CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
01º Mito - A Reunião

Epopeia do Fim (EDF)

01º Mito - A Reunião

Autor: Sora

Há tempos imemoráveis, por um simples fato do chamado destino, tudo que conhecemos hoje, tinha começado a ser criado. De Caos nasceu o cosmos, e dele também nasceu tudo que conhecemos hoje. Os seres primeiros, que se estabeleceram no universo imenso e deram origem a tudo, os chamados Deuses Primordiais deram início a uma era. Era que mais tarde seria dominada pelo titã Cronos, filho de Gaia, a Terra com Urano, o Céu.

Cronos, como profetizado antes por Gaia, no fim de um conflito que nem mesmo os deuses conhecem, castra Urano e o destrona, tomando o controle do cosmos para si, criando a Era Dourada. Nesta era, a humanidade não envelhecia e morria pacificamente, a primavera era eterna.

Os Titãs tiveram progenitores, assim como o próprio Cronos, que, com a titânide Réia, gerou o que mais tarde seriam chamados de Lendas. Após comer todos os seus filhos, Zeus, o último e mais novo deles, foi salvo pela sua mãe e criado por Gaia.

Zeus foi crescendo e finalmente soube da verdade após alguns anos. Com uma poção feita pela Titânide da Sabedoria e sua parceira até então, Métis, Zeus fez com que Cronos libertasse seus irmãos, o que deu origem a grande guerra entre Deuses e Titãs.

A Titanomaquia durou dez anos exatamente, até Zeus com a Lâmina do Olimpo, uma arma divina produzida por seus companheiros na guerra, os gigantes, dar um fim à guerra e banir os titãs para o Tártaro.

O Monte Olimpo então foi instaurado como epicentro de uma nova era, a Era Prateada, que teve seu início após esse conflito devastador. Com o passar do tempo, outros deuses e divindades nasceram. E após isso, anos se passaram...

Estamos agora, no ápice do outono, o clima varia entre chuva e sol, quente e frio. Os governantes supremos desse mundo são os Deuses Olímpicos ou Dodekatheons – mas vamos com a primeira definição, porque é a mais conhecida e simples. São os principais líderes do panteão grego, residentes no topo do Monte Olimpo. Bem, nem todos.

O Olimpo, uma montanha com grandes imediações que ultrapassa o céu e as nuvens. Eles alimentam-se da AmbrósiaDoce com sabor divino, tem poder de cura. Se um mortal comum o comer, esse mesmo morre., bebem diversos tipos de néctar, alimentos exclusivamente divinos, ao som das liras de Apolo e do canto das Musas.

O palácio principal era constituído por sua maioria em ouro reluzente, as cortinas eram de pura seda, mais brancas que as mais limpas nuvens. E nesse palácio, acontecia uma reunião. A reunião onde iremos começar a contar essa história. Os principais Deuses Olímpicos se faziam presentes na sala principal.

Eles eram:

Zeus – Rei dos Deuses, governante do Monte Olimpo, o Deus dos Céus;

Hades – O Deus do Submundo, irmão mais velho de Zeus;

Poseidon – O Deus dos Mares, o irmão mais velho dos filhos de Cronos e Réia;

Hera – A Deusa do Casamento, rainha do Olimpo. Esposa e irmã de Zeus;

Apolo – O Deus do Sol, filho de Zeus e de Leto uma Deusa;

Ártemis – A Deusa da Lua e da Caça, irmã gêmea de Apolo;

Ares – O Deus da Guerra, filho de Zeus e de Hera;

Afrodite – A Deusa do Amor, filha de Urano, logo, pode-se dizer que é ‘tia’ de Zeus;

Dioniso – O Deus do Vinho e das Festas, filho de Zeus com Sémele, uma mortal;

Atena – A Deusa da Sabedoria, filha de Zeus com Métis, uma meio deusa, meio titânide.

Havia ainda algumas ausências, como Perséfone – Deusa das Flores e Rainha do Submundo; Deméter – Deusa da Natureza e da Agricultura; Héstia – Deusa do Lar, irmã de Zeus; e Hefesto – O Deus do Fogo e denominado Ferreiro dos Deuses, o primeiro filho de Zeus e Hera; além de mais outros deuses e semideuses.

De prontidão, na entrada principal, estava sentado Hermes, o Mensageiro real de Zeus, proclamado o Mensageiro dos Deuses.

Tirando todas essas ausências, a reunião estava acontecendo. Os deuses estavam atentos, porém relaxados – exceto, é claro, por Hades e Ares. De repente, a porta da entrada se abriu, ao mesmo tempo que Hermes se levantou e abriu passagem.

Zeus, Atena e Hera estavam ali, na entrada. Todos olharam. Os três então, depois de cinco segundos parados, deram o primeiro passo e seguiram até para a frente do grande trono do Rei dos Deuses, onde o mesmo se sentou. Atena postou-se ao lado dele, em uma cadeira um pouco menor. Hera faria o mesmo.

E então, a porta se fechou, com o eco se alastrando pela sala por alguns segundos. Zeus então suspirou e tomou a palavra.

Agradeço a vocês, irmãos e irmãs, filhos e filhas, por aceitarem meu convite e comparecerem aqui. Estou vendo que há ausências, porém vocês são suficientes. – Disse o Rei dos Deuses.

E por qual motivo fizeste eu, o grande Hades, a deixar seu Reino? – Hades perguntou, já com o seu tom de voz alterado e irritado.

Creio que há uma explicação para isso, certo irmão? – Poseidon perguntou logo em seguida. Diferente de Hades, seu tom era mais calmo e firme.

Zeus não se apressou em responde-los e ficou em silêncio por algum momento. O vento bateu levemente na sala, fazendo as cortinas de seda levantarem graciosamente enquanto todos observavam o Rei dos Deuses. Atena deu uma leve olhada para seu pai, que enfim prosseguiu.

O Olimpo foi criado há anos atrás após a Grande Guerra contra vosso pai e os Titãs. Após isso, nasceram Deuses e outras divindades ao nosso redor e desde então nós acabamos ficando cansados de nossos repetitivos trabalhos.

Onde quer chegar, pequeno Zeus? – Afrodite se posicionou, com um tom de voz gracioso e um tanto que atraente.

Minha proposta é essa: nós, deuses, iremos ter filhos. – Todos ficaram sem reação às palavras do Rei dos Deuses.

O que significa isso...? – Murmurou Apolo, o Deus do Sol, com os olhos arregalados.

“Filhos? Mais?”, pensou Hermes, olhando para seu pai. “Ok, nem todos aqui têm, mas por que isso...?”, ele concluiu.

Mas... é só isso? – Poseidon fez uma cara de que não acreditava, como todos ali.

“Afinal, que ideia mais estranha”, também pensou Afrodite, olhando para Zeus.

Entretanto, caso sejam descendentes entre nós mesmos, problemas podem surgir internamente para o Olimpo. – Zeus completou.

Como uma possível... rebelião? – A pergunta de Atena não foi respondida, mas era a provável razão. Ela apenas olhou para Zeus, em silêncio.

Então, qual o sentido dessa proposta, pai? – A pergunta de Apolo era a pergunta de todos ali...

— A ideia inicial é ter novos descendentes... com humanos.

Se tudo já estava estranho e esquisito, ficou mais ainda. Deuses e mortais podiam ter relações e ter descendentes, o que fariam de tais Semideuses – mortais com dotes divinos.

Uma aura assassina percorreu o local, tendo origem em Hades. Era como uma fumaça negra provocada pela rotineira queima do mais bom e refinado carvão. Atena chegou a apertar o braço da cadeira, nervosa e ansiosa.

Então, pequeno Zeus. Repito minha pergunta. Onde quer chegar com isso? – Afrodite deu uma risada leve e perguntou novamente.

Se nós, Deuses tivermos filhos com humanos, eles não serão nem Deuses, nem humanos. Porém não poderão ter o mesmo poder de um Deus. – Ele explicou sua lógica... 

 —Então, eles seriam mortais, assim como seu filho Héracles, creio eu? – Afrodite continuou.

Sim. Nossos filhos tomarão nossos ‘lugares’ e nos servirão. Eles serão treinados e serão os responsáveis por cumprir nossas tarefas que serão dadas a eles. – Depois da explicação, todos ali discutiram entre si a ideia. E depois de algum tempo, chegaram a algumas conclusões.

Entendo pai, de fato, não é um plano ruim. – Confirmou Apolo.

— Verdade, verdade... – Murmurou Afrodite.

Poseidon, apesar de não declarar nada, já possuía parceira: Anfitrite, que não era uma mortal, e sim, uma Oceânide, uma Elemental da Água. Já Afrodite... Bom, vamos combinar, ela já é por si só a Deusa do Amor e do Sexo e ter diversas relações sexuais não era problema para a deusa.

E também, para falar verdade, Afrodite amava isso. Homens ou mulheres, para ela não havia diferença. Entretanto, tanto ela quanto Ares, que estava em silêncio, e Dioniso, que também não falava nada, mas tinha um sorriso no rosto, pensaram ao mesmo tempo:

“Essa é sua ideia, mas não precisamos seguir ela à risca, não é?”

Então, estão todos de acordo? – Atena fez a pergunta para os demais deuses.

Você é imbecil, irmão? – A sala começou a ficar quente e escura... A raiva do Deus do Submundo era assustadora. – É claro que não estarei concordando com tal oferta.  

Ele se levantou e andou até Zeus. Os dois ficaram frente a frente – cara a cara.

Minha rainha é única. – Completou o deus.

A expressão de Hades era de ódio total, seus olhos eram vermelhos como o inferno. Atena estava suando de medo enquanto se espremia na cadeira, até mesmo engolindo seco. Ares, sutilmente e sem ninguém perceber, deu um sorriso aparentemente gostando da cena.

Poseidon se levantou. Zeus não se mexeu. Hades era o único deus que batia de frente em força e carma com seu irmão mais novo, o Rei dos Deuses, talvez, o único a ter a coragem suficiente para tal. E seu tom de voz era mais assustador do que antes.

O Rei dos Deuses não esboçou reação, porém, Hades se virou e foi embora. Como? Pulando do Olimpo (isso é bem normal para eles, confia). Bom, o pulo dava direto no Submundo. Se o Olimpo atravessava os céus, o Submundo ficava abaixo dele, ou seja, os dois eram conectados.

E o clima naturalmente se acalmou após o Deus do Submundo sair da reunião.

Se nos permite irmão, estaremos nos retirando. – Falou Poseidon, se virando.

Não esqueçam. Escolham bem seus mortais. – Zeus falou para os demais, que tinham outras coisas em mente.

Pode deixar, pai. – Dioniso finalmente abriu a boca para falar, com um sorriso irônico, como sua resposta.

Todos então se retiraram, apenas Atena e Hera ficaram. Por sinal, Hera ficou quieta durante toda a reunião.

Será que é uma boa ideia, Pai? O que vai acontecer com tio Hades? E tio Poseidon parece que também não gostou muito... – Atena murmurou.

Não se preocupe, minha filha. Eles vão cooperar. Hades tem Perséfone e Poseidon não é tão orgulhoso como parece. Ele também já tem a Anfitrite.

A Anfitrite nem é uma mortal, assim como a Perséfone... – Ela falou baixinho, para si mesma.

Não foi ele que não permitiu a construção de sua cidade? – Hera finalmente abriu a boca para falar algo.

— É mesmo. O orgulho esquisito dele quase não me permitiu. – A Deusa da Sabedoria olhou para o alto, se lembrando desse momento.

Afinal, você construiu Atenas no território dele, não é verdade? – As palavras de Zeus deixaram Atena sem graça. Hera riu.

I-isso não vem ao caso! Mas sério, os leitores vão ler essa ideia sem graça e vão abandonar a história já no prólogo... – Atena murmurou para si mesma – Por favor, não abandonem agora, tenham confiança no trabalho desse autor. Obrigada.

Está maluca? Tá falando com quem? – Hera perguntou.

Com ninguém...

Bom. Vamos esperar e ver o que vai acontecer no futuro...

O futuro... O que aconteceria nesse futuro, ninguém sabia. Não, deixe-me refazer a afirmação. Ninguém imaginaria. Ninguém iria acreditar se ela fosse contada antes de acontecer. Ninguém levaria fé se ela fosse prevista de determinada forma. Toda a história estava prestes a ser mudada. Futuro...

 

 ***

 

Chegamos, ao futuro. E esse futuro começa em um deserto de terra, árido, com uma ventania incessante e calorenta.

O silêncio era mortal, o único som que se tinha era do fino sopro de vento. Bom, pelo menos até este momento. O único som, se tornou outro. Som de passos afundando na voluptuosa e brilhante areia desértica.

Será que já estamos chegando? Está muito calor, parece que vou derreter. – Uma garota, que tinha cabelo vermelho, perguntou.

Estamos chegando, aguente mais um pouco. – Respondeu outro garoto, de cabelo preto.

Ao que parecia, eram adolescentes. Quantos? Dez. Todos estavam com capuzes marrons, mesmo com o inferno de calor que o deserto fazia ali. Eles não tinham muita velocidade, já que o monte de areia tirava isso deles, mas não pareciam com pressa. Aliás, era por volta de três da tarde, ou seja....

Quente.

Muito quente.

Faltam alguns metros... – O garoto de cabelo preto completou.

Por que nossos pais nos dão tarefas tão complicadas? – Perguntou a mesma garota, resmungando.

Mas isso é bom, assim ficamos mais fortes e alcançamos eles mais rapidamente. – Respondeu outro garoto, de cabelo prateado, com um leve sorriso.

O vento bateu mais forte naquele momento, eles seguraram os capuzes para não voarem. Os dez ficaram parados por um momento, só que dessa vez, o vento não era quente. Era um vento mais frio...

O garoto que estava à frente dos outros nove parou de repente. Enquanto todos olhavam para ele e se perguntavam o que havia acontecido, ele disse:

Chegamos...

Havia uma enorme descida de areia pura abaixo. Os outros nove foram mais à frente e observaram uma cidade ali.

Todos então ficaram mais tranquilos e alguns comemoravam mentalmente a final chegada.

Ooooh, existe uma cidade no meio do deserto mesmo! – Outra garota, de cabelo azul-escuro, exclamou.

— Bom, vamos lá? – O garoto de cabelo prateado perguntou.

— Sim...

 O garoto da frente, o de cabelo preto, se virou para os outros nove, enquanto os mesmos removiam os capuzes da cabeça.

Enquanto isso, no Monte Olimpo: Zeus e Atena estavam acompanhando os dez da Piscina da Vidência – a piscina transparente que podia ver tudo em qualquer lugar.

Zeus no trono, Atena sentada à beira da piscina. A Deusa da Sabedoria sorria, olhando atentamente.

— Será que eles irão se sair bem? – A deusa perguntou, para si mesma. Zeus apenas observou.

— Veremos... – O Rei dos Deuses respondeu, sem esboçar nenhuma emoção.

— Mas acho que mesmo sendo aquelas Sirenas, eles não terão dificuldades.

— ...

— Damon, Lilith, Silver, Grey, Elaine, Meade, Chloe, Julie, Brandt e Arthur.... Os Dez Apóstolos.

E se você ainda não abandonou a história até aqui, muito obrigado, você não irá se arrependa disso!!

— Aqueles que servem aos líderes do Olimpo. E também, aqueles que tem o sangue dos deuses.

Ao mesmo tempo que Atena falava com Zeus, Damon, o garoto da frente, estava olhando para os outros nove.

— Vamos nessa. Pelo bem de nossos progenitores, os deuses, completaremos essa missão e regressaremos ao Olimpo com a vitória.

— SIM! – Todos responderam ao mesmo tempo.


[Os Dez Apóstolos; a história dos filhos dos Deuses Olímpicos tem então suas cortinas abertas!!]


-----------------------------------------------------------------

Para quem está iniciando a Novel agora, entre no grupo do Discord; local exclusivo para os leitores interagirem e baterem um papo não só sobre a Novel, como também sobre outras coisas que derem na telha!! 


https://discord.gg/CP7DCpP

Serão muito bem-vindos lá!! Esperando vocês!!

Edit: Pra quem não tem Discord ou tem preguiça de baixar, temos agora uma página no Facebook para maior interação entre os leitores: https://www.facebook.com/groups/240026243453280/

Por Sora | 07/01/18 às 21:27 | Ação, Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Brasileira, Magia, Drama, Comédia, Shounen