CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
248º Mito - Os Dois Mais Fortes

Epopeia do Fim (EDF)

248º Mito - Os Dois Mais Fortes

Autor: Sora

Era uma vez, uma deusa que era responsável pela natureza de todo o mundo. Ela teve uma filha com um outro deus, logo após a primeira. Por amar muito a primeira, que era praticamente perfeita e já era uma grande deusa, ela acabou abandonando a sua segunda filha. Não era certo, mas reza a lenda que antes de ser abandonada, essa garota recebeu um nome. Despina; mas ela jamais saberia sobre ele em vida.

E ela fica viva?

Sim. Ela estará viva. Até que, um dia, ela virá novamente encontrar seus pais. E, acima de tudo isso, uma pessoa que se tornará importante para ela e que ela amará eternamente. E o mesmo será para essa pessoa.

Essa é a história... da filha que foi renegada pela natureza.

— Não é possível... – Meade murmurou, após lembrar repentinamente de tudo isso – Você é aquele bebê... daquele dia que eu vi quando ainda era pequeno. Você é a garota do conto que uma vez minha mãe inventou para me fazer dormir... não é possível... você é Despina... e também é filha de meu pai... minha irmã...

— Finalmente encontrei...! – Flora, Despina seu nome verdadeiro, abriu um grande sorriso, enquanto todos nas arquibancadas, companheiros de Meade, estavam boquiabertos e de olhos arregalados.

Ela era irmã de Meade, por parte de pai. O semblante de Dioniso, da ala onde os deuses observavam as batalhas, seguia o mesmo, como se ele não se arrependesse de nada sobre aquilo.

— Espera um momento, é coisa demais para processar de uma vez só... e ainda não confirmei isso, então...

— Eu tenho certeza de que já está confirmado, irmão! – Flora exclamou, com um sorriso alegre e Meade não soube como reagir naquele momento – Então, seu pai é o Deus do Vinho? Então, já que somos irmãos por essa parte, ele é meu pai também, hihi! Só falta eu descobrir quem é minha mãe!

— Gahaha! GAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!!! – Meade, surpreendendo a todos, soltou uma alta gargalhada de repente, com a mão direita cobrindo seus olhos enquanto olhava para cima – É brincadeira. Isso que eu chamo de uma reviravolta surpreendente! Cacete, eu tenho uma irmã mais nova e não tinha conhecimento disso até hoje, tudo porque o merda do meu pai te abandonou? Porra, vou te contar, parece até que um peso que eu nem sabia que tinha saiu de minhas costas, hahahaha!

— Irmão... – Flora murmurou, olhando para ele, que deixou de olhar para cima e voltou sua visão para aquela que era sua legítima irmã mais nova.

— Após isso eu realmente vou ter assuntos a tratar com ele... para o bem ou para o mal. – Meade olhou para trás, mesmo sem ver a ala onde os deuses estavam, era como se olhasse diretamente para Dioniso, que seguiu com sua expressão cortante de sempre – Nem dá mais vontade de lutar assim, sério mesmo... mas, infelizmente eu preciso vencer essa batalha.

— Verdade! Eu também não quero perder, mesmo que seja para meu irmão mais velho que eu acabei de descobrir!! – Flora abriu um sorriso animado e Meade respondeu com um igual, movendo suas mãos e preparando novamente os Fios da Redenção.

— Podemos conversar mais depois que acabarmos... sinceramente, agora eu fiquei bastante animado. Acho que nunca me senti assim na vida...!

— Pois é! Eu digo o mesmo!! – Os dois novamente entraram em posição para voltarem a se enfrentar após tudo aquilo. Porém, antes mesmo que pudessem fazer isso, escutaram um estrondo vindo de não muito longe dali... e árvores sendo derrubadas continuamente.

Ao ficarem atentos ao que poderiam ser, Meade sentiu um cheiro de terra molhada e logo percebeu do que se tratava. Ele arregalou seus olhos e gritou:

— DESPINA, DESVIE!! – Chamando-a por seu verdadeiro nome, o que a deixou meio confusa por um momento, já que não estava acostumada, uma grande onda de água veio na direção dos dois, que saltaram para a esquerda na hora certa. Após isso, os dois viram Netero e Silver, batalhando entre si.

— Neterozinho!!

— Silver...! – Os dois falaram ao mesmo tempo, quando Netero e Silver pularam para trás, voltando a ficar ao lado de suas respectivas duplas.

— Consegui nos reunir mais uma vez... – Murmurou o filho de Poseidon e Anfitrite – Canalizei a água no solo dessa floresta genérica e até que consegui um bom resultado. E então, já se resolveram?!

— De alguma forma... ainda tem muita coisa que precisamos saber, mas, por ora... sim, estamos resolvidos. – Meade respondeu, olhando de forma mais confiante para frente. Silver deu um leve sorriso e fez o mesmo, vendo Flora e Netero lado a lado – Vamos vencer essa batalha e nos classificar.

— Sim, é o que eu pretendo... – Silver murmurou em resposta, girando sua lâmina.

— Vamos lá, Neterozinho!! – Flora chamou o garoto de cabelo acinzentado e olhos ametistas. Ele apenas respondeu com um breve suspiro e, dessa vez, foram Silver e Meade quem tomaram a iniciativa.

O primeiro partiu para cima com sua Lâmina do Oceano e tentou acertar os dois ao mesmo tempo, logo na altura de suas insígnias. Entretanto, Flora desviou para a esquerda e Netero usou a Metalocinese novamente para defender com seu braço.

Como se estivessem totalmente coordenados, Silver e Meade prosseguiram com a investida inicial; o segundo usou os Fios da Redenção que vieram pelos flancos da dupla adversária e estavam prontos para emboscá-los. Flora tentou bater o Bastão Natura no chão para se defender, mas os fios de aço foram mais velozes e acertaram de raspão sua perna e braço esquerdo, a fazendo ficar de joelho.

Vulnerável, não soube como proceder. Silver saiu rapidamente de Netero e foi para cima dela, com sua Lâmina do Oceano pronta para cortar sua insígnia, mas o garoto de cabelo acinzentado não largou o osso e tentou acompanha-lo.

Meade interveio na hora certa com três lanças de sua magia Dança das Camélias, mas Netero não desistiu e defletiu todas com seus dois braços agora envolvidos em metal. Ele foi mais rápido e conseguiu dar um salto, transformando seu braço esquerdo em uma espada para atacar Silver, que abriu um leve sorriso com aquilo.

Desviando totalmente do foco de Flora, Silver girou a lâmina azul e a fincou no chão. Assim que o fez, marcas azuis que não puderam ser transmitidas pelas partículas da Piscina da Vidência se formaram em seus dois braços. Seu período de concentração durou cinco segundos exatamente, até que Netero tentou cortá-lo.

— Vamos lá... – Assim que murmurou com a ativação de seu reiki, Silver fez o mesmo que em alguns segundos atrás. Ele canalizou a água do solo daquela floresta e começou a expulsá-lo do solo... consequentemente, era como se aquilo virasse um vulcão aquático, começando a expelir e jorrar água para cima e para os lados, derrubando toda a floresta.

— O que você tá pensando, Silver?! – Meade reclamou, vendo a quantidade de árvores sendo derrubadas naquele momento, o que os deixava em perigo ali.

— Você vai ver... essa é nossa vitória! – Silver respondeu, quando um enorme pilar de água vindo debaixo dos quatro, os jogou com força para cima, passando pelas copas das maiores árvores, aparecendo para todos que observavam e olharam para cima.

— Tsc! Esse maldi-! – Antes que Netero pudesse fazer algo, ele viu uma lança de gelo vindo em sua direção em alta velocidade, tentando desviar para trás.

Porém, era como Silver esperava de forma calculada; ao desviar para trás, o garoto de metal evitou a colisão com a magia da Chuva Congelante de Silver, mas a mesma acertou sua insígnia, a partindo em dois pedaços e a removendo de seu peito. Tudo isso no ar.

“Agora é com você, Meade...”, o garoto de cabelo prateado olhou para seu companheiro, que estava sendo puxado de novo pela gravidade ao solo com Flora.

— Aaaah, o Neterozinho perdeu... – A garota de cabelo verde vibrante murmurou, conforme caía em alta velocidade para o chão, até que sentiu seu corpo ser envolvido por alguém. Ao olhar para trás, acabou vendo que era seu irmão mais velho...

— Droga, o Silver é maluco. Eu realmente não tenho saco para isso... – O garoto murmurou diante do silêncio da garotinha, que estava boquiaberta e sem palavras por alguns segundos. Até que abriu finalmente um sorriso fechando os olhos e também contornou seus braços no corpo do garoto.

— Acho que não tem mais o que fazer, né?! – Flora falou, fazendo Meade olhar para ela; o garoto era alguns centímetros maior que a sua irmã, que piscou para ele com a vista esquerda, olhando para baixo e movendo seu Bastão Natura – Cadeia Florestal!

Assim que comandou, sem nem precisar tocar o bastão no solo, uma grande raiz em forma de espiral nasceu e nela diversas folhas cresceram, para evitar uma queda brusca. Não só para os dois, mas como para Silver e Netero também.

E assim foi feito; os quatro caíram e ficaram ilesos da queda, graças à perda de impacto. Ao mesmo tempo, as árvores gigantes que envolviam a arena começaram a diminuir, perder as folhagens e era como se retornassem para o solo. Os quatro se ergueram e saíram daquele amontoado de folhas.

— Bem, parece que acabou... – Meade falou, olhando a sua volta enquanto as árvores foram retomadas ao solo da arena como se nunca tivessem aparecido ali.

— Ainda não! – Flora, porém, o respondeu, girando seu bastão – O Neterozinho pode ter perdido, mas eu ainda não desisti, e-!

— Não, acabou sim. – Meade interrompeu a fala da sua irmã, que ficou sem entender nada. Até que ela olhou para seu peito esquerdo...

— SUMIU?! – Ao não ver sua insígnia ali, ela ficou desesperada, até que alguns segundos depois, voltou a olhar para seu irmão. Meade mostrou a insígnia dela em sua mão direita, a deixando sem reação – ISSO NÃO É JUSTO!!

— Foi mal... – Meade respondeu, quebrando com a sua própria mão a insígnia da garota de cabelo verde. Com essa conclusão, Silver suspirou aliviado e Netero estalou a língua, desviando o olhar.

— Portanto, a dupla vencedora da batalha válida pela Chave Iota das ‘oitavas-de-finais’ do Torneio Divino, é a dupla de Silver e Meade!! – Atena nem demorou e logo acenou para o alto, proclamando para toda a arena, que vibrou eufórica.

Agora, mais um duelo da fase seguinte de ‘quartas-de-finais’ estava definido: Fobos e Deimos contra Silver e Meade.

— Uaaaah, que bom que eles venceram!! – Daisy, das arquibancadas, respirou aliviada em comemoração – Mas eu estou mais feliz pelo Meadezinho!

— Verdade... quem diria que ele teria uma irmã mais nova desconhecida. Esse mundo é pequeno demais... – Grey murmurou para si mesmo na última frase e Elaine deu um leve sorriso ao olhar para ele.

— Ainda temos muito que conversar. Sinceramente, ainda estou assustado com isso tudo sendo tão repentino. – Meade murmurou, coçando a cabeça.

— Tudo bem! Estou feliz por ter descoberto sobre meu irmão de verdade! – Flora abriu um sorriso e o garoto só pôde assentir silenciosamente, da mesma forma. Silver olhava para eles, também com um curto sorriso.

— Agora, como no dia anterior, faremos uma pausa de uma hora para os participantes e espectadores!! Até mais tarde, estão dispensados!! – Atena prosseguiu após anunciar a dupla vencedora da sexta batalha. Agora restavam apenas mais duas para fechar as ‘oitavas-de-finais’ da competição e definir o último confronto das ‘quartas-de-finais’.

 

Ω Ω Ω

 

Após o início do período de intervalo, como no dia anterior, os Apóstolos se encontraram com seus companheiros que estavam nas arquibancadas; dessa vez, além de Daisy, Helena e Angel, estavam também Grey e Elaine, uma das cinco duplas do grupo, que foi eliminada nessa fase. Porém...

— Silver, onde está o Meade? – Damon se virou e perguntou ao filho mais novo do Deus dos Mares.

— Ele disse que iria resolver um assunto. Deve ser sobre a irmã mais nova dele...

— Mas aquilo foi realmente uma surpresa... – Lilith murmurou, colocando a mão esquerda sob seu queixo, enquanto os demais estavam em silêncio.

— Bem, a próxima luta é a de vocês, né? – Damon, agora, se virou para a dupla que restava dos Dez Apóstolos para lutar; Brandt e Arthur – Por favor, só não destruam a arena inteira...

— Hmpf. – Brandt bufou, desviando o olhar do garoto e Arthur apenas ficou em silêncio.

— Vamos lá. O tempo está chegando ao fim. – E após o silêncio, o filho de Hefesto proclamou, se virando e começando a andar de volta para a Arena de Olímpia. Brandt fez o mesmo em seguida e, logo após os demais também os seguiram.

Enquanto isso, próximo a ala dos Deuses Olímpicos, na parte interior do Monte Olimpo... o deus Dioniso colocava um pouco de vinho, preparado por ele mesmo em uma média taça transparente. De seu olhar periférico, ele podia ver que havia alguém atrás dele, um garoto de cabelo verde-escuro.

— Vocês deuses são repugnantes... – Murmurou Meade, olhando de forma cortante para o Deus do Vinho, seu pai, que prosseguiu o que estava fazendo sem nem dar atenção a ele – Nunca imaginei que você teria uma filha e iria abandoná-la... isso realmente me deixou muito irritado.

— E o que pretende fazer? – Dioniso perguntou e Meade apenas franziu a testa – Ela voltou. Não há mais nada a discutir.

— Apenas me responda duas perguntas. Uma, por que teve que abandoná-la? Duas, quem é a mãe dela? – Meade indagou para o deus, que fechou a garrafa de vinho, também feita por ele mesmo e tomou um gole do líquido roxo-escuro daquela taça.

— Para manter o equilíbrio do Olimpo, resolvemos descarta-la. – A primeira resposta do deus, totalmente cortante, fez os nervos se Meade subirem à flor de sua pele, porém ele cerrou os punhos e se controlou – E ela é filha da Deméter. Suas perguntas estão respondidas. A segunda parte das batalhas vai começar. Até mais.

Dioniso foi andando e saiu da câmara onde havia se servido, deixando Meade, totalmente furioso como jamais tinha sido visto por alguém. Sem mais nada para fazer naquele momento, ele apenas se virou e foi embora, retornando para as plataformas superiores onde os demais estavam...

 

Ω Ω Ω

 

— Bem-vindos de volta... e sem mais delongas, iremos dar início a sétima e penúltima batalha das ‘oitavas-de-finais’ do Torneio Divino, valendo pela Chave Pi!! – Com mais da metade dos humanos de volta às arquibancadas, a vibração novamente foi intensa. As duas duplas já estavam a postos no centro da arena e os demais observadores também estavam em suas posições.

— Foi mal, galera! – Uma voz veio distante, mas ficou mais alta e fez todos olharem para trás, vendo Meade um pouco ofegante chegando – Cheguei antes do início...

— Cara, onde você estava? Com sua irmãzinha, é? – Damon perguntou, ainda curioso com a situação, mas Meade apenas desviou o olhar dele.

— Nada demais, não se preocupe.

— Hm... – Assim que o filho de Zeus desconfiou, Atena ergue seu braço direito, como sempre. A atenção de todos foi redobrada naquele momento.

Estão preparados...? – A Deusa da Sabedoria perguntou lentamente.

— Com toda certeza, certo?

— Sim... vou devolver o que fizeram há um ano atrás, pirralhos malditos!! – Aquiles e Teseu, respectivamente, deram suas respostas e prepararam suas armas; a do primeiro, uma espada de bronze, a do segundo, a lança de invocação.

Do outro lado, os dois filhos de Afrodite ficaram em silêncio e nem tiveram pressa para sacarem suas Armas Divinas.

— Arthur e Brandt, versus, Aquiles e Teseu... COMEÇEM!! – Ela cortou o ar, abaixando o braço direito e comandando o início da partida entre as duplas.

— Vamos nessa!!

— Sim!! – Aquiles e Teseu, novamente de forma respectiva, foram para cima de Arthur e Brandt sem nenhum medo. Os dois seguiam parados, inertes naquele local, apenas os fitando de forma fria e cortante.

“Eles não vão se mover?”, Chess, observando do mesmo local desde mais cedo, se perguntou.

— Tomem essa!! SUPER SLASH!!! – Aquiles reuniu uma força absurda em seu braço direito, que segurava a espada de bronze e saltou, desferindo um ataque de cima para baixo na direção dos dois que fez o local explodir. O nível da onda de choque foi maior do que o esperado e fez com que boa parte dos observadores colocasse o braço em frente ao rosto.

“Não sabia que poderia ser tão simples! Realmente, com o herói Aquiles ao meu lado, isso fica muito mais fácil!!”, Teseu pensou, praticamente cantando vitória, até que girou a sua lança e a bateu no chão.

— Agora estou confiante!! Tomem isso também, Choque Perpétuo!!! – Uma onda de eletricidade, parecida até com a magia Corrente do Aprisionamento de Damon foi na direção da coluna de fumaça e poeira e provocou uma segunda e maior explosão, que deixou todos boquiabertos.

Entretanto, diferente de todos os presentes, as demais duplas, tanto classificadas como eliminadas, mantinham a seriedade perante a situação. Até mesmo Chess e seu grupo; Daisy estava com as mãos entrelaçadas, orando como sempre para que todos saíssem bem e vencessem.

Após a onda de ataques poderosos, Aquiles e Teseu se distanciaram um pouco da cortina de fumaça e poeira, observando atentamente para o centro da mesma. Eles não viam ninguém.

— Caramba, acho que exageramos um pouco... se eles morreram com isso, não vai ser nada bom para nós, e-.

— Sua voz é irritante.

— Hein? – Após ser interrompido na primeira voz por uma voz que ecoou do meio daquela fumaça espessa, Aquiles nem teve tempo de prestar atenção mais à frente. Ele apenas viu aquela coluna se abrir vertiginosamente e só sentiu um impacto forte e doloroso em seu peito.

Seus ossos pareciam se partir e seu coração ser esmagado com aquela força. Do outro lado, o mesmo ocorreu com Teseu, que viu sua armadura de bronze se espatifada com o golpe e atravessá-la, os dois cuspiram uma boa quantidade de sangue e voaram, quase que simultaneamente para trás com a força exercida pelos punhos dos filhos de Afrodite.

Após colidirem violentamente na parede, uma coluna de fumaça menor do que a anterior foi formada e, após segundos com todos os espectadores, agora até mesmo com as demais duplas absolutamente boquiabertas e de olhos arregalados, foi revelado que os dois acabaram de ficar inconscientes... e com as insígnias destruídas.

E detalhe adicional; nenhum deles estava com sua Arma Divina em mãos, o que era mais assustado ainda. Deixando, inclusive, a maioria dos Deuses Olímpicos que acompanhavam, boquiabertos. Nem mesmo Atena conseguiu falar naquela hora, apenas confirmando a vitória deles e erguendo o braço direito segundos depois.

— A dupla vencedora da sétima batalha das ‘oitavas-de-finais’ do Torneio Divino, pela Chave Pi... é a de Arthur e Brandt!! – Após proclamar a vitória histórica daqueles dois, a torcida foi à loucura mais do que total.

Era a mensagem que os dois mais fortes daquele torneio passavam para todos que os assistiam ali e agora...

Por Sora | 05/12/18 às 11:29 | Ação, Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Brasileira, Magia, Drama, Comédia, Shounen