CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
81º Mito - Palácio dos Destinos

Epopeia do Fim (EDF)

81º Mito - Palácio dos Destinos

Autor: Sora

Dante e Dirk...

Esses são os dois mais fortes dos Imperadores da Escuridão, fora o líder, Keith. Se fôssemos colocar em um ranking, teríamos Miles como o mais fraco.

Iris viria logo em seguida, precedido por seu companheiro de dupla, Leon – os adversários de Julie com Chloe e Brandt, respectivamente bem no começo da Ilha da Criação.

Em seguida, teríamos Bluebell e Hazel, quase que empatadas. Se bem que, Hazel é mais forte que a primeira, a mesma confirmou isso para Elaine.

E, então, vem esses dois, os últimos, Dirk e Dante. Eles ainda não demonstraram totalmente seus poderes, Dirk apenas jogou Damon contra a parede nas Ruínas do Esquecimento, mesmo assim, sendo um golpe rápido que o filho de Zeus não percebeu.

Dante apenas usou sua balestra, a sua arma, duas vezes. Poder de terra com os meteoritos e depois de vento, com o vendaval para fuga.

— Quer dizer que só faltam esses três então... – Damon murmurou, olhando para os dois, que já haviam percebido os doze.

— Somos oito no total. Eu, Leon, Iris, Miles, Hazel, Dirk, Dante e Keith. Há também divisões entre esses oito. – Disse Bluebell.

— Como assim? – Elaine perguntou.

— Oito é um número perfeito. Ou seja, quatro de nós somos das linhas mais fortes e os outros quartos são os menos fortes.

— Seria difícil falar mais fracos, afinal nenhum de vocês chega ao nível de serem fracos. – Meade complementou, olhando para a porta gigante.

—Até as Górgonas não são para o nível deles... – Falou Chloe.

— Desses dois subgrupos, o grupo dos "menos fortes" já se foi. Miles, Leon, Iris e eu...

— Você?! – Elaine perguntou, surpresa.

— Então os quatro mais fortes...

— Sim. – Bluebell respondeu Damon, antes que ele concluísse – Hazel, Dante, Dirk e Keith. Sua irmã Daisy derrotou um dos quatro, Hazel... mas, comparados a Hazel, o nível desses dois está fora de cogitação. Ela é a menos forte dos mais fortes.

Assim que Bluebell acabou de falar, os doze desceram e chegaram ao hall inicial da entrada do Palácio dos Destinos.

— Quem diria que você se uniria a eles, Bluebell... – Dirk falou, com um sorriso confiante. Dante seguia em silêncio

— Esperem! Eu não quero lutar com vocês! Eu sei uma maneira de salvar o Keith!

— O que? Ninguém precisa ser salvo aqui. – Dirk rebateu, prendendo uma risada.

— Você sabe que sim! Você sabe que Keith não é o mesmo de antes. 

— Você nunca sabe o que diz, né...? – O garoto de cabelo roxo-escuro colocou a mão na cabeça e a balançou negativamente.

— O que?! Eu-!

— Pare. – Damon colocou a mão no ombro de Bluebell, que o olhou – Palavras não serão suficientes. Vamos ter que passar à força...! – Ele sorriu.

— Tente...! – Dirk tirou da manga as suas correntes, presas em seus pulsos – Vou acabar com vocês com a Zetsubari!

Damon teve um déjà-vu ruim, sentindo um frio na barriga assim que viu as correntes de Dirk e finalmente seu nome foi revelado.

Zetsubari, do japonês, a união das palavras ‘Zetsubō’ (desespero) e ‘Kusari’ (correntes). As Correntes do Desespero.

— Você é aquele que me arremessou nas ruínas! – Damon lembrou da cena mesmo, o momento em que Dirk o prendeu pelas suas correntes e o jogou com força na parede.

— Sério?!  

— Claro que é! Aquilo doeu! – O garoto fez uma cara de irritado, de forma engraçada. Dirk prendeu uma risada.

— Ahaha! Minhas sinceras desculpas. Não fiz por mal!

— Então vamos tratar de devolver o favor...! – A sobrancelha de Damon se ergueu e ele tinha um sorriso amargo no rosto. Porém...

— Esperem. – Todos olharam para Bluebell, que ergueu o braço e o colocou à frente de Damon – Eu me encarrego de cuidar desses dois. 

— Hã?! – Dirk arregalou os olhos com um sorriso desconcertado, tentando acreditar no que escutou.

— Do que está falando?! Até mesmo você-!

— Eu sei! – Bluebell olhou convicta para Damon, antecipando o que ele iria falar e tomou a frente dos outros onze.

“Esse olhar...”, Damon olhou com um semblante sério para Bluebell, que quando falou com ele, estava com um sorriso puro em seu rosto e um olhar confiante e decidido.

— Eu vou arranjar um tempo para vocês. Mas precisam ser rápidos! Eles são muito fortes, não sei até quando irei aguentar...

— Bellzinha...!

— Você sozinha contra nós dois?! Não me faça rir, Bluebell! – Dirk exclamou, com um sorriso maligno e assustador, seus olhos estavam arregalados.

— Então não ria, Dirk. Sabe que estou falando sério. – Ela olhou para trás e pegou seu gigantesco martelo, o girando e o parando do seu lado – Vão!

— É sério isso...?! – Grey não estava acreditando.

Bluebell não era da linha dos mais fortes, como a mesma disse, e mesmo assim enfrentaria Dirk e Dante, os dois mais fortes antes de Keith. Isso era...

— Loucura demais...! – Chloe murmurou para si mesma.

— Vê se segue a gente. – Damon falou e Bluebell deu um sorriso. Os onze começaram a avançar simultaneamente – Se preparem! Iremos entrar!

— Vocês não vão. – Dante apontou sua balestra para os onze, mas Bluebell chegou rápido com seu martelo e o interrompeu, com um ataque, fazendo o mesmo pular para trás.

— Sim, eles vão. 

— Tsc! 

— Queda de Gravidade! – Dante e Dirk de repente tombaram no chão e foram pressionados pela magia dela – Agora!

A gigantesca porta já estava aberta, então foi mais fácil prosseguir. Mas, como esses Dez Apóstolos são uns brutos, eles abriram ela como se fosse uma porta de aço ultra resistente.

Um por um, os onze passaram pela porta que se fechava lentamente após ser novamente aberta. Porém, uma pessoa parou de costas e ficou do outro lado, o lado da entrada. Grey olhou para trás e percebeu que era Elaine.

— O que?! – Damon também parou, assim como os outros e olhou.

— Elaine! – Grey gritou, mas a garota de cabelo azul seguiu de costas, enquanto a porta se fechava...

— Eu vou ajudar a Bellzinha. Sigam em frente!

— Mas-! – Grey parou de falar e olhou Elaine, sorrindo para ele.

— Até mais, Grey, pessoal. Iremos logo em seguida!

O portão se fechou completamente, deixando Elaine e Bluebell juntas para enfrentarem Dirk e Dante, logo após ela falar. Grey tentou bater ou abrir a porta, mas nada adiantava. Ele estava ainda sem forças por ter usado a Genkai e se cansou mais um pouco no Grande Abismo.

— Merda! Sempre agindo sem pensar...! – Ele reclamou, cerrando os punhos.

— Eu sei como se sente, mas agora só resta seguir em frente. Apenas confie nelas.  – Damon disse e Grey se virou, o olhando.

— Eu sei disso...! – Ele e os outros seguiram pelo caminho, que dava em outra pequena porta, sem delongas ou lamentações.

“Apenas voltem vivas...!”, ele pensou, torcendo para que o pior não ocorresse.

E agora, a batalha...

Dante e Dirk depois de muito forçar, conseguiram se livrar da magia de Bluebell. Ela deu um recuo no reflexo e Dante mirou nela na mesma hora com sua Balestra do Céu e da Terra, Tenchibashi.

— Elemento Agua: Dragão de Água!

Com o tiro, um grande dragão saiu em disparada na direção de Bluebell com grande velocidade. Quando não havia mais escapatória, Elaine apareceu rapidamente e cortou o dragão ao meio com sua Lâmina da Lua. O golpe durou uns 6 segundos até Elaine vencer a disputa e uma pequena chuva artificial molhaer todo o local e os quatro.

— Elaine?! O que está fazendo aqui?! Era pra você ir com eles! – Bluebell, com os olhos arregalados, quase gritou.

— Desculpe, Bellzinha. Eu não suportaria deixar uma amiga lutando sozinha. – Bluebell ficou em silêncio ao ver o sorriso de Elaine, que a chamou de amiga novamente e depois deu uma risada.

— Francamente... você é a melhor! – As duas se prepararam, uma ao lado da outra. Pela primeira vez, Elaine e Bluebell, que uma vez se enfrentaram, agora lutariam juntas.

— Ela cortou sua técnica, Dante. Vai deixar assim? – Dirk perguntou, com um tom sarcástico.

— Não se preocupe. Vamos acabar logo com isso e ir atrás dos outros. – Dante se levantou do chão, antes de joelhos quando atirou a magia de água de sua balestra.

— Vocês não vão passar daqui facilmente. Vamos acabar com vocês primeiro e depois prosseguir! – Elaine bradou, com uma voz e uma expressão séria até demais, coisa jamais vista.

— Venham, cordeirinhos sem salvação...! – Dirk abriu seus braços e preparou suas correntes...

 

***

 

Do Monte Olimpo, Zeus e Atena observavam a batalha que seria travada entre Elaine e Bluebell contra Dirk e Dante, da Piscina da Vidência, como tem sido desde o começo dessa enorme missão...

— Elaine e Bluebell, uma dupla movida pelo destino. O que você acha disso, pai? – Perguntou Atena, sem tirar os olhos da piscina.

— Hm... – Zeus coçou a barba – Será uma boa batalha, como as outras. 

— Essas duas se conhecem bem, pois já se enfrentaram uma vez. Já os oponentes... – Atena semicerrou os olhos, de forma preocupada.

— São mais fortes que os anteriores. Não será fácil.

— Eles, junto do líder Keith, são os mais fortes Imperadores da Escuridão. – A deusa prosseguiu – Dirk e Dante. Não vai ser fácil derrotá-los realmente. 

— É capaz que elas nem derrotem...

— Pai! 

— É apenas a verdade. A não ser que... – Zeus fez uma pausa e olhou fixamente para Elaine.

— Sim, Elaine ainda não usou. Seus dois trunfos...

Enquanto isso, no Panteão do Sol e da Lua, a deusa Ártemis estava sentada em uma pedra no seu bosque, enquanto a maioria dos animais dali se deitavam e descansavam ao seu redor.

Ele olhou para o céu, que já estava começando a escurecer e fechou seus olhos, se lembrando de momentos antes dos Dez Apóstolos partirem para a Ilha da Criação...

...

— Elaine. – Chamou a deusa, quando viu Elaine se dirigindo para seu quarto, para descansar.

— O que foi, mãe? – Ela virou e a deusa deu um leve sorriso.

— Como está seu olho esquerdo?

— Ah, ainda sinto umas pontadas. Mas está bem melhor agora. – Elaine tocou no seu tapa-olho que escondia parcialmente a grande e profunda ferida provocada por Bluebell na batalha da Criméia.

— Entendi... ei, lembra daquela conversa que tivemos durante seu treinamento?

— Qual? Aquela das fases da lua?

— Sim, essa mesmo.

— O que tem ela? – As duas se olharam por um tempo, até que Ártemis apontou para a lua cheia do lado de fora. Elaine desceu para ver e se surpreendeu.

— Incrível...!

A lua estava brilhando mais do que nunca, e estava enorme! Elaine ficou boquiaberta e arregalou seu olho assim que viu. Vendo a surpresa dela, Ártemis explicou.

— Esse é o fenômeno da Superlua.

A Superlua, o fenômeno onde o satélite se encontra próxima ao seu perigeu, graças a sua órbita aproximadamente elíptica.

Assim, estando muito mais próxima da Terra, apresenta-se com diâmetro angular cerca de 5,5% maior e 11,3% mais brilhante que a lua cheia normal.

Como o perigeu não permanece no mesmo ponto por muito tempo, as Superluas podem ser sensivelmente maiores do que outras, diferenciando seu tamanho e seu brilho aparente, como acontecia agora.

— Lembra sobre o que eu falei? – Ártemis perguntou – Que você podia transformar sua magia, graças à pequena parte de magia solar que você tem?

— Sim, lembro. Daí a minha magia da Lua de Sangue, não é?

— Exato. Mas, pense. A lua de sangue não é uma fase da lua, mas sim, uma transformação. Isso é o que todos dizem.

— Mãe...?

— Mas, como Deusa da Lua, eu digo que isso está errado. – Ártemis deu um outro sorriso – Mesmo que seja atípico, a lua de sangue, assim como a Superlua, também são suas fases naturais.

— Bom, vendo por esse lado... mas, por que está dizendo isso?

— Ora, minha filha, você é boba?! – O sorriso de Ártemis fez Elaine ficar em êxtase. E então, a ficha caiu.

— Não me diga que...!

— Sim. Finalmente entendeu. – Elaine olhou para suas mãos – Sua...

 

...

 

“Você consegue. Eu sei que consegue...”

Ártemis sorriu e olhou para a lua, que começava a tomar mais brilho no céu que escurecia lentamente...

 

***

 

— Zetsubari...! – Dirk preparou as suas correntes, presas aos seus pulsos. Elas ficaram cobertas por uma chama roxa após isso.

— Cuidado, Elaine. Não toque de maneira nenhuma nessas correntes. – Bluebell segurou seu gigante martelo com as duas mãos, enquanto Elaine preparou sua lâmina.

— Por que...?

— Essas chamas vêm de sua magia, as Correntes Amaldiçoadas. Se você tocar naquilo, a parte de seu corpo vai necrosar e por fim se deteriorar, como um ácido. É o único ataque que Dirk usa para vencer suas batalhas... – E estava na cara o porquê.

— Então, vamos ambas tomar cuidado... – Elaine deu um sorriso de escárnio, e uma gota de suor caiu por seu rosto.

— Deixe elas comigo, Dante! – Ele deu dois passos à frente, Dante deu de ombros e apenas observou – E então, cordeirinhos, estão prontos?!

“Ele não pode pelo menos colocar no feminino...?”, Elaine se perguntou, com uma expressão engraçada.

— Lá vem ele...!

Bluebell e Elaine entraram em posição de defesa e Dirk com um impulso forte chegou na frente da segunda rapidamente. Ele jogou suas correntes para frente e a filha de Ártemis desviou no reflexo puro.

Dirk riu e voltou a ataca-la, rapidamente. Elaine não teve tempo de esquivar, mas o garoto acabou tombando com força no chão, abrindo um buraco pequeno no mesmo. Ele estalou a língua.

— Ele é muito rápido...! – Elaine aproveitou a Queda de Gravidade que Bluebell usou para o parar e recuou. Porém, Dirk mandou um olhar cortante para Bluebell que hesitou.

— Muito bem...! – Ele murmurou.

— Gh...! – Bluebell tentou manter a força para não deixar ele se levantar, mas foi inútil. Dirk venceu facilmente a magia de Bluebell mais uma vez.

— Me pegaram desprevenido de novo, mas dá próxima não vão escapar...! – Agora ele estava com uma aura sinistra, sem sorriso e com um olhar perigoso.

— Saia da frente. – Porém, pior que a dele, uma voz sombria ecoou, fazendo a espinha de todos congelarem na mesma hora, até a de Dirk.

— O qu-?!

— Elemento Fogo... – Antes que Dirk pudesse completar, Dante apontou sua Balestra do Céu e da Terra, Tenchibashi, para as duas garotas.

— Elaine! – Bluebell gritou para ela.

Fogo Infernal.

— Se abai-!

Uma explosão de fogo superpoderosa, que iluminou tudo e fez desaparecer na mesma hora foi atirada, sem dar chances para Bluebell completar seu aviso desesperado.

Não havia escapatória, e como resultado do poderoso ataque de Dante, várias rodelas se formaram e iluminaram o local com um laranja cintilante.

— Eu disse que cuidava delas sozinho! – Dirk reclamou, olhando para seu companheiro, voltando ao habitual.

— Cale a boca. Não podemos perder tempo.

— Tsc! Vamos ver se restou algo delas então! – Dirk fez beiço, ainda irritado. Dante o seguiu.

As duas não estavam mais ali fora, porém...

— Elaine... – Bluebell abriu seus olhos em meio à densa fumaça negra e olhou para os lados, procurando Elaine – Ei, Elaine...?!

— Bellzinha, você está bem...?!

Bluebell escutou a fraca voz e olhou para sua esquerda, quando viu Elaine encostada em uma parede.

A gigantesca porta foi pulverizada com a magia de Dante e elas estavam dentro de um local fechado que dava em outra porta menor atrás das duas, por onde os outros seguiram em frente.

Ambas estavam com algumas partes das roupas rasgadas pelo fogo, mas não era muito. E a mão esquerda, tanto dorso como palma de Elaine, estava parcialmente queimada.

— Elaine, sua mão esquerda! 

— Ah, isso aqui? – Ela agora tinha dificuldades para fechar a mão – Não é grande coisa. No mínimo vai limitar meus movimentos. – Deu um leve sorriso, acalmando sua amiga.

As duas estavam bastante suadas pelo calor, era como se estivessem aos arredores de um vulcão em atividade. A respiração era limitada e o ar abafado e quente fazia elas suarem, perdendo líquido, o que poderia ser um problema...

— Mais importante... – As duas olharam para frente, a porta pulverizada e o local fechado onde estavam – Isso foi forte...

Bluebell arregalou os olhos. Com a densa fumaça se esvaindo de pouco em pouco, ela pôde ver melhor o local. Haviam alguns pilares nas bordas, perto das paredes e Elaine estava encostada em um desses.

A sala era grande, apesar de ser circular, o que poderia ser confundido com um ringue. Ela era ainda maior que a entrada onde estavam.

— Não podemos deixar eles passarem... – Disse Bluebell, tentando se levantar.

— Vamos matar vocês primeiro! – Simplesmente do nada, Dirk estava atrás de Bluebell. Ele a amarrou na corrente antes que ela tentasse alguma reação, girou e a jogou longe.

— Bellzinha! – Bluebell bateu com força em um dos pilares e sangue saiu de sua boca. Ainda assim, ela parou em pé com alguma dificuldade.

— Morra!

Dirk apareceu na frente de Bluebell de novo, em um piscar de olhos. Suas correntes estavam novamente com as chamas roxas, o que fez Bluebell ver o fim em sua frente, porém Elaine veio por trás rapidamente e o atacou, sem sucesso, mas fazendo o garoto desviar e recuar.

— Sua...!

— Elaine...

— Vamos ter que lutar com toda nossa força. Não podemos perder aqui! – Bluebell acenou positivamente e se ergue novamente.

— Vocês não podem ganhar...! – Dirk deu um sorriso e Bluebell girou o martelo, voltando a entrar em posição de combate. Mas ainda faltava alguém...


[A grande batalha se iniciou!!]

[Movidas por objetivos diferentes, porém idênticos, as garotas antes adversárias se unem para enfrentar Dirk e Dante!!]


Continua no 82º Mito - "Olho da Imperatriz"

Por Sora | 17/04/18 às 10:36 | Ação, Aventura, Fantasia, Sobrenatural, Romance, Brasileira, Magia, Drama, Comédia, Shounen