CAPÍTULOS
OPÇÕES
Cor de Fundo
CONTROLE DE FONTE
HOME INDEX
Capítulo 62 - Métodos de condução

Legado dos Deuses (LDD)

Capítulo 62 - Métodos de condução

Autor: Amnésia | Revisão: Paragon

As espadas foram todas puxadas para fora num único movimento, rostos sedentos por uma vingança contra sua parceira. Os lábios se contorceram com o ranger dos dentes, miraram suas espadas rapidamente para frente e golpearam.

Fukai observou cada um dos atacantes. Todos eles tinham um pouco de Profunda Energia guardada e não atacaram com tudo de si.

A irritação tomou conta de Fukai, eles estavam o subestimando.

O garoto girou o corpo defendendo de dois golpes seguidos, abaixou tirando uma lâmina afiada de perto de sua cabeça. Acertou o primeiro agressor com um soco no queixo, curvou o joelho acertando a perna do segundo.

Os dois primeiros piscaram seus olhos rapidamente, eles tentavam dar comando para suas mãos, mas a única coisa que conseguiam mexer era somente seus olhos e alguns poucos movimentos com sua cabeça para o lado.

Eles foram paralisados rapidamente.

Os outros seis prenderam um pouco de seus ataques, eles avançaram sem uma estratégia e acabaram por cair rapidamente na armadilha do inimigo.

- Não ataquem sem uma base. – Fukai os alertou. – Vocês se mexem de um lado para o outro como se estivessem atrás de uma carniça, não parecem sequer querer me acertar.

A espada de Fukai se mexeu para o lado, um ataque furioso de Gallo que simplesmente liberou sua força do primeiro nível do Reino Terrestre, mas ele ficou impressionado, Fukai o parou com apenas um braço em um movimento rápido.

Movimentos rápidos e fortes se diferiam muito.

Os rápidos eram feitos para supressão, os fortes para destruição.

- Ataque surpresa? – Fukai balançou sua cabeça admirado. – Nada mal.

Ele virou o corpo rapidamente, esticou seu pé direito no meio das duas pernas de Gallo e encurtou o espaço em um único momento, esticou seu braço no intuito de acertar um golpe abaixo da barriga do negro, mas foi parado.

Gall golpeou com o cotovelo para frente, Fukai abaixou rodopiando seu corpo para trás de Gallo e acertou um soco pesado na costela do homem. Recuou um passo deixando o homem gemer de dor e abaixou dando uma rasteira nele.

O corpulento homem caiu no chão imóvel, sua costela não foi quebrada, mas a dor que o atingiu foi forte o suficiente para que mudasse sua visão sobre o garoto. Gall teve certeza que Fukai podia ter quebrado sua costela com um soco só.

A reação demonstrava pelo garoto, sua formação e os movimentos de pés, foram esplêndidos. Ele era treinado e bem formado com a espada, mas seus golpes em desarme era ainda mais forte, parecia alguém que não tinha medo de nada.

- Um ataque surpresa é bom contra aqueles que são arrogantes e acreditam muito na sua força. – Fukai falou como se não fosse nada. – Pois bem, ainda restam alguns de vocês, querem continuar com essa coisa sem sentido?

Um dos homens ergueu sua espada com irritação na voz, respirou fundo e berrou enquanto avançava sozinho.

Girou sua espada colocando a lâmina para trás e saltou no ar.

- Golpe Elementar...

A espada brilhou em um tom azul antes de aumentar de tamanho, sua lâmina virou uma de folha larga brilhante. O homem forçou seu braço para frente para um corte na vertical.

Ele desceu na direção de Fukai, o garoto só deu um passo para o lado antes da lamina chegar até ele.

A espada cortou o chão e fez um rombo, o solo foi destroçado para os lados enquanto o homem ofegava suando, ele já tinha liberado toda sua energia no primeiro ataque e fazer isso agora foi mais do que suficiente para que o esgotasse.

Fukai guardou sua espada na bainha e colocou as mãos para trás das costas.

- Vejo que os que estão no Reino Verminiano são todos meio fracos. – Ele revelou desapontamento balançando sua cabeça.

- Você fala como se fosse alguém forte. – Tulio falou forçando a permanecer imóvel, ele viu dois dos seus melhores subordinados serem jogados no chão e quase destruídos ali, não tinha ideia do que fazer.

Fukai riu.

- Olha, eu não me gabo, mas seus homens não são treinados para nada além de buscar ladrões. – E não deixou Tulio falar, direcionou o olhar do líder do grupo para os seus homens esgotados e sem um pingo de força. – Eles sequer conseguem permanecer de pé.

Tulio franziu suas sobrancelhas e rangeu os dentes. O garoto estava o humilhando na frente de todo o seu grupo, não só o fazia se sentir humilhado como impotente também.

Com apenas algumas palavras e movimentos, Fukai era o dono da verdade, alguém que usava e usufruía de qualquer emoção ou sentimento dos inimigos.

Ele era uma praga que grudava na mente das pessoas e as corrompia de dentro para fora.

- Dentro da Seita Calto... – Fukai começou a falar. – Existem regras para os que saíam em missão ou qualquer que fosse o assunto.

A expressão de Fukai não suavizou, ele continuou olhando para Tulio que com os olhos arregalados começava a ver um demônio aos poucos ganhar forma atrás de Fukai, era escuro, com olhos vermelhos tomando 3 metros de altura.

O mundo a sua volta começou a perder a cor, era frio, isolado, os sons começaram a se perder, os brilhos do sol não mais penetravam nos olhos do líder.

A escuridão ganhava forma.

Tulio engoliu o seco, o suor acumulou na sua testa e pingava pela sua bochecha.

- Quando encontrássemos aqueles que são inimigos jurados, nós deveríamos matá-los e jogar seus corpos espalhados pelos quatro cantos do cenário. – A voz de Fukai engrossou como do próprio Demônio. – E todo o sangue jogado na terra para suprir as plantas.

Fukai, conduzindo as sombras do mundo escuro, prendeu Tulio em um quadrado que somente o homem podia ver.

Ativou a técnica Medo do Escuro sem ter dito nada, como Razam havia alertado que as técnicas e todos os sentidos de golpes não precisavam ser mencionados, o garoto usava isso a seu favor contra todos os seus oponentes.

Ele não queria usar métodos sangrentos contra nenhuma dessas pessoas, a única coisa que provocava era alucinações.

Juno nunca teve seus membros quebrados, tudo foi a técnica Medo do Escuro controlando sua mente enquanto os outros ouviam barulhos de algo se quebrando.

Para Fukai, aquilo era divertido, ver as pessoas desesperadas tentando se manter bem, tentando ao máximo não perderem sua razão. Tentando crer que suas filosofias não serão quebradas.

Tulio caiu para trás totalmente assustado. Ele engoliu o seco respirando pesadamente quando tudo sumiu, as cores negras, o demônio atrás de Fukai e o frio desapareceram juntos deixando somente o garoto de pé o encarando com um sorriso no rosto.

- E então... – Fukai andou até o lado de Tulio e se agachou, falou bem baixinho. – Não quer fazer a proposta agora?

Por Amnésia | 01/03/18 às 18:58 | Aventura, Fantasia, Artes Marciais, Wuxia, Xianxia, Brasileira, Poder, Adulto, Elementos de Cultivo, Ação