CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 7.6 – O Desejo de um Herói (parte 8)

Dungeon ni Deai o Motomeru no wa Machigatte Iru Darou ka (DanMachi)

Capítulo 7.6 – O Desejo de um Herói (parte 8)

Tradução: Rodrigon | Revisão: Hazel | QC: Sir


O telhado do zigurate — o Jardim Flutuante.

Várias torres se estendiam para protegê-lo muito além da altura de quarenta andares. O palácio ao seu lado era ainda mais alto. Cada bloco de pedra colocado no chão do amplo prédio fora meticulosamente posicionado para estar nivelado e não ter absolutamente nenhuma rachadura entre cada laje.

As lajes de pedra que compunham o Jardim Flutuante eram um híbrido de um minério preto chamado <Darubu> misturado com uma grande quantidade de <Pedras de Luz>. Cada um deles reagia à luz da lua brilhando acima, liberando um fluxo constante de luz azul que se espalhava através da superfície como um tapete flutuante.

"Samira, está tudo pronto?"

"Sim, você não consegue ver? Tudo o que resta é esperar a lua ficar em posição."

Metade das Berbera da <Família Ishtar>, incluindo quase todos os membros de Nível 3 e superior, reuniram-se no Jardim Flutuante.

Mais de cem Amazonas estavam andando descalças pelo chão branco-azulado, reunindo-se no centro. Phryne caminhou até a encarregada de supervisionar os preparativos para o ritual, Samira. A Amazona de cabelo cinza apontou o queixo em direção ao centro.

Lá, no meio do solene Jardim Flutuante, estavam três pilares altos e finos de pedra, dispostos em uma formação triangular ao redor de um altar.

O próprio altar de pedra cintilava ainda mais do que a laje da cobertura. Sua luz reagiu com os pilares, brilhando enquanto se misturavam com o luar.

O jardim e o altar foram projetados para servir a um propósito: aumentar o poder da <Pedra da Morte>. Havia o risco da alma se partir durante o processo. Com tanta energia para extrair, a <Pedra da Morte> seria capaz de selar a alma em sua totalidade.

Os olhos de Phryne se estreitaram quando ela sorriu. Samira estava ao lado dela, olhando o céu.

Uma grande parte das nuvens havia desaparecido. Um céu noturno desobstruído cheio de estrelas e com uma deslumbrante lua cheia apareceu sobre o Jardim Flutuante.

Todas as Amazonas estavam esperando por uma coisa — a mudança de cor da luz que emana do altar de azul claro para vermelho escuro. Então o ritual poderia ser iniciado.

"Haruhimeee! Pare de vadiar por aí e vá para o altar!"

Phryne se afastou do altar enquanto sua voz estridente enchia o ar.

A grande Amazona se afastou para abrir caminho. Uma garota raposa vestida em um lindo quimono vermelho silenciosamente colocou um pé na frente do outro enquanto marchou em frente.

Com a exceção do branco de seus olhos verdes estarem vermelhos, seu rosto era inexpressivo. Ela manteve o olhar fixo na luz azul saindo da pedra sob seus pés. Não havia personalidade ou emoção em seu comportamento; ela era como uma boneca andando em uma nuvem.

"..."

As Amazonas fizeram muitas caretas quando ela passou. Aisha assistiu a caminhada de Haruhime e abriu a boca pouco antes da pessoa-raposa passar na sua frente. No entanto, nenhum som saiu.

Haruhime olhou brevemente em sua direção, um brilho fraco nos olhos como se ela estivesse tentando transmitir algo para Aisha. Mas a Amazona fechou a boca, suas mãos estavam trêmulas quando a jovem passou.

Haruhime chegou ao altar e subiu ao topo.

"Ajoelhe-se aqui."

"Sim..."

Ela colocou os joelhos em cima do centro da pedra brilhante assim como foi ordenada.

Várias algemas pendiam nos altos pilares ao redor do altar. Em seguida, eles foram presos aos pulsos, tornozelos, cintura e pescoço dela.

Foi dito que a pessoa-raposa experimentaria uma dor extrema quando sua alma estivesse sendo transferida de seu corpo para a <Pedra da Morte> durante o ritual. Essas algemas deveriam impedir Haruhime de se debater violentamente quando chegasse a hora.

"..."

De joelhos e acorrentada, Haruhime realmente parecia uma donzela prestes a ser sacrificada a uma divindade, ou pelo menos a peça central para alguma cerimônia antiga. Até as Amazonas ao redor do altar se perderam na comovente beleza da cena.

"Com isso, podemos finalmente lutar contra a <Família Freya>."

Do lado oposto do Jardim Flutuante veio uma visão que trouxe sorrisos de antecipação: a <Pedra da Morte> havia chegado.

O cristal vermelho, do tamanho de um punho, havia sido preso ao final do cabo de uma longa espada cerimonial.

Sua lâmina perfuraria o corpo de Haruhime e daria a pedra acesso direto a sua energia mágica. Seria a ponte pela qual sua alma viajaria para ser selada dentro da <Pedra da Morte>. A própria lâmina brilhava na luz da lua, enquanto a pedra em seu punho libertava um sinistro brilho vermelho.

Haruhime sentiu uma pontada de medo no momento em que a arma apareceu. Ela rapidamente fechou os olhos, balançou a cabeça e olhou para as estrelas.

Seus olhos foram recebidos por incontáveis ​​brilhos de luz atrás de uma lua dourada.

A luz que a mataria.

Então, novamente, seria a luz que a salvaria da dor e sofrimento deste mundo.

Iluminada por um raio de luar deslumbrante, Haruhime deixou a cabeça cair.

Não houve lágrimas. Foi o coração dela que chorou. Mas ela não demonstrou.

Seu corpo minúsculo continha toda a tristeza, dor, felicidade e arrependimento.

Todas as memórias que ela fez nos últimos dias, conhecendo aquele garoto e reunindo-se com aquela garota, tudo estava bem embalado e escondido.

Com a mente em branco, Haruhime fechou os olhos lentamente.

"— O inimigo está atacando!"

Uma voz estridente alcançou seus ouvidos um momento depois.

Os olhos de Haruhime se abriram. Os sons intensos de armas batendo ecoaram da ponte de entrada que conectava ao Jardim Flutuante.

O que apareceu foi uma jovem garota com longos cabelos negros amarrados em um rabo de cavalo, investindo contra as fileiras de Amazonas. 


Por Rodrigon | 27/03/21 às 14:00 | Ação, Aventura, Fantasia, Magia, Poder, Ecchi, Shounen, Mitologia, Japonesa, Elementos de MMO