CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
30º Mito - Desafio

Epopeia do Fim (EDF)

30º Mito - Desafio

Autor: Sora

Centro da Cidade de Olímpia: 14h30.   

— Damon e a Daisy?!

A garota de cabelo azul com duas voltas circulares na nuca estava com uma fruta em sua mão. Seu olho direito, de cor castanho-escuro, entrava em contraste com o branco tapa-olho quadricular, sustentado por duas pequenas cordinhas que passavam por cima e por baixo de sua vista esquerda, que tampava seu destruído olho esquerdo, resultado da intensa batalha de dois dias atrás na Criméia.

Essa era Elaine, a filha da Deusa da Lua, Ártemis.

— Sim, sim. Ela desafiou ele para uma batalha, ao que parece. – Respondeu o garoto de cabelo verde, liso que caía um pouco mais sobre as orelhas, com pontas inferiores e olhos também verdes, Meade. Esse não foi até a Criméia.

— Mas por que será que eles vão lutar? – Elaine perguntou após a resposta.

Ao lado dela, além de Meade, estava um garoto de cabelo amarelo escuro, com algumas pontas para cima, um pouco para a esquerda. Seus olhos tinham cor-de-mel escuro. Ele era o primo de Elaine, filho do Deus do Sol Apolo, Grey.

E os três – Elaine, Grey e Meade – estavam em uma espécie de feira, montada pelos humanos mortais. Por serem filhos de deuses, os Dez Apóstolos em geral eram proibidos de irem até lugares assim, por questões burocráticas do Olimpo e dos próprios deuses, já que eles também já tinham seus nomes conhecidos pelo povo, como os novos descendentes dos deuses.

Porém, Elaine precisava andar para se recuperar. As marcas de sua batalha contra um membro dos Imperadores da Escuridão ainda eram visíveis, principalmente o seu olho esquerdo, o mais importante por sinal.

Ela perdeu totalmente a visão dele mesmo, sem recuperação. O tapa-olho cobre o profundo corte, mas ainda é possível ver um pouco dele nas extremidades, não é tão fundo quanto o centro. Mas ela está conseguindo lidar bem com isso.

Apesar de ainda sentir algumas pontadas e incômodos de vez em quando, está firme, forte e saudável.

— Tenho que concordar com o Meade... bem inusitado. – Grey opinou.

Os três conversavam sobre o desafio de Daisy para lutar contra seu irmão mais velho, Damon. Os boatos se espalharam bem rápido pelo Olimpo.

Fazendo jus àquele velho ditado: as notícias voam.

— Hmmm. Isso pode acabar ficando interessante! – Grey estava sorrindo – Você vai ver?

— Pretendo, é claro. Quero ver como eles estão. Ah, e como foi a missão de vocês lá na Criméia? – Meade perguntou, se lembrando da missão que não pôde comparecer.

— Ah, é mesmo. Você não foi conosco. – Disse Elaine, escolhendo as frutas para comprar.

Voltando um pouco, eu disse que os Dez Apóstolos eram proibidos de frequentar esses locais, certo? Mas graças a situação de Elaine, por pedido dela mesma, eles estão aqui. Geralmente um ser humano normal não sentiria o reiki[1] deles. Mas os reconheceria do mesmo jeito, pela aura divina que exalam – e também, claro, por serem conhecidos, mesmo jovens.

Por isso, eles estão camuflados com capuzes. Mesmo nesse calor... Mas Atena os preparou especialmente para isso. São finos e não deixam o corpo mais quente, como se inibisse a retenção de calor, algo térmico, podemos dizer assim. Ou seja, prefeito para a situação.

— Foi bem, digamos... difícil. – Elaine falou, ainda escolhendo frutas.

— Entendo. Então, essa sua ferida profunda já está melhor? – Meade se referiu ao olho esquerdo de Elaine. Grey ficou em silêncio. Ela colocou a mão sobre o tapa-olho.

— Não diria “melhor” já que perdi completamente a visão. Mas não se preocupe, eu estou bem! – Elaine disse sorrindo. Ela levava tudo isso com naturalidade, o que era ótimo.

Além de seu olho, a feridas pelo corpo ainda estavam cicatrizando e estavam cobertas por pequenas faixas enroladas em pequenas áreas mais machucadas.

— Então, vamos ver também! – Elaine mudou para o assunto da luta fraterna – Vai ser quando?!

— Pelo que parece vai ser daqui a pouco, ao pôr-do-sol. – Meade respondeu animado, levantando o dedo indicador direito.

— Mas você é bem informado mesmo. – Grey retrucou, fazendo uma cara engraçada.

— Pode não parecer, mas meu pai sempre está no Olimpo com tio Zeus, nishishi!

— Tio?! O certo não seria "avô"?! – Sim, Elaine estava correta. É a lógica da vida, não é?

— Já peguei a mania de falar "tio". – Explicado. De certa forma...

— Aham. Sei como é.

Grey acenou duas vezes de olhos fechados e braços cruzados. Elaine deu uma singela e leve risada. Ela terminou com a escolha das frutas – maçãs e então, olhou para os dois.

— Então, vamos nos preparar para assistir a luta!

— É, vamos!

— Ainda falta um pouco, não precisa ter pressa, Elaine. – Meade afirmou, olhando as maçãs que Elaine escolheu.

— Mesmo assim! Estou ansiosa para ver o que a Daisinha pode fazer! – Respondeu sorridente.

— É verdade. Ela estava tendo um treinamento secreto, pelo que Damon falou.

— Vamos ver no que isso vai dar. – Meade falou, olhando para o céu azul de outono.

 

***

 

Mais tarde naquele dia – Monte Olimpo: 17h45.

O sol já estava se pondo, fazendo uma luz alaranjada percorrer a Cidade de Olímpia e o Monte Olimpo, graças ao céu sem nuvens. O céu que tinha nesse momento um tom de rosa com laranja, uma cena muito bonita.

 Damon, Lilith, Silver e Atena estavam na entrada da sala de batalhas do Monte Olimpo, a mesma usada para os treinamentos de Damon e de... Daisy. Damon estava tranquilo, mas algo não saía de sua cabeça. Ele não pôde acompanhar nem uma pequena fração do treinamento de sua irmã com seu pai, Zeus. Qual seria o resultado disso...? 

— Você aceitou mesmo, não é? – Atena perguntou diretamente para ele, sorrindo.

— Bem, eu iria mentir se dissesse que não estou curioso para ver os resultados do treinamento da Daisy. – E ele respondeu, suspirando.

Daisy não estava com eles ali, nem dentro da sala de batalhas. Segundo Atena, ela foi até a casa de Afrodite, a Deusa do Amor, com seu pai fazer algumas “averiguações finais”. O que seria isso, ninguém sabia.

— Estou ansioso por isso também! – Silver disse, bem animado.

— Sim! Quero muito ver a Daisy lutando. Há algum tempo isso era inimaginável! – Lilith também sorria, animada. Damon olhou para os dois, calmo, e depois, ele voltou seu olhar para a porta.

— Tem razão...

— Hmmm, olha só ele. Está bem calminho para quem estava quase chorando, há algumas horas! – Lilith falou sarcasticamente, mas Damon permaneceu em silencio e não respondeu – Ei, ele não tá calmo demais? – Desamparada, ela sussurrou ao ouvido de Silver.

— Sim, o Damon mudou. Está mais confiante. – E ele respondeu, olhando para as costas de Damon.

E então, duas pessoas foram sentidas pelos quatro, se aproximando. Elas então, subiram o Olimpo. Atena, Damon, Lilith e Silver olharam para trás ao mesmo tempo e viram.

— Olha só. Parece que os telespectadores chegaram. – Disse a deusa, porque Elaine e Grey subiram ao Olimpo. Os dois pararam, lado a lado.

— Yo!

— Como estão todos?! – Grey e Elaine sorriam. Eles se aproximaram dos quatro.

— Oh, Elaine e Grey! – Lilith ficou surpresa.

— Estamos bem! Vieram assistir a luta também? – Silver perguntou.

— Claro! Não podemos perder a chance de ver o líder dos Dez Apóstolos perder pra sua irmãzinha não é?! – Grey sorriu sarcasticamente. Mas Damon seguiu quieto e se virou.

— Entendo... – Assim que Silver falou, ele olhou para Elaine.

Seu olho esmagado ainda era motivo de preocupação de seus amigos e companheiros. E Silver só ficou sabendo disso pelo seu pai, Poseidon. Ela percebeu Silver a encarando e o olhou.

— Hm?! O que houve, Silver?!

— Ah, nada não. – Silver deu um sorriso.

— Os outros também virão? – Damon perguntou, sem se virar para os outros, ainda olhando para a grande porta.

— Meade disse que está trazendo o Brandt. Julie e Chloe vão vir, tia Atena?!

— Elas já estão a caminho! Acho que Afrodite também vai assistir a luta junto com Arthur! – Respondeu com um sorriso.

— Olha só, estão quase todos aqui. 

Todos então, olharam para a esquerda, Lilith foi a primeira a reconhecer a voz feminina que proferiu as palavras. Ela usava um vestido com pontas embaixo, negro. Seus cabelos caíam sobre os ombros, também de cor negra, e seus olhos brilhavam em uma cor roxo escuro. Era a mãe de Lilith e esposa de Hades, Perséfone!

— Mãe?! A senhora também vai assistir?! – Lilith perguntou, bastante surpresa e espantada.

— Sim, é claro. Afinal, vocês cresceram muito. Faz tempo que não vejo vocês. – Perséfone olhou para os outros que ali estavam.

— Oh! É a tia Perséfone mesmo!

— Quanto tempo! – Grey e Elaine falaram, respectivamente.

— Grey e Elaine! Silver também está aqui. E Damon. Onde estão os outros?!

— Parece que já estão chegando.

Assim que Lilith respondeu à pergunta de sua mãe, mais duas pessoas pularam e chegaram ao Olimpo. Todos olharam. Os dois que chegaram agora foram Meade e Brandt.

— Opa, chegamos! – Disse Meade.

— Meade e Brandt...!

— Uou, tia Perséfone! Quanto tempo!

Meade falou, animado. Ao seu lado estava Brandt, cabelo vermelho escuro espetado inferiormente, olhos marrom-escuro.

“Incrível...”, Atena pensou, abrindo mais os olhos.

Ela e todos ali puderam sentir sua aura perigosa emanar pelo local. Que tipo de treinamento ele teve, afinal?! Brandt e Meade estavam em um nível de força absurdo!

Então, enquanto todos conversavam, Damon ainda estava olhando para a porta gigante da sala de batalhas do Monte Olimpo, totalmente desligado do que acontecia em seu redor. Atena olhava sorrindo e então notou que Damon era o único que estava de fora da roda de conversa formada há alguns segundos ali.

— O que houve? Não vai se juntar?

A deusa perguntou, curiosa. Ela via na expressão de Damon o como ele estava diferente. Ele ficou quieto por um segundo, ainda olhando para a grande porta.

— Estava só pensando... – Respondeu.

Atena lembrou de algumas semanas atrás. Se fosse assim antes deles perderem para os Imperadores da Escuridão na missão antepassada, provavelmente Damon não estaria assim, desse jeito.

— Ninguém pôde acompanhar o treinamento de Daisy, nem mesmo você ou eu. Está ansioso?! – Depois de alguns segundos quieto, Damon respondeu:

— Não...

— Hm?! – Atena não entendeu e chegou a ficar espantada. Damon então deu um sorriso.

— Estou empolgado! – Atena o encarou por um momento. E ele prosseguiu – Finalmente vou ver... os resultados do treinamento dela!

Atena escutou com cuidado, deu um novo sorriso e disse:

— Realmente, você está certo. Faz sentido estar empolgado mesmo.

— Se você está empolgado com isso, então finalmente irá se saciar...

A voz majestosa se espalhou pelo local como um forte trovão, fazendo todos paralisarem e olharem para trás. Mas Damon ficou ainda mais empolgado ao escutar e agora abriu um sorriso que mostrava os dentes. Acompanhando o olhar de todos, ele viu Zeus aparecer com Afrodite, Arthur e Daisy!

— Bem-vindo, pai. – Atena reverenciou o Rei dos Deuses, abaixando sua cabeça, como um cumprimento.

— Finalmente chegaram...! – Ainda sorrindo com seus dentes brancos, Damon murmurou.

— Cheguei, irmão!

Daisy e Damon ficaram frente a frente, sorrindo um para o outro. Assim como Damon estava diferente, mais amadurecido, Daisy não ficava para trás. Dava para ver claramente a rápida e impressionante evolução da garotinha de apenas 11 anos de idade. E todos rapidamente comentaram sobre isso.

— Não sei se é impressão minha, mas ela está...

— Diferente? É, também acho. Mais forte mentalmente podemos dizer assim? – Silver tentou responder à pergunta de Lilith, mas acabou fazendo outra pergunta.

— Ei, vocês não estão notando algo a mais não? – Meade entrou na conversa.

— Como assim?

— Ora, não perceberam? Que ela está muito parecida com “certo alguém”? – Completou Elaine, fazendo todos voltarem seus olhares para os dois principais protagonistas da tarde/noite.

Exatamente. Daisy estava parecendo seu irmão.

Era visível e lógico, bem, eles são irmãos de sangue afinal. Mas não é só nas atitudes ou a confiança. Seu poder e nível de reiki era idêntico. A grande diferença é que enquanto o de Damon era mais agressivo, o de Daisy era mais calmo e suave, como um toque angelical.

— desculpem pelo atRASOOOO!!!!!!

O grito de baixo só foi aumentando gradativamente, enquanto a garota que o fez se aproximava. Chloe – a que gritou – e Julie chegaram ao topo do Olimpo, agora, com todos os Dez Apóstolos presentes, quebrando o clima. Atena, progenitora das duas, olhou sorrindo.

— Ufaaa, viemos correndo para cá! – Chloe secou o suor de sua testa, ofegante.

— Saudações, terráqueos – Julie disse, levantando a mão direita, sem expressão alguma, de forma até que fofa.

— Então está na hora...

Daisy olhou com um sorriso firme para as duas, convicta. Chloe arregalou os olhos por sentir a mudança abrupta em seu reiki. Julie chegou a ficar um pouco surpresa, demonstrando isso abrindo um pouco seus olhos de cor verde escuro.

— Daisy...

— Que!?! A mudança foi tanta que até a Julie reagiu!?! – Todos ficaram mais surpresos e espantados ainda. Lilith ainda mais.

“Está diferente”, pensou Chloe. Ela estava de olhos arregalados e quase que de boca aberta. O sorriso de Daisy não falhava... Seu olhar não apresentava insegurança alguma.

E, ali do lado, não dava para ver, mas Brandt e Arthur estavam do lado de Afrodite, os dois. Ela sorria e não ligava, mas os dois se olhavam de braços cruzados estranhamente... até mesmo Meade, que estava à frente dos três, olhava com estranheza...

— Muito bem! Vamos começar então?! – Atena disse, batendo as palmas de sua mão duas vezes.

Logo após as palavras de Atena, eles entraram na sala de treinos e batalha. A porta se fechou. Lá dentro, todos se acomodaram para assistir a luta. Damon foi para uma espécie de vestuário e Daisy foi para outro, para se prepararem. As garotas foram com Daisy. Silver, Grey e Meade foram com Damon para uma última conversa. Arthur e Brandt ficaram na sala de treino. Afrodite, Perséfone e Atena sentaram ao lado do trono de Zeus.

— E então, acha que será uma boa luta?! – Atena se dirigiu à Zeus.

— Os dois estão muito mais fortes. Damon é mais experiente e forte, mas Daisy não vai ser fácil para ele. – Zeus respondeu, sem rodeios. Atena então, ficou curiosa sobre algo.

— Pai? 

— Diga.

— Apenas uma pergunta, se me permite.

O Rei dos Deuses ficou em silêncio. Como sempre era difícil de ler suas expressões, até mesmo para Atena que é expert nisso.

 — Teve alguma razão para o senhor deixar o treinamento de Daisy em segredo?

Zeus apenas deu um sorriso de canto e não respondeu mais nada. Atena pressentiu algo nesse sorriso. Como se fosse dito para ela “ver com seus próprios olhos”. Atena se resguardou e voltou sua atenção para a arena de batalha.

— Hehe... Interessante...! – Damon deu um sorriso confiante.


Por Sora | 26/01/18 às 14:25 | Ação, Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Brasileira, Magia, Drama, Comédia, Shounen