CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 13 - Você?!

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 13 - Você?!

Autor: Amnésia

Na Costa Oeste, os cinco membros ainda estavam de pé, quatro deles estavam juntos e o último estava isolado em uma parte se curando. Mesmo que suas distâncias fossem um pouco distantes, ambos já haviam avistado o outro.

O grupo de quatro pessoas estava atualmente descansando, sentados em um círculo distante do membro isolado, eles abraçavam suas pernas enquanto a brisa fria tocava seus corpos.

A pessoa que comandava a situação era Kara, pegando o título de líder desde o começo, era ela quem dava as ordens por aqui.

- O plano vai ser o mesmo que bolamos quando nos encontramos, aquele que está isolado tem que perder primeiro para que possamos ficar com os melhores prêmios do segundo teste. - Kara disse mais uma vez passando o olhar sobre cada um e parando no último da esquerda. - Vamos nos focar em acabar com ele.

Os demais assentiram juntos com a cabeça.

- Mas como vamos emboscar ele?

- Isso, aquele cara só fica parado e não parece ser atacado por nenhum dos Traros, se até mesmo as bestas têm medo, como vamos atacar?

Kara riu para eles, um sorriso malicioso.

- Usaremos o corpo de uma bela mulher, no caso, eu o deixarei interessado em mim e vocês atacarão pela retaguarda, caso ele perceber, atacamos de ambos os lados e finalizamos.

Com o nariz empinado, ela disse tudo aquilo com orgulho.

- E então, o que acham?

Assentindo várias vezes com alegria nos olhos, os jovens assentiram. Podia-se dizer que a essência de suas mentes fora corrompida pelas segundos intenções de Kara.

Esqueça o segundo ou terceiro lugar, Kara desbancaria todos para continuar como a última de pé para receber o melhor prêmio.

Do outro lado, com a mão sobre a costela mais uma vez, Fukai respirava com tranquilidade de cabeça baixa, o processo de expandir sua própria energia pelo ferimento era algo que não tinha ciência, mas logo que começou a pegar o jeito, o resultado foi inesperado.

Seus ossos trincados foram reparados com facilidade e até mesmo alguns ferimentos dos seus órgãos foram curados com eficiência.

Razam não era do tipo que se impressionava com muita coisa, em sua vida de mais dez mil anos, ele viu e ouviu tantas coisas que nada mais o assustava, além era claro, de um garoto do Reino Verminiano que possuía uma velocidade de cura absurda.

- Garoto. - Razam falou se interessando pelo corpo diferente que Fukai tinha. - Você faz parte de alguma família com um corpo forte?

Abrindo seus olhos e levantando a cabeça, Fukai negou indiferente.

- Venho de uma família de Seladores, por isso consigo manipular o básico de algumas coisas. - Ele respondeu direto. - Por que a pergunta?

- Não é nada. - Razam parou de falar e rodopiou no ar dentro da mente de Fukai levando considerações para si.

Fukai não continuou a perguntar e se focou novamente em se curar, sua espada deixada por cima da sua perna ainda exposta o deixava meio confuso, e então logo perguntou tirando o silêncio da noite.

- Mestre, eu reparei que desde que peguei a espada, nenhum tipo de bainha veio junto.

Razam que antes estava voando com várias coisas na cabeça, parou. Ele estalou os dedos sem responder e uma bainha apareceu a frente de Fukai.

- Eu esqueci. - Respondeu sério ainda focado em suas ideias.

Não o querendo incomodar, Fukai segurou a bainha com as duas mãos com um olhar brilhante, ele passou a mão sobre o material negro gentilmente antes de o aproximar dos seus olhos. Era tão escuro quanto aquela noite, mas quando os primeiros raios de sol escapuliram por trás da montanha e atingiram a bainha, a escuridão do material se tornou ainda mais severa.

Fukai ficou perplexo, os raios de sol, todos eles não deixavam um brilho sobre a bainha, nada, nem mesmo um reflexo de luz.

Não deixando de esperar, Fukai reuniu a bainha com a espada, quando o som de Click* foi feito, os braços de Fukai decaíram para o solo, sua expressão ficou séria, o peso da espada havia quase que aumentado na hora.

O que é essa coisa?

Por outro lado, Razam riu sozinho.

- O peso dessa arma é algo que nem mesmo eu podia controlar perfeitamente, terá que se acostumar com isso por si só. - Ele comentou, e respirou fundo. - Garoto, se atente aos seus arredores, há pessoas vindo em direções opostas.

Fukai concordou olhando para a direita, o grupo de quatro pessoas antes se desmantelou, vindo a sua direção, havia uma garota de cabelos compridos andando com um rebolar um tanto sensual para cima dele.

Rindo da situação, Fukai esperou abaixando a cabeça colocando a espada ao seu lado e levando a mão ao peito.

Alguns segundos depois, a linda garota com os olhos tão grandes quanto a lua pararam a frente dele o observando, por trás daquela aparência simples e jovial se escondia um sorriso tão malicioso quanto a pior besta.

- Hm, com licença. - Ela disse com um pouco de receio, e se abaixou tentando ver o rosto da pessoa. - Você está sozinho por aqui também?

Fukai sorriu não acreditando no que está ouvindo.

- Estou machucado. - Ele respondeu com dificuldade e gemeu um pouco.

- Precisa de alguma ajuda, eu posso fazer algo? - Ela se aproximou lentamente afastando uma das mãos para trás de suas costas onde segurou o punhal de sua adaga.

Fukai sorriu e levantou a cabeça revelando seu sorriso medonho..

- Você pode morrer...

Kara engoliu o seco puxando a adaga rapidamente, sua movimentação não foi tão precisa, a pessoa a sua frente, era alguém que tinha um demônio dentro do próprio corpo.

Ela levou a mão a frente atormentada e tentou um golpe direto no pescoço de Fukai.

Antes da adaga conseguir chegar a ele, Fukai já tinha feito seu movimento, levantando a bainha, ele bloqueou completamente o golpe e com a mão exposta a empurrou para trás a fazendo cair.

Fukai se levantou rapidamente dando dois passos para trás. Respirou olhando apenas para Kara, os movimentos dos outros três já tinha sido avisada por Razam, então até que um deles fizesse o movimento, Fukai não agiria.

Kara se levantou tão rápida quanto caiu, recuando também dois passos, ela arfou com raiva e tormenta, seu coração batia mais rápido agora.

- Eu devia imaginar que era você, um merdinha do terceiro nível que tem alguns truques para continuar vivo sem ser atacado pelos Traros.

- Corrigindo, um merdinha do terceiro nível que te derrotou, alguém do sexto nível não é muita coisa. - Fukai revelou um olhar de desdém encarando suas próprias unhas da mão sem se importar com a garota.

Transbordando raiva e ódio, ela foi a frente com dois passos largos.

Levou o braço com a adaga para a direita e deu um golpe lateral pesado. A bainha da espada a encontrou de novo, e novamente ela foi afastada pela mão livre de Fukai.

- Eu disse, não é boa nem em ataques curtos, tsk, tsk. - Provocando ela, Fukai balançou a cabeça como se estivesse decepcionado. - Vamos, vamos...

Aceitando completamente a provocação feita pelo seu inimigo, Kara mais uma vez foi a frente, mudando a direção do ataque para a esquerda, ela fechou completamente a mão livre de Fukai.

A adaga flutuou na direção do ombro esquerdo, a bainha se mexeu para a esquerda e bloqueou completamente o golpe, os dois disputaram força por dois segundos até que Fukai deu um passo para o lado a fazendo ficar na sua antiga posição.

Dessa vez, ela estava de costas para seu próprio grupo e Fukai de frente para todos, mesmo estando escondidos atrás de algumas dunas, seu rastro era algo muito fácil de encontrar.

Qualquer um sozinho estaria ciente do sumiço dos outros do grupo, Fukai não era idiota, nem se Razam o avisasse, ele estaria ciente disso.

- Alguém de tão baixo nível tentando se colocar acima de mim. - Kara quase berrou, suas veias do braço amostra eram perceptíveis, a agressividade era uma das suas principais características. - Se não fosse por essa espada, você já estaria morto.

- Hoho, acha que está em alguma posição de falar? - Fukai riu dela calmo. - Não sou eu quem tenta ganhar a confiança dos outros tentando mostrar o corpo, certo? Você é uma garota nojenta, sabia?

Quem, alguma vez, falou com ela dessa forma? Nem mesmo os pretendentes recusados de outras famílias disseram isso para ela.

Quem era Fukai Ferio para a chamar de '‘garota nojenta’'? Isso era um ultraje significativo.

A palma da mão de Kara escorria sangue de tanto que ela apertava o punhal, isso já indicava o nível da sua raiva.

- Você sabe com que está falando, seu desgraçado? - Ela disse remoendo os dentes tentando não avançar.

- Com alguma criança de uma família, talvez alguém tçao podre quanto suas próprias raízes. - Fukai deu de ombros. - É uma pena que as frutas atuais das famílias são todas podres, sua família deve ter vergonha de ter alguém como você nela.

Sem um pingo de raciocínio, Kara foi a frente mostrando seus dentes e gritando, com a raiva dominando, ela levantou os braços em um ataque desesperado, sem usar nada, técnica, força, profunda energia, nada. Ela foi para frente buscando recuperar a face que foi tirada naquele momento.

Razam ria daquilo.

- Crianças são tão carentes de dignidade.

Ao mesmo tempo que Kara atacou, Fukai envolveu-se em uma posição de defesa; recuou sua perna direita para trás mantendo o solado para frente, girou seu corpo para o lado deixando apenas a cabeça em direção a Kara, e levantou uma mão a frente do peito e a outra dobrada na altura do ombro.

Uma posição um tanto peculiar para defesa, e Razam o aplaudiu.

- Uma defesa de macacos. - Ele balançou a cabeça satisfeito. - Pelo menos sabe o básico de corpo a corpo.

Esse pensamento de '‘básico corpo a corpo’' sumiu de Razam no momento seguinte.

Fukai deixou o golpe chegar na altura do pescoço, seu braço perto do ombro se mexeu para frente segurando o pulso de Kara dando um passo a frente, ele se aproximou tanto de Kara que seus rostos estavam quase que alguns centímetros de espaço. Sendo guiada pelo pulso forte de Fukai, o pulso de Kara foi torcido para o lado, ela largou a adaga e engoliu o seco pálida.

Ela esperou um segundo, dois segundos, três segundos, mas Fukai não se mexia, continuava a olhar dentro dos olhos, eles não se mexiam, pareciam ter pausado no tempo.

Mas na verdade, havia um outro motivo..

- Você abusou dos movimentos, seu idiota. - Razam gritava com Fukai furioso. - Suas costelas estavam próximas de estarem novas, você a forçou em um encontro de braço.

- Eu.. Fiquei desesperado para jogá-la no chão. - Fukai estava estático não conseguindo expressar dor, se demonstrasse, Kara o faria pagar por isso.

Razam balançou a cabeça em desgosto total.

- Isso que dá tentar levar uma batalha prolongada. - E apontou para frente berrando. - Rápido, a jogue para fora do círculo de sangue.

Sem esperar por outra ordem, Fukai obedeceu sem hesitar.

O pulso de Kara foi solto por ele, mas no mesmo momento, ele usou sua palma agora livre para pressionar contra a barriga dela e arremessar alguns metros para trás, esses curtos metros foram o suficiente para que ela acordasse de um sonho estranho.

Tropeçando em si mesma, Kara caiu de bunda, seus olhos não desgrudavam de Fukai por nada, uma chama pequena, quase não viva ainda estava dentro dela, mas não de raiva, mas de uma certa sensação de encanto.

Aqueles olhos negros misturados com sua personalidade tão brusca, simples, e autoritária, a deixou imóvel.

Como alguém pode ter olhos tão brilhantes de perto, e de longe tão frios?

Era assim que ele vivia?

Kara não conseguia se levantar, na verdade, a impotência em seu corpo se revelou como uma forma de não mais querer lutar, para ela, ver aquela pessoa ali presente era o que mais queria.

Esqueça prêmios, esqueça recompensas.. A chama de seu peito era muito mais estranha do que um simples desejo de posse.

Ela levou a mão ao peito quase não conseguindo respirar.

- O que é isso?

No mesmo momento, um círculo vermelho cresceu abaixo de Kara. O círculo continha cerca de duas espadas cruzadas, outros vários círculos e letras escritas com o que parecia sangue, um fluxo de energia aumentou na borda do círculo fazendo com que Kara não pudesse sair dali.

Razam ao ver aquilo assentiu flutuando de pernas cruzadas no ar.

- Então era para isso que os fluxos estavam sendo usados, não me impressiona que vocês foram lançados aqui.

- O que quer dizer? - Fukai perguntou ainda encarando o desenvolvimento do círculo que fazia o corpo de Kara ficar cada vez mais transparente.

- Mesmo que eu explicasse, você não entenderia, não agora. - Razam respondeu. - Mas os canais de energia foram usados para teleporte pela sua Seita, por isso eles conseguiram mandar vocês para cá.

Fukai até então concordou entendendo.

- E ela ficará bem?

- É um portal de teleporte, muito usado no local de onde vim, esse seu planeta é tão pobre quando está relacionado com a profunda energia. - Razam falou indiferente dando várias cambalhotas no ar.

Fukai não conseguiu acompanhar o que Razam falava, mas assentiu, ele não queria matar a garota a sua frente, mas a vendo desaparecer daquela maneira o fez ficar com medo.

- Ela vai voltar para onde estava da última vez que foi lançada, assim como você vai ser se perder seu espírito de luta. - Razam explicou. - Agora pare de prestar atenção em outras coisas, tem uma orda de besta vindo pra cá.

- Certo. - Fukai se virou, mas ainda vendo os últimos traços de Kara sumindo e por fim o círculo vermelho complexo sumindo por completo.

Fukai suspirou prestando atenção para seu inimigo principal...

- Os outros que estavam com ela, eles ainda estão aqui?

- Não. - Razam disse. - Foram pegos na retaguarda por bestas, sendo sincero, você está cercado e sozinho.

- Sempre estive sozinho, mestre!

Razam não mais disse, seus olhos abaixaram e sorriu. Tendo as lembranças de Fukai em sua mente, ele apenas pôde suspirar com um pouco de pesar pelo que o garoto tinha passado para chegar até ali.

Um tipo de luta interna grotesca, isso era pesado até mesmo para um garoto de 16 anos de idade.

Por Amnésia | 25/12/17 às 14:16 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação