CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
07º Mito - Volta para Casa

Epopeia do Fim (EDF)

07º Mito - Volta para Casa

Autor: Sora

Cidade de Olímpia, por volta de 19h15 da noite. Os Dez Apóstolos, após o término em 90% da missão, chegaram em casa. Bom, não em casa em si, mas na cidade que abrangia tudo. A noite caía sobre a cidade e já estava bem escuro, com algumas áreas já sendo iluminadas, o suficiente para se guiar por ali.

A cidade não estava tão movimentada como nas horas matutina e vespertina, estando bem quieta e calma. Os dez andavam pela parcial escuridão com iluminações artificiais, quando uma iluminação natural e bonita preencheu o local. Uma nuvem saiu da frente da lua, que se alastrou com sua forte luz, deixando tudo mais visível e bonito.

Damon olhou para ela e pensou “Deve ser obra da mãe da Elaine”, dando um sorriso. Era um belo e pacífico momento, a luz da lua parecia lavar a alma de cada um ali. Todos estavam confortáveis, hipnotizados.

— Foi um bom dia hoje! – Exclamou Grey, que se virou sorrindo.

— Sim... – Meade respondeu à afirmação do garoto enquanto Damon estava olhando para a lua.

Lilith se virou e viu que o garoto de cabelo preto e olhos azuis estava pensativo, ficando curiosa.

— Ei, o que houve? Está viajando aí. – Lilith perguntou, fazendo Damon despertar do transe e olhar para ela.

— Hm? Não é nada. – Os dois se encararam por um tempo – É que eu lembrei de uma coisinha que preciso fazer... – Completou murmurando.

— Olha, não sei vocês, mas eu estou com sono e vou para casa. – Falou Meade, se espreguiçando.

 — Mas espera, cadê o Arthur e o Brandt? – Elaine olhou para os lados, procurando os dois.

— Já foram. – Meade respondeu.

— COMO ASSIM?! – Elaine ficou impressionada pelo fato dos dois terem sumido subitamente.

— É, você está certo. Então, nos despedimos aqui. – Silver disse.

— Estamos indo!

— Até amanhã, pessoal! – Grey e Elaine moravam para o mesmo lado e disseram, respectivamente.

— Também estamos nos retirando. – Chloe foi a próxima.

— Boa noite. – Ela e Julie então, fizeram o mesmo e seguiram em frente para suas residências.

— Vamos?

— Claro. Até mais.

Silver e Meade foram juntos. Eles não moravam no mesmo lugar, mas suas casas eram no mesmo caminho, então eles iam a partir dali. Você deve estar pensando... Os Deuses Olímpicos moram no Olimpo; logo seus filhos não deveriam morar lá também?

Na verdade, apenas Zeus e Hera moram de fato no Olimpo. Claro que todos os outros também ‘moram’ lá, oficialmente, mas isso não diz que eles não podem ter seus lares, ou melhor, seus próprios tronos ao redor da cidade que tem como centro o Olimpo, ou até mesmo do próprio monte.

Por exemplo, Poseidon se instalou no Mar Egeu, enquanto Atena criou a cidade de Atenas. O mesmo pode ser dito para Apolo e Ártemis, que possuem um panteão bem próximo do Olimpo...

— Bom, e você? – Lilith perguntou à Damon, já que os dois foram os restantes ali.

— Eu ainda vou no Olimpo. Tenho algumas coisas para resolver... tipo relatar para o velhote e minha irmã sobre o término da missão. – Damon deu um suspiro de cansaço após responder a garota.

Ele adorava as missões, as batalhas, a ação e as aventuras, todavia essa era a parte que ele mais odiava, o pós-missão. Afinal, era ele quem dava as informações finais para os superiores, no caso sua irmã e o tal ‘velhote’ como ele mesmo disse.

— Então vamos juntos, é mesmo caminho. Infelizmente... – Lilith disse com um tom de brincadeira.

— ‘Infelizmente’!?!

E, como já dito, cada um foi para seu respectivo lugar. Damon, antes de ir para casa, tinha que ir tratar algumas coisas no Monte Olimpo, como ele mesmo disse e como também já foi explicado aqui. Ele e Lilith foram andando juntos para o mesmo lado.

A luz da lua iluminou ainda mais a cidade à noite. Eles iam sem pressa, tranquilos e à vontade, aparentemente aproveitando o tempo calmo e descansando. Lilith andava com as mãos por trás das costas, segurando uma na outra, já Damon, estava com as mãos entrelaçadas atrás da cabeça, como se estivesse deitado.

A lua está bonita hoje, não é? – Lilith puxou assunto, olhando para o satélite natural brilhante no céu.

Você falando disso? Tá passando mal? – O garoto retrucou, olhando para frente.

Você realmente quer me estressar, não é?!

Agora eu entendi o “infelizmente”. – Ele afirmou e Lilith fez beiço, virando seu rosto – É crescente, não é?

Hã? – Após a pergunta de Damon, ela voltou a se virar para ele.

Perguntei se é crescente...

Ah, sim, por enquanto. Em algumas semanas talvez fique totalmente cheia. Ah, quem entende dessas coisas é a Elaine... – Lilith balançou a cabeça com uma expressão cabisbaixa.

Os dois, depois de mais algum tempo andando em silêncio, chegaram no destino. Eles estavam agora, no pé da montanha mais alta do planeta, o Monte Olimpo que tem suas raízes no Submundo. Ou seja, ambos são conectados.

— Bom, é isso por hoje então. – Disse Lilith andando mais a frente – Nos vemos amanhã?

Depois de um breve momento olhando para a garota de cabelos vermelhos, Damon suspirou e sorriu.

— Se tiver missão, é claro.

— Só se tiver missão...? – Ela murmurou, fazendo bico.

— Hm?

— Não é nada! – Lilith virou o rosto.

Ela encostou sua mão em uma parede que fazia parte já da montanha e uma entrada para baixo com uma escadaria vermelha se abriu; a passagem para o Submundo, casa de Lilith.

— Então, tchau!

Lilith desceu pela escadaria, acenando para Damon que fazia o mesmo de volta. A entrada se fechou com a garota de cabelo vermelho se virando e seguindo em frente, para baixo.

Ele então voltou suas atenções para a gigantesca montanha divina. Ele então, depois de um pequeno intervalo de tempo observando, flexionou as pernas, pegou impulso e começou a subir pulando de pedra em pedra até chegar ao topo. A subida demorou uns 2 minutos, para ser exato.

Damon ia sem medo, rápido e confiante. Era divertido para ele – como se isso fosse difícil de se perceber após tudo que aconteceu até aqui. O garoto então chegou ao topo do Monte Olimpo, rapidamente como previsto, ele olhou para um lado e para outro, e viu uma pessoa parada mais à frente, olhando para o horizonte.

Ele começou a andar lentamente até a pessoa com cabelo longo e branco, que mais se pareciam nuvens celestiais que caíam até seu peito, virada para ele.

Sabia que estaria aqui... – Damon disse, com um tom complacente - Velhote.

Ouvindo as palavras, o homem se virou. Era nada mais, nada menos que Zeus, o Rei dos Deuses em pessoa. Esse era o tal ‘velhote’ que ele mencionou mais cedo, o verdadeiro pai do garoto...

— Bem-vindo de volta, Damon. – Disse o deus, sem expressar nada, muito menos se importar com o ‘velhote’, ao qual ele sempre chamava ao invés de ‘pai’– Como foi a missão, meu filho?

Ah, foi tranquila, vim falar disso aqui com você e com a irmã. Afinal, cadê ela?

Está um pouco ocupada, posso dizer assim. – Zeus passou a mão em sua longa barba de nuvens – Mas não se preocupe. Pode começar.

Então, para ser direto a chefe escapou, mas as outras cinco foram derrotadas com sucesso. – Damon pegou uma maçã que estava em cima de uma tigela com frutas em cima de uma mesa redonda, a jogou para o ar e a pegou com a mesma mão. Em seguida, ele deu uma mordida nela.

Hm... Para sua primeira missão com esse grau de dificuldade, não foi nada mal.

É, obrigado. – Damon mordeu novamente a maçã – E sobre o amuleto, ele não estava lá.

Hm... – Zeus ficou em silêncio.

Mas eu não senti muita diferença das missões anteriores, sabe? O que...? Essa aqui foi a décima-sétima? – Ele respondeu sua pergunta com outra pergunta, ao colocar o resto da maçã na boca.

Você tem boa memória. Fica contando as missões? – Zeus perguntou, com um leve tom de seriedade.

Ah, por aí... – Ele disse, ainda de boca cheia, após isso engolindo a fruta.

Irmãããão! – Uma voz de criança chamou pelo garoto se aproximando.

Damon escutou a voz e olhou para o lado. Assim que olhou, viu uma garotinha de cabelo escuro, volumoso que caía até metade de suas costas com uma parca tonalidade cor-de-vinho correndo até ele. Seus olhos eram azuis-claros como o céu mais limpo da Grécia.

Yo, Daisy! Deve ter sido chato esperar um dia inteiro, mas é que a missão do irmãozão aqui foi bem complicadinha dessa vez! – Ele se virou para receber a garotinha.

Não, não! Minha irmã ficou brincando comigo enquanto você não estava!

Daisy era a irmã mais nova de Damon, logo, filha mais nova de Zeus tendo onze anos de idade apenas. Sua voz era doce como a de um anjo. Zeus apenas observava, sem interromper seus dois últimos filhos, Damon e Daisy.

— Ah, é? E do que vocês brincaram?! – O garoto perguntou.

— Hm... Hoje ela brincou de luta comigo mais uma vez! E eu ganhei mais do que ela!

— Olha só, parece que temos um grande prodígio aqui! Receba meus parabéns!

— Sim! Ganhei por cinco a três!! – Daisy se vangloriou.

— Hahaha, muito bom, muito bom! Daqui a pouco tá junto do irmão!

Damon fez carinho na cabeça de Daisy que fechou seus olhos como um gatinho. Ele era outra pessoa com ela e era impossível de não notar isso. Uma pessoa totalmente diferente que com seus amigos, os outros Dez Apóstolos. Mas vamos fazer uma ressalva importante, Daisy era fofa até demais.

Ora, ora, ora. Olha só quem está aqui. – Damon, Daisy e Zeus olharam para trás, ao escutarem mais uma voz feminina, porém a de agora era mais madura e velha – Voltou sem nenhum ferimento, que surpresa. Mas não esperava menos.

Atena, a Deusa da Sabedoria vinha andando na direção de ambos, com sua imutável armadura de bronze.

Eu é quem digo isso, irmã. E por que esse “ora, ora, ora”?!

Não fale assim, Daisy não te disse que eu estava brincando com ela? – Atena deu um leve sorriso.

É, ela falou... E disse que você perdeu mais do que ela. Cinco a três, né?

Sim! – Daisy respondeu com um sorriso.

— Daisy está ficando melhor a cada dia. Daqui a pouco não serei páreo para ela...

Ei, e como foi sua missão irmão?! – Daisy puxou a camisa de Damon levemente com a mão direita.

Ela não era tão baixinha assim, dava para dizer que era bem grandinha para ter 11 anos. Sua cabeça batia já na altura do peitoral de Damon, ou seja, ela era bem alta mesmo para sua idade.

Ah, foi bem legal, melhor que as outras que tivemos. Um dia você também fará parte delas!

— Sério!?! – Ela abriu um sorriso e seus olhos claros brilharam.

— Claro! E nós iremos virar os 11 Apóstolos! – Ele fez uma cara de brincalhão. Realmente Damon era irreconhecível à frente de sua doce irmã mais nova, que sorria como nunca.

Ebaaa!! – Vibrou de uma forma que derreteu o coração de Damon.

“Esses dois juntos...”, a Deusa da Sabedoria deu um leve sorriso ao pensar.

E como foram minhas filhas? – Atena interrompeu o momento e perguntou.

Ah, Julie e Chloe? Elas foram bem, só terminaram... Pff! – Damon colocou a mão em frente a boca, prendendo a risada.

Damon?

Nada, nada! Pergunta pra elas depois! – Ele provavelmente se lembrou da cena das duas soterradas e só com a cara para fora, como toupeiras.

Ei... o que você está escondendo? – O garoto segurava o riso com força, chegando a colocar a mão na sua barriga.

Falando sério agora, todos foram bem. – Ele mudou a rota do assunto e retornou a responder à pergunta da irmã – Não foi tão difícil como imaginávamos.

Ah, é...?  - Atena ainda olhava desconfiada para Damon.

É sim. Mas, espere aí. Eu estava pensando em uma coisa aqui. – A expressão de Damon mudou, fazendo Atena ficar curiosa.

O que foi?

Se Zeus é meu pai. E é seu pai. Então somos irmãos. – E lá vamos nós. As ‘lógicas nada a ver com o assunto atual’ de Damon. Apenas leia e não me xingue, obrigado:

Sério? Não sabia. – A deusa falou com ironia.

Mas não é isso. Se somos irmãos, quer dizer que suas filhas são minhas sobrinhas.

Oh.

Hm?

Atena e Daisy tiveram reações quase que iguais, porém um pouco distintas. Zeus, que estava em silêncio desde a chegada de sua filha mais nova, apenas observava cuidadosamente. Não parecia, mas ele estava interessado no assunto, de alguma forma.

Então... Brandt, Meade, Grey, Arthur e Elaine também são meus sobrinhos!?!

Damon suava de nervoso e mexia os dedos rapidamente. Parecia estar desesperado, de uma forma engraçada. Corrigindo: não só parecia desesperado, como estava desesperado. Mas, por que ninguém realmente pensou nisso antes? Porque se pensassem, não seria dito nessa história. De certa forma, é conveniente para o roteiro – ou não.

É, acho que sim... 

Então... – Ele virou tremendo e olhou para Daisy – Pobre Daisy... 

— Oi?!

Ei, está falando mal de minhas filhas é!?! – Atena ficou furiosa de forma cômica e Daisy seguia sem entender.

— Eu sou criança, então não entendo. – Falou a pequena garota, inclinando a cabeça para o lado.

— Você mesma afirmando isso!?! – Atena explodiu.

Atena, já está tudo pronto?

A pergunta de Zeus quebrou totalmente o clima descontraído – e com perfeição. Damon e Atena ficaram sérios enquanto Daisy estava praticamente grudada no braço do irmão, observando.

Sim, pai. – Ela respondeu, após pigarrear e retomar ao modo normal – Em breve eles receberão a nova missão.

Já outra? Qual vai ser dessa vez? – Damon ficou curioso e perguntou.

Hm... Segredo. – Atena deu uma piscadela.

Isso não vale.

Bom, se já terminou irei voltar para minha cidade, minhas filhas devem estar esperando lá. Até mais Daisy – Atena acariciou a cabeça de Daisy, sorrindo – Voltarei para brincar com você de novo.

Sim! Obrigada irmã! – A garota respondeu.

E vê se toma juízo. – Falou olhando para Damon, com uma risada irônica e apontando para o mesmo.

Com quem acha que está falando...? – Sua pergunta foi retórica ao Atena não responder e ele sentiu isso, estalando a língua.

— Estou me retirando, meu pai. – Atena fez uma pequena reverência para o Rei dos Deuses. Ele voltou a se virar para observar o horizonte, como antes.

— Está bem. – Zeus respondeu de forma direta.

Atena então foi embora do Olimpo após tudo isso, Damon e Daisy observaram a sua irmã mais velha e experiente ir. Ela estava voltando para sua cidade, Atenas.

Ei, velhote. Vai demorar muito para a próxima missão? – Damon voltou a se virar para Zeus.

Acho que depois de amanhã vocês já serão notificados sobre ela. Ele virá aqui, então venha para cá à tarde.

— “Ele”? 

Sim. Meu irmão mais velho, Poseidon... – O Rei dos Deuses deu sua resposta.


[O Deus dos Mares e a próxima missão...]

Por Sora | 07/01/18 às 21:37 | Ação, Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Brasileira, Magia, Drama, Comédia, Shounen