CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 6.1 - O coelho furioso (parte 3)

Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darou ka (DanMachi)

Capítulo 6.1 - O coelho furioso (parte 3)

Tradução: Rodrigon | Revisão: Hazel | QC: Sir

Pouco tempo se passou desde a briga na Vespa Flamejante.

Welf, Lili e eu fazemos nosso caminho para a sala escondida sob a velha igreja, casa da <Família Hestia>.

"Ohh, então houve uma briga", a deusa diz calmamente enquanto esfrega creme medicinal no meu rosto — é coisa barata, para que qualquer pessoa em Orario possa comprar. Meu rosto fica tenso sempre que seus dedos passam por um dos meus muitos cortes.

Estamos aqui para explicar a ela com nossas próprias palavras o que aconteceu e nos curar ao mesmo tempo.

Não nos machucamos muito, mas a deusa ficou extremamente surpresa em nos ver cobertos de inchaços e contusões quando chegamos. Lili disse a ela o que aconteceu e a deusa pareceu aceitar sua explicação. Nós pedimos desculpas ao dono do bar após a briga e dissemos que a <Família Hestia> pagaria pelos danos.

"Acontece que você é um pouco mais indisciplinado do que eu pensava, Bell. Eu estou meio que feliz com isso, mas também me deixa triste... "

"Sr. Bell tem agido como o Sr. Welf! Sr. Bell tem se comportado mais e mais como um aventureiro violento desde que conheceu o Sr. Welf!"

"Ei, ei, você sabe que isso não é verdade... Espere um segundo, tem que haver uma melhor maneira de dizer isso!"

Os dedos gentis da deusa deslizam pelo meu rosto enquanto estamos sentados lado a lado em cima da cama. Lili e Welf estão no sofá diretamente ao nosso lado. Os dois têm discutido desde que Lili afirmou que apenas um idiota desperdiçaria uma poção para se recuperar de uma briga de bar e começou a sufocar os ferimentos de Welf com a mesma pomada que a deusa estava usando em mim.

Lili assumiu uma aura de superioridade desde que deixamos o bar. "Lili não pode acreditar nisso... Isso voltará para nos assombrar... Por favor, considerem o quanto Lili está preocupada." Ela continua se repetindo baixinho.

A deusa ouve o que ela tem a dizer e faz o seu melhor para sorrir para nós.

"Estou surpreso com você, entrando em uma luta como esta. Então, novamente, você é um garoto, Bell."

"..."

Seus dedos finos são gentis enquanto ela esfrega mais creme no meu rosto. Eu me sinto muito mal por fazê-la se preocupar, mas eu fico em silêncio.

Satisfeita com o meu tratamento, a deusa tira a mão e olha para mim com olhos sérios.

"No entanto, brigas nunca são boas! É como a sua suporte disse. Você realmente se machucou desta vez!"

Eu a deixei terminar e então imediatamente me levantei.

Tudo o que aconteceu no bar, toda a raiva, não consigo segurar mais.

"Mas aqueles caras — eles te insultaram!"

Talvez seja a primeira vez que eu respondo a ela dessa maneira. Lili e Welf congelam e olham para mim.

Eu não me importaria se eles me insultassem — eu posso aguentar.

No entanto, eles foram atrás das pessoas que me importam — eles insultaram minha deusa. Ela não pode esperar que eu deixe isso passar.

Minha deusa me deu muito, e aquele homem Pallum a insultou como se ela não fosse nada mais do que sujeira sob a bota de alguém.

Fecho os olhos com o intuito de impedir que as lágrimas vazem com a raiva crescente dentro de mim. A deusa olha para mim sem piscar com seus olhos azuis.

Ela apenas me olha por um momento antes de um pequeno sorriso aparecer em seus lábios.

"Estou feliz que você fique com raiva por mim. Mas ao fazê-lo, você se põe em muito perigo e isso me deixa muito mais triste."

O tom suave da deusa contrasta fortemente com o meu corpo tremendo de raiva.

"Eu entendo como você está se sentindo, Bell. Se fosse o contrário e alguém te insultasse, eu ficaria louca o suficiente para cuspir fogo. Mas se eu entrasse em uma briga e voltasse ferida como você fez hoje, como você se sentiria?"

"... eu teria vontade de chorar."

"Viu? É como eu me sinto. Eu sei que é injusto, mas por favor, não fique bravo se você ouvir alguém dizendo algo ruim sobre mim. Os deuses são mais felizes quando seus filhos são saudáveis." E então ela sorri para mim. "Faça uma piada da próxima vez. Algo como 'isso não irritaria minha deusa, ela tem um grande coração' ou algo assim."

A deusa... As palavras da minha deusa esfriam minha cabeça quente.

Ela gentilmente aceita toda a minha raiva e fúria, a contém, e me ajuda a deixá-la ir.

O sorriso dela desfaz os nós de emoção que se acumularam no meu peito.

Eu fico em silêncio, aceno e peço desculpas. "Eu vou aguentar dá próxima vez... me desculpe."

Olho para o chão enquanto faço minha promessa, antes de olhar para o rosto dela. Ela está sorrindo de orelha a orelha — absolutamente radiante, como uma chama saudável em uma lareira.

Tap, tap. Ela dá um tapinha na cama ao lado dela. Eu faço o que ela está pedindo e me sento na cama. Ela gentilmente passa os dedos pelos meus cabelos. Estou começando a corar, mas não me afasto.

Lili e Welf assistem a nós dois. Eles não fazem nada para tentar esconder a diversão deles.

Um clima calmo e sereno preenche a sala escondida sob a velha e degradada igreja.

"Lili está preocupada sobre como a outra <Família> vai responder. Seria bom se eles não guardassem rancor e viessem atrás do Sr. Bell."

A deusa estava esfregando minha cabeça e ombros e estava prestes a me dar um abraço quando Lili manifestou sua preocupação.

Welf passa a mão pela jaqueta preta, procurando por danos. Ele nem sequer olha para cima quando ele acrescenta: "Eu comecei. Bell deve ficar bem."

"Pode ser que sim... mas os aventureiros tem muito orgulho. Se a <Família> deles está preocupada em ser humilhada, pode haver um problema."

"Hmm, esse é um bom argumento." A deusa olha para Lili e concorda com ela. "Devo conversar com o deus deles para evitar problemas?"

"Sinto muito, deusa... "

Eu me curvo um pouco, mas a deusa força um sorriso. "Oh, tudo bem. Você sabe de que <Família> eles eram?" ela me pergunta.

"Hum, eu acho..." Eu tento me lembrar de todos os detalhes de antes da luta começar. Eu me lembro de uma coisa e digo a ela. "... eles usavam um emblema do sol."


https://lh3.googleusercontent.com/TnO8zVSGmxKqviRvrady4ziO9-xBSePmvO6W0E03XjJqZ1IpH4xv812PYZRVDk8f0Onn4u9KngUftRCon5WySTwRGIb0cua64UHQZLVXv_6sjxE8gSBJb4PdCQ-MhHWSVI9IvDKE


Emblemas dourados com a marca do sol brilhavam ao luar caindo do céu noturno sem nuvens.

Eles se reuniram em um beco escuro, longe da luz das lâmpadas de pedra mágica.

Um grupo de seis homens compostos por humanos, pessoas animais e Pallums haviam encontrado seu caminho através de uma das inúmeras ruas da cidade de Orario.

"Dá um tempo, Hyakinthos. Por que eu sempre tenho que fazer a parte ruim…?"

"Hee-hee, não seja assim, Luan. Você é a estrela."

Hyakinthos sorriu para o homenzinho, que ainda tinha o esboço bem definido de uma bota no rosto. O resto do grupo trocou risadas, danificando ainda mais o ego do seu aliado Pallum.

O aventureiro chamado Luan tinha um rosto jovem. Suas bochechas suaves tremeram em desaprovação ao papel que acabara de desempenhar.

Os lábios de Hyakinthos se curvaram em um sorriso astuto quando ele sentiu a angústia no rosto do Pallum.

"Houve alguma interferência inesperada, mas completamos nosso objetivo… "

Os barulhos da vibrante vida noturna de Orario eram distantes.

O jovem bonito sorriu totalmente quando mencionou o nome de seu deus.

"Lorde Apollo ficará muito satisfeito."

Seus brincos de ouro tremeram levemente na escuridão.

Hyakinthos olhou para cima e estreitou os olhos para a lua brilhante, cintilando no lugar do sol nesta noite clara.


Por Rodrigon | 15/08/20 às 11:46 | Ação, Aventura, Fantasia, Magia, Poder, Ecchi, Shounen, Mitologia, Japonesa, Elementos de MMO