CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 05 - Os últimos serão os primeiros

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 05 - Os últimos serão os primeiros

Autor: Amnésia

O Juiz principal ouviu a voz de Lau dizendo que qualquer um que tentasse pegar a espada seria justificado com uma pena dele próprio, aquilo deixou todos abalados, um aluno ganhando tal arma era uma enorme perda para o instituto.

A Seita Calto era uma entre várias no império Jade de Ferro, não era a melhor, mas estava entre as dez primeiras tomando a posição de número nove. Entre todas as Seitas, cada uma delas possuíam uma grande instituição e várias pequenas, e dentre as maiores havia cerca de pelo menos 4 Elders que possuíam uma lâmina curvada.

A Seita Calto era a única que não tinha com nenhum Elders, mas continuava no topo, isso era graças a família Gaufeng, a família que estava no topo e se mantinha lá sem nenhum esforço.

Merer suspirou sorrindo e olhou para baixo.

- Um aluno com uma espada curvada, isso vai ser bem difícil para todos aceitarem, Lau.

- Pouco me importa o que eles pensam. - Lua disse cuspindo cada palavra de forma alta deixando os demais que o ouviram irritados. - Profundas espadas não são escolhidas pelas pessoas, elas escolhem as pessoas, é diferente.

Merer levantou a sobrancelha surpreso.

- Quer dizer que entende sobre as armas profundas?

- Durante a viagem que fiz pelos cem anos, eu foquei estudar todas elas, não só as espadas podem ser profundas, como os machados, porretes, adagas, todas elas. - Lau explicou. - Diretor, não é força que faz da arma ser profunda, mas sim o espírito e consciência que ela tem.

- Durante anos, eu estudei como ser um portador de armas profundas, e cada arma tem sua própria maneira de selecionar a pessoa, ela pode ser uma pessoa boa, má, perversa, ou tímida, a arma irá escolher ela pela personalidade.

Merer acenou com a cabeça com uma expressão solene, ele nunca tinha pensado nisso, levou a mão ao queixo e indagou uma série de fatores, todas as vezes que ele encontrou uma espada profunda em sua vida, sempre havia um selo de contrato que dizia ter uma própria força.

Seria essa própria força a personalidade da pessoa perante a espada?

Ele não sabia, mas olhando o jovem garoto segurar a espada enquanto sua expressão era calma, aquilo lhe deu uma boa base de pensamentos. A espada teria que selecionar alguém com capacidade de empunhar a espada sem risco.

A pessoa teria que ser a reencarnação da espada.

- O nome dela, você não pode revelar, Lau? - Merer perguntou curioso.

Lau riu baixinho.

- Segredos não são segredos se eu contar!

Merer tremeu interiormente, o garoto a sua frente estava empunhando uma espada curvada de um espírito livre, o quão sortudo ele deve ser para se ter uma dessas com 16 anos?

Fukai respirou fundo e estabilizou seus batimentos, ele não queria acordar desse seu sonho, desde que começou a treinar em casa, ele sempre teve uma grande admiração por espadas, e por isso pediu seu pai para que pudesse treinar com elas mesmo sendo quase que extinta a arte da espada na família Ferio.

Todos os seus esforços foram postos com espadas que quebraram depois de alguns meses, nunca se sentiu tão triste por levar espadas quebradas para o ferreiro de seu pai, mas ali agora, seu corpo dizia que nunca mais precisaria se preocupar com isso.

- Seus sentimentos são nobres, Fukai. - Razam disse. - Sentimentos assim são bons para o contrato, agora como seu mestre, direi como lidar com cada uma dessas bestas.

- Mestre, eu tenho conhecimento sobre todas elas, eu poderia demonstrar para o senhor?

Razam gargalhou.

- Eu vejo em sua mente, você realmente estudou todas as bestas existentes no continente em que vive, Ártico Médio, isso é bom, então deixarei que me mostre o poder de um guerreiro no estágio sete Verminianio.

Fukai concordou indo a frente.

- Seu nome é Fukai, certo? - A voz veio de trás, era Garp. - Essa espada, é aquela curvada que todos querem ter?

Fukai olhou para a lâmina e concordou sorrindo.

- Essa mesma.

Garp assentiu levando o porrete para cima do ombro e tocou o nariz.

- Parabéns, mas eu ainda assim tenho mais confiança com o meu porrete do que com a sua espada. - Ele falou gargalhando orgulhosamente, seus machucados todos foram fechados, uma fato impressionante para aquele corpo.

- Obrigado, agora que está tudo bem, temos que acabar com o teste, apenas os cinquenta primeiros ficam no instituto.

- Eu sei e... - Garp abaixou a cabeça a coçando de forma envergonhada. - Obrigado por ter falado onde era o ponto fraco do Zuni.

Aquilo impressionou Fukai, ninguém nunca tinha dado um agradecimento por ele ter ajudado dessa forma. Ele concordou com a cabeça rindo.

- Não tem problema, eu espero que possa se entender com Melina também.

Quando o nome Melina foi tocado, a cara de Garp mudou, parecia que ele tinha comido algo estragado, e limpou o nariz andando para frente passando por Fukai.

- Se ela me der um pedido de desculpas, talvez eu faça isso. - E virou mostrando um sorriso determinado.

Pouco ele sabia, mas Fukai viria a ser um pilar para muita gente, até mesmo para o grande Garp.

Razam assistindo aquilo tudo do lado de dentro deu uma salva de palmas, a ação de Garp o deixou bem familiarizado com uma pessoa, e sentiu fragmentos de sua lembrança voltando.

Fukai e Garp voltaram correndo rapidamente, estavam a quase a 70 metros quando outro Zuni carregou um garoto desconhecido para longe o segurando pelas mãos, Garp recuou e Fukai deslizou pelo chão arrastando a lâmina pelo chão.

Fez um semicírculo para baixo para cima e cortou com facilidade o braço que carregava o garoto, num movimento seguinte atravessou a carne do peito do Zuni o matando na hora, direito no osso que ligava a respiração e o coração.

Um movimento preciso sem nenhum tipo de coordenação complicada, a espada fez seu trabalho e o jovem a conduziu de forma precisa, isso era até mesmo notório. Garp admirou a habilidade de corte antes de avançar e chocar seu porrete contra a cabeça do Zuni o arremessando para longe.

Quando ele pousou ao lado de Fukai deu de ombros.

- Era só pra ver se estava morto mesmo, não confio muito em espadas, os porretes são a melhor arma.

- Para forçar alguém a miséria, o porrete é muito bom mesmo. - Fukai disse voltando a correr.

Ainda em movimento, ele se focou em seu pensamento.

- Mestre, sabe me dizer a porcentagem que uma espada curvada tem para se ter um bom controle?

- Dentre as espadas curvadas, apenas algumas possuem uma quantidade para serem controladas, essa não é uma delas, depende da força de seu mestre, por isso depois que você acabar com essa arena, eu não sei onde estou, mas depois que acabar, te ensinarei o básico de controle.

Razam o respondeu, mas vendo os movimentos de combate de Fukai ele já soube como foi o treinamento completo dele. Um guerreiro que ficou vivo por milhares de anos nunca deixaria seu aprendizado escapar, tendo experiências em todos os tipos de batalhas, ele pode definir um perfeito setor para Fukai.

Melina de longe avistou os dois garotos voltando, um pouco de felicidade estava começando a aparecer. Ao seu lado, apenas um jovem continuou de pé, o restante caíram por ataques simples das bestas.

Garp não parou de atacar e levantou seu porrete em direção a Melina, a jovem assustada subiu a guarda para receber o golpe, mas Garp passou correndo urrando como um touro e acertou o lado esquerdo, a perna da besta a jogando para longe.

Com golpes consecutivos, a besta morreu pelo porrete ensanguentado.

Melina suspirou em alívio e se voltou para Fukai a sua frente.

- Para alguém que não tinha uma espada, agora você tem uma rara, isso que é sorte. - E riu deixando a espada para cima. - Ainda prefiro a minha espada lisa mil vezes, perfurar é a forma mais fácil de matar alguém.

Fukai riu dela e apontou para Garp.

- Mais fácil que aquilo ali?

A cena de Garp batendo como um louco na cabeça de Zuni era como ver um demônio se erguendo e liberando toda a sua força, o chão tremia a cada golpe, o corpo musculoso de Garp era surreal.

- Ele é um maluco sem cérebro. - Melina falou indiferente e olhou em volta. - E um louco no meio das bestas é melhor perto do que longe.

- Concordo com você. - Fukai concordou sorrindo, ele não queria acordar de seu sonho de jeito nenhum.

- Fukai. - Garp levantou o porrete e o limpou com uma virada para o lado. - Sabe o que temos que fazer para passar disso?

Melina também se virou para Fukai, os dois tinham boas impressões dele já que os ajudou duas vezes seguidas, no corredor e ali na arena.

- Se estamos em um campo de teste, então temos que fazer o máximo para acabar com as bestas, deve haver alguém contando as pessoas que ainda estão de pé e fazendo uma contagem de pontos, se só a metade pode passar, então deve haver uma separação de pontos.

Em volta deles eram poucos que estavam de pé e conseguiam combater bestas em sequência, caso utilizasse apenas a força bruta era muito difícil para que ganhasse, e se utilizassem a profunda força ainda seria cansativo.

O número de pessoas era muito menor do que as bestas.

- Então temos que combater todas elas em sequência até acabarem? - Garp perguntou observando as bestas se juntarem em um grupo de dez pessoas e atacarem com todas as suas forças.

- Eu nunca disse que elas acabam. - Fukai respondeu sério. - Esse é um campo de treino, nenhuma das pessoas a sua volta está morto, então quando se perde a vontade de lutar, elas param de atacar, elas devem ser controlados por Domadoras de bestas, então avançam com tudo, cada vez que matamos uma, eles liberam outra, eles querem que todos percam, nunca vai ter fim.

Melina bufou irritada e estalou os dedos enquanto fechou os olhos balançando a cabeça.

- Eles querem colocar medo, deve ser um campo onde todos deveriam falhar, assim contam os pontos daqueles que ficaram por último.

Garp bateu o porrete no chão mais irritado ainda.

- Eles querem que todos percam, então eu serei o último a cair, não importa como, eu serei o último.

Melina bufou e zombou dele rindo.

- Acha que só pela sua força consegue ficar aqui? Pare de sonhar.

O porrete de Garp se ergueu do solo e ele olhou pra ela de forma massiva.

- E você tem qualificações para falar alguma coisa? Essa sua espada lisa não é nada mais do que um pedaço de pano contra o meu porrete, em força, eu sou o melhor.

- Velocidade também conta como um tipo de força. - Melina também ergueu a espada, os dois se encarando com uma rivalidade totalmente deformada, ambos pareciam odiar o outro como se fosse destinado a isso.

No meio dos dois, Fukai balançava a cabeça de um lado para o outro sem dizer nada.

- Não acha melhor ambos ficarem até o fim? - Ele propôs quando o silêncio ponderou por um tempo, os dois o encararam. - Se ficarmos até o fim, então vamos conseguir os melhores pontos e recompensas, se vocês querem ser inimigos, que seja do lado de fora desse teste.

- O que quer dizer com o “lado de fora desse teste”? - Garp coçou a cabeça.

- Aqui dentro, eu quero mostrar pelo que eu vim, não quero ganhar fama, quero mostrar as minhas habilidades para os que estão me vendo, se eles contam pontos, então a forma como agir também valerá pontos, se sairmos os três para fora, então ficaremos vulneráveis a todos os lugares, mas se ficarmos, temos uma chance de sermos os últimos a cair, o que acham?

Melina e Garp se entreolharam e desviaram o rosto na mesma hora, ambos não se admitiam juntos, mas ali dentro, eles não tinham escolha a não ser colaborar porque a vida deles também dependia disso.

- O que suas famílias vão falar caso vocês não consigam nem ficar entre os dez primeiros colocados? - Fukai forçou a barra dando uma tosse no final. - Acham que ficariam felizes em ver os dois maiores talentos desperdiçados em um teste por causa de uma rivalidade boba?

Melina ficou estática, sua mãe veio a sua cabeça e ela recuou o olhar para o lado escapando das palavras de Fukai.

- Nem que eu tenha que ficar com um maluco da família Sá, eu não deixarei de completar esse teste.

Garp empinou o nariz de lado e continuou sério com seu tom orgulhoso.

- Família Salto, não vai ser por eles que eu deixarei meu pai envergonhado.

Fukai respirou em alívio enquanto apontou para o chão.

- Então vamos ser parceiros até acabar esse teste, quando o último de nós se esgotar, então poderemos ser rivais, mas não inimigos.

Melina aceitou com a cabeça e Garp aceitou olhando para longe, ambos não se olharam por nada, nunca houve amizade entre as duas famílias, não seria agora por um teste que conseguiriam se entender, foram anos de rivalidade.

- Agora vamos formar o plano de batalha! -Fukai chamou ambos para perto de si. - Vamos ser os últimos, e também os primeiros!

Por Amnésia | 24/12/17 às 21:14 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação