CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 14 - Besta Faminta

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 14 - Besta Faminta

Autor: Amnésia

Merer deu uma gargalhada se divertindo o que estava vendo, a encenação de Kara o divertiu por inteiro, e não só ele, até mesmo os outros Elders caíram em gargalhada quando a viram cair para trás e perder o espírito de luta na mesma hora.

Lau não ria, de acordo com o que havia acontecido, Fukai a desarmou completamente sem usar a lâmina de sua espada, isso era um tanto estranho, um estilo de luta baseado em desarme.

Quem ensinou esse garoto a lutar?

Estilos de luta são todos diferenciados, mas ele consegue completamente anular o adversário usando um estilo diferente do outro, onde alguém aprende isso hoje em dia?

Encarando o rosto sério de Lau, Merer só pôde soltar um sorriso curto. Os pensamentos mais trabalhados vinham dos olhares mais atentos, e Lau obtinha para si uma expressão totalmente diferente dos demais em relação a Kara perdendo.

Merer só podia esperar para ouvir o que Lau estava discutindo em silêncio consigo mesmo.

Na Costa do Oeste

As bestas circularam em torno de Fukai no limite de onde ele havia espalhado o sangue, o efeito estava acabando, o limite era apenas por algumas horas, mas como juntou vários corpos, então a duração aumentou gradualmente.

Os Trauros mostravam os seus dentes afiados, alguns estavam em duas patas e outros em quatro, eles esperavam continuamente o efeito da barreira de sangue acabar para que eles avançassem, enquanto ficavam ali rodeando o círculo, o garoto de dentro com os olhos fechados respirava lentamente.

Fukai relaxou os músculos do braço, sentado em forma de lótus, ele apoiou a espada sobre suas duas pernas e pousou suas duas mãos sobre a bainha.

- Você só tem mais um minuto. - Razam o avisou de bruços flutuando esperando para que seu aprendiz entrasse em ação. - Tem algum plano?

Fukai abriu os olhos se levantando com a bainha nas mãos, o peso ainda desconfortável da espada o fazia tensionar mais os músculos do braço.

Quando esteve sentado, ele sequer pegou na arma para que pudesse descansar os membros, seu braço foi o mais afetado, quando esteve contra Kara, ele teve que erguer várias vezes sua espada e a combater, apenas alguns minutos foram o suficiente para o cansar.

- Eu derrubarei todos eles. - Fukai retirou a lâmina da bainha rapidamente, e largou a proteção da espada no chão ficando somente com a espada em mãos. - Tenho que passar em primeiro nessa competição.

- Por quê? - Razam o perguntou.

- Só.. Preciso passar.

Os olhos de Fukai ondularam um pouco ao dizer aquelas palavras, ele foi a frente batendo de frente com duas bestas que não esperavam o ataque. A lâmina cortou o pescoço de uma enquanto a outra teve um das pernas decepadas.

Saindo de dentro do círculo, Fukai avançou ficando sempre de frente com mais de dois Traros ao mesmo tempo, os golpes que vinham de sua retaguarda eram os mais perigosos, e por isso ele adotou uma posição na qual conseguia ver três lados, a direita, a esquerda e as costas.

Sua frente era defendida pela sua arma e seu braço, sua posição de luta era semelhante a um corpo blindado sem falhas, adotando esse estilo de luta, ele derrubou dez Traros ao mesmo tempo sem ao menos circular sua energia.

Balançando os braços para o lado e para o outro, ele bloqueou duas garras e abaixou dando evasiva a uma pata que faria sua cabeça virar carne moída. Sua respiração ainda estava calma, seus olhos pressionavam 5 lugares diferentes a cada segundo.

Não importa o quê, eu tenho que ganhar o primeiro lugar!

Um punho do tamanho de sua cabeça golpeou sua barriga o arrastando dois metros para trás, Fukai se embolou com os pensamentos e uma brecha tão pequena quanto

Apertando o punhal de Lingot, tensionando seu braço ao ponto de suas veias decolarem para fora, Fukai bufou um curta névoa cinza de dentro de sua boca, a raiva começou a se estabilizar aos poucos.

Eram muitas, com uma quantidade dessas não dava para se defender de todas elas.

- Em situações como essas, você deve parar de pensar. - Razam o disse de forma calma se divertindo de ver aquilo. - Sua força é pequena, você é fraco e empunha uma espada que é quase do seu peso, ser capaz de chegar aqui já é algo a se orgulhar.

Fukai riu sarcasticamente ao duelar forças com uma das bestas e a empurrar para trás.

- Em lutas com um número maior do que o esperado, o improviso é o que mais tende a prevalecer, garoto. - Razam disse mais uma vez. - Você está cercado, use isso a seu favor, descarrilhe tudo o que tem dentro do seu corpo neles.

- Minhas costelas vão quebrar de novo. - Fukai rangeu os dentes duelando contra duas garras e duas patas, seu corpo se esquivava por pouco e quando seu pé agarrava na areia, um punho o acertava na barriga ou no peito, a dor o contagiou rápido.

- E dai? Quando você acabar com isso tudo, eu mesmo vou te ajudar a reconstruir esse teu corpinho de pano. - Razam virou os olhos com um bufar de desgosto. - Humanos tem suas próprias limitações quando não treinadas técnicas de estruturação corporal.

Fukai ergueu suas sobrancelhas não ligando para o que Razam dizia, na maioria das vezes que falava sobre os humanos era para dizer como eram fracos, insignificantes ou estranhos com seus hábitos.

Cada vez mais era uma coisa diferente, mas ainda não dava um pingo de valor.

Se concentrando em se manter de pé, Fukai passou por várias lamentações naquela luta, ele apanhava, batia, cansava, fugia, se levantava e caía, mas, ainda assim, sua força continuava a se manter, seus braços pelo menos estavam aguentando mais do que antes.

Com um único golpe lateral, Fukai passou por dentro do corpo de um Trauro com facilidade e rodopiou para trás dele. Seus olhos calculando a distância, o ângulo e a trajetória foram pegos novamente por dois punhos, dessa vez o jogando para cima.

Suspenso no ar, Fukai fechou os olhos, não irritado, não calmo, mas concentrado.

- Eu já disse, pare de pensar. - Razam mais uma vez o atrapalhou. - Pensar leva míseros segundos, mas são eles que te trazem dor, os golpes estão passando porque você está pensando antes de agir, somente acabe com todos eles com o máximo que você tiver, não poupe energia, acabe com todos eles.

- Mas..

- Acabe com todos eles agora, isso é uma ordem de seu mestre. - Razam dessa vez falou tão sério que assustou Fukai. - Se ficar nessa moleza, acha que vai conseguir alguma coisa? Você não queria ganhar a recompensa por ser o último, então dê o máximo de si.

Caindo e arrastando no chão, Fukai levou aquelas palavras para o coração.

Ele respirou fundo, sua concentração atingiu o máximo que podia, rodeado com mais de duzentas delas ainda, ele não podia deixar o prêmio escapar dele.

Um Ganger de 2 mil anos, essa era a final recompensa para ele, e também o único que poderia tratar os ferimentos de sua mãe.

Não era uma questão se ele podia ou não ganhar, a questão era, ele tinha que ganhar.

Sem deixar um pingo de Profunda Energia dentro do seu corpo, Fukai liberou tudo. Suas veias eram finas, seus órgãos muito frágeis, seus ossos pouco resistentes, mas seu espírito, isso era algo que não se podia medir.

Revelando todo o seu poder, a espada curvada deu um rugido de uma águia misturada com um grande dragão, a lâmina cinzenta ganhou um brilho mais azulado e calor era liberado dela, a imagem de Fukai segurando sua espada era embaçada demais para que as bestas pudessem atacar diretamente.

O corpo de Fukai não aumentou, em vez disso, a lâmina de sua espada diminuiu de acordo com o que Fukai diminuía, dois centímetros menores do que sua altura normal, Fukai não conseguiu não deixar de admirar aquilo, o poder que transbordava de seu corpo era simplesmente fantástico.

Razam, por sua vez, estava de pernas cruzadas com seus dois braços dobrados para o lado meditando, uma sensação de leveza tomou conta de seu rosto o fazendo sorrir, seus olhos fechados gozaram da transição de energia mundana.

A energia que Fukai acumulava do lado de fora seguia uma trilha para dentro da testa de Razam, ao receber esse tipo de energia do lado de fora, a cor de Razam mudava para um azul mais forte, o antigo transparente que formava o seu corpo morreu formando um corpo físico fraco.

Mas ainda assim, esse corpo físico fraco foi mais do que suficiente para ele agradecer por ter sido solto das mãos de seu antigo mestre.

- Eu sinto a energia mais uma vez, isso é tão bom!

Os pés de Fukai apunhalaram o chão deixando uma marca de 6 centímetros para baixo, atribuindo a posição de batalha de cavalo, seus dois braços foram a frente segurando as duas patas de uma das bestas em um confronto direto de forças.

Seus olhos totalmente afiados, aquela chama cinza que crescia por trás de suas pupilas, um grito capaz de atormentar até mesmo os mais selvagens homens.

Fukai era uma besta em um corpo humano.

Sem esforço, ele deu um passo para frente e derrubou seu oponente para trás o arremessando no chão, afundou seu pé no crânio dela e a matou na hora, no mesmo instante  todos os Trauros deram um passo para trás assustados, Fukai levantou sua cabeça.

A espada em sua mão brilhou, ele reapareceu na frente de outra besta deixando para trás uma pós-imagem. Cortando para cima com um golpe cruel, ele abriu o corpo de outra, e depois mais uma, e logo outra.

Uma fera com um instinto tão fino e aguçado que dava medo.

Razam fechou os punhos abrindo suas mãos, a energia não parava de acumular dentro dele, mas como ele podia estar satisfeito com aquele tipo de energia mundana?

O mundo inteiro que Fukai vivia não era nem um grão de areia para o que ele conheceu em sua vida passada, a energia desse lugar era ruim demais para que ele pudesse recuperar uma parte de seu poder.

- Garoto, está na hora de mostrar para os velhos que te mandaram aqui o motivo de você não ter uma espada.

Fukai revelou os dentes em um sorriso cruel.

- Eu bem que estive pensando nisso.

Com uma velocidade constante, Fukai passou a mão livre por cima do seu peito, a listra branca correu em sua palma com uma segunda listra vermelha por dentro da branca, arrastou a palma por cima da lâmina e apontou para frente.

- Que os Deuses tenham pena de suas almas! - Razam disse solenemente sorrindo.

Fukai apertou o punhal com uma força sobre humana indo para frente, sua pele branca aos poucos mudou para um vermelho mais fraco, seu braço ganhou um aumento de massa e suas pernas ficaram com os músculos extremamente perfeitos.

A parte de cima de suas roupas se transformaram em cinzas voando ao vento que rondava a área, o cheiro de sal que antes era do mar se transformou em um forte odor de sangue, o negro que se alastrava pelo chão era sem dúvidas a maior quantidade de sangue que ele tirou em toda a sua vida.

Com uma investida de seus braços pela lateral, ele tirou a vida de seis Trauros sem um pingo de misericórdia.

Podia ser mais um teste, mas o poder que ele liberava para fora de seu corpo era como uma sentença de vida ou morte!

Era algo insano de se ver.

Os Elders que antes estavam todos sentados apreciando calmamente a luta dos que restaram em campo se ergueram de suas cadeiras com rostos incrédulos. Mesmo que vissem de um lugar tão longe, a energia que era transmitida pelo portal de imagem era verdadeiro.

A energia de Fukai conseguia atravessar um portal de imagem sem dificuldades e deixou alguns mais fracos do Reino Terrestre sem ar, foi necessário a ajuda de Merer para que o ar a sua volta se estabilizasse completamente.

Quando tudo se acalmou, os discípulos do Juiz principal conseguiram respirar apropriadamente, seus rostos retomaram as cores habituais e ele se sentaram nervosos, a experiência que tomaram agora era como se olhos de uma besta faminta estivesse a frente deles esperando se mexerem para que os matasse na hora.

O quão assustador isso é?!

Lau Gaufeng abaixou a cabeça deixando um sorriso fraco percorrer seu rosto, ele respirou fundo, não muito diferente dos outros, a força que aterrou no ar foi como uma grande placa de ferro jogada em seu corpo.

Mesmo com aquele sorriso no rosto, os pingos de suor do tamanho de feijões foram de sua testa para o queixo e pingavam no chão entre seus dois pés.

- Que força esmagadora!

Por Amnésia | 25/12/17 às 14:31 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação