CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 7.1 - Somos todos um

Fallen Angels (FA)

Capítulo 7.1 - Somos todos um

Somos todos um, foi com essa frase simples, mas cheia de significado, que Alfai conseguiu destravar meu dom de ver através dos olhos de qualquer ser humano, na Terra. Com o tempo, poderei expandir meu campo de visão para outras regiões na galáxia, mas isso vai demorar muito. O fato é que, no contexto do início da resistência, esse dom, mesmo limitado, foi de grande ajuda para nós.

Conheci Alfai no mesmo dia em que fui sequestrado pela GDM. Soldados da PSF estavam me levando para São Thomé das Letras, em Minas Gerais, mas o comboio foi interceptado por um grupo rebelde. Eles agiram muito rápido, o que me deixou impressionado, por isso, quando as tropas de Tyran chegaram ao local, só encontraram corpos e veículos avariados. Tyran questionou o fato de que a PSF preferiu seguir por terra, ao invés de utilizar as naves, mas aceitou a explicação de um general, que disse que não havia motivo para tomar muita precaução no meu transporte, já que, até onde sabiam, nenhum grupo rebelde tinha conhecimento da minha existência ou mesmo daquela viagem que estávamos fazendo. A verdade é que os infiltrados da GDM armaram tudo, junto com Alfai e Megara.

Por um mês fiquei na fortaleza de Alfai, onde muitos dos meus dons foram despertados, com a ajuda do líder da GDM. Alfai tem uma conexão muito forte com os Etéreos, os Espíritos, como ele gosta de se referir a eles. Acredito que Alfai carrega em seu DNA o potencial da classe de videntes, mas ainda se passarão muitos milênios até que os terráqueos cheguem a essa fase, em sua evolução.

Após despertar meus dons, e passar por um treinamento básico, com Alfai, fui designado para auxiliar Megara, na célula do Bruno. Nunca me senti tão feliz em ver uma comandante barkarian, a minha comandante.

— Peço desculpas, por não ter te dado o devido apoio, quando avisou aos comandantes sobre o nosso futuro, Órion! — Megara me disse, enquanto me abraçava.

— Não foi culpa sua. — Megara suspirou.

— Precisamos entrar em contato com Utar. — A comandante me olhou nos olhos, enquanto falava.

— Ainda não consigo me conectar com pessoas fora da Terra.

— Quando acha que essa conexão será possível?

— Quando o Cosmos permitir, minha comandante. — Megara ficou preocupada.

— Bem, então, até lá, vamos ter que nos virar sozinhos, por aqui. — Megara olhou para dois jovens, que conversavam enquanto se aproximavam da sala de monitoramento. — ALICE... RAFAEL! VENHAM AQUI. — Megara olhou para mim. — Alice ainda é uma infiltrada e Rafael serviu à PSF por um tempo, mas seus serviços, agora, são mais úteis aqui, na base — disse a comandante, enquanto o casal se aproximava.

— Sim, Megara!

— Rafael, esse é Órion, um vidente barkarian. Vocês são responsáveis pela segurança dele.

Rafael e Alice foram meus aliados mais próximos, desde então. Com o tempo, surgiu entre nós uma forte amizade.

Em poucos meses, Megara assumiu sua própria célula da GDM, sempre contando com a experiência do Bruno. Quando a guerra começou, Megara quis ser a primeira a atacar, e ela deixou um recado muito claro para Tyran. A comandante evacuou e destruiu uma das naves mães que estavam sobre o Oceano. A partir disso, todos os dias, as mídias compartilhavam notícias sobre a líder dos Anjos Caídos, que queria corromper toda a humanidade.

O rosto de Megara passou a ser temido por muitos e ela parou de usar as lentes negras, deixando que seus olhos zaruk brilhassem intensamente. Eu não seguiria outro comandante, na Terra, no Espaço ou mesmo em Barkar. 

Por FranHDC | 16/06/19 às 09:51 | Ação, Fantasia, Ficção Cientifica