CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 19 - Fantasma Familiar

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 19 - Fantasma Familiar

Autor: Amnésia


Fukai parou na estrada de sua casa, a varanda feita de madeira continuava da mesma maneira que antes dele sair, a cerca a volta da varanda foi limpa e refinada com boa madeira, as paredes de sua casa também não tinham nada de arranhados que se lembrava.

Pelo que parecia alguém limpou tudo enquanto esteve fora. Os trabalhos de limpeza de sua moradia eram todos feito por ele mesmo, ninguém nunca se importou, então ele colocava a mão e tentava ao máximo trazer o luxo para sua família.

Sem esperar muito, Fukai foi para dentro, passou pelo portal da cozinha, o cheiro de madeira ainda estava forte, ainda mais forte era o cheiro de comida no ar, frango, o mesmo que sua mãe cozinhava quando ainda estava saudável.

Desesperado, ele entrou, o cheiro era idêntico, seria possível mamãe estar bem?

A pessoa estava de pé em frente a um fogão a lenha, pequena, com cabelos longos soltos, uma roupa limpa branca, seu rosto redondo enquanto balançava uma colher de pau mexendo o caldeirão.

A pequena menina girou seu rosto devagar sem mexer o corpo, e no momento que viu a figura parada em frente a porta, ela descarregou lágrimas pelos olhos.

Soltou a colher tremendo.

- Irmão..? É você? - A garota ficou paralisada e levou a mão na boca chorando.

- Lina. - Fukai sorriu, se ajoelhou e abriu os braços.

A garota correu e pulou nos braços de seu irmão, ela o abraçava forte com todas as suas forças, esfregava seu rosto no peito de Fukai não acreditando que finalmente ele tinha voltado.

- Eu.. Eu pensei que você tivesse ido embora para sempre. - Ela disse choramingando. - O Aner disse que você estava cansado de ficar conosco e não queria mais cuidar da mamãe.

Estava decidido, Aner pagaria.

Fukai passou a mão sobre a cabeça de sua irmãzinha e a abraçou mais forte.

- Nunca deixaria vocês sozinhas, eu fui na instituição que o irmão mais velho se inscreveu e passei em primeiro lugar. - Ele falou sorrindo. - Eu trouxe um bom remédio para a mãe, ela vai ficar melhor depois disso.

Lina ergueu sua cabeça concordando e sorriu.

- Mamãe não acreditou nas palavras de Aner e falou que era para eu esperar todos os dias para sua chegada sempre fazendo sua comida favorita. - Ela se largou dos braços de Fukai e apontou para o caldeirão. - Olhe eu aprendi a fazer o frango que mamãe fazia.

- O cheiro está muito gostoso, senti quando entrei no portão principal da família. - Fukai se sentou sorrindo. - Desculpe por ter saído por tanto tempo sem dizer nada, eu não queria deixar vocês preocupadas mais do que já estavam.

Lina pegou um dos poucos potes de fundo chato e colocou um pouco da sopa com frango, se sentou ao lado de Fukai e o entregou.

- Mamãe deixou bem claro que estava fazendo isso por nós, então eu não fiquei preocupada, mas eu temi que você não voltasse. - Lina abaixou sua cabeça envergonhada. - Depois do papai e do irmão mais velho terem ido...

- Não se preocupe. - Fukai a interrompeu, a tristeza também o perseguia com essas duas figuras. - Eu estou aqui agora, não vou deixar nada acontecer com vocês.

Lina coçou os olhos sorrindo, e limpou as poucas lágrimas que se acumularam. Ela abaixou a cabeça e concordou silenciosamente enquanto observava seu irmão tomar a sopa toda em apenas alguns segundos.

Fukai suspirou de olhos fechados e lambeu os lábios.

- Idêntica a da mamãe, Lina.

- Obrigada, irmão. - Lina abriu um largo sorriso. - Grande Irmão, quer mais?

- Por favor. - Ele esticou de volta o pote e a deixou arrumar mais uma vez. - O irmão mais velho mandou alguma mensagem de volta para nós? - Fukai perguntou indiferente.

Lina parou de arrumar a sopa e olhou para baixo sem dizer nada.

Prestando atenção na reação de sua irmã, Fukai insistiu.

- Lina, algo errado?

- Não é nada, é que.. - Ela voltou a colocar a sopa no pote e se sentou no chão entregando a comida para Fukai. - O Grande Irmão mandou uma mensagem faz três dias diretamente para nós.

Fukai continuou a olhando, o tom de voz de Lina era tão fraco e sem esperança que o deixou nervoso por dentro.

- Foi uma transmissão direta, ou uma gravação de talismã?

- Uma transmissão. - Lina se levantou e correu até o armário pegando um objeto pousado lá, voltando para perto do seu irmão, ela entregou a Fukai. - Eu espero que irmão mais velho não fique triste com o Grande Irmão.

Ouvindo aquilo, uma certa desconfiança e nervosismo cresceu ainda mais forte.

O objeto era um talismã de comunicação, só podia ser usado apenas uma vez, e também era o objeto de extremo valor para todos de uma grande família. Os Ferio, por exemplo, entre todas as famílias normais havia somente um para cada.

A família de Aner só teria uma, a família de Fukai só teria uma.

Mas Ana Ferio sendo filha do patriarca tinha algumas dezenas, esses objetos de transmissão únicas eram usados para selar uma mensagem, dar uma localização ou esconder conversas.

Fukai levou a mão ao pequeno talismã circular e descarregou um pouco de sua Profunda Energia dentro.

O talismã brilhou em tom negro e um ponto branco cresceu fraco entre a escuridão do objeto.

"Mãe, Lina e Fukai, sou eu, France. Mandei uma mensagem para vocês faz um mês e desde então eu fiquei preocupado com a situação de casa, eu sei que estão passando por um pouco de sufoco, mas não posso ajudar no momento.

Como sabem, desde que saí de casa estive procurando um artefato que poderia curar a doença da mãe, e eu encontrei ele.

Bom, eu estaria indo embora agora mesmo para que possa encontrar vocês, mas eu descobri uma coisa também importante.

Encontrei sinais de que nosso pai está vivo...

Fukai ficou pálido, escondendo um dos seus braços por trás das costas, ele apertou tanto o seu punho que o som de ossos estalando foi alto.

"Sim, eu sei que seria egoismo ir atrás dele agora, e também seria burrice, mas como sabem, eu sempre quis saber como nosso pai era, e quem ele era. Mãe nunca nos disse nada, então eu mesmo vou atrás dele.

Espero que até que eu o encontre, vocês possam ficar seguros, e por favor, não mostrem essa mensagem para o Patriarca, ele não gostará nada.

Obrigado por sempre estarem orando pelos Deuses por mim, Seu Grande Irmão e também amado filho France se despede agora."

Lina observou a reação de seu irmão quando o talismã se apagou totalmente. A expressão complicada que Fukai tinha em seu rosto.

France Ferio era um dos poucos homens que Fukai admirava, outro era Razam por ser seu mestre, mas seu pai, um homem que nunca conheceu direito, nem mesmo tinha o sobrenome dele, ainda assim seu irmão corria atrás dele sempre.

Era um objetivo que Fukai não assimilava para si, por que encontrar alguém que os largou para sofrer naquele inferno de lugar?

Qual era o motivo de procurar alguém que nunca pareceu gostar realmente das pessoas que vivia?

Sem ao menos dizer uma Adeus para sua mãe, sem ao menos conversar com Fukai quando era menor.

A figura paterna que Fukai tinha era seu irmão mais velho, mas agora o ouvindo dizer que correria atrás de um fantasma, o coração dele se apertou.

- Por quê…? - Ele cochichou.

- Irmão mais velho… - Lina se aproximou se arrastando sentada. - Eu sei que o Grande Irmão deve ter algum motivo por trás disso, espero que perdoe ele.

Os olhos de Lina brilhavam, aquela carinha redonda tão gentil e boa ainda fazia de Fukai ficar impotente a falar algo ruim sobre seu pai na frente dela.

Assim como France, Lina também via seu pai como uma pessoa tão grande e forte quanto um Deus, e por isso quando France estava em casa, ele contava as histórias que seu pai uma vez o contou.

Sobre os feitos heroicos, de como conheceu sua mãe, de como duelava contra vários monstros, de como superou muitas pessoas.

Ele realmente era uma pessoa forte...

Mas Fukai o via apenas como covarde, um covarde que fugiu quando mais se precisava deles.

E no fundo do seu peito, o título de pai estava muito apagado.

Quando France disse sobre seu pai, a tristeza afundou ainda mais o coração de Fukai, era como ver outra figura familiar virar um fantasma. France nem mesmo disse quanto tempo ficaria fora, e isso indicava que ele mesmo não sabia.

Para achar alguém tão importante para ele, France sacrificaria o seu próprio tempo.

- Eu nunca vou odiar o Grande Irmão France. - Fukai confessou. - Sempre admirei o Irmão France, não será hoje que deixarei de fazer isso, não por causa daquela pessoa.

- Está se referindo ao papai? - Lina falou um pouco recolhida, muitas das vezes sua mãe já havia dito que Fukai não aceitava seu pai como pai.

- Aquela pessoa, sim, o seu pai. - Fukai deixou o tom de voz agressivo soar. - Até que eu o veja e diga o que tenho para dizer, ele ainda vai continuar sendo um fantasma para mim.

Por Amnésia | 25/12/17 às 17:14 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação