CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 7.6 – O Desejo de um Herói (parte 4)

Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darou ka (DanMachi)

Capítulo 7.6 – O Desejo de um Herói (parte 4)

Tradução: Rodrigon | Revisão: Hazel | QC: Sir

Bell alcançou o trigésimo andar da torre do palácio.

Ele já estava a mais de cem metros acima do solo. Freneticamente evitando os ataques das Berbera, ele subiu uma grande escadaria.

A intensa batalha ainda não havia durado dez minutos. Uma vez que ele evitou a captura por todo esse tempo, ele decidiu que faria tudo sem lutar. Mas, por enquanto, ele precisava continuar avançando. Era o dever dele, sua missão.

Com os músculos queimando, com cada nervo gritando de dor, ele continuou a fugir de todos os ataques que as aventureiras de segunda categoria estavam jogando nele. A <Flecha de Fogo> estava provando ser um escudo eficaz para o coelho branco enquanto ele imprudentemente usava toda a sua energia para se manter vivo.

Continuando a encontrar espaços na rede que as Amazonas de Nível 3 tinham preparado para ele, ele teve visões dos rostos de Haruhime e Mikoto em seu coração.

Com uma trilha de escadas e paredes quebradas em seu rastro, a corrida dramática de Bell persistiu enquanto ainda mais Berberas se juntavam à caça.

"— Saiam do caminhoooo!!"

"?!"

Bell ouviu a voz assustadoramente familiar vir de cima do centro da torre quando ele virou outra esquina. Ela foi seguida quase imediatamente pelo som da destruição vindo em sua direção.

Algo grande e afiado estava girando para ele em alta velocidade — um grande machado de guerra. Bell se curvou para trás bem a tempo. A ponta da lâmina cortou alguns fios de cabelo bem na frente de seus olhos.

A arma pesada continuou seu caminho, transformando o parapeito, chão e até a parede em um buraco que descia mais quatro andares.

Um calafrio percorreu sua espinha quando Bell olhou para o local que ele tinha passado menos de um segundo atrás, agora não havia nada além de pedaços de madeira e outros detritos.

Ele soube imediatamente, ela estava aqui.

"Phryne...!"

Bell olhou para o caminho de onde o grande machado de guerra tinha vindo. Na verdade, seu corpo de dois metros não foi difícil de encontrar.

A Amazona parecida com um sapo com o título Androctonus, a Assassina de Homens, olhou para a presa com um sorriso faminto nos grossos lábios.

Foi quando Bell reconheceu alguém ao seu lado — uma guerreira com longos cabelos negros, Aisha.

"Você sentiu tanto a minha falta que resolveu voltar? Ahh, que liiiindo!"Hazel: capeta voltou.. ( ͡ಥ ͜ʖ ͡ಥ)

Outras Amazonas entregaram a Phryne mais dois grandes machados de batalha antes que ela estreitasse os olhos para Bell.

Um segundo depois, ela pulou.

"—!"

"Estou indo para vocêêêêêêê!"

Bell não perdeu tempo em se virar e correr a toda velocidade. Phryne caiu em sua direção.

Sua rota de fuga o levou ao corredor principal, com portas para muitos quartos que revestiam as paredes. O impacto do pouso da gigantesca Amazona quase o derrubou. Uma onda de choque cheia de detritos explodiu pela passagem que ele acabou de atravessar.

"Deixe aquele sapo segurar o coelho. Todas vocês, para o trigésimo andar!"

As ordens de Aisha estalaram no ar como um chicote. No entanto, Bell não teve tempo de ouvir devido à bola de demolição que se aproximava atrás dele.

Com os músculos ardendo de dor, o jovem humano não se importava mais para qual direção ele iria, desde que estivesse longe de Phryne.

Examinando o corredor freneticamente, ele teve um vislumbre do horizonte nublado. Uma janela, um caminho para longe da massa de destruição iminente que estava a apenas alguns metros de distância. Ele correu — quando um som familiar de alta velocidade chegou aos seus ouvidos. Outro machado.

"?!"

"Indo a algum lugar?"

O grande machado estava se aproximando com uma velocidade ofuscante.

Bell mergulhou no chão, protegendo o pescoço e se preparando para o impacto enquanto a arma ridiculamente grande destruiu tudo em seu caminho. Paredes, piso, teto e, finalmente, a janela — pedaços de madeira o atingiram quando a lâmina passou por cima dele. Ele olhou para cima e viu o horizonte de Orario. A parede externa se foi.

Não houve tempo para se espantar com o estrago.

Uma sombra escura caiu sobre onde ele estava deitado.

"?!"

Phryne havia diminuído a distância em questão de segundos. A Amazona levantou o machado de batalha remanescente e o derrubou.

Bell rolou para a esquerda sem um momento de sobra. Mais um segundo e o machado teria caído bem entre suas omoplatas.

Em vez disso, a arma atingiu o chão, fazendo com que o piso ao redor cedesse um pouco. Phryne perdeu o equilíbrio por um momento. Bell se levantou desesperadamente e estendeu o braço direito em direção à Amazona.

Ele não tinha o luxo de se preparar ou se preocupar com sua Mente restante. Bell ativou sua magia.

"Flecha de Fogo!!"

Um inferno eletrificado irrompeu da palma de sua mão.

A ponta do feitiço se juntou de forma parecida com a de uma lança — que Phryne se esquivou com um rápido movimento.

"De jeito nenhum...!"

Bell não podia acreditar em seus olhos.

A <Flecha de Fogo> — errou?

A essa distância?!

O ataque continuou pelo corredor, queimando as paredes à medida que avançava. Bell estava distraidamente surpreso que alguém do tamanho de Phryne pudesse escapar de algo assim tão facilmente. No entanto, seu alvo estava de volta à ofensiva.

"Que Magia traiçoeira você tem!"

Com isso, seu machado se tornou um borrão quando ela começou a balançá-lo contra Bell. Tudo o que ele podia fazer em seu estado de pânico era sair do caminho.

Bell não pôde deixar de tremer ao saber que Phryne era rápida o suficiente para escapar de um raio sem aviso prévio. Sua Velocidade e Agilidade não correspondiam nem um pouco ao seu tipo de corpo.

Não fazia sentido.

Mesmo quando Bell se esquivou da arma, a pressão de ar resultante abriu um corte em sua pele. Ele entendeu o verdadeiro poder dos aventureiros de primeira classe.

"Você já terminou?"

Phryne continuou a tirar pedaços do amplo corredor enquanto forçava Bell para o centro da torre.

As paredes, teto e piso apresentavam cortes profundos, as marcas de garras de um animal enlouquecido. Os tapetes caros e as lâmpadas ornamentadas de pedra mágica eram totalmente destruídos pelos ataques de Phryne. No entanto, ela estava se divertindo da mesma forma que um gato que se recusava a matar um rato moribundo. Bell se tornou seu brinquedo.

Argonauta — Bell não teve tempo de carregar sua Habilidade. Ele não conseguia se concentrar nisso e lutar contra uma oponente como ela ao mesmo tempo.

Ele perderia um membro no momento em que pensasse em tentar.

A figura avassaladora de Phryne encheu seus olhos trêmulos. Seu único plano reserva não funcionaria. Restava apenas uma opção. Bell desembainhou <Ushiwakamaru-Nishiki> para que pudesse atacar junto com a <Faca de Hestia> — não, para que pudesse se defender — com um estilo de lâmina dupla.

"KEHH!"

Afastando seu medo, ele conseguiu guiar um golpe lateral do machado.

Com isso, veio uma série de ataques inabaláveis, trazendo visões de uma Amazona diferente, a furiosa Tiona e sua enorme lâmina durante seu treinamento na muralha da cidade. Assim como ele fez naquela vez, Bell tomou um ângulo defensivo e golpeou a arma que se aproximava para fora do caminho.

Barulhos metálicos e agudos soavam todas as vezes que as armas colidiam. Pequenas rajadas de faíscas em arco acompanhavam <Ushiwakamaru-Nishiki>.

No entanto, Bell foi rapidamente dominado e chutado para longe no corredor quando ele estava mais vulnerável entre os golpes.

"GE-GE-GE-GE-GEH! Então você pode lutar!!"

Phryne elogiou o jovem humano quando ele caiu para trás.

Virando duas, três vezes, Bell saiu do corredor e entrou em uma câmara maior antes de finalmente parar.

Com o corpo coberto de cortes, suor e hematomas, Bell ficou de pé novamente.

O que ele viu a seguir fez seu sangue gelar.

"Senhorita Aisha...?!"

A câmara estava completamente cheia de Berberas. Bell caiu em uma armadilha e agora estava cercado por todos os lados.

A guerreira Amazona estava parada, segurando sua grande lâmina de madeira contra o ombro, o olhar fixo no garoto.

"... Você fez bem, chegando tão longe."

Aisha estava na frente de uma escada que levava a um andar mais alto, sua voz era alta o suficiente para ecoar por toda a câmara.

Uma onda de choque ecoou pelas tábuas do assoalho um segundo depois. Phryne tinha chegado.

Esta câmara em particular era decorada com belas obras de arte nas paredes e pilares ornamentados emoldurando cada uma das janelas que iam até o teto. Com Aisha guardando o caminho à frente e Phryne impedindo-o de se virar, Bell não tinha para onde correr. Isso já seria ruim o suficiente sem as inúmeras outras Amazonas o cercando, balançando suas armas contra seus ombros em antecipação.

Merda…! Bell amaldiçoou a si mesmo enquanto procurava desesperadamente por outra saída. Sua mente acelerou quase ao ponto de explodir quando de repente:

"Se afastem, todas vocês."

Uma voz poderosa veio do topo da escada.

Cada par de olhos na câmara se virou nessa direção em surpresa. Lentamente, a figura de uma deusa de pele bronzeada, ostentando um nível inigualável de beleza, desceu para a câmara com um cachimbo oriental em sua mão. Um perfume doce forte o suficiente para conduzir o mais forte dos mortais à loucura flutuou na sala diante dela. Ele envolveu Bell, parecendo queimar seu nariz. Seus olhos vermelho-rubi foram atraídos para o corpo dela como ímãs.

A Deusa da Beleza Ishtar seduzia qualquer observador com sua figura divina, mas, no entanto, ela ficou completamente satisfeita ao ver a reação de Bell enquanto continuava fumando.

"O que significa isso, Lady Ishtar? Se intrometendo assiiiim?"Hazel: ódio dessa sapa.. @#$% 

Phryne não perdeu tempo expressando seu descontentamento com sua deusa. Ishtar olhou para sua seguidora imponente enquanto seu assistente Tammuz desceu as escadas atrás dela.

O rosto da Amazona, que parecia um sapo, ficou vermelho escuro, veias pulsando em sua testa.

"Você não me ouviu, Phryne? Eu disse para se afastar."

Seus olhos ametista sem emoção brilhavam. Suas palavras transmitiram uma mensagem simples de sua vontade divina: obedeçam.

Os cantos da larga boca de Phryne se contraíram.

Foi a primeira vez que Bell viu uma pitada de medo em seus olhos.

"Todas vocês, para o Jardim Flutuante. Cabeças rolarão se o <Ritual da Pedra da Morte> falhar novamente."

As Berbera, completamente dominadas, embainharam suas armas. Não demorou muito para desaparecerem da câmara.

Elas saíram uma a uma. As pálpebras de Aisha afundaram quando ela olhou para Ishtar por um momento antes de dar as costas e seguir suas familiares para fora da câmara. Assim que alcançou a porta, ela olhou por cima do ombro para Bell, seus longos cabelos balançando.

Phryne estalou a língua em frustração. Ela foi a última que sobrou. Alguns longos segundos depois, ela colocou um pé na frente do outro e deixou a câmara.

Bell deu um suspiro momentâneo de alívio. Seus pensamentos imediatamente foram para Mikoto e Haruhime. Ele se virou para sair, pensando em ajudá-las a evitar mais perigo — quando Tammuz o impediu.

O olhar do homem bronzeado e bonito o dominou.

"Pirralho, vim até aqui para conhecê-lo. É rude virar as costas para mim."

Com gotas de suor escorrendo pelo rosto, Bell congelou no lugar enquanto assistia a Deusa da Beleza descer lentamente os degraus restantes.

Ishtar se aproximou de Bell, um sorriso fino nos lábios. O corpo de Bell se virou em sua direção.

"Lady... Ishtar..."

Ela estava na altura dele, os olhos no mesmo nível. Bell não conseguia esconder sua perplexidade quando a divindade se aproximou ainda mais.

Dois contra um.  Não, deuses e deusas eram fisicamente fracos e não podiam lutar por si mesmos. Na realidade, era um contra um, Bell contra Tammuz.

Os olhos arregalados de Bell saltaram da deusa para o humano de pé logo atrás dela. Pode ter sido uma ordem direta de sua deusa, mas o garoto ainda não conseguia entender por que Phryne e as outras saíram sem dizer nada — foi até onde seu raciocínio foi antes da deusa o parar.

"Muito impressionante, filho de Hestia. Você tem mais coragem do que eu pensei, oferecendo-se como uma distração e forçando o seu caminho desse jeito."

Na realidade, Bell não parava de tremer em sua presença.

Um corpo sedutor, uma voz que derretia em seus ouvidos, um aroma doce e olhos atraentes.

Bell caiu com toda a força em sua beleza divina e imediatamente entendeu a razão pela qual as Amazonas desistiram tão facilmente.

Ele já havia sido capturado por uma beleza que nenhum mortal poderia resistir.

As Amazonas sabiam: o destino de Bell já havia sido decidido.

Por Rodrigon | 13/03/21 às 11:50 | Ação, Aventura, Fantasia, Magia, Poder, Ecchi, Shounen, Mitologia, Japonesa, Elementos de MMO