CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 54 - Humanos e bestas

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 54 - Humanos e bestas

Autor: Amnésia | Revisão: Paragon

O rugido assustou todos os animais em volta da área, era o sinal do tigre amarelo, aquele que comandava aquele setor. Ele assustava os viajantes que não podiam cultivar, mas para os praticantes marciais não eram nada além de um divertimento.

A chuva não podia impedir o som, então ele propagou até onde podia, até onde havia uma alma viva tentando fugir da sua antiga vida.

Fukai virou o rosto rapidamente quando seu ouvido captou o sinal. O ruído não era nada de incomum, mas quando havia mais de duas bestas competindo por um território, esse rugido mudava para algo pior.

Eram dois, se não três vezes mais fortes, e com isso também atraía as bestas e animais selvagens de outras áreas, essa era a lei da floresta, aquele que estava em competição podia chamar outros para competir consigo, mas ainda assim, esse era diferente.

Fukai Ferio, que andava para o Norte, se virou para o Sul, o oposto de onde vinha.

- Está pensando em voltar agora? - Razam o parou aparecendo a sua frente em forma espectral, forma física. - Se voltar, vai atrair outros que vão querer te matar.

- Eu sei. - Fukai disse, e passou por dentro do corpo de Razam que se dissipou como fumaça, mas voltou ao estado normal. - Parece que está acontecendo alguma coisa por aqui.

Razam balançou a cabeça e desapareceu rapidamente voltando para a mente de Fukai.

- É melhor que isso seja só impressão minha. - Razam falou para si mesmo. - Mas eu sinto um espírito por perto.

- Então essa é a sensação estranha que meu corpo está alertando? - Fukai olhou para seu próprio braço tapado pela sua capa. - Venho sentindo uma formicação no braço direito desde que eu saí da casa de madeira.

- Começou de verdade, então, não é? - Razam logo falou um pouco sentido. - Essa guerra por poder vai ser pior do que eu imaginei.

- Sim. - Fukai lhe respondeu. - Mas eu acho que talvez não seja tão difícil, outros podem ter o mesmo pensamento que você e começar a fugir, então ficaríamos fora de vista de quase todo mundo.

Razam não ficou aliviado ao ouvir aquilo, pior do que isso, sua preocupação aumentou.

- Eu tenho receio de que os Imperadores e os Lordes também tenham ficado nesse estado, caso isso acontecer, ficarei de mãos atadas quando os encontrar.

Fukai não disse nada em relação aquilo, em todos os livros de história diziam que o Guerreiros das Orquídeas era um ser supremo que tinha técnicas tão refinadas e tão fortes que ninguém os destruiria, pelo visto, estavam erradas.

Razam tinha medo de entidades, algumas que pelo que pareceu foram seus aprendizes.

A curiosidade de Fukai podia ser gigante, mas algum tipo de instinto lhe informava que não era para ele perguntar sobre isso agora.

Razam parecia perturbado demais para atender alguma pergunta.

 Um lampejo de um raio no céu clareou muito a frente de Fukai, havia uma figura parada, encapuzada e também cheia de medo, tremendo enquanto a chuva lhe atingia. Estava ensanguentado e se escondia de algo.

- Amigo…

A figura se virou rapidamente com um olhar monstruoso, os dentes afiados e um olhar vermelho totalmente dominado pela raiva e ira, estava completamente fora de si. Ele bufava soltando vagões de ar dourados e muito hostilidade.

- O que é isso? - Fukai recuou um passo levando a mão ao cabo da espada.

- Parece ser transmutação. - Razam disse de forma séria parecendo ter voltado ao seu estado mental normal. - Algumas bestas têm capacidade de manipular a mente humana depois que seu ataque tem efeito, é muito raro, mas isso também é efetivo.

O garoto que estava arranhado se levantou devagar, seus dentes começaram a crescer ficando cada vez mais parecidas com presas de um tigre, os pelos do seu corpo também aumentavam cada vez mais, e seus dedos se transformaram em garras.

Ele estava se transformando em algo parecido com um tigre de verdade.

- Como assim efetivo, Razam?

- Se a pessoa tiver nível um no Reino Terrestre, ela aumenta em quase 4 níveis atingindo o ápice do poder. - Razam não demonstrou medo ou entusiasmo. - Parece que essa luta vai ser um pouco complicada.

Fukai mudou sua posição de corpo para a esquerda e olhou em volta procurando algo para se esconder, mas não havia claridade, a escuridão tomava conta, a única coisa que brilhava no escuro era os olhos da pessoa transformada que seguia Fukai para onde ele fosse.

- Acho que ele não me viu… - Fukai comentou dando um passo para trás pronto para sair.

A besta reagiu a voz dele saltando para frente com toda a sua força soltando outro rugido, esse muito mais alto do que o anterior que havia sido propagado.

- Eu acho que não, hein. - Razam gargalhou.

Fukai xingou baixo o espírito ao mesmo tempo que ficou impressionado com a capacidade dele de mudar de emoção de uma hora para a outra. Preocupado e eufórico, Razam era muito estranho.

As garras do tigre-humano brilharam momentos antes de Fukai desviar. Por sorte, ele podia prever alguns ataques básicos, as garras eram golpes parecidos com os de humanos, buscavam o pescoço e pontos vitais.

 As bestas procuravam mais os pontos que eram o suporte como braços e pernas, assim não danificavam as partes mais gostosas que eram os pontos vitais de suas vítimas.

A mente de cada besta era igual, e continham informações precisas de cada ponto vital de cada presa e predador que possuíam, e com os humanos não eram diferentes.

- O estado mental dele está em conflito, garoto. - Razam o alertou. - Não está em posição de enfrentar alguém que está no sexto nível do Reino Terrestre.

Fukai engoliu o seco.

- Sexto nível do Reino Terrestre?

A besta que tinha escorregado pelo solo molhado se levantou de novo, dessa vez ainda mais raivosa, estava começando a ficar irritada, sua mente trabalhava com as informações adquiridas do humano somado ao instinto de uma besta.

Juntos, esses dois fatores eram armas poderosas.

A besta se colocou em quatro patas, balançou seu corpo para os lados seguindo a movimentação do ar que vinha do corpo de Fukai, além disso o cheiro de roupa molhada também indicava onde o humano estava, e os sons de respiração.

Ela tinha três modos para encontrar sua presa, não era nada difícil atacar agora que seus sentidos estavam aguçados.

Mas ao dar seu primeiro passo, a terra que pisava afundou no chão atolando suas duas patas dianteiras no solo.

- Vamos ver quem é pior. - A voz veio da frente. - Um humano ou uma besta…

Do outro lado da floresta, um grito ecoou por um tempo. Os dois garotos que estavam correndo por suas vidas foram pegos rapidamente, seus corpos foram cortados pelas garras, e um deles teve uma mordida no ombro que perfurou e saiu do outro lado da carne.

Eles gritaram de dor antes de caírem no chão tremendo, ainda estavam vivos.

Lucy pôde ver claramente o que estava acontecendo, seu corpo se contorceu ao lembrar dos estudos antigos que teve com seu pai.

Bestas têm a mania de se reproduzirem ao tentar cortar outros, caso não forem domesticadas, elas continuam a aumentar seu tamanho para dominar uma área inteira.

Esse era o medo de enfrentar bestas fortes, elas simplesmente transformavam alguém fraco e uma peça importante para seu próprio interesse.

- Isso vai ficar ruim... - A figura encapuzada logo disse dando passos para trás e chegou até Lucy. - Temos que ir logo.

Ao falar isso, uma espada apareceu na lateral prestes a golpeá-la, a mulher girou o corpo levantando sua arma e defendeu contra o golpe.

- Aonde pensa que vai, garotinha? - Nanotte lhe perguntou lambendo os lábios. - Eu não falei que podíamos sair daqui, ainda temos tempo para brincarmos.

A figura defletiu a espada para o lado, se ergueu em um salto e lançou um soco na mandíbula de Nanotte o arremessando para trás.

- Fique onde está, gostaria que as bestas acabassem com você, não quero ter o trabalho de tirar sua vida.

Lucy aos poucos começou a sintonizar a voz daquela pessoa com as que tinha ouvido alguma vez, era familiar, bem familiar.

Nanotte balançou a cabeça colocando a mão no queixo e coçou como se não sentisse nada.

- Um belo soco, vai ser melhor quando estiver se debatendo na cama quando eu estiver fazendo sexo com as duas. - Ele gargalhou, sua mente não estava nada normal. - Sim, isso mesmo, eu vou fazer as duas minhas, vou amarrá-las, vou desfrutar de cada parte do corpo de vocês…

Nanotte começou a se mexer para frente, ele tremeu sua cabeça para o lado e no seu pescoço um pequeno arranhado do tamanho de um polegar foi visto assim que um lampejo dos raios no céu clareou tudo.

Lucy engoliu o seco ao ver aquela criatura começar a se transformar aos poucos, ele largou sua espada no chão quando suas unhas começaram a crescer cada vez mais virando violentas garras, seus dentes também estavam crescendo formando aquele conjunto de enormes e mortais facas mordedoras.

O pelo do seu corpo também foi uma soma, tudo estava totalmente diferente.

Nenotte estava próximo a avançar quando o verdadeiro Tigre Amarelo apareceu o jogando para o lado. Os dois rolaram na terra em um conflito se debatendo com ferocidade, um acertando o outro o jogando para o lado.

Lucy tentou se levantar, mas não conseguiu, agora que tinha tempo, ela podia tentar fugir do perigo eminente que estava a cercando.

- Não se mexa. - A figura a sua frente a alertou ainda imóvel, atenta e preocupada. - Esses bichos estão começando a lutar, se nada não chamar a atenção deles, um deles pode morrer, e gostaria que fosse o que se transformou.

A figura estava séria, não estava zombando nem nada, sua respiração estava controlada e pouco exposta, estava se preparando para avançar no melhor momento e acabar com o verdadeiro Tigre Amarelo.

Isso se não houvesse outros problemas.

Dois outros rugidos soaram juntos, era os dois garotos que foram acertados antes pelo Tigre, agora eles estavam de pé, raivosos e sedentos, encarando as duas presas paradas, sua atenção não estava focada na briga ao seu lado, seus instintos lhe mandavam ir atrás da multiplicação.

Quanto mais bestas, maior será seu território.

- Isso não é nada bom…

- Temos que sair daqui, agora. - Lucy falou forte tentando se soltar das cordas e do ferro que a prendia. - Se me soltar, eu vou conseguir fugir.

A figura assentiu.

- Você consegue, mas eu não, não vou dar a minha vida a alguém que até agora estava presa e de repente sai saltitando por ai livre. - A mulher falou com um tom sarcástico. - Eu opto por deixar você aqui e eu fugir, o que acha?

Lucy foi a loucura.

- Eu sou uma Naita, caso me deixar, eles saberão e te caçarão até os confins da terra.

A figura riu.

- É mesmo? - A pressão dela não era pesada, mas continha uma certa hostilidade muito forte contra tudo e todos a sua volta. - Eu espero que eles sejam capazes de reconhecer um corpo mutilado ou um tigre-humano com a sua cara, então.

A mulher deu um passou para o lado recuando e prestes a sair quando Lucy, desesperada e cheia de medo, viu os dois humanos transformados vindo em sua direção.

- Por favor, me leve, eu te imploro.

A mulher riu balançando a cabeça.

- Não posso levar um peso comigo, ou é você ou sou eu…

E na maior hora de todas, quando tudo estava começando a pesar, um rugido de dor no meio da floresta clareou, um rugido tão alto e tão poderoso que até mesmo as duas bestas que lutavam entre si no chão pararam e voltaram sua atenção para onde as árvores se alinhavam com maior facilidade.

Um tigre do tamanho de um elefante surgiu derrubando todas as árvores, seus músculos eram quase que do tamanho de uma casa, ultrapassava mais de 15 metros e saltitava tentando tirar algo de cima de sua cabeça.

Não algo, mas alguém que tinha sua espada curvada cravada no crânio da besta e gritava com euforia:

- Uhuuuuuuuul… Vamos, caralho!! Quem esse louco?

Por Amnésia | 01/03/18 às 18:46 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação