CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 61 - Duas escolhas

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 61 - Duas escolhas

Autor: Amnésia | Revisão: Paragon

- Não acha que é ousado demais para pedir algo assim? – Gallo devolveu, mas se divertiu por ter ouvido a proposta do garoto, não era algo absurdo, mas ainda assim, era complicado de resolver.

O que Gallo provavelmente não podia saber era que os planos arquitetados por Fukai iam dar certo, de um jeito ou de outro.

Fukai ao ouvir Gallo, nada falou, mexeu seu ombro para os lados, sua proposta ainda estava em aberto.

Outra pessoa falou, e era Juno com um sorriso bem exposto no rosto.

- Eu tenho outra proposta para você, então, garoto dos Ferio.

A mulher transbordava alegria com aquele sorriso largo, mas ela não enganava Fukai, o sorriso podia ser largo, mas era por causa da sua euforia, a mão dela coçava para o atacar.

Juno virou a cabeça e apontou para frente na direção da cintura.

- Essa espada na sua cintura, é uma lâmina curvada, não é? – Ela deu um risinho.

- Certamente, você não parece ser cega, no fim das contas. – Fukai devolveu colocando a mão na cintura, em cima da arma. – E qual o propósito de querer saber sobre ela?

A mulher mexeu o pescoço com um sorriso hostil e saltou do galho que estava para o chão. Andou até seu líder no chão e olhou para ele com um pouco de cordialidade.

- Senhor, vamos trocá-lo pela tabuleta e as jades que roubaram, é bem claro que os Ferio irão dar até mais por um dos seus. – Ela falou.

Mas Fukai gargalhou alto só de ter ouvido aquilo.

Ele levou a mão na barriga e não parou até fingir tirar águas de alegria de baixo do seu olho.

Tulio ainda com sua espada apontada rangeu os dentes ao vê-lo rir daquele jeito.

- Esse garoto, ele é estranho. – Comentou para si mesmo, e virou para sua subordinada do lado. – Juno, não abaixe a guarda, ele é realmente um Ferio, conseguiu paralisar meus movimentos me acertando.

Juno assentiu um pouco surpresa, ela observou que no rosto, um pouco abaixo do nariz, um pouco de sangue seco ainda permanecia a vista.

Então era verdade, ele realmente tinha golpeado o Segundo Comando dos Tugh.

- Qual a graça, garoto?

Fukai parou de rir ainda prendendo um pouco da gargalhada, e respirou fundo.

- Acha mesmo que os Ferio vão querer negociar por alguém como eu? Isso é sério? – Ele falou fazendo a espada em suas mãos rodopiar no ar algumas vezes. – Não pensem que conhecem os Ferio, vocês nunca entraram ou conversaram com um deles.

- Estamos fazendo isso agora. – Juno rebateu levando a mão na cintura. – E é bem simples, um resgate ou sua morte, o que gostaria que acontecesse com você?

Fukai deu de ombros.

- Nenhum dos dois vai acontecer, nenhum de vocês presentes podem sequer me tocar. – O garoto falou confiante. – Olhe em volta, todos querem o óbvio, querem subir de patamar, parar de irem atrás de ladrões, mas apenas tem duas opções.

Fukai levantou o primeiro dedo dizendo:

- Primeiro, me forçar a ser um refém e pedir um resgate para os Ferio como forma de melhorar suas vidas. – E levantou o segundo dedo. – Ou, vocês podem simplesmente conseguir tudo o que querem, tanto a destruição dos Ferio quanto subir de vida, mas isso vai sempre ter um risco.

Tulio rangeu os dentes novamente, aquele garoto era diferente. Ele falava sem ondular, sem abaixar ou aumentar o volume do tom, não demonstrava raiva, medo ou qualquer que fosse a emoção, era passível, porém conduzia a conversa sempre a seu favor.

Era um oponente que usava a língua. Tulio conhecia muitos desses dentro de sua Seita, mas na maioria das vezes, essas mesmas pessoas eram péssimas no combate, eram superiores em estratégicas, sobreviviam sem lutar.

Se Tulio não tivesse tomado aquele golpe rápido na batalha anterior, ele logo faria uma ligação do garoto com as pessoas que não lutam.

Esse mundo e suas pessoas estranhas, pensou Tulio.

- Senhor. – Gallo falou rapidamente saltando do galho e aparecendo ao lado de Tulio. – Esse garoto está tentando nos controlar com as palavras, se você quiser, podemos acabar com ele agora.

Os demais, todos os outros acima das arvores concordaram ao mesmo tempo. Não seria um garoto que ditaria as regras, se fosse para ser assim, então do que adiantou ir até a floresta atrás dos ladrões?

Enquanto todos falavam a sua volta, Fukai permaneceu quieto, ele abaixou a espada esperando a resposta de Tulio.

O homem continuou encarando Fukai, seus olhos focados na presença pequena que o garoto emanava, mas ainda assim, era tão sólida quanto o próprio solo, parecia até que ele estava no Reino Terrestre.

Se fosse isso, se Fukai realmente estivesse no Reino Terrestre, então seria mais complicado de lutar contra ele, mas sua Profunda Energia indicava muito bem para todos ao redor que ele estava apenas no Oitavo Nível do Reino Verminiano.

Tulio não queria acreditar, mas para alguém ser tão sólido assim, a pessoa devia ter uma base muito forte para o assegurar.

- Está confiante? – Tulio perguntou, mas ainda estava um pouco duvidoso sobre como deveria tomar a situação. – Já alertei sobre como ele funciona, então tome cuidado.

Juno concordou com a cabeça em respeito e convicção.

- Quando eu o trazer ficará evidente que teremos nosso futuro em nossas mãos, senhor. – Juno tirou sua espada da bainha, ergueu com força para cima mostrando a brilhante lâmina vermelha que possuía.

Fukai assoviou admirando a arma, poucas eram as espadas que tinham lâminas vermelhas.

- Em primeiro lugar... – Juno virou para Fukai segurando o cabo com as duas mãos. – Não me subestime por eu ser uma mulher. se vem com essa fala, vc percebe que ela não é grande coisa

Fukai balançou a cabeça discordando.

- Subestimo você por estar me subestimando.

A espada que antes estava abaixada foi empunhada novamente com sua ponta virada para frente. Fukai tencionou as pernas, mas relaxou os braços, mirou os olhos, mas afrouxou a respiração. Ele coordenava os movimentos do seu corpo em união.

Juno não conhecia nada sobre os estilos de luta dos Ferio, mas ouviu das pessoas que conseguiram sobreviver ou espiar eles lutando. Eram agressivos, enquanto o inimigo esperava por um golpe, eles avançavam com sutileza, mas quando fingiam ser calmos, atacavam com força.

Era uma combinação tão potente que irritava os demais.

Até mesmo os Hyono afirmavam que mesmo os Ferio sendo considerado uma das pequenas famílias, eles possuíam uma aura dominadora e opressiva entre os demais.

Eram Governantes mesmo quando chamados de Plebeus.

A mulher avançou correndo. Mirou seu ataque antes mesmo de ter saído do lado de seu líder, miraria na base baixa do oponente, onde haveria uma falha, ela podia não conhecer os estilos dos Ferio, mas era experiente.

Quando se dobra o joelho e abaixa sua base, há sempre uma falha, e é sempre pelo braço não dominante, no caso de Fukai era o esquerdo.

Juno se aproximou rapidamente para um golpe central e depois um golpe lateral, tinha isso em mente, acabar com a defesa do oponente com dois ataques rápidos e efetivos, logo depois aumentar a ferocidade junto de um combo.

Um combo era uma representação de golpes consecutivos ou técnicas consecutivas sempre sendo desenvolvida pelos espadachins mais habilidosos.

Diziam que o combo mais forte até hoje vinha do Império Hagner, ao leste do Império Quilin, onde seu usuário produzia duas técnicas ao mesmo tempo com duas espadas. Era por isso que muitos tentavam todos os dias formar seus combos.

Poucos os que conseguiam, mas esses eram os que se tornavam importantes algum dia.

Juno estava na fabricação de um combo, quase finalizado, ela pensava assim.

Ela esticou sua espada com um golpe central, uma estocada mirando o pescoço de Fukai, a mulher tinha ciência de que o garoto se esquivaria para o seu lado dominante, os espadachins faziam isso, quanto mais rápido é o golpe, mas complicado a reação é.

Virar para o lado dominante, para a direita onde ele segurava a espada, isso era o mais certo a se dizer.

Mas Fukai não lhe deu o gosto dessa certeza.

Ele permaneceu estático até que Juno se aproximasse, e permaneceu assim deixando a lâmina atravessar sua pele e perfurar.

Todos os demais ficaram decepcionados pelo garoto ter falado tanto e nada fez, foi incrível como alguém que tinha tanta lábia nada pode fazer contra uma simples estocada.

Gallo e Tulio também tiveram uma decepção semelhante.

- Acho que ele estava só blefando. – Gallo disse com meio sorriso no rosto.

Mas diferente dele, Tulio não concordou, ele já tinha lutado contra o garoto antes e provou da raça e força, do seu reflexo e impulso, não era simples quanto outros.

Mesmo olhando o sangue escorrer do pescoço dele, a insegurança ainda dominava bastante a sua mente.

- Parece que vocês gostam de acertar o ar.

Todos os rostos se viraram para a direita de onde Juno estava, não muito longe, o garoto de pé com sua espada nas mãos intacto, sem nenhum arranhão, olhando para sua unha desprezando completamente.

Juno olhou para o garoto, abriu sua boca com um choque e olhou para sua espada, ela estava no ar, completamente como antes, mas não tinha corpo, não havia o rosto mórbido de alguém que tinha acabado de ser acertado.

Ele criou uma ilusão.

- Os Estilos dos Ferio são bem mais do que os olhos e ouvidos podem sentir. – Ele disse para Juno ainda chocada. – Se pensar que vai acertar, você não acerta, se você pensa em recuar, você avança, assim se faz as coisas por lá.

Um estalo muito grande ecoou pela floresta, um barulho de ossos estalando, foi forte, dobrou cada ouvido deixando todos estupefatos. O som veio claramente de onde Juno estava, precisamente, onde seu braço estava.

O braço direito dela se torceu para o lado em um movimento involuntário, quebrou sozinho.

- Eu disse, não foi? – Fukai sorriu de forma ameaçador e sombrio. – O recuo completa o avanço.

Juno gritou quando mais um dos seus ossos estalou, todos vindo do seu braço direito, começou no antebraço e mudou para o pulso. Ela berrou com muita dor, não podia se mexer, estava paralisada e sendo torturada. não disse? Não é muita coisa

Tulio continuou parado olhando para Juno, ele queria se mexer e ajudar, mas não podia, Fukai continuava o encarando esperando uma resposta imediata, e a cada segundo que passava, outro estalo crescia rapidamente.

- E então? – Fukai deu um leve balançada de sua cabeça para a esquerda esperando a resposta. – Já se decidiu?

Gallo olhou para seu líder, o homem que era para dar a ordem estava tão paralisado quanto a própria Juno, sua mente estava começando a embrulhar, ele não sabia o que fazer.

O negro Gallo apontou para Fukai no mesmo momento que virou seu rosto para todos os que estavam em cima das árvores.

- Avancem, não o deixe mais machucar Juno!

Fukai balançou a cabeça vendo todos aqueles homens e mulheres pulando dos galhos na sua direção, todas as armas sacadas e Profundas Energias sendo liberadas.

O mais forte entre eles estava no Décimo nível do Reino Verminiano, ele praguejou pela força dos seus oponentes serem tão pequenas e iguais.

- Péssima escolha, amigo... Se o Fukai não matar todos esses fdps, eu vou ficar putasso com o Yuri

Por Amnésia | 01/03/18 às 18:57 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação