CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 15 - Último de pé

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 15 - Último de pé

Autor: Amnésia

114 bestas vivas, Trauros que antes avançavam para frente na ordem de acabar com todos os humanos presentes naquela área agora davam um passo para trás com medo, seus corpos tremendo, suas posturas erradas, negando completamente a comunicação com o domador de bestas que as controlavam.

A situação a frente era mais do que seus corpos e mentes podiam suportar.

Elas recuavam passo a passo para trás enquanto Fukai avançava também passo a passo.

A lâmina virada para baixo, um peitoral nu e uma aura emanada que esfriava os ossos mesmo naquele calor da manhã.

Aquilo era Fukai Ferio liberando um poder tão extremo.

Mas com um poder tão nocivo e massante, a consequência para seu corpo era algo que nem mesmo ele podia suportar completamente, mas a ignorava, a deixava de lado a ponto de que se ele prestasse a atenção na dor, ele cairia.

Quando ele parou de caminhar afundando seus pés no chão, os selos que antes haviam sido ativados percorreram toda a lâmina.

A energia, aura e Profundo Poder que ele liberava corrompia seu corpo, sua pele era retirada do corpo como se fosse pano revelando sua carne abaixo, os ligamentos, veias, ossos, órgãos, tudo feito de ferro, apenas a pele era tirada.

A energia que circulava em volta do seu corpo era tão agressiva que subjugava a própria energia de Fukai para reconstruir seu corpo, e em vez de ajudar, o machucava intensamente.

- Essa é a consequência de querer ser forte, garoto. - Razam disse. - Hoje eu vou te ajudar a controlar completamente esse tipo de fardo, mas no futuro, não farei nada.

Fukai não respondeu, não porque não queria, mas por não poder fazer isso.

Suas cordas vocais foram seladas para que a energia corporal não se transformasse em nada além de Profunda Energia, a energia que apenas os Reinos Elementares e Reinos Terrestres podiam suportar até certo ponto em acumulação.

A Profunda Energia era algo semelhante a acumular um total de energia e não a deixar escapar, como resultado, sua força física e mental decolariam a um ponto de ultrapassar um Reino inteiro, assim Fukai, atualmente, por curto período de tempo podia se comparar a alguém no terceiro nível do reino Terrestre.

Uma transformação dessa era algo normal para qualquer praticante, mas o único problema era quanto mais tempo você demorasse, mais consequências você teria.

E mesmo depois que seus ferimentos estivessem curados, o gargalo para subir a cada nível aumentava, esse era o principal problema, e para Fukai que estava apenas no terceiro nível do Reino mais medíocre, sua taxa de crescimento abaixou ainda mais.

Fukai Ferio era um monstro, mas também um cadáver aos olhos de todos os Elders.

Um monstro por liberar a quantidade de poder suficiente para atravessar um Reino, e um cadáver por ferir sua própria base de cultivo e nunca poder alcançar o Reino Elementar um dia.

Isso era dar um passo para frente e três para trás.

Mas mesmo que todos os Elders presentes no salão estivessem falando como ele acabou com sua própria vida e base para os próximos anos, havia apenas uma pessoa que afiava seus olhos com total concentração para ver o que realmente estava acontecendo.

Merer com sua expressão calma e sorridente apenas observava o pequeno garoto da família Ferio lutar bravamente e violentamente, massacrava seus arredores sem pensar duas vezes, bloqueava garras, patas, cabeçadas, lutava frente a frente em disputa de forças contra qualquer Trauro que avançava.

E naquilo tudo, nenhum pingo de Profunda Energia dentro de seu corpo se dissipava, ao invés disso, a espada curvada sugava qualquer tipo de poder que poderia o ferir para si.

Merer, diretor do instituto Darey Mason, vivo por mais de 900 anos, um praticante do último nível do Reino Sol Nascente, leitor de registros históricos e também um dos maiores gênios em sua adolescência.

Merer Gaugeng que experimentou tudo em sua vida jamais viu tal coisa acontecer.

Seu rosto podia ser calmo, mas seu coração batia com tanta intensidade e nervosismo, ele não podia perder a compostura, não podia dizer nada, a única coisa que podia fazer era aproveitar o que estava vendo porque nunca em toda a sua vida viu uma espada ser tão protetora quanto aquela.

Uma espada curvada tinha uma mínima consciência, seria essa fraca linha mental da espada ser domada por Fukai Ferio em tão curto espaço de tempo?

Seria um jovem tão genial aparecer na Seita Calto depois de tanto tempo?

As perguntas rodeavam a mente de Merer o deixando ficar mais e mais surpreso, se tudo estivesse correto, Fukai Ferio seria um pilar capaz de deixar a Seita Calto e o instituto Darey Mason novamente como uma das potências escolares.

Sempre estando em décimo e nono lugar, o Instituto nunca conseguiu subir e se manter nos três primeiros lugares.

No auge de toda a sua história, o Instituto só presenciou o quinto lugar quando Lau e Merer Gaufeng estiveram estudando nele. Suas forças principais se estendiam a um ponto onde apenas as escolas de elite ficavam acima de sua cabeça.

Mas nenhum outro Instituto ou escola normal puderam se comparar. Com o decorrer do tempo, Darey Mason perdeu seu brilho, os estudantes ficaram relaxados e decaíram ao ponto de chegar ao décimo lugar e permanecerem ali.

A chama que talvez pudesse elevar sua fama e seu status novamente estava em uma missão e não poderia voltar para casa antes de três anos.

Os jovens que agora estavam mais e mais relaxados perderam seu principal pilar de apoio, e agora a preguiça de cultivar tomou todos eles.

Fukai podia se comparar como uma força em potencial, o único problema era sua Profunda Força, estando no Terceiro Nível do Reino mais baixo, ele não podia se comparar a ninguém, até mesmo os mais baixos eram do quinto nível do Reino Verminiano.

Então por quê? Por que um garoto tão comum conseguiu domar uma espada curvada, liberar tamanho poder e seu corpo não sofreu danos extremos?

Que tipo de força de vontade um jovem de 16 anos possuía?

Merer engoliu a saliva e respirou fundo, olhou para Lau e com um aceno de dedo o chamou rapidamente.

Sentando ao lado do diretor, Lau aproximou seu ouvido de Merer e assentiu depois de tudo o que ouviu.

- Entendido, farei isso.

Liberando uma fumaça de seu corpo eco rodeando, Lau simplesmente desapareceu.

A curiosidade dos demais a volta de Merer cresceu, mas nada além de pensamentos pôde ser passado, ninguém ousaria perguntar ao diretor sobre o que ele havia dito a Lau, permanecendo quietos em seus cantos, todos voltaram a ver a luta.

Diferente de Fukai, havia outra pessoa que estava de pé nos campos de treinamento: Garp Sá.

Sozinho na Costa Norte, um grande e musculoso jovem estava parado, nenhum grão de areia, nenhum corpo de Trauros, apenas ele, a terra e o céu azul.

O corpo de Garp estava tão quente que era como se estivesse sido jogado dentro de um forno e aquecido a uma temperatura absurda, tudo isso começou apenas com uma batida de seu porrete no chão.

O ar ficou quente, o chão emitia uma fumaça cinza, e ele caminhava tão devagar quanto uma lesma.

Não havia ninguém, nada, apenas ele.

Então por quê?

- Por que estou tão cansado se nem mesmo estou lutando? - Garp perguntou para si. - Será que esse é o limite da área da costa?

Ele parou, e virou a cabeça olhando para trás, o caminho percorrido dele estava limpo, nada além de uma terra cheia de marcas de rachadura, nada de areia, nada de nada.

Afiando seus olhos, ele presenciou uma pequena luz azulada, era pequena, curta, mas brilhava com um efeito parecido quando o sol batia rapidamente contra a água do mar.

Os olhos de Garp ganharam vida, uma chama de energia cresceu para dentro dele, erguendo seu corpo cansado e ficando ereto, ele deu um passo para frente, cada vez mais animado.

Água, ele poderia descansar um pouco se conseguisse aquela água.

Descanso, isso seria bom demais, descansar depois de tanto tempo..

Deixe o primeiro lugar para lá, Garp, descanse para que você possa dormir, deixe seu corpo dormir.

Sorrindo cada vez mais para a imagem da água mais perto, Garp caiu deitado perto do que parecia um lago.

Sem perceber, Garp viajou mais de 3 quilômetros andando na direção do brilho azul, e quando seu último fio de esperança para chegar na água se perdeu, a grande poça de água apareceu se transformando em um lago gigante.

Garp gargalhou e pulou dentro do lago nada normal.

Ele respirava aliviado por deixar seu corpo se esfriar, a água o tranquilizou, Garp fechou os olhos, e seu pai apareceu em sua mente sorrindo.

“Muito bem, Garp, estou orgulhoso por ter chegado tão longe, descanse, você pode descansar agora.”

- Obrigado, pai. - Garp ergueu o punho para o alto. - Eu prometi que passaria, e tenho que agradecer aquele garoto da família Ferio, pai.

“Laços de amizades devem ser fortes, Garp. Amigos são pessoas que sobem em suas costas para poderem tirar seus privilégios, se não tiver confiança na pessoa, então não a deixe perto de si.”

- Eu sei, mas ele parece uma pessoa boa. - Garp abaixou o punho do ar e com os olhos fechados, ele dormiu, mas antes de cair, uma última sentença saiu de sua boca. - Pai, lute por Gert.

Por Amnésia | 25/12/17 às 14:50 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação