CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 02 - Primeiro Teste

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 02 - Primeiro Teste

Autor: Amnésia

Sendo conduzidos por um corredor apertado e longo, a turma de quase 30 jovens passou um atrás do outro com Lau conduzindo a frente, atrás dele o arrogante Garp de peito estufado e com um olhar de desdém para todos atrás dele.

O pior cenário de todos era deixar Garp a frente com seu olhar desprezador carregando uma fila de novatos, isso foi exatamente como os anos anteriores.

Melina encarava quase de cabeça baixa no meio da fila, mas, ainda assim, xingando todos os antepassados de Garp com total determinação, se palavras matassem, Garp estaria com mil agulhas enfiados em sua alma agora.

No final da fila o jovem que vinha distraído olhando para o corredor, seus olhos percorriam o material, feito de madeira, era um dos poucos setores que foi construído por cultivadores de ferro, mas ele tinha certeza de que onde pisava era madeira.

No começo da fila, Lau deu um sorriso orgulhoso por alguém estar olhando tão atentamente para a sua volta, porque era ali que começaria o teste deles.

- Muito a frente chegaremos onde pode se dizer a estrutura principal da nossa Seita, o salão principal é chamado assim por abrigar todas as cem turmas de cultivadores, todas elas sendo novatas, assim como vocês, outros também procuram seus futuros aqui, então não tentem parecer patéticos….

As cabeças se abaixaram em uníssono concordando com Lau, mas Fukai continuava olhando para as paredes, seu sendo de perigo alertava a cada que dava a frente, algo muito errado estava acontecendo ali.

Seu braço tremeu quando parou e olhou para o chão, um curto tremor que só ele sentiu, um tremor e um barulho que só ele e Lau puderam sentir, e nisso o professor ficou surpreso, pois esse era o marco do teste.

- Aproveitem a estadia, pequenos heróis….

Todos levantaram a cabeça vendo o sorriso cruel de Lau crescer, e ele desaparecer em fumaças na mesma hora, a boca de todo mundo ficou aberta se sentindo especial por ver uma técnica de movimentação tão alarmante e nem mesmo se perguntaram o que estava para acontecer.

Melina olhou para as paredes e ela ficou indignada, estando quase 20 minutos andando, como não tinha reparado que as paredes estavam encurtando e quase os espremendo? Por que não tinha reparado?

Seria a aura maçante de Lau que a deixou cega? Não, impossível de ser isso, ela já esteve na presença de tantos cultivadores grandes, não se sentiria intimidada por apenas isso?

Sem precisar de um motivo por ter sido cega em meio a uma grande confusão, ela empurrou o garoto da frente e sacou sua espada na mesma hora.

- Não.... - Fukai gritou, mas era tarde demais..

Melina bateu sua lâmina na parede fazendo uma barreira protetora ondular por dois centímetros e parar, todos olharam para aquilo como se tivessem visto uma cena de horror pois no momento seguinte a parede explodiu fazendo a pressão do ataque voltar para cima de Melina com uma explosão e fumaça.

Passando a mão na parede, Fukai recuou dois passos antes de inalar a fumaça, o perigo estava em todo o lugar.

- Veneno de sono, parasita cerebral?

Um dos poucos venenos que continham um parasita capaz de fazer qualquer um dormir e perder a consciência por mais de duas semanas direto, tudo isso inalando uma quantidade de veneno suficiente para tapar um dos pulmões.

Ao seu lado as paredes estavam encurtando e quase os espremendo e acima havia o veneno. Fukai recuou vendo mais e mais garotos caindo no chão com sono, mas não se desesperou, afinal aquilo era um teste, Lau nunca disse que o teste seria no salão principal.

Estando dez passos para trás, Fukai levou a mão peito e uma listra laranja cresceu em sua palma, com um pouco de esforço, ele levou a mão ao chão e um símbolo se espalhou rapidamente fazendo o chão tremer.

Melina saltou para trás ficando a frente de Fukai tapando suas narinas e quase caindo, logo após ela Garp e mais dez jovens se afastaram do veneno.

- Parabéns, garota. - Garp cuspiu as palavras. - Parece que vamos ficar por aqui mesmo, olhe o que você fez.

- Cale-se, pelo menos eu fiz alguma coisa, você ficou com a boca aberta como se fosse um cone e não fez nada. - Melina rebateu com raiva, ela guardou sua espada de volta e expirou tentando puxar o veneno de dentro do corpo.

Fukai estava agachando ainda com suas mãos no solo com um selo crescendo cada vez mais, listras negras expandiram pelo chão e paredes rapidamente.

- O que está fazendo? - Melina se virou vendo o selo saindo de sua mão, mas não ficou surpresa, cultivadores que utilizavam selos também já haviam sido expostos para ela em sua família, mas a concentração que Fukai utilizava, isso sim era algo que ela não viu.

- As paredes são feitas de ferro, estão protegidas por algum tipo de barreira feita por cultivadores venenosos, se não entenderam ainda, o teste que Lau disse já começou. - Ele falou tentando manter a concentração.

Garp virou sua cabeça para trás e bufou.

- Alguém que se acha muito tentando dar uma de herói, o que esse selo tem de especial, pivete?

Fukai abriu seus olhos encarando Garp. O desdém de Garp contra um olhar frio de Fukai.

- Ela sela a profunda energia de um lugar por dois minutos, se quiser passar na primeira prova de Lau, então comece a usar essa sua força para o chão e não para as pessoas.

Selos geralmente eram utilizados para deixar algo incapacitado por períodos de tempo, mas também serviam para atacar e se defender quando o perigo estava perto, Fukai cresceu em uma família que tinha o principal meio selamentos e desde pequeno aprendeu isso.

Com 16 anos agora, ele estava começando a aprender os selamentos a base de energia, e por sorte, aquela energia a sua volta era toda uma fonte para sua própria força. Dois minutos? Esqueça, ele podia ficar ali por mais de 4 horas e sua energia só cairia dez por cento.

- Bater no chão, por quê? - Melina girou seu corpo para ele franzindo o cenho.

- O chão é feito de terra, pedras e minerais fracos, as paredes são feitas de ferro e cobre, acha que consegue cortar a energia, ferro e cobre com um ataque só? - Fukai não conseguiu deixar a ação de Melina de atacar a barreira de lado. - Se quiserem passar por isso, ataque o chão com tudo o que tem, só assim poderemos passar desse inferno.

Garp resmungou puxando o porrete, mas assentiu em seu coração, o garoto era esperto. Saltou para frente e com toda a sua força atacou fazendo o chão tremer, a força em si fez o ar ser arremessado para longe levando o veneno junto, aumentando sua moral depois do ataque, ele fez mais uma vez.

Na Cabine de visita do instituto….

Lau apareceu de dentro de uma fumaça carregando um bastão em sua mão, ele se apoiava um pouco no bastão e tinha um rosto sério. Seu manto negro balançava no chão e caminhava a frente como se estivesse voando.

Na cabine havia arquibancadas que eram dadas por todos os maiores pilares do instituto, os Elders e o diretor todos estavam presentes. Feitas das melhores pedras lisas, os assentos eram todos comuns e não havia nada exuberante para ninguém, nem mesmo para o diretor.

Indo até a parte central da arquibancada, Lau abaixou a cabeça para o homem que estava sozinho assistindo a situação nos andares de baixo.

- Lau cumprimenta o diretor Marer da Seita.

Marer deu um sorriso de lado e abanou a mão.

- Não fale com tanta formalidade, Lau. - E bateu da pedra ao seu lado. - Venha, sente-se.

Lau saltou passando pelas duas primeiras fileiras de pedras e chegou ao lado do homem careca com uma barba lisa que escorria até o pescoço, ele era simples, uma túnica branca cortada na cintura e carregava um sorriso no rosto sempre.

O homem simples era Marer Gaufeng, primo de Lau e também diretor do instituto Darey Mason. Ambos tinham quase a mesma idade, mas não eram irmãos de sangue, compartilhavam um grande poder do nível dez do Reino Sol Nascente e eram os maiores cultivadores em atividade presente na Seita Calton.

- E então. - Marer falou assistindo um grupo de jovens cultivadores enfrentarem uma besta de Rank-2 e estarem sendo massacrados. - Como é sua turma?

Lau balançou as sobrancelhas, ele ouvia essa pergunta todo ano e sua reação era a mesma.

- Como todas as outras, dos trinta haviam uns 25 que eram bons, o único problema é que eles são muito afobados, um da família Salto, Sá e Ferio, o restante é todos de família única.

Diretor Marer assentiu com a cabeça e apontou para frente sorrindo.

- Olhe como eles lidam com o pequeno Chewe, estão tentando acertar ele com fogo. - E gargalhou. - Eu sempre caio em gargalhadas com essas pequenas sementes que caem para nós, Lau.

Marer respirou deixando a risada de lado e continuou:

- Como esses três são?

Lau começou a assistir as batalhas que eram testes, todas as cem turmas estavam misturadas e cada uma delas tinha cerca de trinta, mas como o esperado, apenas 13 a 15 conseguiam sair do corredor, antes de caírem na arena.

- A garota é da família Salto, tem pouco orgulho, arrogância média e possui o tesouro, aquela espada estranha que só os Salto conseguem usar. - E parou vendo um grupo de oito jovens duelarem com uma besta e levarem a pior e teve que soltar um comentário. - A família deles nunca deixou eles saírem de casa para saber que um Fureb tem que ser morto por golpes simultâneos?

Marer deu de ombros.

- A família protege muito os seus descendentes mais talentosos, não é culpa deles não saberem o básico disso. - Marer não deixou de sorrir. - Mas continue….

- O da família Ferio é um garoto com pouca energia, mas tem uma capacidade de visão e percepção meticulosa, conseguiu entender perfeitamente o corredor e também não foi abatido quando levantei a aura para oprimir os outros.

Merer concordou.

- Jovens que conseguem reunir forças para se opor às auras firmes são escassos hoje em dia, mais alguma coisa dele?

- Sua força é curta, mas não consegui ver muito por trás dele, parece usar um selo de repreensão de energia, talvez esteja no quinto estágio do Reino Vermeniano, e não tem uma espada, parece que ele quebrou treinando.

Marer riu das bestas arremessando os jovens para o alto e se virou para Lau, sua expressão de sorriso era a base de tudo, poucas eram as vezes que ele tirava aquele sorriso bobo do rosto.

- Não se preocupe, os Ferio são especialistas em Selos, espadas são muito raras na família deles, mas ele ter quebrado sua espada quer dizer que treina com ela, é sorte dele ter tantas espalhadas pelos campos de treinamentos que fizemos.

Os campos de treinamentos era o plano que estava vendo, muito ao lado deles estavam todos os Elders de alta classe e poder rindo, gargalhando e comentando sobre os novos alunos que receberam, apenas Marer estava sozinho.

- E o último?

- Família Sá, jovem robusto com um porrete, e....

Lau estava prestes a falar sobre a força de Garp quando o teto do campo de treino estalou e caiu em pedaços fazendo uma avalanche de pedras descer com uma explosão e um urro de um jovem excitado que gargalhava.

Merer levou a cabeça focando seus olhos vendo a quantidade de 15 jovens caindo do ar, e sorriu.

- Aquele é o jovem da família Sá?

- Sim. - Lau soltou um sorriso se apoiando na parede atrás de si e cruzando os braços. - A energia do corredor foi selada pelo jovem Fukai e agora Garp arremessou todo o chão para baixo.

Merer concordou observando a cena, poucos são os que conseguem quebrar a rocha abaixo com pura força, mesmo sendo uma rocha escarlate de resistência média, ainda era muito para que apenas uma pessoa de baixo nível Verminiano pudesse quebrar.

- Parece que ele herdou a força do pai dele. - Merer respirou fundo e riu. - Parece que teremos boas sementes esse ano, não acha?

Lau de braços cruzados só assentiu.

- Pelo que parece, sim.

Por Amnésia | 24/12/17 às 20:56 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação