CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 23 - Vida e Morte

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 23 - Vida e Morte

Autor: Amnésia

Melina meditava ao lado de Lisa de olhos fechados quando ouviu aquele fino e alto barulho de ferro se chocando. Ela abriu os olhos juntos de Lisa, ambas se encararam por um curto período de tempo.

- Rápido, vá e fique com os demais, eu logo voltarei. - Lisa disse puxando sua espada colocando atravessada nas costas e pegou os finos ferros para arrumar seu cabelo.

- Certo.

Melina saiu rapidamente olhando em volta. No momento em que seu corpo ficou totalmente exposto ao frio, um denso aperto em seu corpo a esmagou, ela ficou pesada, seus membros e músculos pareciam não querer se mexer por nada.

Train Calto e Dubai Calto já tinham saído de suas tendas, eles eram veteranos com mais de cem anos cada, ainda que estivessem no começo do Reino Sol Nascente, aquela pressão era mais agressiva do que qualquer coisa que presenciaram antes.

Hakunin conseguiu dar um passo para trás, mas logo se ajoelhou pingando suor. Seu casaco de pele ficou encharcado, seu corpo suava muito e molhava suas roupas.

Garp tensionava seus braços rangendo os dentes, ele apertava o porrete com tanta força que poderia o quebrar a qualquer momento, mas ainda resistia ferozmente aquela estranha e feroz pressão.

- Ela faz parte de uma besta Sol Nascente. - Train Calto falou com esforço e dificuldade, seu corpo paralisado não reagia a nenhum movimento.

- O que uma besta desse nível está fazendo aqui? - Dubai também não conseguia se mexer e continuava estático.

Train estava perto de perguntar quando uma gargalhada surgiu rapidamente entre as colinas a sua volta, a parede de pedras e terra ecoava aquela risada com grande animação, era sádica, sem nenhum pingo de piedade, era de tremer a alma.

Realmente pertencia a uma besta.

- Insignificantes humanos, pedaços de lixos que corrompem o meu ninho. - A voz era grave e soava sempre com uma gargalhada. - Esse Rei aqui está contente por vocês entrarem tanto dentro de minha casa, assim posso alimentar as minhas crias.

A voz cessou por curtos segundos, acima de cada colina sombrar negras começaram a aparecer gradualmente e ficando em grandes quantidades.

Seus rostos eram negros, eles pareciam com sombras, apenas olhos brancos emitia luz do restante do corpo escuro, era de arrepiar qualquer pessoa.

Melina caiu para trás ao ver uma daquelas bestas, seu braço começou a tremer sem parar, ela engoliu o seco abrindo sua boca sem conseguir proferir nada.

- Vão, meus queridos filhos. - A voz gargalhou como se estivesse vendo um show. - Se alimentem como fizemos com os outros que vieram.

Train e Dubai Calto tremeram seus ouvidos. “Outros vieram até aqui?”

A Seita Ligiu e Suan então realmente foram para aquele lugar para esconder seus crimes.

Eles até queriam pronunciar algumas palavras para o outro sobre essa nova informação, mas o fato de que bestas negras estavam pulando de cima das paredes das colinas a sua volta eram realmente terrível.

Cada uma delas liberava uma quantidade de energia que era tão fria e obscura que travava o oponente, isso era de fato um abate sem precedentes.

- Recue para uma formação defensiva. - Lisa saiu de trás de sua barraca já com a sua espada em mãos e parou em frente a Melina. - Vamos perseverar…

Garp Sá recuou rapidamente, a pressão que antes o apertava e esmagava cedeu por alguns segundos rapidamente na hora que a voz de Lisa ecoou em seu ouvido. O mesmo aconteceu com Hakunin, ele pôde se erguer envergonhado e levantar sua espada.

Lisa esticou sua espada para cima, esperou a besta mais próxima chegar para a confrontar de frente, com esforço ela conseguiu arremessá-la para trás diretamente no chão.

- Vamos, Melina. - Lisa disse colocando a mão no ombro da garota andando de costas. - Temos que reagrupar, espere até que Lau volte para novas ordens.

O grupo de nove ficaram de costas para o outro, eles empunhavam suas espadas e deixaram as bestas ficar cada vez mais perto, a quantidade imensa os rodeou os deixando em um centro, a situação não era das melhores.

A cor negra de cada um daqueles monstros era de arrepiar a espinha, se não fosse o fato de que seus olhos fossem duas esferas brancas médias, eles não teriam coragem nenhuma de avançar contra aquilo.

A única que realmente não parecia amedrontada era Lisa que segurava a sua espada lisa em uma mão e com a outra pousava sobre o ombro de Melina.

- Não fique com medo, lembre-se do que aprendeu durante todo o tempo que esteve treinando, apesar de serem assustadoras estão apenas no terceiro nível do Reino Terrestre. - Lisa explicou deixando todos a ouvirem. - A quantidade deles e o medo são suas armas principais, por isso temos que ficar jun…

Ela não conseguiu falar mais, quando seus olhos foram para a direita, uma sombra que pertencia ao seu grupo rasgou a formação defensiva indo com toda a sua força para frente.

Um porrete brilhou quando ignorou o braço da besta negra a afundo sua cabeça no chão, Garp rebocou totalmente seu oponente deixando o medo de lado.

Se arremessou a frente e disputou forças contra duas delas, seu físico era tremendamente perfeito, não havia uma falha constante.

 

Durante o final do segundo teste, ele ficou frustrado por não ter conseguido passar em primeiro, mas o que mais o deixou humilhado foi o fato de que ele desistiu e não perdendo para um dos Trauros inimigos.

Descarregar sua raiva na besta mais próxima era a forma de apassionar sua ira.

E a sensação de encurralar os inimigos era a melhor de todas.

O sorriso largo no seu rosto, enquanto sem nenhum tipo de técnica ele levantava e acertava golpes atrás de golpes, a sensação do Ganger no seu corpo refinando aumentava.

Sua expressão ficou mais ansiosa.

- Então é assim, hein?! - Garp riu.

Com um membro fora do círculo defensivo, Lisa claramente ficaria irritada e tentaria se mexer para recobrar a estratégia, mas aquilo não era absurdo demais?

Como alguém conseguia levantar um número de bestas negras com tanta facilidade?

- Meus filhos, o que estão fazendo? - A voz gritou com fúria. - Humano, como ousa destruir minhas crianças com essa arma profana?

Garp parou olhando em volta e gargalhou.

- Não ouse falar comigo quando alguém como você se esconde atrás de colinas, idiota.

Classificado no Reino Sol Nascente, quem ousaria desafiar a besta que habitava a Colina de Jade?

Não que era impossível, mas, pelo menos, teria que ser alguém forte o suficiente, como alguém no oitavo nível do Reino Verminiano ousava dizer tais insultos diretamente na face dela?

- Seu imundo, filho de uma puta. - A voz berrou. - Como alguém ousa dizer isso de mim com tanta facilidade, eu vou te matar, desgraçado.

Garp gargalhou e logo empunhou o bastão.

- Eu quero ver você tentar fazer isso…

Um estrondo eclodiu fazendo o ouvido de todos estourarem, Garp por sua vez não foi afetado nas orelhas, na verdade, um punho do tamanho de uma cabeça colou na sua barriga e o lançou na direção das paredes laterais fora da estrada principal.

O corpo de Garp abriu uma cratera dentro daquela montanha, ele abriu um rombo gigante com o seu corpo. Seus braços, pernas, e os órgãos principais foram todos deixados em péssimo estado, seu corpo não podia se mover.

Ele cuspiu sangue enquanto seus olhos semiabertos encararam sua ferida, o lado externo não havia uma única marca, mas o lado de dentro fora quase que esmagado.

Garp sangrava por todo o corpo, desde unhas até os lados de seus olhos, todos eles jorravam sangue.

A figura que o socou estava parada balançando sua mão dominante para os lados como se estivesse dolorida, um focinho esticado puxando o ar ressaltava a juba em volta do seu pescoço, seus olhos vermelhos mortais era quase que a própria morte.

Um corpo de quase 5 metros, uma pata com unhas que eram tão afiadas quanto uma espada lisa, um robusto peito musculoso cheio de pelos brilhosos.

Se não fosse por ele andar sobre duas patas, as pessoas poderiam confundir com um animal de estimação dos Calto, o Tigre Lodrino.

Ele bufou balançando a cabeça para os lados.

- Esse Rei aqui gosta de humanos ousados, eles são sempre os mais rápidos a caírem, mas também os mais divertidos de se brincar. - Sua voz era simples, como de um humano normal. - Mas para mexer nas minhas crianças… vocês estão cortejando a morte!

A pressão aumentou fazendo o grupo inteiro a quase ajoelhar, suas pernas se enfraqueceram dobrando cada vez mais, eles estavam quase cedendo. Suas expressões espantadas e também cheias de temor encarando aquele Rei terrível.

Os dentes afiados da boca do Rei se mostraram com saliva escorrendo, ele lambeu os lábios com o amargo gosto de carne humana descendo pela sua garganta.

- Não se preocupem, eu farei com que não sintam dor quando morrerem.

Tensionou as patas com força fazendo o solo abaixo rachar, e saltou como uma mola a frente abrindo suas mãos, as garras afiadas cresceram como cinco espadas lisas e foram direto no mais próximo humano.

- ‘Três cortes de Rei’…

Três das cinco garras brilharam com cor roxa e preta atacando, a energia a sua volta se transformou e condensou, uma listra negra ficou perpetuando no ar, o Rei parecia ter aberto uma fenda espacial curta que desapareceu rapidamente.

O Rei usou sua garra e golpeou para baixo.

Hakunin com sua espada na mão esperou até o último momento, ele estava apenas no Reino Verminiano, o que ele poderia fazer para derrotar alguém três Reinos acima dele?

Nada, definitivamente nada!

- ‘Dança Lotus Roxa’…

Uma mulher dançou rapidamente aparecendo a frente de Hakunin e o mandou para trás com um empurrão. Sua espada liberou quatro ondas de Profunda Energia difundida com o elemento terra e travaram no ar as três garras do Rei.

Com uma sobrancelha curvada, o Rei sorriu agradavelmente.

Com o outro punho, ele socou a barriga da mulher, ela era Kola Calto, uma especialista no pico do Reino Elementar, e mesmo assim não foi possível.

Besta do Sol Nascente, uma fera capaz de deixar até mesmo os mais novos do mesmo Reino desolados.

Kola Calto teve um impacto curto de seu peito contra o golpe inteligente do Rei, seu corpo deu um passo para trás deixando a espada cair de suas mãos, e se ajoelhou quando todas as partes de seu corpo começaram a sangrar.

Perdendo totalmente a consciência, ela caiu para frente.

- E mais uma vai para a vala. - O Rei gargalhou. - Quem é forte o suficiente para combater esse Rei aqui? Ninguém é apropriado, ninguém.

Ele abaixou o braço e as três garras brilharam de novo, um por um, ele foi derrubando, cada luta que os sete membros tiveram foram sendo tão inúteis que não era nada parecido com o que já tinha passado alguma vez.

Lisa foi a última a ser lançada para o chão imóvel, seu corpo se recusou a cair, então o ultimo esforço foi usado para ficar de joelhos, seu braço apoiando no chão para que não pudesse se deitar.

Ela se recusava.

Melina, os Calto, Hakunin, Garp, eles caíram sem nenhuma resistência, derrotados miseravelmente por um Rei tão forte.

Lina agarrou um punhado de pequenas pedras reunindo todas as suas forças, ela forçadamente ia contra o fluxo de dor para se levantar, e isso deixou uma boa marca no Rei.

-Alguém que não caiu depois de um golpe, e é uma mulher. - O Rei riu ainda debochando. - Para ser capaz de se ficar de pé depois disso, um pedaço de estrume como você realmente tem capacidade para se tornar a última a morrer.

O Rei se virou para a cratera que fez com o corpo de Garp e riu maliciosamente.

- O primeiro a morrer será aquele filho de uma puta que me fez sair do meu cantinho.

Dando seus primeiros passos para frente, Rei esticou seu braço peludo para frente e com um traço de energia pulsando para fora o corpo de Garp voou para suas mãos, quando o agarrou no meio do ar, a primeira coisa que fez foi lançá-lo de novo para um local específico cheio de pedras e abriu uma nova cratera.

O Rei gargalhou.

- Isso é divertido, ele ainda não morreu. - Gargalhando, o Rei repetiu mais uma vez abrindo o terceiro buraco na parede de colinas a sua volta fazendo de Garp um chicote que batia e voltava. - Isso é realmente esplêndido, um corpo tão bom para se bater.

Segurando o pescoço de Garp, o Rei sorriu.

O grande garoto abriu um dos seus olhos encarando a fera na sua frente.

O Rei o admirou por um curto período de tempo antes de o esmagar no chão, certamente ele estava segurando sua força para que não o matasse na hora, ele queria ver aquele pedaço de estrume ser cavado no chão.

Sua sepultura seria ali mesmo, naquelas paredes de pedra.

- Quais suas últimas palavras, verme humano?

Garp deixou o sangue escorrer pela sua boca, seus dentes já estavam todos vermelhos, já era difícil de respirar, ele estava a beira do colapso, mas, ainda assim, ele sorriu.

- Um Rei tão… fraco…

O Rei engoliu o seco irado, ele apertou o pescoço de Garp o sufocando, os braços do garoto tremeram enquanto perdiam o ar, seu corpo todo já destruído ficou repleto de fissuras parecendo que ia ser evaporado.

- BASTARDO!

O Rei tremeu, ele largou o pescoço de Garp enquanto recuou rapidamente para trás respirando apressadamente, seu corpo tremeu ao ouvir a voz ecoar dentro de sua mente.

Uma lança arranhou seu braço direito o fazendo sangrar.

A arma usada para o ferir dançou no ar para todas as direções até parar e apontar sua lâmina para ele.

- Quem… Quem é você?

- É melhor que você reze para que esse garoto esteja vivo. - A voz veio de cima, um homem usando uma roupa escura segurando suas adagas estava flutuando. - Caso ele não estiver, eu farei você implorar para retirar esse título mais de um milhão de vezes.

Por Amnésia | 27/12/17 às 15:42 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação