CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 04 - Guerreiro das Orquídeas

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 04 - Guerreiro das Orquídeas

Autor: Amnésia

- Profunda Espada! - O Juiz Principal se levantou junto de todos os seus subordinados, todos eles observando cautelosos aquela aparição, ele estendeu sua visão para a espada que caiu e ficou mais surpreso ainda. - Lamina curvada.

Um dos mais próximos do Juiz principal o olhou em descrença.

- Essa não é uma arma rara que não se tem no instituto, o que ela está fazendo ali?

O Juiz principal olhou para a arquibancada onde Merer o encarava e assentiu com a cabeça, e logo fez um aceno para o lado onde Lau acenou para ele com um leve sorriso distraído sem se importar.

- Lau Gaufeng. - O Juiz disse. - Ele é um colecionador de armas curvadas, mas usa adagas em vez de espadas, parece que está disposto a dar a arma para um recém-aluno.

As bocas dos demais se abriram atrás dele, Lau Gaufeng era o superior mais severo e também o que possui uma rixa contra quase todos dentro do instituto por ser o único que possui as mais belas artes e também as mais belas armas.

Um colecionador que tem força para não ser intimidado.

- Ele está dando uma arma tão preciosa para um aluno, ela tem algum atributo além de ser curvada?

O Juiz se voltou para o céu e encarou as nuvens hesitante.

- Atributo raio e trovão, é a única espada curvada que Lau possui.

Aquelas palavras fizeram todos os subordinados do Juiz caírem de volta para suas cadeiras. Esse choque era definido pela arma e também pelo atributo. Laminas retas como de Melina eram poderosas pela sua perfuração e golpe; Porretes como o de Garp continham um excesso de força que superava qualquer outra, e as lâminas curvadas...

Essas eram chamadas de lâminas cortadoras, ou de Profundas Espadas... Elas eram capazes de cortar com total precisão, eram fortes e tinham certo atributo atribuído..

Espadas curvadas de elementos fogo e água eram as que mais continham no mundo, mesmo sendo raro encontrar uma, ainda era comum achar uma entre esses elementos. As que nunca havia sido achadas e se encontram apenas nos livros são as espaciais e também dimensionais.

Elas são as que cortam através do tempo e espaço e acertam o inimigo mesmo de longe. Entre as mais comuns e as que só haviam nos livros, todos os outros elementos como Raio, Trovão, Vento e Terra estavam entre essas duas classificações.

E ali presente para todos verem, uma espada curvada de atributo anormal e que continha dois elementos nela, uma raridade entre as raridades.. Os olhares invejosos de cultivadores sentados atrás do Juiz principal cresceram na mesma hora, eles queriam saltar dali e tentar pegar a espada para si.

Os Elders na arquibancada também tiveram desejos gananciosos quando viram aquela espada curvada encaixar no chão e os raios a sua volta começarem a estalar e rachar o chão.

Garp olhou para a espada, mas não se importou, para ele, espadas eram as armas mais fáceis de quebrar, um porrete feito da árvore mais resistente da família Sá era a arma que seus braços desejavam.

O único perto o suficiente daquilo era Fukai, ele se virou devagar observando a espada tremular a sua frente. Ele engoliu o seco e se aproximou ficando apenas um passo dela, o cabo negro ondulado por um tira roxa, um punhal seguro e uma lâmina tão cinza quanto o mais denso vapor.

Mais um passo e prendeu sua respiração.

- Você, qual o seu nome?

A voz forte ecoou em seu ouvido, apenas em seu ouvido, ele ficou assustado, conhecia a origem das espadas curvadas, e também sobre alguma delas possuírem espiritos e consciência, as almas dos guerreiros que ficaram presas na espada ainda ecoavam dentro delas.

Fukai piscou os olhos e de repente atrás da espada um enorme guerreiro apareceu, ele carregava um chapéu longo de palha por cima da cabeça, com uma palha em sua boca e uma armadura completa.

Sua cor era azul, a cor dos espíritos livres, o azul de divindade. Ele levantou sua cabeça, seus olhos eram azuis e transparente como todo o seu corpo, mas tendo um brilho dourado permanente que via todo o corpo e alma de Fukai.

Por um momento o jovem achou que estava totalmente nu a frente do espírito, pois todas as partes de seu interior e exterior foram analisadas com cuidado.

O espírito continuou encarando.

- Eu perguntei o seu nome, garoto. - A voz foi forte dessa vez, contendo um estrondo da nuvem chamando atenção de todo mundo.

- Sou... Sou Fukai Ferio, cumprimento o espírito livre. - Fukai se inclinou e levou a mão ao peito, ele não sabia o que fazer naquela situação, nunca esperou encontrar um espírito livre na vida.

- Bom, bom, sou Razam. - Ele retirou a palha dos lábios e liberou uma fumaça de dentro da boca.

- Razam, o guerreiro das Oito Orquídeas?

Com um sorriso, Razam concordou devagar.

- Então você conhece a história de milhares de anos atrás? - Razam gargalhou com orgulho. - Ser conhecido é bom, isso é ótimo, então não preciso contar sobre mim, então irei logo ao assunto.

O coração de Fukai batia mais forte, cada vez mais forte, com uma intensidade inteira, aquilo não era um sonho, era? Se fosse, ele não queria acordar nunca mais.

Uma espada curvada, o sonho de todo cultivador que cultiva a arte da espada.

- Qual a razão do senhor estar aqui, senhor Razam?

- Eu sou um espírito livre, morri a mais de cem mil anos atrás combatendo os mais diferentes monstros e bestas, cheguei ao topo do mundo mortal, virei uma divindade com duzentos anos, fui promovido ao alto comando do Deus Negro e comandei as mais diferentes raças divinas contra os inimigos.

- Sou chamado de Oito Orquídeas por causa da espada que eu usava, eu fundi totalmente meu espírito nessa arma e junto dela meus próprios elementos, o raio e o trovão, por isso sou perfeitamente livre junto dela.

Aquela era o verdadeiro Razam, o corpo de Fukai tremeu ouvindo aquilo, as histórias, os contos, a batalha que aconteceu no pináculo dos Deuses, tudo isso era verdade, era como se fosse um sonho.

- Humano eu também já fui e ordinário como qualquer outro, esse selamento de alma não me esconde sua força. - Razam riu. - Sua força chega ao sétimo nível do Reino Verminiano, e pode empunhar completamente essa espada, eu quero sentir de novo, quero sentir o que é lutar, Fukai Ferio.

Fukai se ajoelhou ao chão tremendo, ele olhava para cima com um grande respeito e total descrença.

- Acha que sou digno de empunhar sua espada, senhor...? - Fukai apontou para si. - Sou só um ordinário, nunca fui grande mesmo tendo uma espada, conceder essa espada para mim é como entregar...

- Entregar oque? - Razam mudou seu tom de voz. - Antes de você, eu tive um mestre que nunca me usou, na verdade, ele jamais me tirou de seu mundo dimensional, estava preso por mais de 800 anos, eu esperei muito tempo para ver uma batalha novamente.

Fukai estava perplexo, seus ouvidos só conseguiam ouvir a Razam e os estrondos de trovões e raios que circundavam a volta, o mundo exterior foi todo fechado, nada se mexia, todas as figuras paradas.

- Um humano qualquer, eu também já fui. - Razam esticou a mão para Fukai. - Eu darei a minha espada para você, então me mostre, Fukai Ferio, me mostre como é batalhar mais uma vez, me deixe sentir o sabor do sangue, a cor negra das bestas ser jogada, me mostre como é ser um grande guerreiro mais uma vez.

- Em troca disso, eu darei a você uma técnica minha, uma profunda técnica simples que fez até mesmo o maligno Diabo profano sofrer, ela crescerá com você, eu quero saber como é liberar meu poder depois de 800 anos.

O corpo de Fukai se levantou sozinho e ficou a par com Razam que tirou o seu chapéu de palha.

- O selo de contrato de um espírito livre, e um humano.. - Fukai falou baixinho.

- Isso mesmo, deixe eu guiar seus passos, e em troca, me chame de mestre por toda a eternidade.

Fukai não hesitou e esticou tocando a mão de Razam, o brilho azul foi todo puxado para dentro de seu corpo no mesmo instante, um raio negro bateu contra a espada e a mão de Fukai no mesmo instante ressoando por todos os lugares do instituto.

O Juiz principal de pé balançou a cabeça para os lados incrédulo, ele caiu para trás se sentando na cadeira enquanto viu aquela cena.

- Um contrato com a espada.. - Ele falou levando todos ao choque. - Um garoto de 16 anos e uma espada curvada...

Lau gargalhava tão alto que assustava todos, até mesmo Merer ficou chocado com aquilo. O peso das costas de Lau caíram no mesmo momento que soltou aquela espada.

- Lau. - Merer o olhou sério. - O que era aquela espada curvada?

- Isso é um segredo, diretor. - Lau levou a mão a boca sinalizando silêncio. - Não se deve contar segredos para os outros, se não ele deixa de ser segredo.

Merer suou frio virando a cabeça para onde Fukai ainda estava, ele colocou a mão na testa suada esperando ao bom vindo daquilo tudo. Lau nunca fez nada que estivesse fora de suas visões, o que isso significava então?

Os Elders se levantaram em descrença.

- Peguem aquele garoto, ele não pode fazer um contrato, eu quero aquela espada.

- Deixe de ser idiota, Sexto Elder. - Um deles falou. - Eu, Ju Teros, terei aquela espada curvada, eu sou o segundo Elder.

As expressões de todos ficaram abaladas, o segundo Elders era um poder abaixo do primeiro Elder e o diretor, se o primeiro Elder nada disse, então ele teria direito a espada curvada.

- Se você se mexer dessa arquibancada, Teros, eu mesmo vou acabar com você. - A voz veio de longe, ao lado do diretor, era Lau Gaufeng. - A espada curvada pertence aquele que faz o contrato, e você está como visitante hoje, olhe para um cultivador do reino Verminiano, meu aluno, empunhar uma espada curvada de dois elementos.

Ju Teros paralisou ouvindo aquilo e se sentou novamente moendo seus dentes, ele agarrou uma pedra ao lado e a transformou em pó a apertando forte.

- O primeiro Elder Lau Gaufeng realmente deixou um garoto empunhar aquela espada curvada.

- Dizem que o primeiro Elder é um colecionador de armas raras, mas usa adagas em vez de espadas, deve ser por isso que ele não quis a espada para si.

- Mas espadas são todas tão fortes, as curvadas de dois elementos são todas capazes de ultrapassar as outras, como pode ele deixar isso de lado assim tão fácil?

As questões levantadas deixaram o restante dos Elders todos confusos, conhecendo tanto a personalidade de Lau Gaufeng, isso era algo que nem mesmo eles podiam prever. O campo de treinamento também era uma área nas quais espadas podiam aparecer a qualquer momento, mas nunca achariam que uma lâmina curvada cairia do céu assim.

Era um sonho para qualquer um que a tivesse.

E desse sonho, Fukai não queria acordar de jeito nenhum.

Sua mão segurou o cabo da espada e puxou para cima, sua antiga espada pesava apenas cinco quilos, era leve para ele, essa espada curvada pesava cerca de 25 quilos, era um peso médio que ele conseguia empunhar com as duas mãos.

Fukai olhou para sua lâmina cinzenta e viu seu reflexo de forma perfeita, nenhum traço de arranhado.

- Fukai, sua espada só pode ser obtida através do contrato de força, a espada obedece ao seu mestre, você é o mestre da espada, e eu sou o seu mestre. - Razam disse de dentro da mente de Fukai. - Os olhares gananciosos, todos eles, eu os rejeitei por ver a má alma em seus corpos, rejeitei por possuírem poder para destruir.

A espada de lâmina meio curvada balançou para os lados rapidamente.

- A espada pede seu poder, derrame o que tiver para ela, a alimente com sua profunda força e sua alma, nos faça ser um só, nos faça ser invencíveis novamente.

Fukai pegou a espada com uma mão apenas e girou para o lado fazendo o ar se mexer a sua volta em uma curta onda.

- Sim, mestre!

Por Amnésia | 24/12/17 às 21:06 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação