CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 46 - Conversa entre espíritos e humanos

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 46 - Conversa entre espíritos e humanos

Autor: Amnésia | Revisão: Paragon

- Eu.. eu o matei?

Sakura deu uma gargalhada deixando Lucy ainda mais assustada. O espírito certamente tinha uma personalidade bem diversificada, só a sua risada dava medo.

Sembou por outro lado fechou a cara para sua irmã a repreendendo. Ela se virou para Lucy e sorriu.

- Claro que não o matou. - Ela disse. - Ele está selado no tempo como todos os outros a sua volta, está vendo?

Pela primeira vez, Lucy prestou atenção nas pessoas a sua volta, todos os rostos estavam travados, todas as vozes seladas, toda a poeira que caía dos inúmeros golpes que ela e Fukai trocaram estavam congelados no ar.

Impressionada pelo que presenciava, a garota abriu sua boca meio em choque.

- Essa é uma habilidade que alguns espíritos possuem. - Sembou disse. - Grande Razam é o responsável por isso, ele é o espírito que está selado na lâmina curvada de Fukai Ferio.

Lucy concordou com metade das coisas que Sembou disse, a outra metade foi completamente estranha.

- Eu não sabia que existiam espíritos e nem que podiam ser selados dentro de espadas.

Sakura revirou os olhos para a garota.

- Você é uma humana, é normal não saber de muitas coisas.

Aquilo sem dúvidas foi uma ofensa, mas Lucy não prestou muita atenção, ela se concentrava em Sembou que a observava com carinho.

- Isso é algo real, os humanos não têm muito conhecimento sobre o universo como nós. - Sembou disse.

A mulher sorriu e esticou sua mão em direção a Razam e Sakura.

- Nós somos Entidades Celestiais, viemos de um Plano Dimensional diferente do seu. - Ela tentou explicar para a garota confusa. - Consegue compreender?

Lucy assentiu com a cabeça algumas vezes para cima e parou olhando para o chão.

- Mas... por que estão selados? Se são Entidades, não deviam estar assim, não acham?

Razam deu de ombros andando de um lado para o outro e parando ao lado de Fukai, ele ficou ali olhando para o garoto enquanto tentava raciocinar com a mão ao queixo.

- Nós somos Entidades Celestiais, mas não somos Imortais. Quando eu estava duelando pela minha vida, tive uma leve impressão de que tudo era parte de algum tipo de plano. - Ele falou chamando atenção dos demais. - Eu ouvi que as pessoas estavam começando a chamar de "Renascimento" ou algo parecido.

- Não há muita lógica em transformar Entidades em espíritos e os mandar para planetas diferentes, não acha? - Sembou disse. - O grande Deus Universal e o Deus Eterno jamais deixariam que isso acontecesse.

Razam nada respondeu, mas continuou olhando para a figura congelada de Fukai.

- Me permita perguntar, senhora Sembou. - Razam logo se virou. - Quantas Entidades Celestiais existiam só nosso plano?

Sembou franziu o cenho, mas respondeu em seguida.

- Umas centenas de trilhões, aproximadamente. - Com a expressão carrancuda de Razam ainda tentando entender os fatos, ela continuou. - Algo lhe perturba?

- Estou com um mal pressentimento. - Ele disse. - Até entendo que morri sendo combatendo um exército de Rebeldes, e por fim, morri com uma espada de lâmina curvada, mas as duas senhoras Gagueoshi morreram também logo em seguida, não me parece certo.

Sakura continuou calada afastada mexendo nas pedras no chão virada de costas para os dois, seus dedos arrastavam o solo tentando puxar a Pura Energia Elementar do solo, mas não conseguindo.

- Os que nos atacaram... também foram os Rebeldes. - Ela se ergueu do chão e encarou Razam. - Nos atacaram pela porta da frente enquanto estávamos tendo uma reunião importante com um dos Generais dos Guerreiros Sagrados.

Razam não esboçou fúria nem nada do gênero, ele só assentiu ainda se envolvendo.

- Parece ser isso mesmo.

- Acha mesmo que alguém está tramando algo no Plano Celestial para que possa tirar todos as Entidades Celestiais? - Sembou falou levando sua mão a boca, nervosa. - O que eles estariam tramando?

- Provavelmente estão buscando os títulos mais importantes que há nos dois Planos Dimensionais. - Razam disse. - Guerreiro das Orquídeas, Gêmeas Gagueoshi são títulos importantes que nós detínhamos e agora está na posse deles.

- E então como forma de tomar todo o Plano Celestial, eles começaram a matar cada Entidade a fim de chegar até o maior dos títulos? - Sakura falou com os olhos meio abertos, uma incrível façanha desenvolvida pelos inimigos.

- Isso mesmo, Sakura. - Razam nunca havia chegado a nenhuma conclusão do motivo de ter sido morto mesmo depois de ter falado sobre seu título, no final, foi esse título que o matou, era irônico. - Eles estão almejando os 5 Imperadores, os 4 Lordes, os 3 Reis, os Deuses Imortais, os Deuses Gladiadores e os Demônios.

Sembou abriu os braços pronta para perguntar o motivo disso tudo, mas Razam foi mais rápido.

- Nossas vindas para cá, esse Plano Dimensional de energia fraca deve ser um plano arquitetado pelo próprio Deus Eterno, ele era o único que tinha capacidade de observar todos o universo e suas dimensões.

- Então ele protegeu nossas vidas com algum tipo de Técnica misteriosa. - Sakura falou deixando escapar um risinho fraco. - E pensar que dependeríamos da pessoa que todos nós odiávamos.

Razam negou com a cabeça rapidamente.

- O Deus Eterno sempre foi muito bom com todos, ele ajudou todas as raças Kalashy a se reagruparem em uma terra no Plano Celestial, lembra-se?

Sakura cruzou os braços virando o rosto sério.

- Mas ele não me ajudou quando pedi milhões de moedas de ouro.

Lucy que estava parada ali por tanto tempo ouvindo sobre todas essas coisas sobre Deuses e Planos observou meticulosamente Sakura e Sembou. As duas eram chamadas de irmãs gêmeas, mas suas personalidades eram totalmente diferentes.

Pelas palavras de Sakura nesse momento, Lucy logo a julgou como uma egoísta sem igual. Todas as vezes que ela abria a boca, algo ruim ou sarcástico saía de lá.

Sembou, por outro lado era uma flor bonita e delicada preocupada com o bem-estar das pessoas a sua volta, ela até mesmo tinha um cheiro de pétalas que deixou Lucy bem calma.

Entre as duas, a mais forte era Sakura, mas a mais segura era Sembou.

E Razam, apenas por olhar para ele e sua junção com Fukai Ferio já a deu um certo respeito nato. Quando ela focou um pouco em Fukai ali parado, pôde ver seus olhos abertos sem se mexer, mas por curto e único segundo, ele vibrou.

Razam continuava afiando suas informações para conseguir entender a resposta, mas nenhum tipo de ideia chegava a ele.

Sembou e Sakura nada mais falaram também, continuaram conversando entre si até que Lucy deu um passo a frente chamando atenção dos três.

- Com licença... - Sua voz tímida não agradou Sakura. - Mas acho que esse congelamento de tempo está… acabando!

Razam sorriu e quando estava prestes a falar o corpo congelado de Fukai caiu para trás batendo no solo enquanto sua respiração ofegante veio a tona, seu peito subia e descia enquanto seus olhos estavam quase que pegando fogo.

Ele saltou para trás segurando a lâmina e apontou para frente sangrando, seus olhos quase fechados e sua boca vermelha pelo líquido espalhado pelos dentes e lábios.

- Ainda não acab.... - Ele olhou para Razam, depois para as duas mulheres iguais a Razam e depois Lucy.

As duas espadas que as mulheres carregavam na bainha na cintura e as que estavam na cintura de Lucy eram idênticas, com apenas alguns segundos, Fukai havia decifrado tudo.

- Eu perdi? - Fukai disse dando um passo para trás.

- Perdeu e feio. - Razam gargalhou colocando a mão sobre a barriga. - Ela te acertou e perfurou seu peito, eu consegui segurar a lâmina antes que atingisse seu coração.

Fukai largou Lingot no chão e colocou a mão no peito, seus dedos tocaram o buraco formado e a espessura para dentro, mas seu corpo não reagia a dor.

- Usei uma circulação de Profunda Energia para que você pudesse se recuperar sozinho. - Razam disse parando de rir.

Nem Sembou e nem Sakura disseram nada depois de ver Fukai se descongelar sozinho de um espaço tempo. O garoto simplesmente conseguiu fazer algo que poucas pessoas tinham capacidade.

Quando o Espaço de Congelamento é ativado, toda a Profunda Energia em volta é selada, essas pessoas são colocadas como comuns ou não possuíam um espírito livre ou selado consigo.

No caso de Fukai, Razam o selou mesmo assim para que pudesse se recuperar, no exato momento que ele é selado, sua Profunda Energia é paralisada e seu corpo para de se mover.

E mesmo assim o garoto conseguiu sair daquele estado e saltou para frente procurando recomeçar a briga.

Isso era um espírito indomável.

As duas irmãs partilharam essa informação através de uma telepatia e nada disseram, apenas observaram aquele garoto cansado e quase destruído querer recomeçar algo mesmo depois de cair.

Razam chegou até seu lado e gesticulou sua mão para Sembou e Sakura.

- Essas duas são antigas amigas que também foram seladas em armas, garoto, seja educado.

Fukai se curvou na frente das duas colocando sua mão na cintura e abaixou a cabeça.

- Me apresento, sou Fukai Ferio, um aprendiz de Razam, prazer em conhecê-las.

Seu peito reagiu aquele esforço físico e ele curvada foi ao chão ajoelhado segurando o ferimento do peito.

Sembou sorriu.

- Prazer em conhecê-lo, Fukai Ferio, sou Sembou Gagueoshi.

- Para um garotinho perder para uma menina, você não é lá grande coisa, hein? - Sakura riu dele descaradamente.

Os olhos de Fukai se abriram e encararam as duas mulheres belas.

- São da Família Gagueoshi? - Ele se levantou nem mais sentindo dor. - Aquela família que está constatada como uma das mais fortes e também que são conhecidos por terem o cheiro de flores?

Sembou abriu um largo sorriso.

- É raro alguém nos conhecer por isso, fazem milênios desde que os Gagueoshi perderam essa descrição.

Fukai concordou coçando o queixo.

- Pelos livros de minha família, vocês são muito fortes, conseguem até mesmo combater os Guerreiros Sagrados das escrituras ocultas. - Ele disse sozinho.

Razam o parou.

- O que disse, garoto? - Ele se inclinou a frente para o garoto agachado.

- Está escrito nos meus livros que os Gagueoshi eram mais fortes que os próprios Guerreiros Sagrados. - Fukai disse novo. - Antes disso, por que não me disse que tinha outros espíritos como você por ai?

Razam queria dizer que não sabia, mas ficou calado, aliás ele permaneceu por muitos anos preso sem poder se soltar, não tinha nenhum tipo de visão do que acontecia no mundo exterior.

- Entendo, entendo... - Razam deu as costas. - Ele deve ter feito isso para salvar a todos nós...

- Está falando Dele? - Sembou firmou a cabeça.

- Ele deve estar querendo algo de nós. - Razam continuou olhando para a mulher. - Foi por isso nos jogou aqui, esse é o Plano mais baixo de todos, a Energia é tão fraca que nem mesmo o mais simples especialista do Plano Celestial ousaria olhar para cá.

- Então o Deus Eterno nos trancafiou em uma arma, isso eu entendo, mas o motivo para fazer isso, qual é? - Sakura aumentou seu tom de voz. - Sem um poder do Reino Céu Celeste não temos como ser liberadas, e acredito que nesse lugarzinho horrível chamado de Terra não deve ter.

- Concordo. - Razam disse Incomodado.

- Infelizmente, também concordo. - Sembou falou triste.

Lucy pareceu meio para baixo, todos os demais pareciam estar sem nenhuma energia, parecia que até mesmo as suas esperanças tinham se esgotado.

Mas havia uma pessoa com a cabeça erguida.

- E qual o problema em não ter um? - Fukai falou fazendo o silêncio mais uma vez ser domado por sua voz. - Eu não faço ideia onde esse Reino Céu Celeste deve estar, mas se vocês, espíritos, ajudarem, não será mais fácil do que tentar se soltar sozinhos?

Os três espíritos ouviram o garoto e concordaram até certo ponto.

- Mas esse é o problema, garoto. - Razam se prostrou a frente. - No universo, existe algo chamado de Essência de Energia, é basicamente o nível de energia que o planeta suporta, esse onde vocês vivem é basicamente o mais baixo, existe um limite para as pessoas daqui.

- Exatamente, Fukai. - Sembou completou. - A pior Essência que já encontrei antes era quase que mil vezes mais forte que essa, e o limite deles era basicamente o Reino Escuro, aqui não se pode nem mesmo chegar ao Reino Bestial.

A cabeça de Fukai girou e girou com tanta informação.

- Eu entendi que meu planeta é bem, bem ruim, mas não é impossível para que alguém consiga chegar até esses Reinos, além do mais, eu não sei se sabem, mas meu planeta tem outros 2 continentes, e até mesmo esse continente onde estamos não foi olhado totalmente, deve ter algo diferente aqui.

Razam teve que assentir pela confiança do garoto.

- Sim, mas a dificuldade é a completamente diferente, se eu fosse treinar você para que chegasse ao Reino Céu Celestial levaria mais de 500 anos.

Fukai riu.

- Bom, você mesmo me disse que passar muito rápido por cima dos Reinos é ruim, então estabilizar e ficar entre eles deve ser bom. - Fukai logo levantou os braços para eles explicando. - Se eu ficar 500 anos tentando chegar a um Reino onde alguém conseguiu em dois anos, quem seria mais forte?

Sembou não respondeu de imediato, ela levou a mão na cabeça e olhou para sua irmã com uma resposta curta de "Ele está certo."

"Eu sei que está, mas ainda assim chegar ao Céu Celestial é impossível para as pessoas daqui, Sembou." - Os olhos de Sakura devolveram a resposta.

- Mas pelo que vejo, não parece que só tem apenas vocês de espíritos. - Fukai falou mais uma vez pensando. - Se pelo que parece, vocês estão tentando voltar de onde vieram, isso quer dizer que outros podem estar fazendo isso também, não viraria uma guerra para ver quem consegue chegar o mais alto primeiro?

Razam olhou para o garoto atordoado, sua mente clareou rapidamente, ele estalou os dedos criando um sorriso no rosto enquanto ajeitou seu chapéu de palha e olhou para as duas irmãs.

- É isso...

- O que? - Sembou também ficou excitada.

- Ele está certo, isso é uma guerra para ver quem consegue chegar no topo primeiro. Todas as Entidades foram jogadas para os planetas menores na esperança de que apenas os mais fortes e que tivessem o melhor aprendiz pudessem voltar a ter os seus títulos.

Sakura na mesma hora balançou a cabeça.

- Por que eles nos tirariam de lá? Nós éramos os seres mais fortes que existiam lá.

- Deve ser por isso mesmo. - Razam falou. - Você alguma vez lutou pelo título de Senhora Gagueoshi?

- Não...

- Então, seria talvez que o Deus Eterno estivesse nos colocando uma provação, ele quer que voltemos para cá e assim provarmos que estamos aptos a permanecer lá em cima? - Sakura logo foi a questão principal. - Isso não seria justo com todos.

- Isso inclui aqueles que são de famílias importantes e que nunca precisaram provar que são bons? - Fukai não foi nada simpático quando falou para Sakura.

Sakura apertou o punho, rangeu os dentes e sacou sua espada da bainha tão rápido quanto um raio.

- O que está insinuando, moleque? Que não sou digna de ser chamada de Gagueoshi?

Fukai balançou os braços rindo.

- Nunca falei disso, só dei uma hipótese.

- Acho bom mesmo.

Razam se colocando no meio dos dois começou a tirar a Sakura de perto de Fukai, ela era explosiva, e conhecia muito bem esse lado. Quantas foram as vezes que ele recebeu um soco ou chute quando estavam em um momento romântico na cama?

Ela não era a melhor pessoa para se importunar.

- Vamos encerrar por aqui. - Razam falou. - Vamos nos encontrar mais vezes para discutir sobre essas coisas, e mesmo que seja uma corrida para o topo, ainda não temos nenhum tipo de prova oficial, então vamos continuar formando os jovens para que nos ajudem a retomar o posto.

Sakura e Fukai trocaram olhares hostis ainda tendo um sorriso meio quebrado nos rostos. Os dois não se gostaram nenhum pouco, podia dizer que ambos tinham algo que o outro queria.

- Então realmente é uma guerra? - Sembou perguntou meio irritada. - Faz muito tempo desde que eu treinei alguém, Razam.

Razam assentiu meio pra baixo.

- Eu só posso pensar nesse motivo, mas não se preocupe, você está na presença de uma garota poderosa. - Ele sorriu se virando para Lucy que estava parada não muito longe de cabeça virada para o chão ainda muito perturbada. - Você tem que ajudá-la, sabe disso.

- Eu sei... - Sembou falou baixo. - Ela é uma flor, assim como eu era nos meus melhores dias!

Razam sorriu para ela.

- Você sempre vai ser e sempre será uma flor, minha senhora.

Os dois trocaram olhares gentis um para o outro, aquele típico olhar de duas pessoas se amando, as lembranças e emoções antigas que passaram juntos.

Razam tocou gentilmente o ombro de Sembou antes de sorrir e dizer.

- Vamos nos encontrar alguma outra vez, não é?

- O nosso Karma sempre disse que seriamos eternos amantes!

Com aquela última sentença, Razam, Sembou e Sakura sumiram evaporando no ar...

O ar descongelou rapidamente, e com isso todas as dores do corpo de Fukai Ferio retornaram.

Por Amnésia | 16/02/18 às 00:49 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação