resmunga alguma coisa, as sobrancelhas para baixo enquanto ela segura o queixo como se estivesse imersa em pensamentos. Completamente diferente da minha reação.

Ela continua olhando minhas costas e depois meu rosto e de volta, mas eu não me importo.

“Kami-sama… Magia, eu tenho magia! Eu me tornei um usuário mágico...!”

“Sim, eu vejo isso. Parabéns, Bell.”

Estou feliz, simples assim.

A alegria corre pelo meu corpo. Eu sinto que estou em chamas.

Ao mesmo tempo, posso sentir lágrimas nos meus olhos. Este é um sonho tornado realidade. Meu corpo inteiro está tremendo de excitação.

Eu amasso o papel na minha mão e me agacho no chão. Tenho a sensação de que a deusa está ao meu lado, fazendo careta.

Estou feliz, muito feliz! Eu posso finalmente usar magia!

Não é apenas magia, mas aquela magia! O mesmo que os heróis usam como um trunfo nos contos de aventura, aquela!

“Eu odeio jogar água em sua chama de alegria, mas precisamos falar sobre sua magia. Há algo que está me incomodando.”

"Sim, Kami-sama!"

Eu me levanto e grito minha resposta.

Eu realmente preciso me acalmar. Eu digo a mim mesmo que mais e mais quando eu tomo algumas respirações profundas e tento fazer o meu corpo tenso relaxar.

"Você está ouvindo? Este é apenas um resumo, mas a Magia exige que o usuário fale um encantamento para que ele funcione. Você já sabia disso, certo?”

Eu respondo a pergunta dela com um rápido aceno de cabeça.

Todo tipo de magia tem muitos atributos diferentes que podem ser manipulados pelo usuário por meio de uma magia falada em voz alta pelo lançador.

O encantamento cria uma barra de lançamento para a magia, de modo que, quando a magia estiver completa, ela siga na direção desejada. Pense desta maneira: quanto mais tempo a barra de lançamento leva para criar - quanto mais tempo o encantamento - maior e mais poderosa será a magia.

Por outro lado, quanto menor o feitiço, menor a barra de lançamento, portanto mais fraca será a magia. No lado positivo, um encantamento mais curto pode ser dito rapidamente. É conveniente porque pode ser conjurado quase instantaneamente.

"Então eu vou chegar ao meu ponto. Meus amigos me disseram que quando uma pessoa aprende magia, ela aparece em seu status. Dito pessoa aprende seu encantamento, olhando para o seu estado. É o gatilho.

"Mesmo? Mas não há nenhum feitiço escrito na folha de status que você me deu ... ”

"Sim está certo. Não comece a pensar que esqueci de escrever, entendeu?”

‘Flecha de fogo’ está escrito no meu slot de Magia, mas não há nada aqui que pareça um encantamento. Sem um, eu não consigo desencadear minha mágica.

Assim que meu pescoço começa a se inclinar para o lado, a deusa me conta sua teoria.

“Este é apenas o meu palpite, um palpite completo. A julgar pelo que foi escrito em seu status... sua magia pode não precisar de um feitiço para ser acionado, Bell.”

Eu congelo. Desejando que meu corpo se mova, desdobro a ficha de status na minha mão e dou outra olhada nela.

Com certeza, não há encantamento. A única descrição dada é as palavras "Magia Instantânea".

...Eu acho que o palpite da deusa é perfeito. Heck, não consigo pensar em qualquer outra coisa que essas palavras pudessem significar.

"Eu não sei quão poderoso será, mas não tem nada de mágico no tempo ... "Magia Instantânea." Eu não acho que estou errado.

“Então, essa Flech-Gholg!”

Ambas as mãos macias da deusa cobrem minha boca.

Ela está na ponta dos pés, olhos fixos nos meus.

"Eu aconselharia não dizer seu nome a sério."

"Muhegeh?"

"Eu não sei qual é o gatilho, mas pode ser apenas por você dizer [Flecha de Fogo]".

Meu rosto está ficando azul. Eu ainda não tenho ideia do que essa magia pode fazer, mas se eu a liberar aqui por acidente, posso explodir nossa casa em pedacinhos.

"Entenda?", Pergunta a deusa. Eu aceno e ela leva as mãos para baixo.

“O resultado é que tudo isso é um palpite. Não teremos certeza até que você experimente ... Use-o no calabouço amanhã. Então você saberá com certeza como sua mágica funciona. ”

"Eh? Amanhã…?"

"Não me diga que você quer ir agora? Você acabou de tomar um banho, certo? Sua magia não está prestes a desaparecer!”

"Ah, sim ... você está certa."

Kami-sama ri de mim enquanto eu lentamente aceno em aceitação.

Já é tarde. Kami-sama está muito cansada do trabalho, escondendo um bocejo com a mão e tudo, então decidimos ir direto para a cama.

Depois de escovar os dentes, kami-sama pula na cama antes de apagar a luz.

Eu também me sinto um pouco sonolenta e me deito no sofá...

Desculpe, Kami-sama.

…Por um momento.

Meus olhos estão bem abertos. Quem poderia realmente dormir em um momento como este?

Eu pulo do sofá. Ouvindo a respiração dela e tomando cuidado para não acordá-la, pego minha mochila, já preparada, e saio da sala.

Jogando na minha armadura a toda velocidade, eu coloquei minha mochila na escada da igreja antes de sair.

Eu quero usá-lo agora mesmo!

A lua e as estrelas estão brilhando sobre a Main Street. A luz que entra pelas janelas das lojas e dos bares ilumina os rostos dos seus clientes. As vozes bêbadas e barulhentas dos semi-humanos têm um ritmo muito bom; meus pés batem bem quando eu passo.

Orario ainda não foi dormir. E nem eu.

A torre branca cresce na minha frente quando me aproximo. Eu levanto o equipamento no portão da frente com um sorriso no rosto.

Quando estou no primeiro andar de Babel, vou direto para baixo.

Eu alcanço a entrada da Dungeon no chão do porão. Vou através do grande buraco, então descendo a escada em espiral como se estivesse sobre rodas. Ainda não é rápido o suficiente para mim, então coloco a mão no corrimão até a metade me impulsiono  e pulo para o lado indo em direção ao meio do buraco.

Eu rasgo o ar e aterro com um baque sólido. O impacto é tão bom que faz meus olhos lacrimejarem e meus pés tremem de excitação.

Agora estou oficialmente no nível um da Dungeon.

Crunch. Eu paro.

É um corredor largo. Uma sombra verde curta e gorda apareceu no meio da minha linha de visão.

Um goblin.

Este parece ser bom…

O tamanho do inimigo, a distância entre nós - tudo parece bom.

Eu engulo toda saliva na minha boca e limpo minhas palmas suadas na minha camisa interior.

Me vê. Gritando no topo de seus pulmões, ele bate os pés no chão enquanto ele me acerta.

Eu aperto meu punho direito antes de empurrar meu braço para fora e esticar meus dedos na frente do monstro que se aproxima.

“……”

Meu coração bate em meus ouvidos.

Eu concentro todos os meus nervos construídos, ansiedade e excitação em meu ombro direito.

Respiração curta

Erguendo minhas sobrancelhas o mais alto possível, libero um rugido meu:


“「FLECHA DE FOGO」!!!”

Uma luz escarlate inunda minha visão um momento depois.

"!"

Um relâmpago escarlate atravessa o corredor.

Não, não é bem assim. Chamas elétricas.

As flechas cortam linhas aleatórias no ar antes de perfurar o goblin.

Isso é tudo que eu posso ver.

Um flash explosivo de luz me cega no instante em que a chama elétrica atinge o corpo do goblin.

Uma flor alaranjada floresce.

"... ah."

O goblin fica lá por um momento, coberto de queimaduras, seu corpo fumegando. Seus olhos ficam brancos quando ele cai no chão. A última expressão do monstro ecoa pelo corredor.

"…De jeito nenhum."

Funciona. Realmente funciona.

Minha mágica funciona.

Eu puxo meu braço para baixo e dou um longo e duro olhar para a palma da minha mão direita em silêncio atordoado. Todas as vezes que experimentei essa pose enquanto trabalhei nos campos e agora está aqui.

É a mão que vejo todos os dias. Nada mudou.

Mas agora funciona.

Magia veio dessa mão.

"... H ... haa-haa-haa!"

Eu sei que funciona, mas ainda não estou satisfeito.

Meu corpo inteiro está chiando. Eu fecho a mão aberta na frente do meu rosto em um punho apertado.

Sim…!

Resultados reais. Progresso real.

Isso é algo que eu posso ver com meus próprios olhos, não apenas com meu status em uma folha de papel. Estou finalmente me aproximando da senhorita Wallenstein - posso sentir isso!

Flecha de Fogo. Chama elétrica.

Conjurado em um instante, atinge a velocidade da luz com o poder do fogo.

Magia de fogo, mais rápida que qualquer uma.

Magia só pra mim.

"!"

Uma nova onda de alegria me envolve.

Eu acidentalmente mordo meu lábio enquanto meu punho pulsa uma e outra vez. Isso dói. Eu não me importo.

Estou na zona, meu rosto corado de excitação.

Meus olhos não brilharam tanto desde o momento em que me registrei para o Clã. Pura e ingênua luz.

A emoção e a emoção vão direto para minha cabeça.

Eu corro para o calabouço, procurando pelo meu próximo alvo.

"FLECHA DE FOGO!"

“Gyuaaaaaaa !!!!”

Eu encontro um monstro, então empurrei meu braço.

"FLECHA DE FOGOOOO!!!"

“Ebbbsshhiiii!”

Eu me sinto como uma criança pequena, correndo por aí gritando o mais alto que ele pode.

“FLECHAAAAA DE FOGOOOOOOOOOOO!!!!!!”

“BGYAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!”

Explosão à vista.

"FLECHA DE FOGO!" "FLECHA DE FOGO!" "FLECHA DE FOGO!" "FLECHA DE FOGO!" "FLECHA DE FOGO!" "FLECHA DE FOGO!" "FLECHA DE FOGO!" "FLECHA DE FOGO!" "FLECHA DE FOGO!" "FLECHA DE FOGO!!!" GonP: Parece eu quando ganho alguma habilidade nova

"GYAAHH !!!"

“Opa! Estou no quinto nível…”

Eu fui longe demais. Eu rio sozinho, olhando ao redor da sala com um sorriso muito satisfeito.

O fato de as paredes azuis pálidas terem ficado verde-claras é toda a prova de que preciso.

Eu estava me divertindo muito, eu refleti para mim mesmo enquanto eu faço uma rápida reviravolta.

'Hora de ir para casa’, eu digo a mim mesmo, cantarolando uma melodia quando...

"- Huh?"

Algo parece... distante.

Os batimentos cardíacos em meus ouvidos, eu posso ouvir.

“Uh ……?”

Isso acontece rapidamente.

Eu nunca bebi álcool antes, mas isso deve ser como uma pessoa bêbada se sente.

Minhas pernas estão instáveis. Eu não tenho certeza se eles estão tocando o chão.

Minha visão gira. Eu vislumbro o chão que se aproxima rapidamente e desmaio ali mesmo.


“……?”

"O que há de errado, Aiz?"

Duas aventureiras entraram no andar do quinto andar.

No entanto, elas não vieram de cima. Elas chegaram de baixo.

Firmes e sem um arranhão, Aiz e Reveria passaram três dias subindo da Fortaleza Inferior, nível trinta e sete. Mesmo que eles estivessem lutando contra monstros nas últimas quarenta e seis horas seguidas em sua jornada até a superfície, nenhum deles parecia tão cansado.

Agora o fim de sua jornada estava bem na frente deles, mas Aiz, que estava andando alguns passos na frente de Riveria, parou em seu caminho.

A elfa olhou para o longo cabelo loiro de Aiz quando ela perguntou o que estava errado.

"Uma pessoa está no chão."

"Feito por um monstro?"

Com certeza, sozinho no meio da sala estava o corpo de um aventureiro.

Deitou-se de bruços no chão da masmorra, como se tivesse tropeçado e não voltasse a ficar de pé. As duas garotas se aproximaram dele.

“Nenhuma ferida visível, cura e desintoxicação parecem ser desnecessárias…”

Parece um caso clássico de mente esgotada.

Riveria continuou seu diagnóstico com um tom casual, dizendo que provavelmente usaria magia sem pensar nas conseqüências.

Usar magia não é livre de consequências. Isso exigia energia. Magia usa energia mental, o oposto da força física, para ativar. Naturalmente, assim como o corpo tem seu limite, a mente só pode suportar tanto.

Riveria ficou espantada com o fato de esse garoto ter sido capaz de continuar usando magia a ponto de perder a consciência.

Enquanto isso, Aiz se agachou sobre o aventureiro com as mãos nos joelhos, olhando para o cabelo branco.

"Este menino..."

"O que é isso? Você o conhece, Aiz?”

"Na verdade não. Nós nunca nos falamos diretamente... Ele é, o garoto que eu te falei. Do Minotauro…”

"…Entendo. Ele é o garoto que o idiota insultou.”

Ela tinha ouvido muitas coisas sobre esse menino, Bell, de Aiz. Primeiro, ele foi o covarde que foi perseguido pelo Minotauro. Ele também tinha acabado de sair de um bar que eles estavam bebendo depois que ele foi difamado por Bete.

Mesmo que Riveria tenha avisado o membro do seu partido e defendido o menino, ela não percebeu que ele realmente estava lá. Ela se arrependeu de não interromper a conversa mais cedo. Ela sabia que eles o machucaram.

Ainda pior, Aiz foi arrastada para o meio dessa troca.

“Riveria. Eu quero compensar essa criança.”

"... Há outras maneiras de dizer isso."

Riveria soltou um longo suspiro em resposta à escolha de palavras de Aiz. Aiz olhou para ela com olhos suplicantes e brilhantes e piscou duas, três vezes.

Percebendo que Aiz não entendia, Riveria desistiu e decidiu não dizer nada.

"Bem, ajudar alguém em um momento como este é cortesia comum ..."

Aiz acenou com a cabeça duas vezes, sua roupa balançando com a cabeça. Riveria se inclinou para olhar mais de perto para Bell.

Vendo que o menino não mostrava sinais de acordar tão cedo, Riveria desviou o olhar para Aiz.

“… Aiz, faça por esse garoto exatamente o que estou prestes a lhe dizer. Se você vai compensá-lo, isso deve ser suficiente.

"O que?"

Riveria deu-lhe um olhar para transmitir sua mensagem real.

"... Está tudo bem só para fazer isso?"

"Não tenho certeza. Mas você vai proteger esse ponto. Você não precisa fazer nada além disso. Além disso, qualquer homem ficaria feliz porque é você.”

"Eu não... entendo."

‘Você não precisa entender’, Reveria riu para si mesma.

A elfa olhou para Aiz por um momento, como uma mãe vendo seu filho crescer, antes de retornar sua expressão ao seu estado refinado e digno de sempre.

Seu rosto voltou ao normal, Riveria se levantou.

"Estou voltando para a superfície. Eu vou ficar no seu caminho se eu ficar aqui. Vocês dois precisam ficar sozinhos para se entenderem.”

“Sim, obrigada, Riveria.”

A elfa assentiu com um "Ah" afirmativo antes de deixá-los para trás.

Ela não estava nem um pouco preocupada com os monstros que os atacavam.

Quanto aos guardiões, o menino tinha o melhor do planeta para protegê-lo.


Um sono profundo me envolve.

Uma fragrância como um vento sereno, aquecido do calor do sol.

Toda a sensação que minha pele transmite é suave e agradável.

Estou sonolento.

Estou tão confortável que não quero me mexer...

……?

Algo está acariciando meu cabelo. Dedos finos correm pela minha bochecha.

Tão gentil, tão reconfortante.

Minhas pálpebras se abrem devagar.

“…Mãe?”

Eu chamo a pessoa que eu nunca conheci, nem sei o rosto dela.

O contorno difuso que preenche minha visão deixa de se mover.

"Desculpa. Eu não sou sua mãe…”

……Hã?

A pessoa responde com uma voz que passa por mim.

Eu pisco para limpar meus olhos nublados.

Assim como eu, as formas difusas entram em foco.

A primeira coisa que consigo ver é um cabelo loiro brilhante. Então um lindo rosto.

Finalmente, olhos dourados que combinam com o cabelo dela.

“……”

"Você está acordado…?"

Meus olhos estão abertos. Minha cabeça está acordada.

Mas o tempo não está se movendo.

Minha mente ainda vazia, eu olho para o rosto olhando para mim.

A parte de trás da minha cabeça está quente. Algo suave está sob ele.

Eu acho que sei o que está acontecendo. Minha cabeça provavelmente está no colo dela.

Essa pessoa, Aiz Wallenstein, acaricia meu cabelo novamente.

Ela toca minhas pálpebras, quente.

“……”

Eu desajeitadamente levanto minha parte superior do corpo.

Eu sei que é um desperdício de conforto, mas ainda assim eu sento.

Ela deixa minha linha de visão. Em seu lugar há um massacre de monstros mortos e ossos aleatórios. Eu finjo não ver nada e volto para a senhorita Wallenstein. Ela ainda está lá.

"…Uma ilusão?"

"Não é uma ilusão."

A expressão da senhorita Wallenstein muda de repente. A linha das sobrancelhas dela se inclina.

Nós trocamos olhares por um momento eterno.

Olhos dourados e vermelho-rubi. Parece que o silêncio está chegando a ela. Meu rosto está ficando mais vermelho a cada batida do coração. No momento em que a senhorita Wallenstein percebe, minha cabeça está vermelha o suficiente para que possa ser uma maçã madura sentada sobre meus ombros.

Minha visão está fora de foco, turvos e tremendo como vermes do lago.

Eu me levanto, ficando sobre meus pés.

"GAAAAAAAH!!!" Verin: Um histérico… Tinha que ficar feliz, não gritar como um covarde… affff | Hazel: meu princeso é tímido… fofo

Eu corro para longe o mais rápido que minhas pernas podem me carregar.

"... Por que você sempre... foge?"

Se alguém estivesse lá para ouvir suas palavras, eles teriam ouvido uma sugestão de solidão na voz de Aiz.


Por Dokohan | 16/04/19 às 14:36 | Ação, Aventura, Fantasia, Magia, Poder, Mitologia, Ecchi, Shounen, Japonesa, Elementos de MMO