CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
37º Mito - Fogo e Lava

Epopeia do Fim (EDF)

37º Mito - Fogo e Lava

Autor: Sora

O grupo de Meade, que estava com Chloe, Julie, Silver e Arthur seguia de frente com Iris nas imediações da pequena floresta inicial da Ilha da Criação. A garota olhava para os clarões laranjas e vermelhos que se formavam onde a luta de Brandt e Leon estava acontecendo.

— Faz tempo que Leon não luta a sério... – Iris disse, sorrindo.

— Isso é ruim. Desse jeito Brandt vai perder seu controle... – Meade alertou, chamando a atenção de todos.

— Que?! Perder o controle?!

— Sim... aconteceu algumas vezes enquanto treinávamos após as missões da floresta e do Mar Egeu. – Meade explicou – Principalmente quando ele batalhava contra o Arthur...

Pelo o que ele disse, da forma que disse, isso seria bem ruim mesmo. Brandt já tem uma aura assassina assustadora. Se ele sair do controle como Meade falou... Enquanto isso, Chloe olhou para Arthur, que seguia em silêncio.

— Pedido: Vão, Meade, Silver e Arthur. Deixem ela conosco. – Julie tomou as rédeas e pediu aos três.

— Hã?!

— Se isso que o Meade falou acontecer, então pode ser ruim. Vocês precisam ir até Brandt, nós podemos cuidar dela. – Chloe afirmou, confiante. Iris apenas observava sem falar nada, sorrindo levemente.

Depois de pensar um pouco nas possibilidades, Meade respondeu:

— Ok. Não esqueçam do ponto de encontro. 

— Estamos indo então! – Silver falou, guardando sua lâmina.

Os três deram meia volta e, sem enrolação, começaram a voltar para o ponto onde Brandt e Leon batalhavam. Seria perigoso se o sangue subisse a cabeça dele, realmente.

“Sempre pensando bastante nas situações. Essas duas irmãs são melhores que eu...”, Meade pensou, virando sua cabeça para as observar uma última vez naquele instante. E, quem reagiu foi...

— O queeee?! Vocês não vão-!

Iris tentou impedir a fuga dos três, mas duas flechas de Julie cortaram o ar e quase acertaram a garota, que caiu copa da árvore ao mesmo tempo que desviava do golpe. Porém, seu capuz negro foi acertado e saiu de sua cabeça.

Iris caiu no chão, dessa vez de pé e se ajoelhou, encostando as duas mãos levemente no solo. Ela estava olhando para baixo, sendo possível ver apenas seu cabelo de cor creme-claro.

— Droooga! Então vocês duas vão me enfrentaaaar? Que meeeigo!

Iris levantou sua cabeça e olhou para as duas. Ela tinha um rosto bonito, angelical até diria. Seus olhos eram de cor azul-céu, com um tom bem meio termo entre claro e escuro. Seu cabelo era curto e ia apenas até um pouco depois do pescoço, na parte de trás, em contraste com suas duas trancinhas laterais, que caiam em frente a suas orelhas, as escondendo.

— Julie...

— Afirmação: Não se preocupe, irmã. Nós duas iremos derrotá-la. – As palavras inexpressivas de Julie foram um pouco diferentes agora, tendo uma pincelada de confiança. Chloe sorriu.

— Não precisa me dizer isso!

— Vocês são muito confiantes meeeesmo. Só porque derrotaram Bluebell não achem que será tão fááácil assiiim!

Iris levantou sua chave de prata de antes e ela se desfez em uma forte luz branca que se acumulou em sua mão esquerda. De repente, uma espécie canhão de médio porte, de cor branca, se formou em toda sua mão esquerda.

— Esse é o Taifūhōōōō! Agora eu vou acabar com vocês duas! – Iris preparou sua arma.

Sua arma, Taifūhō, traduzida do japonês, a união das palavras ‘Taifū’ (Tufão) e ‘Taihō’ (Canhão). O Canhão do Tufão.

— Não seja apressada. – Chloe fez o mesmo e pegou sua Arma Divina – Sakiyari...!

— Confirmação: Você não vai escapar de nós. 

— Minha intenção não é escapaaaar. Eu vou acabar com voooocês! – Iris apontou o canhão para as duas que entraram em guarda.

— VENHA! – As três bradaram simultaneamente e iniciaram outra batalha na terra das Moiras...

 

***

 

Brandt e Leon seguiam lutando ferozmente em frente ao Templo de Láquesis. Brandt, conforme a luta se desenrolava e o tempo passava, esboçava um sorriso ainda mais maligno. Ele parecia estar se divertindo...

O redor dos dois estava totalmente destruído em cinzas pelo calor do fogo de Brandt e da lava de Leon. O filho de Ares atacava sequencialmente seu adversário, que ia desviando com mais dificuldade a cada minuto. O sorriso maligno de Brandt ia aumentando e ficava cada vez mais assustador.

O próximo ataque de Brandt com seu Machado do Holocausto, foi um golpe em vertical que fez a terra tremer. Leon arregalou os olhos, surpreendido pela constante mudança no reiki de Brandt. Ele começou a perceber que seu reiki estava ficando mais agitado e mais fervente ainda.

Parecia queimar.

— O que foi!?! Está ficando mais lento!?! – Ele começava a falar mais alto e com mais agressividade. Brandt atacou novamente, dessa vez com um soco de esquerda e abriu uma cratera no chão apenas com força bruta.

“Esse cara... Ele está ficando diferente”, Leon pensou.

E de fato era isso que estava acontecendo. Brandt, por pouco, não cortou Leon em dois no próximo ataque veloz que fez. O machado passou raspando por sua barriga e rasgou sua roupa. Um pouco de sangue jorrou pelos ares. Apesar de não ter pego em cheio, a ferida foi considerável.

— Kyahahaha! – Brandt estava mudando mais e mais. Leon estava de joelhos, vendo seu sangue pingar como goteiras no chão.

— Merda! Encruzilhada de La-! Hã?!

Ao tentar fazer sua técnica, Brandt o parou na hora, como um raio. Ele segurou a mão direita de Leon e o levantou com sua força. Com um olhar e um sorriso ameaçador, Brandt fez Leon ficar nervoso.

— Nem pense nisso...! 

Brandt deu uma cabeçada fortíssima na testa de Leon, que recuou para trás com o impacto. Ele resmungou de dor, sua testa abriu e começou a sangrar. Brandt, com um sorriso insano, puxou Leon de volta e deu outra forte cabeçada no mesmo local, que sangrou mais.

Em seguida, emendou um fortíssimo chute em sua barriga, que o fez cuspir sangue e voar para longe em alta velocidade. Ele bateu na parede da entrada do Templo de Láquesis e o impacto fez ela afundar para trás, desprovendo de rachaduras fundas ao redor. Leon tossiu sangue por duas vezes, suas costas pareciam estar totalmente destruídas após o poderoso choque.

O garoto de cabelo preto olhou para cima, seus olhos arregalados. Em meio as infinitas chamas, Brandt veio andando arrastando seu machado gigantesco no chão. Apenas seus olhos castanhos, totalmente demoníacos e seu sorriso assustador eram visíveis. Parecia um psicopata.

 Leon hesitou. Ele percebeu que Brandt não era um oponente comum. Mas o pior estava por vir...

“Droga! Isso está saindo de controle!”, pensou Leon, já tomando decisões desesperadamente.

 “Tenho que fazer aquilo, senão...”

— O queeeee!?!

Brandt chutou Leon novamente, dessa vez para a esquerda. Mais uma vez ele voou, porém, parou de joelhos no chão. Suas mãos já vacilavam, quase largando suas adagas.

Ao levantar o rosto, Brandt estava a sua frente, num piscar de olhos. Não, menos que isso... Sorrindo. Sombrio. Os olhos de Brandt mudaram. Seu olho esquerdo estava de outra cor. Uma cor totalmente negra, sem luz alguma!

“O que?! Seu olho...!”

— Vamos nos divertir mais! Eu quero te estripar da cabeça aos pés!

Parecia outra pessoa falando. Leon não deixou de ter alguns flashbacks de Keith vendo essa mudança repentina, nos olhos e na personalidade...

 Leon levantou-se rapidamente, recuou e preparou suas adagas enormes. Mesmo ferido e totalmente – quase – desgastado e sem forças, ele olhou para frente, rangeu os dentes e disse:

— Peguem mais poder!!! – As lâminas ficaram gigantescas, maiores até que o próprio Leon. Ele as fincou no chão com força após isso.

— Não vai adiantar!

— Ah, vai sim...! Abismo de Lava!

Após as palavras proferidas por Leon, uma cratera enorme de lava se abriu em um piscar de olhos ao redor de Brandt. Leon estava na ponta dela. E Brandt caiu lá dentro.

Leon nem conferiu o resultado da magia usada e começou a rir sozinho, mais aliviado. Ele pegou Brandt sem chances de reagir. Ele não esperava por essa. Sua arrogância foi tão grande a ponto de baixar sua guarda por um instante fatal.

 — HAHAHAHAHAHAHAHA! E ENTÃO!?! COMO SE SENTE BANHADO PELA LAVA!?!

Nenhum sinal foi dado com os gritos loucos de Leon. Brandt fora totalmente carbonizado, era impossível sobreviver a esse mar de lava em estado puro. Leon fez uma expressão aliviada. Ele então se sentou, cansado. Suas adagas voltaram ao normal, ficando pequenas. Ele venceu a luta contra o mais insano dos adversários.

— Acabou. Que merda...! – Ele suspirou e olhou para o céu que já voltava a sua coloração normal, o azul, com um leve e cansado sorriso.

— Do que você está rindo?!

A voz que Leon ouviu o fez congelar. Ele abriu os olhos e olhou para a cratera de lava... e entrou em choque Brandt estava andando... NA LAVA!

Era impossível. Por que? O que ele estava vendo!?!

— Não... impossível, impossível, impossível, impossível! IMPOSSÍVEL, IMPOSSÍVEL, IMPOSSÍVEL, IMPOSSÍVEL, IMPOSSÍVEEEEEEL!!!! O QUE VOCÊ É AFINAL!?! – Brandt deu um sorriso e disse:

— Eu sou arrogante. Por isso, não vou morrer para você aqui...!

— O que!?! – Leon estava paralisado devido ao choque. Era como se Brandt estivesse possuído. Mesmo para um deus, era impossível andar na lava dessa forma!

Mas então ele prestou atenção com mais cuidado. Em volta dos pés de Brandt estavam...

“Magia de proteção?!!!”

Ele pôde concentrar seu reiki nos últimos segundos, em menos de um instante de tempo, para encobrir seus pés e protege-los contra a lava... Isso era algo inacreditável. O reiki de Brandt era mais forte e agressivo que a lava criada por Leon...

— Minha vez... Arte Secreta dos Deuses...

As palavras fizeram Leon sentir um novo calafrio inexplicável na espinha. Ele iria usar, sua mais forte magia! Brandt levantou seu machado para cima, com seus olhos sedentos por sangue! Brandt reuniu seu reiki explosivo em um ponto só do machado e se preparou. Leon podia sentir, tamanha monstruosidade...

— Não... Ele é...! – Leon falava, boquiaberto e com os olhos tremendo.

Chamas do Apocalipse!

Brandt desceu o machado, com um corte de cima para baixo. Muito mais fortes que as Chamas de Ares, o fogo se alastrou em proporções incríveis. Mas não eram chamas comuns. Eram chamas... Negras!

Leon se levantou com dificuldades, se livrou de seu capuz que foi atingido pelas chamas e tentou se esquivar do fogo que se espalhava de forma veloz. Brandt, não contente com isso, deu um salto assustador e apareceu atrás de Leon em uma velocidade absurda.

Ele cortou sem piedade com seu machado e fez uma abertura gigante nas costas de Leon, que mal pôde gritar de tanta dor. Ele só conseguiu abrir sua boca, mas sua voz não saiu. Sangue espirrou para os lados. Muito sangue.

Leon ficou caído de bruços no chão. Ele não conseguia se levantar, muito menos se mover nem piscar. Brandt estava com uma expressão mais maligna ainda, sua aura mais assustadora, seu reiki mais destrutivo. As chamas negras não o davam saídas nem para escapar. Ele sabia que estava em perigo. Brandt tinha sede total de sangue ali!

Leon não podia fazer mais nada.

— Ei... – Leon levantou sua cabeça, com dificuldades – Se você beijar meus pés e pedir desculpas eu irei poupar sua vida.

Leon ficou incrédulo. Ele estava falando sério mesmo?! A arrogância de Brandt estava no ápice do ápice. Leon deu um sorriso sarcástico após isso, como resposta. Para ele era melhor isso do que morrer? Não...

— Nem... fodendo! – Leon cuspiu sangue na perna de Brandt, em resposta. Ele parou e fitou o sangue escorrendo por sua perna.

— Então... – Ele colocou o machado afiado no pescoço de Leon – Hora do show...!

Brandt chutou Leon na barriga. Uma, duas, três. Dez vezes! Na décima primeira, foi tão forte que fez Leon voar. Deu até para ouvir alguns ossos se quebrando adentro dele. Quando Leon tentou se levantar, com muitas dificuldades, Brandt foi até ele andando e pisou em sua enorme ferida.

— GAAAAAAAAAAAAAAH!!!!!!! – Leon deu um grito ensurdecedor. Brandt pisou novamente, dessa vez com mais força ainda. Era desumano...

— Está doendo, é?! Isso ainda é o começo!

Brandt pegou Leon pela cabeça e jogou ele na parede com toda sua força. A abertura feita nela foi tão grande, que Leon ficou preso na própria parede. Após isso, Brandt apareceu na frente dele, soltou seu machado e começou a socar Leon no rosto impiedosamente. Ele esmurrou a face de Leon com tanta vontade que o garoto ficou quase que irreconhecível – e Brandt não parava.

Leon quase ficou desacordado, e caiu da parede, no chão. Brandt parou e observou Leon, quase morto, caído, sangrando pelo corpo inteiro. Era uma cena horripilante.

Parecia que alguém, dentro de Brandt, sorria até mais que o próprio Brandt.

— O que?! Já acabou?! Nem deu pro cheiro... nem pude usar minha Arte Secreta dos Deuses de forma completa! – Inacreditável. Aquela magia não era ela 100%. Nenhuma resposta de Leon veio – Hm. Então...

Brandt deu um novo sorriso maligno. Seu olho direito estava quase sendo tomado pela escuridão, assim como o esquerdo. Era sinal de que Brandt não era ele mesmo naquela hora. Era como se fosse alguém tomando controle de sua sanidade!

Como aconteceu com Damon uma vez. E como Lilith havia alertado. Isso era preocupante. Mas não tinha mais como Brandt parar. Ele estava totalmente tomado pelas trevas. E pela sede de sangue...

— Eu vou te matar agora! – Brandt foi com tudo com seu machado para decepar a cabeça de Leon, que já nem se mexia impulsivamente.

— Dança da Samambaia!

Fios de aço prenderam o corpo de Brandt e o impediram de matar Leon. Ele caiu e se debateu, mas não conseguiu se livrar. Meade, Arthur e Silver haviam chegado ali em tempo!

— Conseguimos a tempo...! – Meade suspirou, cansado e manejando os fios envolta de Brandt.

— O QUE SIGNIFICA ISSO!?! HEIN!?! – Brandt gritou a plenos pulmões. Os fios de Meade começaram a esquentar e uma pequena fumaça começou a subir.

— Você saiu do controle de novo. Realmente não podemos te deixar sozinho. – Meade respondeu – Mas isso é estranho. É a terceira vez que isso acontece. E essa perda de controle parece ser induzida por algo...

— Meade. Me solte. Eu vou matar esse desgraçado!

— Você não vai matá-lo. Quem temos que matar são as Irmãs do Destino, e não eles. Eles são apenas humanos que foram pelo caminho errado. Se matar ele, você vai ser igual a eles.

— Me solte...! Não vou falar de novo! – Brandt bufava, parecendo um animal sem racionalidade.

— Foi mal. Mas não iremos fazer isso. – Disse Meade, com uma expressão calma e preocupada. Ele sabia que esse não era o Brandt normal.

— MANDEI ME SOLTAR! – Quando Brandt queimou os fios e se levantou, Elaine apareceu por trás dele, vindo por cima. Todos, inclusive Brandt, olharam para ela, sorrateira.

— Black Out.

Ela tocou com a Hatsuki no braço de Brandt, que não pôde reagir. Essa era a magia que Elaine usou para vencer Bluebell na Criméia, a magia que provoca a síncope – ou o desmaio – em quem é tocado.

 — Desculpe, Brandt... – Ele caiu no chão, largando seu machado e desmaiando completamente. Elaine guardou sua lâmina, que voltou a ficar incolor.

— Elaine?! Você não tinha ido com Damon e os outros?! – Silver perguntou, surpreso, assim como Meade.

— Ele previu que Brandt ia ficar fora de controle e me mandou voltar. Ele também sabia que vocês iriam tentar pará-lo, então não tive preocupação. Se eu estivesse sozinha isso seria um problema...

— Ele previu?! Que merda de poder de previsão é esse agora?! – Silver se perguntou e pensou.

— Você salvou a gente. De certa forma... – Meade suspirou aliviado, soltando seus fios quase que carbonizados do corpo dele.

— Ah, foi graças a vocês que pude chegar sem ser percebida. – Ela deu um leve sorriso. Estava mais madura após a batalha na Criméia – Então, o que faremos com ele?

Eles olharam para Leon. As chamas negras se extinguiram após o desmaio do filho de Ares. A lava da gigante cratera também sumiu. A batalha estava acabada, Brandt venceu sem dúvidas.

Ele destruiu totalmente Leon de forma impiedosa. Mas Meade já sabia que aquele não era o mesmo Brandt. Mas, ainda assim, tinham que considerar o fato de que ele nem usou sua Arte Secreta dos Deuses ao máximo por que não quis. Ou seja, ele já podia controlar com perfeição...

— Soube que o Grey desenvolveu uma magia de cura, não é, Elaine? – Silver perguntou.

— Sim, boa ideia! Podemos curar esses dois com a magia nova dele! – Elaine confirmou, animada – Ah, e falando nisso, onde estão Julie e Chloe? 

— Elas ficaram para lutar com aquela garota.

— Devemos ir até elas também? – Elaine perguntou.

— Podemos descansar um pouco. Eu não me preocuparia se fosse você, afinal, em nível de inteligência, aquelas duas são as melhores. – Meade deu um sorriso, olhando para a direção da pequena floresta, onde Julie e Chloe estavam...


[Brandt derrotou Leon completamente em uma batalha insana!!]

[O filho de Ares não deu chances para seu adversário e graças a Meade e Elaine, não o matou. Agora a batalha ruma para as irmãs gêmeas de Atenas...!!]


Continua no capítulo 38: "O Tempo Corre"

Por Sora | 02/02/18 às 15:48 | Ação, Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Brasileira, Magia, Drama, Comédia, Shounen