CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 44 - As garras gêmeas do Leopardo Faminto

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 44 - As garras gêmeas do Leopardo Faminto

Autor: Amnésia | Revisão: Paragon

O ar se intensificou totalmente com aquela batalha. O entendimento sobre um sparring ou um treino virou completamente uma batalha de forças que envolviam os dois jovens no centro.

A aura vermelha e roxa de Lucy Naita se fundia e se misturava com a aura negra e dourada que Fukai exalava.

O garoto com seu nariz empinado e sua espada para frente sorriu tendo sua primeira oponente digna do seu estilo próprio.

Lucy também sorria por estar exalando tudo de si. Nunca houve alguém no instituto que pudesse parar uma das suas espadas lisas, quem diria as duas. E bem na sua frente alguém que era o oposto de todos com quem encontrou.

O medo de perder uma luta, ambos não a tinham até então, um adversário no mesmo nível, isso era raro.

O primeiro golpe veio de Fukai Ferio que levantou sua arma já intencionando sua força para Lucy, ele segurou a sua espada com as duas mãos enquanto seu movimento lateral foi tão simples quanto cortar papel.

A garota levantou apenas uma das suas espadas enquanto a outra foi esticada para frente, diretamente ligando defesa e ataque em uma posição.

Seu rosto não tinha uma expressão definida, mas a excitação por estar dando tudo de si agora era muito mais do que envolvente. Ela só ficava assim quando seu oponente era quase três níveis maior que o seu, nunca para baixo.

Com a colisão das duas espadas, Fukai se viu obrigado a desviar para o lado saindo da direção da segunda arma, suas pernas dançaram para a direita deixando Lucy acertar o vácuo.

A perícia com a arma foi um tanto anormal. Lucy torceu o pulso para o lado mudando a trajetória da lâmina e seguindo os passos de Fukai.

O fio da arma não era os mais afiados, mas continha seu perigo. Fukai curvou seus lábios com irritação e curvou mais uma vez seus passos seguindo para a lateral e fugindo do golpe.

De uma hora pra outra, Lucy o colocou em desvantagem e na defensiva ao mesmo tempo.

- As duas espadas são usadas para suprimir os outros. - A voz de Razam ecoou, mas não para Fukai. O espírito guardou o comentário para si sorrindo degustando da luta. - Quando os seres vivos e pensantes são colocados contra uma parede, suas ações de sobrevivência os remetem a saltar por cima do muro, ou andar a sua volta para encontrar uma saída.

Com apenas dois golpes consecutivos de Lucy com total precisão, ela conseguiu fazer Fukai não mais se aproximar.

- Dentro desse muro, há outros seres que aprenderam a sobreviver de diversos encontros com a morte, e há aqueles que acabaram de se aproximar pelo lado de fora.

Fukai dançava sem vacilar ficando em máxima concentração, os golpes chegavam e ele só tinha curtos momentos para aparar.

O sufoco que começou a acelerar o confundia, as coisas estavam começando a pesar em seus ombros, chegava a ser estranho como um adversário o colocava tanta dificuldade.

E sua defesa ainda era bem fechada. Lucy não abria uma única brecha, quando um dos seus braços se esticava, o outro recuava defendendo de qualquer perigo.

Um estilo de ataque e defesa bem moderado, os golpes eram pesados e a defesa forte, para qualquer oponente era como lança e escudo.

A imagem da beldade número um carregando uma batalha acirrada era vaga. Na verdade, a surpresa era que Fukai Ferio não tinha sido atingido ainda.

A defesa dele, sua movimentação e até mesmo os diversos golpes que recebia, ele se safava sem um arranhão.

Era como uma cobra se rastejando entre os galhos de uma enorme árvore.

Fukai lutava sempre com sua mão esquerda perto do peito, Lucy não tinha ideia do motivo disso, mas ainda era curioso.

Seus dedos se mexiam sempre que um dos seus golpes era refletido, o choque erguia ou dobrava um dos dedos.

O suor na testa de Fukai caiu no chão desde que começou a luta, quando a gota atingia o solo seus dois pés recuaram.

Lucy por impulso foi a frente. O fato de Fukai ter respondido ao seu ataque e recuado já lhe dava a resposta.

Ele não estava confiante que podia ganhar.

Inclinou o corpo a frente e rugiu feito um Leopardo Faminto, as duas garras feitas de espadas e toda a fúria somaram a um golpe devastador que concedeu a terra a ser lançada contra os que assistiam do lado de fora.

A poeira no ar não tinha a cor comum de marrom, mas sim um roxo escuro perfeitamente brilhoso que esvoaçava no ar feito neve.

Quem não apreciaria a algo tão lindo?

Os curtos raios roxos camuflaram por alguns segundos a luta brutal que Lucy e Fukai estavam tendo.

Aquele golpe que envolveu metade da Profunda Energia de Lucy foi esplêndido.

Uma fissura no chão de quase 40 metros começou a aparecer quando a poeira abaixou, em linha reta sem nenhum tipo de curva ou algo que barrasse sua passagem.

Esse era um golpe de alguém no Reino Terrestre, era para ser levado até 100 metros. Os outros 60 metros restantes, eles foram bloqueados.

A espada cinzenta curvada em direção ao solo tremera antes de ser retirada do chão. O braço direito de Fukai estava exposto, o forte vento arrastou metade da roupa do lado direito.

Se levantou sem muita dificuldade, a linha de sangue que escapou da sua boca foi limpa pelas costas de sua mão.

Ele assentiu depois de ser golpeado daquela maneira.

- Eu realmente não esperava isso. - Ele balançou a espada para os lados.

- O Reino Verminiano e Terrestre são separados por um gargalo imenso. - A calmaria de Lucy não era igual aos seus golpes. - Você deveria estar ciente disso já que tem conhecimento de tantas coisas.

- Um gargalo? - Fukai não deixou de sorrir. - Gargalos são feitos para aprender sobre seu limite, eles não existem na realidade.

Lucy negou severamente, o tom de voz dele ficou arrogante do nada, parecia ser um ditador do que um guerreiro.

- Está soando de forma arrogante, ambos temos idades inferiores ao mais composto especialista marcial, acha que pode refutar algo que já é considerado uma verdade absoluta?

- A verdade da verdade é que nada é verdade. - Razam falou ao ouvir Lucy comentar, mas novamente, ele disse para si mesmo.

Foi a vez de Fukai balançar sua cabeça negando.

- Aceite o que eles querem e se torne um deles.

Fukai dobrou suas duas pernas as separando do centro, a direita tinha todos os seus dedos virados para a direita, a da esquerda tinha seus dedos virados para frente.

Abaixando seu corpo, ele deixou todo o seu corpo em uma posição defensiva, levantou seus dois braços segurando Lingot dobrando seu cotovelo para trás da cabeça e virou seu tronco em direção a Lucy.

A sobrancelha da garota curvou para baixo depois de reconhecer aquela posição corporal.

- Shin no Kamae. - Ela falou sem muita reação. - Quantos estilo de luta decorou? Esse é uma das posições do livro dos Samurai: Aikido Art.

Fukai deu de ombros não ligando.

Mas essa pergunta deixou até mesmo Razam curioso, pelo que tinha visto, seu discípulo tinha cerca dos 9 Estilos Ferio, e aprendeu até mesmo os estilos de 3 dos 5 Imperadores.

Se não fosse por ter conseguido chegar e concluir a base de cada estilo, Razam não ligaria.

Mas aprender tantas coisas e não dominar nenhuma era idiotice, caso fosse pego por um Mestre Espada ou Mestre Lança, ele seria morto.

Seu encontro com Fukai lhe abriu um dos olhos e fechou o outro.

Um estilo baseado em outros estilos!

- Eu gosto de ler. - Fukai disse, simplesmente. - Não que eu tenha interesse nas artes dos outros, mas conhecimento é a chave da sobrevivência, não acha?

- Está certo. - Lucy concordou com um aceno de cabeça quase como uma reverência. - Podemos recomeçar?

- Estamos no fim para ser claro. - Fukai riu. - Tanto a sua quanto a minha força chegaram a poucos porcentos.

- Então está ciente de que a derrota é o que lhe aguarda? - Lucy foi fria quando manejou a espada para seu lado entrando em posição ofensiva.

- Nunca gostei dela. - Fukai retribuiu com um abaixar mais longo de seu corpo para o chão. - De qualquer forma, é com a derrota que aprendemos a vencer.

Lucy parou e respirou fundo. Ele havia ressoado as mesmas palavras que seu pai quando treinavam.

Um ditado um tanto impopular na geração mais nova, mas era a verdade.

Quanto mais se perde, mas experiência se ganha.

Mas comparar Lucy, que tinha um estilo quase perfeito, contra Fukai que desenvolveu o seu com apenas 3 meses, isso era deprimente.

As chances de um ganhar eram quase 5 vezes maior que o outro.

A posição de Fukai era perfeitamente solida, seus membros estavam em perfeita sincronia quando comparados aos que havia lido nos livros.

A posição de pés, do braço e do tronco, todos ajeitados para se defender com eficiência de um golpe pesado.

Mas estava sem dúvida, longe do que um verdadeiro Samurai podia fazer.

Lucy Naita ainda hesitou ao ir a frente, uma posição que era rara também confundia seus sentidos.

Não importava quem fosse seu oponente, ele nunca conseguiria ser tão forte ao ponto de tirar a euforia de batalha da garota.

O sentimento de poder lutar como fazia com seu pai aumentava mais e mais a cada segundo agora.

Seguindo os batimentos de seu próprio coração, Lucy ajeitou os dois braços deixando seus meridianos abertos mais limpos e soltando a aura roxas de dentro deles.

Ao invés de liberar tudo, ela aos poucos começou a condensar essa aura para si e focando sua Profunda Energia em volta do corpo como uma barreira. Tudo isso sem tirar os olhos de Fukai.

Tudo isso com o objetivo de acabar com essa luta agora.

Ela atacou.

Não houve tempo de pensar, não houve tempo para tirar conclusões, tudo foi rápido demais.

As duas lâminas de Lucy Naita fizeram um movimento de X em cima de seu peito antes de se esticarem visando Fukai Ferio.

A posição sólida e defensiva de Fukai não cedeu momento algum, ele permaneceu assim até que sua oponente chegasse mais perto.

A colisão se deu com dois golpes.

Lucy arrebatou a lâmina de Fukai para cima buscando seu pescoço, a euforia descontrolada dela a fez atacar os pontos vitais.

Fukai desviou uma das espadas torcendo a lâmina para baixo e inclinou a cabeça para trás em um movimento de desespero repentino.

O trabalho com um dos movimentos dos Samurai foi por água abaixo.

O golpe pesado o recuou mais uma vez. Gingando seu corpo em desvantagem absoluta, seus olhos encontraram os de Lucy por curtos segundos.

As espadas, os sons, a poeira e terra levantadas todas ficaram lentas. Os movimentos de ambos lutadores pareciam se mover em câmera lenta.

Os olhos negros e azuis se encontraram pela última vez antes de tudo voltar ao normal.

Fukai nesses pequenos segundos vislumbrou uma oponente tão formidável quanto também uma beldade em pessoa.

Mesmo que o sorriso no rosto da garota não fosse verdade, mas sim por causa da luta, Fukai ainda a admirou.

Do outro lado foi o mesmo. Lucy Naita com seus pequenos olhos azuis não escondeu de si mesma o quão alegre estava por ter encontrado um oponente digno de sua força.

No fim, as palavras de ambos os lados soaram ao mesmo tempo.

- Eu vou ganhar!!

As duas lâminas simplesmente continuaram atacando em velocidade máxima, e Lingot as bloqueava com rapidez e precisão enquanto seu dono dançava no solo.

A velocidade de ataque contra a velocidade dos pés, uma batalha nada comum.

Mas no fim, havia apenas um que podia ganhar.

Fukai rebateu as duas laminas para cima enquanto arremessando Lingot para cima de Lucy.

Com os punhos leves, saltou para frente onde sua oponente se equilibrou, mas a surpresa dele estar muito perto também a pegou.

Sua boca se abriu mais ainda quando Fukai a bloqueou empurrando seu pulso para trás.

O garoto abaixou desviando do segundo golpe da espada e se colocou a esquerda dela.

Com a palma da mão, ele golpeou o abdômem e a coxa e recuou suando.

Fukai puxou Lingot de volta pra sua mão e respirou fundo se concentrando.

- Seu corpo não é normal, não é?

Lucy não respondeu, o sério rosto encarava os de Fukai. O silêncio foi sua resposta.

- Entendo. - Fukai continuou de qualquer jeito, ele mexia os dedos de sua mão esquerda, tinha sido essa que havia colidido contra o abdômen macio do corpo da garota. - Agora eu compreendo o motivo de gostar tanto de lutar.

- Você não sabe de nada... - Ela resmungou desviando o rosto de leve. - Não sabe...

- Esse peso que você carrega. - Ele disse a assustando. - Não entendo mesmo.

Fukai empinou Lingot com a mais séria das expressões, sua raiva de uma hora pra outra cresceu como fogo no óleo ficando até a par da própria Lucy.

- Venha decidir então, de sofredor pra sofredor. - Fukai bateu forte contra seu peito duas vezes. - Vamos decidir isso de igual pra igual.

Por Amnésia | 16/02/18 às 00:43 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação