CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
27º Mito - A Lua de Sangue

Epopeia do Fim (EDF)

27º Mito - A Lua de Sangue

Autor: Sora

Elaine abriu os olhos, eles estavam totalmente vermelhos. Atrás dela, estava a lua, totalmente tingida de um puro e bonito vermelho-sangue. O fenômeno astronômico da Lua de Sangue se fazia presente. A Hatsuki estava apontada para cima, com uma visão esplêndida, como se estivesse partindo a lua em duas partes ao centro.

— I-Incrível...!

Todos ficaram impressionados e espantados com o poder de Elaine. Grey sorria confiante. Damon também estava assustado com a cena. Mas será que a Arte Secreta dos Deuses dela estava totalmente completa? Essa era a pergunta que ecoava em sua mente.

“Até a Elaine...”, Lilith pensou, boquiaberta. Após ver Damon usar, agora ela observava sua amiga e companheira também fazer o mesmo.

— Ela fez uma lua de sangue com sua própria vontade!?! Impossível! – Reclamava Bluebell, sem acreditar no que via – Como... mesmo tendo sangue divino, como ela...?!!

— Seria impossível para qualquer um. – Grey respondeu – Mas Elaine herdou os poderes lunares da Deusa da Lua, Ártemis. Mas não é só isso. Ela também tem resquícios de poderes solares em seu reiki.

— O Deus do Sol, Apolo, é irmão gêmeo da Deusa da Lua Ártemis. Então não seria impossível Elaine ter um pouco de poderes do sol em seu reiki. – Damon afirmava, ainda impressionado.

— Então Grey, você também tem poderes lunares? – Lilith parecia ainda tentar raciocinar, após ficar tão impressionada.

— Ainda que sejam poucos, como Elaine com poderes do sol. Isso é o fator principal dessa técnica. Ela usa tanto seus poderes lunares como os poucos poderes solares que tem. 

— A refração do Sol na Lua que produz uma cor avermelhada. O Eclipse da Lua de Sangue.

Damon resumiu o que era o efeito desse ‘eclipse especial’ para Lilith que finalmente entendeu. Elaine então abaixou sua lâmina. Ela olhava séria para Bluebell, que ainda estava abismada com a gigante lua vermelha que observava. E também...

“O reiki dela está mais forte!”

Chloe podia sentir claramente a mudança no poder de Elaine com a ativação da sua magia da Lua de Sangue.

— Se prepare, Bluebell. Aqui vou eu! – Elaine se preparou. Bluebell tentou se acalmar.

— Hmpf! A lua ficou vermelha, e daí?! Isso não muda nad-!

 Nem deu para ver, mas Elaine chutou Bluebell que se chocou contra a parede, a interrompendo de forma grotesca. Todos abriram a boca assustados. O assustador não foi nem o golpe e sim a velocidade absurda de Elaine. Bluebell e nem mesmo os seus amigos puderam ver. Apenas Damon e Chloe, que tinha grande poder de observação viram, porém com bastante dificuldade mesmo assim.

“O que!?! Ela está-!”

O pensamento de Bluebell, assim como sua fala anterior, foi interrompido por uma onda de ataques que mal deixavam ela respirar ou reagir. Elaine atacava ferozmente sem dar espaços para sua adversária que só podia recuar e muito mal defender.

Parecia difícil de acreditar, para Bluebell principalmente, mas essa era outra Elaine. Esse é o grande poder da Arte Secreta dos Deuses.

— Ela está dominando! – Chloe disse, uma gota de suor escorria por seu rosto.

— Maldita! Como você conseguiu!?!

Elaine atacou Bluebell com sua Lâmina da Lua. Foi quando ela e os outros perceberam. Que a lâmina que originalmente tinha cor roxa/púrpura, agora estava com um tom escarlate. Um corte rápido e forte acertou Bluebell e uma ferida média se abriu em sua barriga. Um pouco de sangue escorreu.

— Droga!!

Bluebell então devolveu com um golpe de seu martelo que acertou Elaine em cheio. O gigante martelo dela provocou uma dor aguda em Elaine, mesmo com apenas um golpe de força não tão grande assim.

A filha de Ártemis se chocou com uma parede e cuspiu um pouco de sangue no chão. As duas pararam, ofegantes e de pé com dificuldades. Elaine estalou sua língua, mesmo com a vantagem, ela...

— Poder...! Me dê mais poder!

Ela falou, ou melhor, suplicou para si mesma. A Lâmina de Lua ficou agora com um tom de vermelho ainda mais escuro. Ela não esperou duas vezes e foi para cima de Bluebell com um fortíssimo impulso, que girou rapidamente seu martelo. Todos já sabiam do que se tratava, inclusive Elaine, que se preparou. Mas Bluebell foi rápida demais, tirando as chances de reação dela.

— Queda de Gravidade!! – Elaine tombou com a enorme pressão e ficou presa ao chão – 50, 55...

— Hã?!! – Cada vez mais, Elaine era esmagada com mais força. E então, ela pensou impressionada:

“Ela passou do nível 50!?!”, e ainda assim mal conseguia raciocinar, com a extrema dor. 

— 60, 65...! – A pressão só aumentava e a dor vinha em conjunto, orquestrando uma obra cruel. Elaine já ia ficando sem forças.

— Tenho que sai-! – Elaine foi mais pressionada ainda. Ela estava deitada no chão agora, nem a Arte Secreta dos Deuses salvava. Porém, do outro lado...

— 80, 85, 90...! UGH!!

Bluebell, que já estava incrivelmente chegando ao nível 100, vomitou um pouco de sangue. Parece que usar essa magia mais do que deve, tem um preço.

“Ela está passando dos limites!”, pensou Damon.

— Aaaaaah. AAAAAAAAAAAAAAAAAH!!!

Com um grito, aproveitando a fraqueza de Bluebell por passar muito dos limites de sua magia gravitacional, Elaine venceu a Queda de Gravidade e foi para cima de Bluebell com velocidade máxima. Ela, ainda um pouco debilitada, arregalou os olhos.

— O que-?!

— UGH!

Seria o golpe final. Porém Elaine sentiu uma forte dor no coração e parou. Ela cambaleou na frente de Bluebell. Damon, Grey, Chloe, Julie e Lilith ficaram atônitos com o ocorrido.

— O que!?! – Perguntou Grey, nervoso.

 Bluebell aproveitou para golpear Elaine com toda força que tinha. A dor foi mais aguda agora. Elaine então foi lançada para trás com um impulso gigantesco, se chocou com outra parede e caiu no chão, deitada. Ela não se mexia...

— Mas o que!?! – Lilith arregalou os olhos e quase pulou para ir até Elaine.

— Parece que essa magia requer muito mais da força mental do que da física. O corpo dela está sendo afetado. – Damon disse, com uma expressão séria. E essa era a mesma situação de Bluebell então.

— Não é possível...!

Marcas vermelhas apareceram no corpo de Elaine, como se fosse uma maldição. Eram como raízes a envolvendo até o pescoço. Ela estava ofegante caída no chão e tinha dificuldades de levantar. Mas Bluebell não estava diferente.

Ela, após golpear Elaine, caiu no chão, de joelhos. Não é possível que ela estava nesse estado contra aquela garota, pensava consigo mesma.

“Não... Aqui não! Agora não!”

 Elaine exclamou desesperada mentalmente. Ela mordeu seus lábios com tanta força que poderia corta-los e faze-los sangrar. Bluebell, com algum esforço, se levantou, mas ainda estava encurvada.

— Por um momento eu estive perto de ser derrotada. – Bluebell estava acabada, sua voz era fraca – Eu te reconheço, garota.

Elaine levantava com muita dificuldade. Seu corpo doía. Sua mente doía. Seu coração doía. Ela conseguiu manter a Lua de Sangue, mas ela, logo, logo, iria sumir. E a luta estaria perdida se isso acontecesse. Ela reuniu toda sua força restante e se manteve firme.

— Ugh! – Elaine não conseguiu levantar totalmente e ficou de joelhos com dificuldades – A luta, não... acabou!

— Vai acabar, agora. – Bluebell rodou o martelo lentamente e o bateu com força no chão – Gravidade Zero!

A magia mais forte que a Queda de Gravidade, Gravidade Zero. O solo de repente se despedaçou todo e tudo começou a flutuar ao ar. Damon e os outros ficaram aflitos. Eles sentiam a grotesca falta de gravidade do local.

— Fique feliz, pois você vai perder para minha melhor magia! – Bluebell mal conseguia abrir um dos olhos, mas ainda assim sorria.

— O que é isso?!

— Ela anulou toda a gravidade! Agora ela está em total vantagem. Isso não é bom! – Damon disse, flutuando como os outros.

— Precisamos fazer algo! – Chloe e os outros ameaçaram sacar suas Armas Divinas, mas:

— Quem disse que vocês vão atrapalhar?!!

Bluebell apontou o martelo para os cinco que, como se fossem atraídos por um imã, foram puxados se chocaram com a parede. Ambos sentiram a dor percorrer por suas costas, mas se controlaram. Eles não podiam se mover agora, nesse estado.

— Merda!

— Não venham! – Elaine suplicou. Todos olharam para ela – Eu ainda posso lutar... porque eu prometi que venceria!

Ela se levantou, com muitas dificuldades, vencendo a Gravidade Zero. Mas vantagem ainda estava toda para Bluebell, que estalou a língua, nervosa.

—Você é pior que Hazel! MORRA DE UMA VEZ!!!!

Bluebell se guiou pela raiva e foi para atacar Elaine. Era o momento que Bluebell estava mais séria e com ódio. E Elaine esperava por isso.

“Você caiu...”

Elaine pensou e deu um sorriso amargo. Ela parou o ataque de Bluebell, com dificuldade e caiu para trás. O silêncio tomou conta do local.

— O que?!

 Bluebell parecia não crer nisso. Elaine simplesmente aceitou se ataque sem desviar. Ok, ela estava bem debilitada, mas se ainda tentasse desviar, Bluebell iria saber. As feridas de Elaine se abriram e a Lua de Sangue se foi na mesma hora. Ela mal conseguia abrir o olho direito e sangue caia de seu corpo. Decepcionada, Bluebell olhou de forma cortante.

— Parece que você não conseguiu...

Bluebell então, girou o martelo e foi dar o próximo ataque. Grey e os outros arregalaram os olhos, mas não podiam se mexer. A força que ele fez foi tamanha que conseguiu vencer a Gravidade Zero, mas não chegaria a tempo. Porém...

Bluebell sentiu algo tocar sua cintura. Ao olhar a mão de Elaine, ela conseguiu desviar, mas deu uma leve recaída, como se por um segundo perdesse os sentidos de seu corpo. Ela colocou a mão no chão se seguiu de pé.

— O que foi isso?! – Bluebell não entendeu. Elaine estalou a língua, fazendo a garota de cabelo rosa a olhar espantada.

— Não foi agora...! Mais uma vez... mais uma será o suficiente!

A técnica de Bluebell se abalou um pouco e perdeu a força consideravelmente com sua recaída repentina. Ninguém entendia nada do que havia acontecido nessa fração de segundos.

— O que houve?! 

— Resposta: A Lua de Sangue se foi... – Julie respondeu sua irmã, Chloe, enquanto olhava para cima.

E quando todos seguiram o olhar, viram que a lua estava normal novamente. Branca como a neve... Bluebell estalou sua língua e rangeu seus dentes. Ela então, apenas apontou o martelo na direção de Elaine. Seus olhos estavam com uma cor rosa mais escuro agora, o olho esquerdo alternou novamente para aquele estranho ciano... E então:

— Gravidade Total!

Ao mesmo tempo que a gravidade foi anulada e tudo flutuou, Elaine sentiu a pressão da Queda de Gravidade. Porém dessa vez, ao ar.

— GAAAAAAAAAAAHHHHH!!! – A dor era muito maior. Não só parecia que esmagava os ossos. Fazia parecer que o corpo todo de Elaine estava sendo mutilado por mil facas sem parar.

— Ela uniu as duas técnicas!?! – Damon, agora sim, estava assustado.

Sim, esse era o nível dos Imperadores da Escuridão. Não havia saída. Não havia esperança.

Ao menos é o que se pensava... 

— Agora eu vou acabar com você!!! – Bluebell, já descontrolada, gritou novamente.

Elaine abriu um olho e viu sua lâmina deitada no chão. Ela abriu sua mão direita e a forçou a ir em direção a ela, enquanto Bluebell vinha a toda velocidade em sua direção, correndo. Elaine então, com seu dedo indicador conseguiu tocar na lâmina.

“Eclipse!” 

Elaine exclamou em sua mente o nome da magia, e ainda assim funcionou! Tudo ficou na escuridão mais uma vez. E então, a Gravidade Total foi anulada, deixando Bluebell ainda mais irritada.

— ISSO DE NOVO!?!

Com a magia de Bluebell anulada, todos voltaram ao solo e a pressão gravitacional parou de afetar Elaine. E, pouco menos de trinta segundos depois, a escuridão se foi novamente. Elaine já devia estar com reiki praticamente todo esgotado.

Além de usar a Arte Secreta dos Deuses e forçar muito seu corpo, mental e fisicamente, ela usou quebrou o limite e usou o Eclipse pela terceira vez seguida.

— Onde está!?!

Bluebell olhou para todos os lados. Era o fim. Tudo isso estava nos planos de Elaine, que tocou de novo a cintura de Bluebell com a Hatsuki, que olhou para trás com os alhos arregalados. Agora ela estava em uma situação na qual não podia esquivar.

Elaine deu um pequeno sorriso. Era como se o tempo ficasse em câmera lenta para as duas. Enquanto todos observavam ao ápice, de olhos arregalados...

— Black...

— Sua-!

— ...Out... – Antes que Bluebell completasse, Elaine terminou.

 

Bluebell recebeu um choque por dentro de seu corpo e ficou pálida. Sua pressão sanguínea diminuiu e cessou a transmissão para o cérebro, a fazendo colapsar em uma síncope, ou desmaio. Esse era o Black Out de Elaine, utilizado com perfeição.

A cena mostrou cada um que estava ali presente. Elaine conseguiu. Bluebell foi perdendo a consciência e caindo, lentamente, em direção ao chão. A filha de Ártemis estava de joelhos, com os olhos semicerrados.

— Não se ache ainda...! – Mas o que ninguém esperava aconteceu. Bluebell murmurou lentamente e ainda conseguiu fazer um último movimento.

Antes de cair, como se forçasse seu corpo a mandar um pouco mais de sangue para o cérebro, o suficiente para se mover, ela fixou seu olhar em um pedaço pontudo de vidro no chão, rapidamente o pegou e atacou Elaine, na direção de seu rosto, sem precedentes.

Foi na direção do olho esquerdo de Elaine, que arregalou os olhos e não pôde desviar. O baque aconteceu. De cima para baixo, sua mão foi vista com o vidro pontiagudo subindo e passando pela cabeça dela. Todos estavam observando pelas costas de Elaine, por isso, não puderam ver com clareza. Mas todos ficaram chocados, ao ver um líquido escarlate subir...

— ELAINE! – Gritou Grey.

Bluebell então, conseguiu o que tentou. Mas não foi o suficiente, ela havia perdido mesmo assim. Bluebell caiu desacordada no chão com a face virada para baixo. Não podia ver se ela ria ou estava séria. Elaine estava de joelhos, com a cabeça levemente inclinada para baixo.

Ela passou lentamente a sua mão e viu, de seu olho direito ainda aberto, sangue pingar no chão como goteiras. Ao colocar a mão em seu olho esquerdo, ela percebeu. O vidro que Bluebell usou, cortou profundamente seu olho esquerdo, que agora estava com uma marca profunda que ia de baixo para cima, na vertical, sangrando.

A dor era insuportável. Ardia. Era difícil respirar. Era difícil pensar em algo.

— Eu...

Ela olhou para mão ensanguentada. Em sua vista esquerda, tudo estava escuro. Ela apenas enxergava pela direita. O corte era muito profundo mesmo...

— ...venci...

Ela sorriu, apesar de ter, provavelmente, perdido a visão do olho esquerdo...

 — Eu... venci...!

Elaine caiu de costas no chão, totalmente exausta. Todos se levantaram e correram até ela o mais rápido que puderam. E então, eles puderam ver. O profundo corte e o sangue que escorria pelo olho esquerdo já fechado e esmagado de Elaine. Ela sorria, apenas com seu olho direito semiaberto.

Lilith e Chloe puseram suas mãos sobre a boca, chocadas. Damon observou com olhos arregalados e Grey tremia o olhar e o corpo. Julie apenas estava um pouco boquiaberta, mas espantada. Nessas horas, era inevitável. Grey ficou de joelhos. Seus olhos tremiam...

— Elaine você... seu... olho... – Ele não conseguia falar. Era difícil.

— Não tem... problema... – Elaine falava com dificuldade.

Todos ficaram felizes pela vitória dela sobre Bluebell, porém estavam tristes pelo fato de Elaine ter perdido a visão do olho esquerdo. Grey ficou com os olhos marejados de lágrimas, enquanto Elaine seguia sorrindo, olhando para ele.

— Por que...?! Por que você...?!

— Eu consegui ser forte o suficiente para proteger meus amigos... Isso é o suficiente...!

 Elaine não parava de sorrir. Grey então, segurou suas lágrimas. E Damon andou até ela e a pegou pelo braço, a colocando em suas costas. Todos olharam e Elaine também. Grey nem reagia.

— Vamos voltar. – Damon colocou Elaine em suas costas, a ajeitando. Ela estava bastante ferida, graças as constantes magias de gravidade de Bluebell. Interna e externamente...

— Da...mon... 

— Você conseguiu, amiga. – Damon e os outros sorriram.

Grey se levantou, também sorrindo, suportando a dor. Não parecia tanto, mas era... e como era. Chloe e Julie se agacharam para pegar Bluebell e a colocaram em seus ombros para a levar com eles. Ela estava totalmente derrotada, de fato.

Uma lágrima caiu do olho direito de Elaine, o que restou. Ela deu um grande sorriso após isso, contrastando-se com suas lágrimas. Damon não falou mais nada. Mal dava para ver seu rosto ou sua expressão.

A lua clareou ainda mais, como se iluminasse ela, e apenas ela nas costas de seu amigo e companheiro. E então, ela respondeu.

— Sim...! Eu consegui...! Eu consegui, mãe...

Elaine então, ainda sorrindo, adormeceu nas costas de Damon. E finalmente, aquela longa noite de missão na Criméia, havia terminado...

Por Sora | 24/01/18 às 16:49 | Ação, Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Brasileira, Magia, Drama, Comédia, Shounen