CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 08 - Costa Oeste

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 08 - Costa Oeste

Autor: Amnésia

O cheiro de sal estava nas narinas, o ar estava muito mais quente do que antes, as brisas eram calmas, o solo era mais fofo do que o chão duro do campo de treinamento.

Oh, o campo de treinamento..

Pensando sobre isso, Fukai levou a mão na sua cabeça, respirou fundo sentindo poucas partes do seu corpo arderem, os antigos ferimentos da batalha ainda permaneciam nele, isso quer dizer que não se passou muito tempo desde que saiu de lá.

- Ele está acordando?

- Se ele levou a mão na cabeça, então sim. - Outro zombou. - Vamos logo sair daqui, você viu a espada dele? Deve ser algum tipo de monstro maluco do Império.

Fukai forçou seus olhos a se abrir, tremendo os cílios, o sol penetrou em suas córneas o fazendo desviar o rosto do céu de maneira bruta, mas seu corpo não respondeu, Fukai gemeu de lado.

- Ele parece estar ferido, Gino. - A voz de uma garota soou de longe, era forte e fria, totalmente diferente do ambiente a sua volta. - Deixe ele ai, o máximo que vai conseguir fazer é gemer e se virar no chão.

Gino ainda muito curioso assentiu com a cabeça enquanto saía de perto do garoto caído no chão.

Mas a voz de uma segunda garota, essa muito mais perto retrucou a ordem.

- E deixaremos ele morrer aqui? Isso é errado, irmã Kalou.

Kalou bufou irritada, olhou para a espada curvada que estava em suas mãos e disse.

- Essa espada curvada é a suposição certa de que ele é do Império, se o ajudarmos, então ele nos matará.

Kalou era uma mulher na casa dos 26 anos, sua aparência era calorenta como o ambiente que se encontrava, uma costa onde o mar irradiava tudo para o Oeste, aquele era a ponto do Continente Ártico Médio.

O mar no Oeste era o mais violento, alguns historiadores escreveram nos livros que talvez as ondas do mar aberto chegava a dezenas de metros de altura, e por essa razão, apenas cultivadores acima do nível Sol Nascente conseguiam ultrapassar essas ondas.

O mais perto continente ficava alguns milhões de quilômetros a Costa do Norte, mas no Oeste, ninguém ainda havia descoberto o que tinha para aquele lado, as leis nunca foram tão estranhas quanto no Oeste.

- Mestre...

- Rápido, Fukai. - Razam o alertou em alerta, sua voz não era nada alegre. - Ela está com a espada, se ficar mais de alguns quilômetros longe de mim, o contrato pode ser quebrado por algum especialista.

O ferimento em seu ombro direito era o que mais doía, ele lutou para se sentar enquanto a areia que estava sobre seu corpo caiu para frente.

- Areia?

- Não ligue pra isso, pegue a Lingot logo.

Fukai mudou o foco para frente, sua atenção caindo para quem segurava sua espada. Quando ele acordou, rapidamente levou em consideração que tudo o que passou foi um sonho, a espada, os duelos, a alegria de lutar de novo.

Mas agora que ouviu a voz de Razam em alerta, ele deixou a dor de lado enquanto esticou seu braço esquerdo pra frente liberando uma intenção assassina tão afiada quanto a própria lâmina de Lingot.

- Eu não tenho rancores com nenhum de vocês, então me devolvam a minha espada. - Fukai foi tão firme com a sua voz que deixou Gino e a garota mais novas apavoradas, seus olhos continham uma ira capaz de destruir montanhas.

- E por que eu deveria? - Kalou devolveu a pergunta com outra girando a espada curvada no ar várias vezes ignorando a intenção assassina de Fukai. - Essa espada é uma rara arma que nunca apareceu em toda a história da Seita Xia, acha que eu deixarei essa belezinha ir embora agora?

Kalou admirou a lâmina curvada em suas mãos e sorriu alegre, essa era a primeira vez que tinha tocado em uma arma tão perfeita e tão forte, com apenas um garoto caído no chão no terceiro nível do Reino Verminiano para fora, isso dizia claramente que foi a benção dos céus.

- Então é assim?

O corpo de Fukai se levantou lentamente, ele se apoiou no chão tirando suas pernas de debaixo da areia, seus braços varreram a areia enquanto ficou de pé com esforço.

- Então eu deverei mostrar o motivo dessa espada estar comigo. - Ele blefou passando sua mão esquerda sobre o peito fazendo uma listra azul aparecer em sua palma. - Selo de contrato, Areia.

Kalou que admirava a espada olhou com espanto para Fukai no momento em que disse aquelas palavras. Um selo de contrato era uma das armas terríveis que alguém se podia ter, isso se dava por causa da mobilidade de coisas que alguém poderia controlar ao mesmo tempo com um contrato.

Ouvindo a palavra areia no final, ela ficou um pouco mais assustada. O local onde estava agora era só areia, a costa Oeste era um dos lugares mais isolados de toda a região, ninguém se atrevia a brincar aqui, nem mesmo tentar duelar com as bestas que viviam nesse local.

Mas ela gostava desse tipo de desafio, e chegando até ali e encontrar um ferido e uma espada curvada foi sua maior sorte em toda a vida, ela não hesitaria em tomar essa arma como uma recompensa por ir em um lugar tão desolado.

Agora, vendo esse selo de contrato, ela ficou meio assustada, surpresa e curiosa.

Como alguém tão novo podia liberar tamanha aura de poder em um curto espaço de tempo e ainda ser um selador?

- Eu não perdoo ninguém que se atreva a tocar em minhas coisas sem pedir permissão. - Fukai lutava para se manter de pé enquanto o selo com palavras negras indecifráveis se expandia pelo chão.

- Fukai. - Razam respirou fundo. - Sua energia está quase esgotada, você está na região marítima, você foi teleportado para longe por uma matriz especial que estava abaixo do campo de treinamento, parece que isso também faz parte de algum tipo de teste.

- O que quer dizer? - Fukai arfava, sua energia estava indo embora e ele não podia perder tempo com explicações.

- Você ainda está sendo testado pela sua seita, não se passou nem três horas desde que você caiu aqui. - Razam encurtou tudo rapidamente, ele como um espírito podia identificar a energia sendo liberada pelo chão e se dispersando mais e mais.

Uma chama cinza cresceu dentro dos olhos depois de ouvir aquilo.

- Selo de contrato... - Fukai deixou todos os três assustados mais uma vez. - Imobilização.

Com o tempo de uma respiração, os três não sentiram nada de errado com o chão, mas só ao tentar se mexer foi que o perigo se clareou para eles, a areia fechou abaixo da perna deles, todo os membros abaixo da cintura foram pegos e presos pela areia.

Kalou fechou o punho e segurou a espada com as duas mãos, com toda a sua força e um grito de guerra, ela tentou bater contra a areia, mas o que resultou foi o impacto oco da lâmina contra um ferro muito mais denso.

A lâmina curvada bateu e se repeliu para o alto saindo de suas mãos, ela praguejou ao ver a arma mais forte escapulir da sua mão sem nenhuma dificuldade, e seu voo foi diretamente para onde Fukai tinha sua mão esticada.

O suor que escorria da sua testa não condizia pelo alto calor, mas sim pela quantidade de esforço e energia que estava realizando a cada segundo de pé. Ao segurar sua espada, ele mirou sua ponta para frente diretamente para onde Kalou estava.

- É melhor que fuja antes que eu consiga me curar, eu não perdoo tão facilmente.

A areia que envolvia as pernas dos três voltou para o solo, não havia mais uma pressão, a areia voltou a ser morta e imóvel no chão sem dar sinal de que mexeria, do outro lado, Fukai abaixou a sua espada e se sentou imobilizando a espada entre seu braço e peito.

Ele puxava o ar com tanta dificuldade que não conseguia juntar os pensamentos mais simples, estava tudo girando e o calor piorava aquilo tudo. Era sua primeira vez na Costa, e o ar ali era muito mais cheio de sal do que se podia imaginar, se não fosse acostumado, então haveria uma contração nos pulmões.

Fukai cuspiu dois volumes de sangue e secou a boca rapidamente.

- Se continuar aqui perto da costa, então você vai morrer. - Razam falou irritado. - Saia o mais rápido que puder, se você morrer, então eu também morrerei.

- Você.. morrer? - Fukai, que tinha seus olhos quase se fechando, os abriu na mesma hora.

- Espíritos também morrem caso o contratante morrer. - Razam berrou. - Agora levanta e anda, não ligue para eles, estão com medo até da própria sombra.

Sem desobedecer, Fukai mais uma vez reuniu todas as forças que existiam em seu corpo e se levantou com dificuldade, sua respiração rápida não se estabilizava, e ele continuava a tentar dar um passo de cada vez.

Reino Verminiano, um reino de cultivadores que só servia para ser chamada de lixo pelos outros praticantes de outros reinos, isso era a mais básica ordem do mundo, aqueles que tem poder são os que mandam.

Onde Fukai morava não era diferente, e por isso sua tomada de decisão coexistia com esse pensamento, em qualquer lugar era assim, não apenas em grandes famílias.

Deixando os três para trás, Fukai se concentrou em reunir energia em suas veias, por mais que fosse complicado no estado de cansaço que estava, ainda teria que servir.

Kalou mordeu a língua saindo daquele transe de medo de um poder anormal, ela engoliu o seco reunindo toda a sua coragem de volta e respirou várias vezes controlando seu corpo.

- Gino, Hana, vamos voltar. - Ela falou com a mão no peito, seus batimentos todos estavam acelerados, nunca em sua vida presenciou um medo desse jeito de um simples Reino Verminiano.

Nenhum dos dois recusou e avançou para perto de Kalou ainda observando a silhueta de Fukai se distanciando, eles agradeceram por ele estar indo embora.

Hana se abaixou segurando a areia e a deixou escorregar pela palma.

- Irmã, aquilo que ele fez com a areia, nós conseguimos fazer também? - Mesmo que estivesse com medo, um certo encanto no fundo de seu coração a fez perguntar.

- Não. - Kalou respondeu fria quase mordendo os lábios de raiva. - Seladores podem ser vistos hoje em dia entre um punhado de pessoas, poucas são os que conseguem viver desse jeito, um selador tem a habilidade de pôr um período de tempo comandar qualquer tipo de elemento dando uma grande quantidade de sua energia.

Kalou respirou antes de continuar.

- Vamos voltar para casa, mesmo que eu conte tudo o que sei, ainda seria vago, o vovô conheceu alguns Seladores antes, ele poderá explicar para vocês. - E fechando o punho, ela jurou para si. - Mas aquela espada, eu a terei, custe o que custar.

Por Amnésia | 24/12/17 às 21:27 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação