CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
29º Mito - Prólogo Inusitado

Epopeia do Fim (EDF)

29º Mito - Prólogo Inusitado

Autor: Sora

Por acaso você já passou por algum tipo de “situação inusitada” alguma vez na sua vida?! Algo que não acontece ou que acabou acontecendo contrariando todas as suas expectativas de forma abrupta e, de certa forma, incrível?  Algo que tenha feito você arregalar os olhos ou até mesmo ficar de boca aberta, com o queixo quase no chão?

O ‘inusitado’. Aquilo que não é usual.

Que não se encontra facilmente; que não aparece ou se utiliza de maneira frequente; que ocasiona estranheza; incomum, estranho; que se difere do esperado.

Que se opõe ao que se imagina; que foge das normas gerais.

O contrário do comum.

Agora que explicamos tudo de forma abrangente e simplificada, voltemos a primeira pergunta: por acaso você já passou por algum tipo de situação inusitada alguma vez na sua vida?!

Com quase toda certeza, provavelmente todos nós, seres humanos, que já ultrapassamos a infância, no florescer da adolescência, chegando à vida adulta...

Todos nós já passamos por um momento desse em vida. Nem que seja apenas um único e singelo momento, é fato que todos já vivenciamos algo assim.

Contrariando todas as nossas expectativas e planos, o inusitado traz um outro lado que não podemos ver ou prever até tal momento. Como um cara ou coroa, por exemplo. Há sempre os dois lados da moeda. Mas diferente do cara ou coroa, você não pode escolher.

Não, deixe-me consertar essa afirmação. Escolher você até pode. Em maioria, achamos que o lado que escolhemos – o lado “normal” – seja o mais certo de acontecer. E então, bum! O tal do “inusitado” acontece, sem você menos esperar. Uma virada repentina do lado das moedas, no qual você não está devidamente preparado para tal troca. É isso que faz o inusitado.

O efeito da surpresa.

 

***

 

Cidade de Olímpia – Monte Olimpo. Já passa das 11h30 da manhã. O sol raia como nunca e o céu apresenta um azul claro mais puro que as águas do oceano pacifico. Não há quase nuvem alguma, um dia bonito de outono.

Mas, voltemos a programação normal – ou não. Estamos no Monte Olimpo, na sala do trono de Zeus, o Rei dos Deuses.

Nessa sala, vazia por sinal, estavam apenas duas pessoas.

Uma era um adolescente de 16 anos de idade, cabelos negros com pontas laterais e superiores bem cuneiformes e bonitos olhos de cor azul-escuro.

— Espera aí, repete o que você disse... acho que estou escutando coisas.

Ele, que falava de forma assustada e trêmula, era o filho de Zeus e o líder dos Dez Apóstolos, Damon! Sua voz realmente não parecia nada convincente.

— Eu disse que te desafio para uma luta, irmão!

A outra pessoa era uma pequena e fofa garotinha de apenas onze anos de idade. Seus cabelos caíam até a sua fina cintura e tinha uma grande franja que quase encobria os olhos, de cor escura como Damon, porém um pouco puxado para o vinho. Seus olhos também eram azuis, porém mais clarinhos, como o céu.

Ela é a irmã mais nova de Damon, Daisy!

— N-Não, você só pode estar me zoando, não é, Daisy?! Você pode ter uma Arma Divina, mas é muito nova!

Você que leu o fim do último capítulo aqui, deve saber o motivo disso, mas expliquemos mesmo assim.

Daisy desafiou Damon para uma luta no mano a mano! Isso mesmo, uma garotinha de 11 anos está desafiando seu irmão de 16!

Ela ganhou uma Arma Divina do próprio Zeus faz duas semanas e começou a treinar com seu próprio pai, simultaneamente ao seu irmão e os demais Dez Apóstolos.

Se para eles foi difícil de evoluir – e nem foi tanta coisa ainda por cima, pelo menos o revelado – então como ela vem pedindo isso assim!?!

Não faz nem duas semanas e ela mal sabia segurar uma lâmina, mal sabia lutar. E agora esse pedido inusitado!

Isso mesmo, esse é o momento inusitado que nos levou a discutir tudo aquilo lá em cima. Damon foi supostamente chamado por seu pai, mas na verdade era Daisy! E para agravar sua surpresa – ou choque – ela vem com esse desafio!

— Irmão, você não quer lutar comigo...? – Disse Daisy, desfazendo seu sorriso de antes, mudando para uma expressão triste;

— O que!?! Óbvio que não! Onde já se viu?! Acha que simplesmente irei aceitar tão facilmente um pedido louco desses, e-... e-...?!

Damon parou de falar quando viu a expressão de sua irmã mais nova. Ela estava com um semblante triste, cabisbaixo e... apelativo. Foi a última comprovação de que ela falava sério. Muito sério.

Ele ficou sem reação diante de sua irmã. O que ele faria? Ele jamais suportaria machuca-la, nem que fosse em uma simples luta casual ou treino. Mas ele também não suportava a ver desse jeito.

Ele estava em um dilema dos ruins.

— Ei, Daisy... N-Não faz essa cara não...

— Mas, você não quer lutar comigo...!

 

Se acalme, Damon! Pense, raciocine. Esclareça suas dúvidas agora! Nosso grandessíssimo protagonista (um deles) estava em um dilema. Ele então, teve uma ideia e começou a esclarecer suas dúvidas com Daisy.

— Daisy, me responde uma coisa.

— O que foi...? – A voz triste e cabisbaixa de Daisy parecia partir o coração de Damon.

— Err, então irmãzinha. Por que você quer lutar comigo?

— Porque eu quero testar realmente minhas habilidades e compara-las com as suas, irmão...! – Um motivo até esperado por Damon. Mas ainda assim era estranho.

— Mas você quer comparar sua força comigo?! Haha! Impossível!

— Irmão, mas o papai disse que eu tenho que me inspirar e me espelhar em você para ficar mais forte! Por isso eu pedi...

Damon então fez uma expressão mais serena. Ele olhou para Daisy e fez carinho em sua cabeça, como sempre fazia. A garotinha olhou para seu irmão mais velho que deu um sorriso.

— Bom, não garanto nada. Mas irei pensar!

— Sério!?! – Daisy voltou a abrir um sorriso.

— Claro! Eu vou falar com a nossa irmã Atena antes e ver o que ela acha. Aí irei te dar a resposta!

— Sim! Obrigada, irmão!!

Damon deu um sorriso ao ver o de Daisy. Ele então olhou para o lado de fora. O sol estava forte e brilhava intensamente. Por fora Damon estava calmo. Mas por dentro...

 

***

 

Monte Olimpo: 14h21.

— Que surpresa!

— QUANTA SURPRESA!! EU ESTOU TOTALMENTE PERDIDO!! NÃO TINHA SIDO MEU PAI QUE ME CHAMOU LÁ!?!!

 

Ali estavam, além de Damon – totalmente desesperado por sinal – Atena, Lilith e Silver, dois amigos e companheiros que fazem parte dos Dez Apóstolos. Ambos os quatro estavam com roupas casuais e conversavam sobre o desafio de Daisy, mais cedo. Atena disse que estava surpresa, mas não parecia. Sua expressão era a mais normal possível. Já Damon estava quase em prantos.

— Juro que recebi a informação de que foi ele. Eu não esperava que Daisy estaria lá e te desafiaria para uma luta. – Atena disse, com uma cara pensativa enquanto Damon quase rasgava seus cabelos fora.

— Ah, nossa! Ela conseguiu enganar até você, a Deusa da Sabedoria?! O que essa menina anda aprendendo?!

Damon colocou sua mão entre os olhos e apertou seu nariz, os fechando. Lilith e Silver – 15 e 16 anos, respectivamente – apenas observavam por enquanto.

— E você aceitou? – Atena deu de ombros as reclamações e ironias desesperadas de Damon e foi direto ao ponto.

— Eu não sei se aceito ou não! Realmente estou em dúvida! Aaaah, o que eu faço?! – Damon coçou a cabeça com as duas mãos em desespero.

— Lute com ela, ué. – Lilith fez parecer tão simples...

Damon a olhou com uma expressão arruinada. Atena deu um sorriso e Silver, que estava com partes do braço, da perna e até do dorso enfaixadas pelo treinamento com seu pai, Poseidon, apenas observou.

— Você não estava tão curioso sobre o tal "treinamento secreto" dela? – A filha de Hades, de cabelo vermelho com dois twintails médios e olhos de mesma cor, vibrantes, completou.

— Bom, isso é...

O treino de Damon era separado ao de Daisy, com Zeus. Ela podia ver o treino de seu irmão, mas ele não podia ver o treinamento dela, por motivos que não são conhecidos nem por Atena. Como Lilith falou, parece que Zeus queria fazer um treinamento secreto com ela. Mas o que será isso?!

— A propósito, como está se sentindo, Silver? – Damon DO NADA mudou de assunto ao perguntar a situação de Silver. Dá ou não dá para entender esses adolescentes?

— Estou bem melhor! Agora posso lutar tranquilamente! – Disse Silver, que há dois dias não podia nem se mover, graças ao treinamento com seu pai. Mas ainda enfaixado.

— Hmmm... Então, você acha que devo aceitar o desafio? – E, voltando ao assunto anterior com toda a normalidade do mundo, ele perguntou.

— Como eu disse-.

— Hein, Silver?

— PARE DE ME IGNORAR! – Gritou Lilith, interrompida e ignorada por Damon completamente.

Silver colocou uma mão sob o seu queixo e inclinou um pouco sua cabeça para a esquerda, pensando profundamente. Ele então, depois de alguns segundos, respondeu:

— Bom, Daisy tem tudo para ser um oponente formidável! Ainda mais com o fato de que não sabermos como foi seu treinamento... Então, acho que você devia aceitar!

— Ah, ok.

Silêncio total...

A resposta de Damon foi tão simples, foi tão fácil, que nem parecia que ele estava tão desesperado e em dúvida há alguns segundos atrás. Atena ficou de boca aberta, sem entender nada, enquanto Lilith...

— ESPERE MALDITO!! Acha que eu vou deixar assim é!?! – Gritou furiosa. Mas Damon não deu a mínima e virou suas costas, andando até o hall.

— Então eu vou falar com ela, até mais!

— EI! – Lilith, sendo totalmente ignorada sem dó nem piedade, começou a segui-lo.

— Mas ele mudou de ideia tão facilmente...! – Atena falou, surpresa. Fez parecer que tudo que ele estava falando, daquela forma, era encenação.

— Bom, acho que não foi assim.

— Como?

— Ele já estava decidido faz tempo. Só que estava com medo de arriscar! – O garoto de cabelo prateado, com tom azul-claro, de olhos cor-de-mel, Silver – Mas, cá entre nós. Estou bem ansioso para ver como está a Daisy! Digo, ela mal lutava e de repente isso tudo aconteceu. – Ele completou, com um leve e tranquilo sorriso.

— Realmente, você está coberto de razão, Silver. – A deusa respondeu – Eu também estou!

Atena deu um sorriso. Lilith seguia perseguindo e enchendo a cabeça de Damon que a ignorou – e continuava ignorando – completamente.

O momento inusitado se intensificou e agora virava o momento chave para testar os misteriosos poderes novos de Daisy!

O sol seguia brilhando e a tarde já estava em seu ápice...

Por Sora | 26/01/18 às 14:20 | Ação, Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Brasileira, Magia, Drama, Comédia, Shounen