CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
58º Mito - Caminho Bloqueado

Epopeia do Fim (EDF)

58º Mito - Caminho Bloqueado

Autor: Sora | QC: Amnésia

— Eles estão chegando...

Uma mulher com longos cabelos dourados olhava para o céu estrelado dentro de um templo igualmente estrelado.

Galáxias, aglomerados, nebulosas e constelações dos mais diversos tipos.

As galáxias estavam alinhadas.

— O que está observando...?

Uma outra mulher com cabelo curto e escuro se aproximou da mulher de longos cabelos dourados, que a olhou brevemente e voltou sua atenção para as estrelas que observava.

— Você está vendo? As galáxias se alinharam...

— Isso é um evento bem raro, né? Só acontece de século para século.

— Mas dessa vez será diferente...

— Diferente?

As duas, a de cabelo dourado e a de cabelo escuro, se entreolharam. A mulher com os longos cabelos brilhantes que caíam pelos seus ombros e alcançava a cintura deu uma leve e espontânea risada.

— Na verdade, não sabemos. Mas irá acontecer mais uma vez, em breve. – Disse a mulher de cabelo dourado com certa convicção.

— As Moiras previram isso?

— Não... nem elas puderam prever esse fenômeno. A próxima vez será a raridade da raridade. Algo que não aconteceu nunca nem quando o cosmos foi criado.

— Oh, que interessante.

A mulher de cabelo negro acompanhou o olhar da outra e passou a observar as estrelas junto dela. Haviam mais cinco delas ali. Ambas também estavam com os olhares vidrados ao céu estrelado.

— Eles estão vindo, mãe... para mudar o destino.

 

***

 

 

— Meu braço... SUA MERDINHA!!!!

Megera gritou ao ver seu segundo e último braço ser decepado por Lilith que chegava ao resgate de Damon acreditando em sua própria derrota e a morte iminente.

O esquerdo tinha sido obra do próprio Damon. Agora, a Fúria não tinha nenhum dos dois. Mas quer reclamar? Ela ainda possuía quatro tentáculos gigantes e afiados nas costas.

Mas bem, paciência.

— Lilith... você veio... sozinha? – Damon falava com certa dificuldade graças aos ferimentos, principalmente o novo feito por Tisífone. O efeito da poção havia passado naquele momento.

— Está tudo bem... – Lilith pegou Damon e o colocou em seu ombro – Nós sabíamos da sua jogada.

Damon olhou para Lilith com olhos arregalados. E riu. Sabia que podia confiar em seus amigos não importasse como.

— Vocês são demais mesmo...

Sim. Ele ficou para enfrentar as Fúrias sozinho com o objetivo de reduzir os possíveis danos e baixas que causaria em uma luta total, e ainda por cima induziu sua captura para que seus amigos o localizassem junto dos Hecatônquiros e preparassem um plano para a vitória.

Foi arriscado. Arriscado até demais. Ele quase morreu duas vezes. Damon não contava só com o fato de Hazel ter o libertado e o porquê, mas isso agilizou as coisas. E no último segundo, a salvação veio.

Por que tão perfeito? Seria a famosa “obra do destino”?

— Segure firme sua espada. – Lilith o abraçou apoiando-o em seu ombro e pulou para trás, levando Damon para longe.

— Você não vai-!

— Você é quem não vai. – Quando Tisífone preparou a águia Daimon para atacar, Arthur veio por trás com a sua Foice do Caos, Konrama em mãos e a atacou rapidamente.

— O que!?! – Tisífone não conseguiu se esquivar por completo e sofreu uma profunda ferida no torso frontal em um ataque violento que espirrou sangue para todos os lados.

Nem dava tempo para resmungar, gritar ou pensar. Após o ataque rápido de Arthur, de longe, em cima de um local calculadamente escondido, Julie preparou o Arco Celestial, Tenyumi, como uma legitima sniper e o carregou ao máximo.

— Luz da Morte.

As flechas foram disparadas em um golpe fulminante, se dividiram em três acertaram as três Fúrias ao mesmo tempo. As explosões de luz deram brecha para Arthur, Lilith e Damon saírem do campo de batalha imposto ali e recuarem.

Os três foram até um local mais aberto e seguro onde estavam o resto dos Dez Apóstolos reunidos observando a investida. Lilith parou e colocou Damon deitado, bastante ferido e ofegante, à frente de Grey.

— Grey, por favor! – A garota exclamou e Grey acenou positivamente com a cabeça, já sabendo do que precisava, mas...

— Irmão! – Daisy interrompeu e deu um forte abraço em seu irmão mais velho.

— Vocês...

— Pensou que não entenderíamos o plano, espertinho? – Elaine deu um leve sorriso.

— Francamente... – Arthur respondeu, suspirando.

— Mas, foi arriscado demais, hein. Não faça isso de novo! – Completou a filha de Ártemis, fazendo bico. Damon deu um sorriso após a leve bronca de sua amiga.

— Sim, pode deixar...

— Irmão... – Damon olhou para Daisy, com o rosto enfiado em seu peito – Eu fiquei com muito medo! Eu pensei que você...!

Ele olhou para sua irmã por um momento. Ela foi a primeira a perceber o arriscado plano de seu irmão, afinal, ele não podia mentir para ela.

E ele apenas respondeu com seu gesto característico que a deixava mais calma: acariciar sua cabeça...

— Está tudo bem, irmãzinha. Não se preocupe, não vou mais fazer isso.

— Irmão... Seu... IDIOTA! – Sem ninguém esperar, Daisy deu um soco em Damon, que virou o rosto. Todos arregalaram os olhos, impressionados, até mesmo ele.

— Daisy! – Lilith gritou, desesperada vendo a situação.

Damon estava ferido, mas ele merecia. Aquilo não era nada, era só um pouco do que Daisy queria realmente fazer após ele se arriscar de forma tão imprudente dessa forma.

— Acho bom você manter essa promessa! – Disse com um sorriso em contraste com os olhos cheio de lágrimas. E ele revirou seu rosto vermelho, também dando um sorriso suspirante.

— Sim. É uma promessa. – Os dois cruzaram os dedos mindinhos.

— Desculpe atrapalhar, mas Daisy, preciso que você saia. – Finalmente disse Grey, enquanto todos olhavam para a bonita cena dos dois filhos mais novos do Rei dos Deuses, Zeus.

— Ah, desculpe!

Daisy saiu de cima de Damon, Grey fechou os olhos ao estender sua mão direita sobre ele. Seu reiki começou a se concentrar em um só ponto e transbordou de forma escaldante como o próprio Sol.

Dava para todos ali, ao lado, sentirem o calor que o filho de Apolo emanava apenas com sua concentração. E então, ele abriu seus olhos e ativou sua magia.

— Luz da Cura!

Grey começou a curar Damon com sua Luz da Cura. Suas feridas aos poucos foram cicatrizando de forma bem veloz. As Fúrias escaparam da Luz da Morte após alguns minutos e tentaram ir até onde eles estavam.

— Não pensem que acabou! – Damon escutou assim como os demais e olhou para trás.

Assim que Megera veio para atacar com seus quatro tentáculos à toda velocidade, percebeu-se entre os Dez Apóstolos que uma pessoa bem orgulhosa, com cabelinho volumoso e loiro sumiu dali faz uns dois segundos...

— Ah... ele adora isso, não é? – Chloe, ao longe com sua irmã Julie, viu a cena e deu uma risada presa ao ver que Arthur tomou a frente de todos com a Konrama assustando Megera que não pôde parar em pleno ar.

— Ciclone do Caos. – Arthur cortou o ar com a foice e um gigantesco ciclone negro se formou fazendo as três voarem para longe ao mesmo tempo.

— Parece que finalmente vou poder usar minha técnica nova...

Meade abriu as mãos, como se fossem asas e os Fios da Redenção, Shōkito começaram a se mover em uma dança circular. Eles então começaram a se unir e crescer até virarem flechas pequenas de aço puro!

As Fúrias colocaram o olho nas flechas e viram que era perigoso. Mas Meade, fechando os olhos e os abrindo depois, reuniu seu calmo reiki e lançou sua nova magia.

— Dança das Camélias...! – As pequenas flechas feitas pelos fios foram na direção das Fúrias como se Meade orquestrasse-os com suas mãos. Elas se esquivaram e deixaram as flechas se chocarem no chão.

— Ha! Que fraco!

E então a surpresa. O chão se partiu em dois apenas com o choque de todas essas pequenas flechas, num total de vinte. Esses fios são 100% desprovidos do aço mais forte do Olimpo. Se eles sozinhos já causam estrago, imagine juntos assim.

— Tsc! – Alecto estalou a língua, mas as três se livraram do buraco feito por Meade. Pelo menos ela conseguia flutuar, Tisífone usava sua águia e Megera dava um jeito de se prender nas paredes com seus afiados tentáculos

— E então, já foi tempo o suficiente, Grey...? – As Fúrias não entenderam o motivo da pergunta de Meade. Só que a ficha caiu mais cedo que o esperado.

— Sim...! – Grey deu um sorriso. A luz amarela se foi e então...

— Valeu, Grey. Agora... – Damon se levantou, totalmente curado e se virou, girando o braço – Que tal eu devolver o favor? – O garoto de olhos azuis sorria, ao centro de todos os seus companheiros.

Faltavam elas... E as Fúrias não perceberam.

— Hahahahahahahahaha!! Nove, dez ou onze, não importa. VOCÊS AINDA NÃO PODEM NOS VENCER, MALDITOS! – Alecto abriu os braços de forma bruta, com uma raiva incessante – MALDIÇÃO DE NÊMESIS!!!

— Cuidado com essa magia!

As diversas esferas negras se multiplicaram e foram com força máxima para cima dos nove, que pularam e desviaram do ataque maçante de Alecto. O que eles viram depois foi o chão totalmente corroído onde eles estavam antes

— Oblitere tudo: Canhão Genocida!

Voando com sua águia, Tisífone atacou na sequência com todos ao ar. O laser dourado foi na direção de onde Damon e os outros pararam após desviarem da Maldição de Nêmesis de Alecto. Eles novamente desviaram do ataque da Fúrias. Mas era tudo uma armadilha...

— É INÚTIL! – Alecto pulou, na retaguarda de todos. Não dava para contornar nessa velocidade...

“Era uma armadilha! Droga!”

— MORRAM!

Vários disparos na direção dos onze com a Maldição de Nêmesis foram para dentro deles. Damon protegeu Daisy, a abraçando e colocando suas costas na frente para receber todo o dano, os outros se defenderam como puderam. Mas não era preciso.

— Vai lá, Julieeee! – Gritou Chloe, apontando com o indicador para frente, como uma líder de torcida, enquanto Julie já estava preparada com sua flecha em forma de um parafuso de aço gigante.

E, como sempre, ela sem esboçar nenhuma reação, apenas proferiu o nome de sua magia.

— Rule Breaker.

A flecha avançou com uma explosão sônica incrível e chegou até o centro que dividia as Fúrias e os Dez Apóstolos. A mesma explodiu, liberando ondas eletromagnéticas fortíssimas pelo local, fazendo com que as esferas menores desaparecessem, junto com a maior.

— O que?! – Alecto não acreditou. As três Fúrias e os nove pousaram ao chão após o ataque.

— O que foi isso? – Damon soltou Daisy que andou até seu lado, enquanto todos olhavam para os lados.

— Explicação: Essa magia anula as outras técnicas usadas no momento com a explosão de ondas eletromagnéticas. – Os nove e as três observaram Chloe e Julie chegando até eles após saírem de seu cantinho de sniper.

— Ah, foi de grande ajuda! – Agradeceu Lilith, com sua foice em mãos.

— Por isso eu não tinha visto vocês ali... – Damon murmurou olhando para as idênticas irmãs nas quais só eram diferenciadas pela coloração do cabelo e dos olhos. E pelas expressões bastante opostas, é claro...

— Seus malditos! – Megera resmungou ficando cada vez mais irritada com a situação. O jogo virou. Se antes as Fúrias saíram em vantagem, agora essa vantagem havia escapado pelos dedos...

— Fique calma, Megera. Ainda não mostramos nada a eles... – Tisífone estendeu a mão e tocou em sua águia – DAIMON, LIBERTE-SE!

O grito da Fúria voltou a chamar a atenção dos onze, que observaram. A águia começou a se transformar de uma forma grotesca, produzindo... fogo! Todos os onze olharam assustados. Até que águia finalmente completou sua transformação e virou uma média fênix.

— O que?!

— I-Incrível! – Todos, exceto Damon, Brandt, Arthur e Julie demonstraram surpresa.

— Fênix Dourada. Contemplem o verdadeiro poder das Fúrias! – Tisífone demonstrou um olhar tenebroso e cortante, coisa que apenas era de Alecto e Megera até esse momento.

— Não vamos ganhar nada parados aqui. Vamos acabar com isso de uma vez por todas e-!

Uma explosão fortíssima ocorreu e interrompeu a fala de Damon. Do nada, mas do nada mesmo, eles se viram em um lugar totalmente diferente de onde estavam. Era vermelho e quente, com chão quebradiço espalhado pelo local.

E um líquido vermelho percorria as entranhas e divisas desse chão quebradiço. Todos começaram a suar de repente, finalmente percebendo onde estavam...

— C-Como viemos parar aqui?!

— Isso é fogo?! Lava?! – Chloe e os outros olhavam para baixo, tentando identificar o que era aquele estranho líquido plasmático.

— Não. É pior que isso... – Uma gota de suor escorreu pelo rosto de Damon – É Magma!


***


— Vejam, vejam! As Fúrias estão lutando com os Dez Apóstolos! Ou seriam onze...? – Falou Láquesis animada com o procedimento de seu plano.

— Dez. A mais nova ainda não faz parte deles. Pelo menos oficialmente. – Respondeu Átropos, com uma voz cerrada, também acompanhando com sua irmã.

— Não quero saber sobre oficialidade. Se ela está com eles, então são onze!

— Independente de quantos sejam, as Fúrias não vão facilitar. Não é mesmo, Láquesis? – Cloto entrou na conversa também observando com as duas, porém sem parar a confecção dos Fios do Destino.

— Claaaaaro! Tisífone e Alecto já estão usando suas melhores magias, como ordenei. Achei que ia demorar mais um pouco, então acelerei as coisas! Mas eu nunca achei que ia ser motivo de risada... Pfff!

Láquesis colocou a mão sobre a boca com intuito de prender o riso. Átropos sempre a observando com desgosto por levar tudo isso na brincadeira. Cloto apenas deu de ombros, mais interessada nos eventos seguintes...

— Bom, nisso eu concordo com você. Megera é a mais rude e sem cabeça das três. Até eu usaria esse método seu.

— Olha sóóóóóó, Átropos concordando comigo! Cloto, você viu isso, não viu!?!

— Cala a boca senão eu corto os fios de todos agora...!

Láquesis forçou um pigarro com a mão fechada sobre a boca e continuou.

— E ela não perdeu só um braço, como perdeu os dois! Hihihihi. Está tudo perfeito! Isso é divertido demais!! – Láquesis colocou as mãos na barriga e se inclinou, rindo.

— Perder os dois braços foi bem inesperado para ela. Mas ainda assim, ela é a única que não mostrou sua melhor técnica. – Afirmou Cloto.

— Isso deve ser óbvio, irmã. Sem os braços como ela usaria?!

— Eu não acho que seja isso.

— Hm?! – Láquesis ficou em dúvida. Cloto a olhou por um tempo e prosseguiu.

— Ela não tem os dois braços, mas ainda tem os quatro tentáculos.

— Ooooh, é verdade! Não tinha pensado nisso! Hehehe!

— Então, ela não necessita dos braços para tal? – Átropos fez sua pergunta, aparentemente curiosa.

— Tá curiosa, é?! – Átropos se segurou e deu de ombros à provocação de sua irmã, Láquesis.

— Isso foi apenas uma suposição, quem sabe. Por que não testa, Láquesis?

— Hm, isso seria...

— Mas você não é dona do destino de todos? – Agora foi Átropos quem jogou sua provocação – Devia ter premeditado isso desde o começo, ou estou enganada?

Cloto deu uma risada.

— Mas aí é que está! Certas coisas que euzinha premeditei para acontecer simplesmente não aconteceram ou ocorreram de forma diferente, contornando o destino! – Resmungou Láquesis, furiosa.

— ...

— Clotooo, você deve saber de algo, não é?! – Láquesis direcionou seu olhar para Cloto que apenas riu.

— Não se preocupem com os detalhes. Apenas apreciem o show.

— Já entendi. Você não quer nos contar, não é?! – Láquesis tentava fazer ela contar de uma forma ou outra. Mas era inútil. Cloto não ia atrás quando tomava uma decisão. Por nada.

— O fato é que isso está deveras divertido. O inesperado é sempre a melhor coisa a se testemunhar.

Láquesis e até Átropos sabiam, ou ao menos duvidavam.

Cloto estava envolvida.

Até onde ou com o que, elas não sabiam dizer. Por isso não faziam nenhuma acusação. Sem provas ou fundamentos, não poderiam nem começar a discutir com ela. Mas que ela sabia de algo, de alguma forma...

— Você bloqueou a memória das habilidades secretas das Fúrias...

— Hahahahaha, você realmente me entende, diferente dessa mesquinha aqui! – Láquesis respondeu a afirmação de Cloto, de forma engraçada.

— O que?

— Me diga irmã. O que você faria se eles nos alcançassem?! – Láquesis faria de tudo para descobrir o que Cloto escondia, e então, apelava para todas as maneiras.

— Hm?

“Na mosca!”, pensou ela, vendo que aquela pergunta a interessava.

— Digo, se eles passarem pelas Fúrias vão chegar às Plêiades. Elas abrem a passagem para cá, né?

— As filhas de Pleione não cederão facilmente. Ainda falta muito para eles. – Cloto respondeu com calma. – Mas sabe? Eu sinto que coisas inesperadas vão acontecer a partir de agora.

Láquesis e Átropos voltaram suas atenções para a batalha. Cloto deu um leve sorriso.

— E o desfecho será...


[O mistério cresce cada vez mais e Cloto já sabe...]

[Sem opções, a batalha derradeira contra as Fúrias se inicia!! Poderão os Dez Apóstolos superarem esse novo obstáculo?!]


Continua no 59º Mito: "Genkai"

Por Sora | 19/03/18 às 10:03 | Ação, Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Brasileira, Magia, Drama, Comédia, Shounen